domingo, 28 de fevereiro de 2010

Esporte bizarro!

Certamente não têm a mesma evidência e popularidade que as Olimpíadas e mesmo o Panamericano, mas nessas semanas estão acontecendo os Jogos Olímpicos de Inverno, na cidade de Vancouver, Canadá. Para nós, brasileiros, realmente tal evento esportivo não chama muito a atenção, pois não estamos acostumados com o clima com neve e gelo, e consequentmente pela discretíssima participação de atletas brasileiros na competição, atuando como meros figurantes, ofuscados pelos competidores de países de maior tradição nesses esportes. Creio que apenas aqueles que assistiram o bizarro "Jamaica Abaixo de Zero" se lembram das Olimpíadas de Inverno.

Como se espera, as competições são bem diferentes daquelas que vimos nas últimas Olimpíadas: esportes como corridas de esqui, hóquei e patinação no gelo são os grandes destaques dos jogos, e relativamente fáceis de serem assistidos. Mas se tem um esporte completamente bizarro e doido é o estranho curling... Nunca entendi muito bem esse esporte, e com a transmissão das competições nos últimos dias decidi assistir uma partida de curling.


Cada time tem quatro jogadores, e a partida é disputada em 10 tempos, as equipes se alternam em oito lançamentos das pedras gigantescas, discos de granito que pesam quase 20kg. A cada lançamento, um jogador deve deslizar o disco em direção a um grande alvo, com o objetivo de colocá-lo o mais próximo do centro. Claro que outras ações podem ser tomadas, como tentar bloquear outros discos, ou mesmo acertar um disco adversário para tirá-lo do alvo. Para auxiliar nessa tarefa, os outros membros da equipe podem usar vassouras (você leu direito, vassouras!) para acelerar ou desviar o disco. Depois que todos jogaram suas pedras, ganha o round aquele que tiver o disco mais perto do centro do alvo, ganhando um ponto por cada disco mais próximo do que o do adversário: por exemplo, os dois discos mais próximos são do time A e o seguinte é do time B, então o time A ganha dois pontos.


Confesso que ainda acho bizarro, mas é um esporte interessante, parece uma mistura de sinuca com boliche. Ou melhor dizendo, é bem parecido com uma partida de bolinha de gude! Envolve muita técnica e concentração, não é só chegar e jogar a pedra, tem que dosar na força. Acabei gostando de assistir algumas partidas de curling nessas Olimpíadas de Inverno, é um esporte que apesar de ser bem estranho, é empolgante.

Tá bom, desisto! Curling não é um esporte tão legal como futebol e vôlei... Algo que me atraiu bastante a assistir as competições femininas foi ver umas jogadoras incrivelmente gatas, vestindo calças coladinhas e deslizando pelo gelo! Em especial as jogadoras da equipe russa...


A morena se chama Anna Sidorova, tem só 19 aninhos, mas já chegou ao posto de capitã da equipe. Podia sorrir um pouquinho mais, mas mesmo assim é muito gata!


A loirinha é Liudmila Privivkova, tem 23 anos, e tem esse rostinho eslavo encantador! Dá vontade de levar pra casa.


Tenho que admitir, sempre tive um certo fetiche por mulheres russas. Se bem que quando o assunto é atletas de curling, não podemos deixar de falar da bela dinamarquesa Madeleine Dupont...


Inclusive, se você quiser ver uma foto mais "interessante"dela, clique no link abaixo, lembrando que ele é relativamente "Not Safe For Work". Claro, só clique ali se você tiver mais de 18 anos (deixei o aviso, mas sabemos muito bem que a rapaziada não vai obedecer).

NSFW

Bom, realmente estou perdido... Consegui transformar uma postagem sobre um curioso esporte de inverno em mais uma coletânea de fotos de mulheres...

Censura Religiosa


Nessa semana tivemos mais uma daquelas notícias bizarras, de coisas que só acontecem aqui no Brasil... Dessa vez, quem levanta a polêmica é a Arquidiocese do Rio, que está querendo processar os produtores do filme 2012. Tudo isso por conta da cena onde o Cristo Redentor é destruído durante a série de catástrofes que marcam o fim do mundo (veja a notícia aqui).

Meu amigo, sem comentários... Acho que os padres não tem muito mais o que fazer além de rezar missa (e alguns deles, de pegar meninos), e precisam procurar algo para criticar em nome dos "bons costumes". Na cabeça deles, mostrar a estátua do Cristo Redentor sendo destruída é algo que poderia abalar a fé cristã, e com isso querem exigir dos produtores uma indenização por mau uso da imagem do monumento.

Começa que a Igreja não é dona da estátua do Cristo Redentor. Diria que ela é um patrimônio de todos os moradores da cidade, ou mesmo de toda a nação, em função da importância e destaque dela lá fora. Honestamente, embora a estátua seja baseada na imagem de Jesus Cristo, ela está mais para atração turística ou marco da cidade do que símbolo religioso. Se for assim, corremos o sério risco de que a petralhada e seu Plano Irracional de Direitos Humanos, venham a derrubá-la antes de 2012, com sua proposta de remover símbolos religiosos da cidade. Como comentou Reinaldo Azevedo em seu blog, desse jeito vão acabar trocando o Cristo por uma estátua de Lula...

Afinal, quem fez mais pelo povo? Cristo ou Lula?

Dizem que a Igreja não pode lucrar com sua imagem, embora é o que as pessoas mais fazem, com camisetas e souvenirs que são vendidos para os turistas. Mas ela julga que tem o poder de veto sobre o seu uso, que se a Arquidiocese não quiser que a imagem do Cristo seja usada, sua decisão é final e irrevogável. Já aconteceu por diversas vezes no Carnaval carioca, teve até uma vez que a escola protestou, cobrindo a estátua com um pano preto, reclamando da censura imposta pelo clero. Mas eu acho que tudo tem um limite, vejo que essa atitude foi um pouco exagerada perante os criadores do filme, a meu ver não foi nada demais. Não é como se eles estivessem associando a imagem do Cristo Redentor ao crime, às drogas e outras grandes mazelas da sociedade, como acontece no exemplo abaixo...

Isso sim que é inaceitável! Cadê a Igreja numa hora dessas?

Cara, estamos falando de um filme, o que na imensa maioria das vezes significa ficção. Sem falar que mega-produções catastróficas estão aí desde a época que o Ultraman destruía metade de Tóquio ao lutar com um monstrengo vindo do espaço. Em produções como Independence Day e Armageddon vimos grandes monumentos como a Casa Branca, o Empire State, a Torre Eiffel e outras construções conhecidas virem abaixo, e nunca vi ninguém reclamar nem um pouco. Mesmo com os atentados de 11 de setembro, depois de um período de luto Hollywood voltou a destruir as cidades, inclusive Nova York, sem nenhuma repreensão por parte de seus habitantes. Pôxa, até mesmo no filme 2012 criticado pela Arquidiocese o Vaticano é destruído, com uma igreja desabando sobre os fiéis, e não escutamos nenhum comentário por parte do Papa e outros religiosos.

E tem mais, se a Igreja acha que um filme vai afetar a fé de seu rebanho, então é porque ela não está fazendo um bom trabalho em manter os seus fiéis e se sente ameaçada por um mero filme. Na minha opinião, acho que o que está afastando as pessoas da Igreja católica não são filmes como 2012, mas a postura demasiadamente conservadora e atrasada da cúria, que não aceita que o mundo está evoluindo. Por fim, o que é ainda mais engraçado é como só agora eles vieram com esse protesto: o filme estreou, ficou nos cinemas, saiu de cartaz e já está nas locadoras, e só agora o clero decidiu reclamar.

Embora certamente o conservadorismo religioso foi determinante para essa crítica, no final das contas tudo isso não passa de fruto da fraqueza de espírito brasileira. Não é novidade que tem muita gente aqui que se ofende facilmente quando é alvo de uma piada ou comentário incômodo. Lembram quando fizeram aquele episódio dos Simpsons no Brasil? Não demorou para aparecer um bando de desocupados com merda na cabeça criticando Homer e sua família ,sendo xingados e criticados pelas autoridades? Inúmeros outros países foram satirizados pelos Simpsons, como França e Japão, e seus habitantes não ficaram de choro, muito pelo contrário, até se sentiram "honrados" de estarem em uma das séries mais vistas da atualidade.


Mesmo os próprios americanos, que são muito mais zoados pela simpática família amarela, não se sentem ofendidos... Apenas os brasileiros, com seus egos exarcebados, é que não toleram ser alvo de piadas desse tipo, não aceitam que seus símbolos e sua cultura sejam ofendidos de qualquer maneira, principalmente se a "ofensa" veio dos EUA, eternamente odiados pelas ONGs e petelhos (que, juntamente com a Igreja, adoram reclamar dos americanos). Embora parece não haver muito problema quando o autor da piada é brasileiro: se é um humorista tupiniquim sacaneando algo nacional, é engraçado, é cultura, mas se for um comediante americano fazendo a mesma piada, é uma ofensa, o cara não sabe da realidade. Um pseudo-patriotismo que esconde a xenofobia, em que esses intelectuais e comunistas fazem de tudo para rechaçar qualquer ofensa contra o Brasil que vem de fora, mas na hora de fazer algo pelo país, estão mais preocupados em si mesmos e em quanta grana conseguem desviar para seus bolsos.

Pelo menos minha esperança é que essa crítica da Igreja contra o filme não vai dar em nada, vai acabar sendo apenas um episódio para chamar a atenção e vender jornais. Afinal de contas, nosso povo é preguiçoso, o Brasil já tem a fama de reclamar, reclamar e reclamar, mas não fazer nada a respeito...

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Apagão Vermelho

Veja o que aconteceu com "El Presidente"...



Mais um exemplo de como a Venezuela presencia um momento mágico em sua história, sob a liderança maravilhosa de Hugo Chávez. Me explica como um país rico em petróleo passa por uma grave crise energética como essa, que atrapalhou até o presidente em mais de um de seus discursos comunistas e anti-americanos. Ou será que para a política bolivariana de Chávez isso é normal, que o povo não deve ter acesso à energia elétrica? Talvez a intenção dele seja essa mesmo, já que tem gente que não tem luz em casa, e para garantir a verdadeira igualdade energética é mais fácil nivelar por baixo e deixar todo mundo às escuras.

Claro, só falta dizer que esse apagão foi culpa dos EUA... Deve ter sido uma nova arma eletro-magnética que anula a corrente elétrica, mas que foi valentemente superada pelas forças armadas venezuelanas...

É isso aí, Chávez! Do jeito que está, nem vai precisar dizer para o povo venezuelano que o último que sair vai ter que apagar a luz...

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Dá-lhe Fogão!!!

É isso aí, torcida alvinegra! É CAMPEÃO!!!

Não tem Império do Amor e nem Dodô, sou mais o ataque Mercosul do Fogão! O Botafogo ganhou mais uma vez o título da Taça Guanabara, torneio que a mulambada despreza quando fica de fora! Ganhou o time que ninguém acreditava, aquele que não era valorizado pela mídia. Podemos não ter nomes badalados como Adriano, Wagner Love, Dodô, Carlos Alberto ou Fred, mas temos algo que esses figurinhas não tem, que é a taça!

Entre Dodô e Império do Amor, sou mais El Loco!

O bacalhau foi duro de roer, mas quem estava achando que iriam aplicar outra goleada, se deram mal. E o menguinho nem falou nada, amargurou como o pior dos quatro grandes na Taça Guanabara. É isso aí, a mídia (a Globo em grande parte, como sempre) já dizia que a final seria entre Framengo e Vasco, mas eles se esqueceram de que a zebra, assim como o texugo, é preto e branca! Não tem pra ninguém!

Comemore, torcida alvinegra! Essa segunda é dia de sacanear os vascaínos, eternos vices, e comer bolinho de bacalhau. E claro, também é para sacanear a corja de urubus!

Nunca me canso dessa imagem! Hahahaha

Horário de Verão

Acabou-se na madrugada de hoje o sempre polêmico horário de verão. Desde outubro do ano passado, alguns estados do Brasil vivenciaram essa mudança no relógio com o objetivo de economizar energia. E logicamente há aquelas pessoas que aprovam a medida, gostando dos dias mais longos, enquanto que tem aqueles que odeiam o horário de verão. Sinceramente, para mim tanto faz...

Sobre a questão energética, eu diria que o objetivo prático não é exatamente a economia de energia, afinal de contas não imagino que ela seja significativa. Por exemplo, nesse ano economizou-se apenas 0,5% de energia. Tudo bem que essa economia seria suficiente para abastecer uma cidade de tamanho razoável durante um ano, mas acho curioso como existe essa preocupação com economia de energia enquanto ainda temos gente passando as noites à luz de lampiões. Não estou dizendo que se deva esbanjar energia, apenas acho meio sem sentido que essa energia economizada não chegue à população mais carente, principalmente no governo do partido da "ética"...

Além disso, é indiscutível que nesse período de verão existe um aumento do consumo de energia por parte da população. Ora, pegue a sua conta de luz dos meses de dezembro e janeiro e compare com as dos meses de junho e julho. O horário de verão pode fazer com que você só precise acender as luzes de casa mais tarde, mas o clima insuportavelmente quente vai provocar gastos muito maiores com aparelhos de ar condicionado e ventiladores, que gastam mais que uma lâmpada. Até porque luz você só vai acender quando estiver escuro, mas o ar condicionado vai ser usado quase o dia inteiro. Será mesmo que a tal economia de energia se deve apenas ao horário de verão? Não digo que ela não contribua, mas também ela não é a única coisa que possa ter provocado essa economia. Afinal de contas, nos meses de verão muitas fábricas páram, muita gente sai de férias, existem outros fatores que contribuem para a redução do consumo.

Mas a verdade é que para a população não chega nenhuma vantagem dessa economia: como falei, as contas de luz nesse período não são menores, e tampouco cobra-se menos pela energia. Para as pessoas, o que muda mesmo é a questão do horário. Após adiantar o relógio uma hora, o que se tem no horário de verão é que os dias dão a impressão de serem bem mais longos, juntamente com a maior exposição solar do hemisfério sul durante essa época do ano. Por exemplo, era comum eu estar chegando em casa em torno das sete e meia da noite e o dia ainda estar bem claro. Por outro lado, acordando às 5 da manhã parecia ainda noite. Com o fim do horário de verão, acertamos os ponteiros e voltamos ao padrão.

A primeira coisa são as horas que você perde ou ganha com as mudanças. Sair do horário de verão como ocorreu nesse domingo até que não é tão ruim, pois ao atrasar o relógio acaba que ganhamos uma hora extra de sono! Porém, seria melhor se não tivéssemos que adiantar o relógio quando começa o horário de verão: aí nessa situação perdemos uma hora na cama...


Bom, cada um tem a sua opinião, normalmente aqueles que criticam o horário de verão são aqueles que acordam cedo e precisam sair no escuro. Quem aprova a mudança normalmente são as pessoas que gostam de sair à noitinha, tipo para um happy hour ou passeio na praia depois do trabalho, pois ainda estaria claro. Mas conheço gente que acorda cedo e gosta do horário de verão, já que como o Sol demora mais para nascer a temperatura fica mais agradável, e também conheço aqueles que gostam de sair à noite e odeiam o horário de verão pois tudo ainda está claro demais, com uma sensação de matiné da tarde. Como diz o ditado, "opinião é que nem o orifício retrofuricular, cada um tem a seu".

A verdade é que as pessoas que gostam ou odeiam (principalmente essas últimas) não dependem do relógio para as suas vidas, e baseiam todas as suas atividades com a claridade do dia. Bem, eu não sou um galo, cujo dia só começa ao raiar do sol, para mim não interessa se está claro ou escuro, o que importa é a hora. Por exemplo, tenho que pegar no trabalho às 8 horas da manhã. Aí não importa se está fazendo sol ou se está chuvendo, o horário é esse e ponto! Inclusive no horário de verão.

Pra mim o grande problema não é o horário de verão ou a ausência dele, trata-se da mudança que somos obrigados a fazer no início e no fim desse período. É como ter viajado para uma cidade com um fuso de uma hora. Acontece que enquanto acertar os ponteiros do relógio de sua casa é algo fácil de fazer, o mesmo não se pode dizer do seu relógio biológico, que hoje ainda está adaptado à rotina e aos horários observados durante o período anterior. Apenas para ilustrar o problema, suponha que uma pessoa tenha os seguintes hábitos durante um dia:
  • Acordar às 7:00, para ir ao trabalho;
  • Almoçar ao meio-dia;
  • Dormir às 23:00.
O sujeito está numa boa e aí começa o horário de verão, onde os relógios são adiantados uma hora. Já começa que você perde de graça uma hora de sono no primeiro dia. E em relação aos horários, todos eles passam a corresponder a uma hora antes. Todas as atividades vão ser realizadas uma hora mais cedo, assim o nosso amigo iria:
  • Acordar às 7:00 no horário de verão, que ia dar a impressão de ser 6:00 horas pelo horário original. Já viu que as chances são grandes dele acabar perdendo a hora;
  • Almoçar ao meio-dia do horário de verão seria como almoçar às 11:00 pelo horário normal. Será que ele vai ter fome naquela hora do dia? É provável que não;
  • Dormir às 23:00 no horário de verão, equivalente às 22:00 no horário padrão. Ele pode não estar acostumado a sentir sono tão cedo, se ele só "apagar" nas 23:00 normais de sempre, isso seria na verdade meia-noite pelo horário de verão;
Já viu que reiniciando o ciclo, esse sujeito iria perder muitas horas de descanso, conseguindo cair no sono uma hora depois de quando deveria e tendo que levantar efetivamente uma hora antes. Claro que com o tempo as pessoas acabam se acostumando, mas até lá será sempre um sofrimento. O horário de verão acaba se tornando o horário padrão, nosso organismo se adapta a ele, mas alguns meses depois ele termina e precisamos atrasar os relógios uma hora. E como seria a vida do nosso amigo que estamos acompanhando?
  • Acordar às 7:00 pelo horário normal seria como acordar às 8:00 pelo horário de verão. Parece bom, a não ser pelo fato de que ele está acostumado à acordar uma hora mais cedo. É bem provável que ele acabe acordando às 6:00 do horário normal, que seriam 7:00 pelo horário de verão com que estava acostumado;
  • O almoço seria ao meio-dia pelo horário normal, 13:00 pelo horário de verão. Acontece que o seu estômago ainda não está sabendo disso, ele se condicionou a almoçar às 12:00 durante o horário de verão. Ou seja, agora às 11:00 o nosso amigo já vai escutar seu estômago roncando;
  • Às 23:00 é a hora que ele vai dormir, mas talvez possa ser difícil ele aguentar tanto tempo. Isso porque 23:00 pelo horário padrão é como se fosse meia-noite no horário de verão. Ele certamente vai começar a bocejar às 22:00 do horário normal (23:00 no horário de verão, hora que ele estava acostumado a ir dormir).
Não sei o que é mais complicado, se acostumar com o horário de verão ou se adaptar ao horário padrão depois. E só falei de três necessidades básicas acima, tem muitas outras atividades que são afetadas pela mexida nos ponteiros, principalmente quando se tem um intestino bem regular... O pior de tudo é que sempre a mudança de horário é feita de um sábado para domingo, deixando pouco tempo para você se ajustar às mudanças a tempo de voltar ao trabalho na segunda. É complicado, já que tem que ter o horário de verão, bem que poderiam mudar a hora de sexta para sábado, daria mais tempo para a gente se acostumar.

Enfim, sejam admiradores ou críticos do horário de verão, as pessoas não têm muita escolha a não ser dançar conforme a música e acertar os relógios. Vou ficando por aqui, pois graças a essa mudança de hora de verão já estou ficando com fome e nem são meio-dia ainda...

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Vampicha

Não é um dos sites que costumo acessar, mas tive que cometer essa heresia para pegar a notícia bizarra abaixo.
"O galã Robert Pattinson brincou com sua fama de galã após participar de um ensaio quentíssimo para a revista "Details", em que aparece ao lado de mulheres seminuas. É o que conta o tabloide inglês "The Sun" nesta segunda-feira, 15.

'Eu realmente odeio vaginas. Tenho alergia a elas', disse o ator britânico, que estourou no papel do vampiro Edward na saga vampira 'Crepúsculo'.

Sobre o ensaio da a 'Details', Pattinson contou que as sessões de fotos ao lado de modelos quase nuas duravam até 12 horas. 'Graças a Deus eu estava de ressaca', brincou. (...)"

Sem comentários... O Conde Drácula deve estar se revirando em seu caixão. Já se foi o tempo em que o vampiro era uma figura de respeito, uma criatura que provocava calafrios na espinha das pessoas. Agora temos esse baitola desse vampirinho todo cheio de frescura, que ainda me vem com um comentário desses! Se bem que não é novidade, com essa carinha não há dúvidas que esse vampicha (mistura de vampiro com bicha) gosta mesmo é de dar marcha a ré num kibe. Deve ser o único vampiro da história que não tem medo de estaca...

"Isso é uma bichona!" diz um vampiro enojado

O que mais me impressiona é que esse morto-vivo transsexual é vigorosamente admirado pelas garotas! Puta merda, tá cheia de menininha aí babando pelo vampiro, sonhando em levar uma mordida no pescoço dele. Tão ingênuas... Não consigo entender como os valores mudaram tanto nos últimos anos, a ponto de que exemplos de masculinidade admirados e idolatrados são sujeitinhos frágeis e rosto delicado, com cabelinhos viadados cheios de gel e se vestindo com roupas delicadas. Cara, se é isso que as mulheres querem em um homem, então estou f...

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Chora mulambada!


Cara, ainda não estou acreditando! Mas estou dando cambalhotas de alegria desde ontem, depois da fantástica vitória do Fogão em cima da mulambada por 2x1. Começaram ganhando, mas depois de um jogo tenso e bem disputado, o alvinegro virou a partida e colocou o Imperador e companhia no lugar que merecem...

Pra mim o Botafogo pode perder a final desse domingo pro Vasco até de 12 a zero, nada vai tirar a minha satisfação de ter visto esse time imundo e de sem-vergonha do menguinho ter levado na bunda do Glorioso. Tavam todos arrogantes, que ia ser jogo fácil e que só estavam esperando a final contra o bacalhau de São Januário, mas agora vão passar o domingo em casa, bando de filhos da puta! Hahahahahahahahaha!

Não tem coisa melhor do que vencer o Flamerda. O pior é que esses flavelados ainda ficam se achando, ficam posando de que são o melhor time do Rio. Acordem, seus mulambos, se fosse não teria caído de quatro diante do alvinegro ontem! Ficam aí arrotando prepotência quando não passam de um bando de merdas frustrados. Ainda mais com essa viadagem de "Império do Amor", algo que se espera do único time com torcida organizada gay do Rio. Só que nessa Quarta-Feira de Cinzas o impériozinho precisou meter o rabo entre as pernas e se curvar diante do Fogão. O Imperador, que passou o Carnaval pulando, ainda ganhou essa derrota no dia de seu aniversário, sensação que deve ter sido tão agradável quanto uma visita ao proctologista!

Me divirto muito em ver a framengada chorando, certamente estou compatilhando essa alegria com vascaínos e tricolores, que também odeiam o sujo rubro-negro e sua arrogância. Podem até ser pentacampeões brasileiros (sim, pentacampeões, quem ganhou o brasileiro de 87 foi o Sport), mas a grande maioria de suas conquistas só veio com ajudinha de juiz ou apoio da imprensa. Timinho escroto pra cacete, venceu os últimos estaduais contra o Botafogo só porque entrava em campo com 12 jogadores, um deles com um apito na boca. Mas ontem eles se deram mal, na minha opinião pra festa ser completa só faltaria o juiz ter validado aquele gol de mão do Loco Abreu, seria a glória vencer um dos times mais ladrões e pilantras do futebol brasileiro com um gol roubado!

Comemore muito, torcida alvinegra! Nosso time pode não ser uma maravilha, mas lutou ontem com raça e resgatou a felicidade de vencer o Flamerda, o que sempre terá um gostinho especial pra gente. E não poderia ir embora sem deixar aqui aquela imagem já manjada que adoro colocar aqui no site:

Chora mulambada!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Os 10 carros da F1 mais bonitos

Desde pequeno, sempre gostei muito de carros. Consequentemente, uma de minhas paixões sempre foram também as corridas de carros, logicamente com destaque à Formula 1. Comecei a assistir desde a época gloriosa de Nigel Mansell, Alain Prost, Gerhard Berger e Ayrton Senna, chegando até os tempos mais recentes com Fernando Alonso, Mika Hakkinen e Michael Schumacher. E sempre aturando a voz insuportável e os comentários estúpidos do Galvão Bueno. Assisto todas as corridas, ou melhor, quase todas: quando se está trabalhando, é difícil assistir as corridas disputadas no Japão ou Austrália que passam aqui na madrugada.

Claro que algo que eu gosto são os carros. Dotados da mais moderna tecnologia e pilotados a quase 300 quilômetros por hora, os carros de Formula 1 são um espetáculo à parte. E uma das coisas que certamente chama a atenção é a pintura desses carros, que colabora para manter vivas as lembranças dessas máquinas incríveis. Algumas pinturas são bastante simples e econômicas (como a Brawn do ano passado) e outras são ditadas pelos patrocinadores, e não há dúvidas de que algumas marcaram muito, por serem verdadeiras obras de arte ou por terem marcado uma geração de fãs do automobilismo.

Sendo assim, vamos para mais uma lista minha, dessa vez mostro aqui as 10 pinturas mais bonitas de carros de Formula 1. Estou falando de pinturas apenas, não estou levando em consideração o design aerodinâmico ou a aparência esquisita. Também preferi dessa vez não fazer uma classificação, acho todas as pinturas abaixo interessantes e necessariamente a última que vou mostrar não é a melhor, foi apenas a última imagem que consegui.


Ferrari (qualquer ano)

Precisa dizer alguma coisa? Quando você pensa em Formula 1, não há como não pensar na Ferrari, equipe que está presente desde os primórdios da competição. E quando você pensa em Ferrari, logo aparece na sua mente o carro vermelho. Pode ser uma pintura simples, que ao longo dos anos trouxe pequenas modificações (com um pouco mais ou menos de branco), mas o carro todo vermelho lembra uma das equipes mais famosas, além de que a cor sempre inspira muita velocidade.


McLaren (anos 80 e 90)

Tá aqui um carro muito clássico, a McLaren da época de ouro com Ayrton Senna e Alain Prost. Claro que toda a pintura é baseada no maço de cigarros da Marlboro, mas mesmo assim é um visual elegante e que mostra velocidade, e sem dúvida traz boas lembranças. É uma pintura tão famosa e conhecida que até hoje a equipe Penske de Formula Indy usa em seus carros.


Renault (2006)

Depois de passar alguns anos só fornecendo motores, a francesa Renault voltou em 2002, e alguns anos mais tarde viria a levar o espanhol Fernando Alonso ao título duas vezes. E na época a equipe trouxe uma pintura bem interessante, misturando azul e amarelo.


Renault (1979)

Tudo bem que eu sequer era nascido nessa época, mas não dá para deixar passar a fantástica Renault de antigamente. Principalmente esse carro em particular, que protagonizou uma das melhores disputas da história da Formula 1: no grande prêmio da França, René Arnoux da Renault disputava a segunda posição contra o incrível Gilles Villeneuve da Ferrari, e não dá para explicar como a luta foi incrível, tem que ver o vídeo...




Lotus John Player Special (anos 80)

Mais um clássico de antigamente, não poderia me esquecer da incrível Lotus preta, pilotada por Senna. Nessa época a equipe ainda disputava alguma coisa, mas depois caiu muito de rendimento até ser extinta. O visual do carro era 10, com os detalhes em dourado. Como acontece com a Ferrari, essa Lotus não precisou de uma pintura muito extravagante para estar na lista, é a simplicidade que funciona.


Jordan (final dos anos 90)

Uma equipe mediana que chegou a atrapalhar as grandes, a Jordan trouxe um visual que lembrava a clássica Lotus amarela, porém muito mais arrojada. E o detalhe da cabeça de cobra no nariz do carro é fantástico, lembra os aviões da Segunda Guerra. Falando em avião, uma rápida pausa para um comentário sacana: a equipe Jordan podia não ser muito boa nas pistas, mas entendia de curvas...


A Jordan era nessa época o time que mais investia nas pit babes, provavelmente o Eddie Jordan, diretor da equipe, era bem safado. Acabou contrariando aquele ditado popular, que diz que as mulheres gostam de um cara com um bom carro. Afinal, a Jordan não era tão boa assim... Como se explica que as moças mais bonitas (e assanhadinhas) estavam na equipe do irlandês e não em uma Ferrari?



Caramba, acho que tenho algum problema... Não consigo passar cinco posts sem botar umas fotos de mulheres aqui. Juro que o objetivo não é atrair os cuecas de plantão, é algo mais forte do que esse solitário texugo. Vamos dar uma pausa na admiração pela forma feminina e voltemos à programação normal com os carros da Formula 1.


McLaren (1997 - 2004)

Tudo bem que a clássica pintura vermelha e branca da Marlboro traz boas recordações, especialmente para nós brasileiros... Mas quando o patrocínio com a marca de cigarros acabou, outra empresa do ramo da nicotina assumiu, e a McLaren ficou muito show com o seu visual prateado. Mas apenas nos primeiros anos, quando a Vodafone entrou a pintura recebeu uma maior presença do vermelho, o que estragou um pouco.


Arrows (2002)

Uma das pequenas figurantes, essa equipe nunca fez nada de muito expressivo ao longo dos anos, e 2002 foi o seu último ano no circo da Formula 1. Mas pelo menos nos últimos anos a Arrows trouxe um carro com uma pintura legal.


Red Bull Racing (qualquer ano)

O Galvão fica cheio de dedos em dizer o nome completo dessa equipe, sempre a chamando de RBR, parece que ele tem medo de fazer algum tipo de propaganda e não ganhar nada por isso. Como de costume nos eventos esportivos dos quais participa ou patrocina, a Red Bull adota sempre o mesmo visual baseado na sua marca. Posso não ser fã da bebida que te dá asas, mas de pintura de carro os caras entendem.


Minardi (1991-92)

Não tem outra equipe mais carismática na história da Formula 1. A Minardi sempre foi aquela equipe que ocupava as últimas posições do grid, tinha pouco dinheiro para fazer um carro competitivo e só tinha pilotos novatos, mas mesmo assim conseguiu atrair uma legião de fãs, apesar de tudo. E o carro de 1991 tinha também uma pintura simpática.


Menção (des)honrosa: BAR 1999

Simplesmente uma das pinturas mais ridículas que já vi. O pior é que tem toda uma justificativa para isso! No seu ano de estréia, a equipe quis fazer algo original e colocar cada carro com uma pintura diferente: o carro de Jacques Villeneuve seria vermelho e branco com o patrocínio principal da Lucky Strike, enquanto que o do brasileiro Ricardo Zonta seria azul com o domínio do patrocínio da 555, que nem aqueles Subarus do rally, que nem a figura abaixo mostra.

Só que a FIA não autorizou, e em vez de escolher uma única pintura, a BAR optou por dividir a pintura em dois, metade do carro azul e a outra metade vermelha e branca. Detalhe para o zíper no nariz do carro, que coisa triste... Ficou tão escroto, lembrava mais um daqueles fuscas velhos, quando o pára-lama amassava e se colocava outro de um fusca de cor diferente.

Pelo menos no fusquinha as cores combinaram melhor


Menção curiosa: Tyrrell P34 (1976)

Tudo bem que o assunto aqui são as pinturas, mas pesquisando pelas imagens acima, acabei esbarrando nesse carro bizarro e não queria deixar a oportunidade de falar dele passar. É isso mesmo, o carro tem 6 rodas! E ainda chegou a ser um carro rápido e competitivo em seu primeiro ano, inclusive com uma dobradinha do GP da Suécia. Porém no ano seguinte não conseguiu manter os mesmos resultados. Uma obra de arte da engenharia, fico imaginando como deveria ser o sistema de direção desse bicho.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Uma historinha de Carnaval

Bom, uma vez mais estamos na época de folia... Como deixei bem claro na minha postagem de um ano atrás, se tem uma coisa que eu odeio profundamente é o Carnaval, na minha opinião é uma das coisas mais insuportáveis que existe. Motivos não faltam, sendo que o principal deles é a baderna generalizada que toma conta da cidade, com milhares de foliões vestidos das formas mais absurdas, pulando sem parar nos cada vez mais frequentes blocos de rua, que atrapalham o trânsito e acabam com o sossego dos moradores, que são obrigados a escutar aquelas mesmas marchinhas de merda todo ano. Só nesse sábado, já escutei aqui na rua verdadeiros purgantes para os ouvidos como "mamãe que quero mamar", "ô abre alas, que eu quero passar" e "olha a cabeleira do Zezé" algumas muitas dezenas de vezes. Dá vontade de passar fogo nessa cambada, puta merda!

Para você ter uma idéia do absurdo, no exato momento em que estou escrevendo esse post, um maldito bloco está desfilando aqui pela Zona Sul às nove e pouco da noite! Perdão pelo palavreado chulo, mas caralho! Puta que pariu, onde está o respeito pelos moradores? Se eu quero ver um filme, descansar um pouco ou mesmo colocar uma criança pequena para dormir, me aparece um bando de filhos da puta sambando nesse bloco cretino, fudendo com a minha vida! Pôrra, vai fazer esse barulho lá no sambódromo ou na casa do caralho! Cara, pra aturar essa merda, só colocando um fone no ouvido com alguma música de qualidade...

Já deu para ver pelo meu desabafo que realmente Carnaval é algo que não suporto, a única coisa boa é não ter que trabalhar nesses dias. É uma época que eu nem arrisco sair de casa, ainda mais depois de um episódio ocorrido alguns anos atrás, que venho aqui narrar, para mostrar que realmente tenho motivos para odiar essa época...

Bom, tudo começou quando decidi comprar um MP3 player. Eu já tinha um, que aliás foi meu primeiro aparelho e que uso até hoje nas minhas idas e vindas do trabalho, mas queria comprar um mais simples, para usar principalmente durante os meus exercícios. Mas em função do trabalho, sobra pouco tempo para ver essas coisas durante a semana, e normalmente preciso deixar para o sábado, no caso o sábado de Carnaval...

É, confesso que fui muito inocente, aparentemente eu achava que a maior parte da festa começaria no domingo apenas, e com isso fui até o metrô, com o destino ao Shopping Avenida Central. Para quem não conhece, esse é o lugar aqui no Rio para você comprar coisas de informática, é como um shopping só com esse tipo de lojas, normalmente com bons preços (embora você tenha que sempre dar uma pesquisada). Afinal de contas, se eu quero comprar um MP3 player barato, seria realmente um dos melhores lugares para se ir...

Então eu estava lá no meu canto no metrô, quando começo a perceber um grande número de foliões entrando a cada estação. Tinha de tudo, turistas desajeitados, mulatas quase com a bunda de fora e garotões vestidos de saia, liberando sua homossexualidade reprimida. Eu olhava ao redor e eu era praticamente o único ali vestido de uma maneira normal. Eu ficava pensando o que poderia estar acontecendo, talvez essa turma toda estivesse indo lá pro sambódromo para ver o desfile das escolas do grupo de acesso (puta merda, até no Carnaval tem 2a divisão), e quando eu saltasse na estação da Carioca, logo estaria livre daqueles foliões... Ledo engano...

O metrô chegou até a estação da Carioca, e para a minha surpresa (e medo, admito), toda aquela cambada de gente desceu junto. Fiquei preocupado, e a medida que ia subindo as escadas e me aproximando da superfície, o batuque ficava mais alto. Saio da estação e vejo a Cidade como nunca vi: lotado de foliões, cheio de gente sambando e cantando! Aí me dei conta: em minha ingenuidade e estupidez, eu havia escolhido para ir no Centro no dia em que o bloco do Cordão do Bola Preta estava lá. A cena era tão agonizante e assustadora como isso:


Nem precisa dizer que o Shopping Avenida Central estava fechado, embora esse estúpido texugo ainda bancou o teimoso, indo até lá e vendo os portões de ferro rindo da minha cara. Cara, me xinguei muito, claro que xinguei também aquele monte de gente que estragou meus planos. Precisei enfrentar a multidão e voltar para a estação do metrô, indo direto para casa. Fui direto para o chuveiro para tirar aquele cheiro de cecê e ranho que se impregnou em minhas roupas depois de poucos minutos naquele mar de foliões...

Você pensa que acabou por aqui? Não, eu ainda viria a quebrar a cara exatamente uma semana depois. Após ter passado pelo trauma narrado acima, desisti de comprar o MP3 player no Centro. Assim, na quinta-feira, após o trabalho passei na Casa&Vídeo, na loja de Copacabana que fica relativamente mais próxima de casa. Acabou que achei um aparelhinho interessante e barato, e o comprei. Pegando a caixa do MP3 no balcão, fiz para o atendente a mesma pergunta que sempre faço quando compro um aparelho eletrônico: "Como é a garantia?". O sujeito me explicou que a loja podia trocar o produto até 48 horas depois da compra, bastando trazer o cupom fiscal. Perguntei se poderia trocar ali mesmo naquela loja (parecia que eu estava adivinhando...) e ele disse que sim. E assim voltei feliz para casa.

Mas acontece que alegria de pobre dura pouco... Devido a outros afazeres naquela noite, só pude testar o aparelho na sexta depois que voltei do trabalho. E imagina só a minha insatisfação ao ver que o display estava com defeito... Felizmente, ainda estava no prazo de 48 horas, e assim me preparei para voltar à loja no sábado.

Fui lá logo depois do almoço, e depois de ficar quase 15 minutos esperando na fila do atendimento, chegou a minha vez e expliquei para a mulher que o aparelho estava com problema, e eu queria trocá-lo. Sem brincadeira, me lembro que a vagabunda nem abriu a boca, ela simplesmente me deu um pequeno folheto que dizia quais das lojas da Casa&Vídeo faziam trocas. E lógico que aquela loja onde eu estava não fazia trocas. A mulher já foi se dirigindo a outra pessoa, mas me intrometi no meio da conversa (naquela hora eu já estava ficando puto) e argumentei que havia comprado o aparelho ali há dois dias, e o carinha que me atendeu não me deu aquele folheto, e confirmou que eu poderia trocar o produto ali mesmo. Mas a mulherzinha me olhou com cara de ignorante, e disse que ali não ia trocar e pronto. Dava pra ver na cara dela a arrogância, a felicidade de uma analfabeta sem-vergonha que estava se sentindo "a tal". Amaldiçoando a mulherzinha, fui então para a loja mais próxima que fazia trocas, a de Botafogo.

E uma vez lá, foi todo um processo demorado e insuportável. Em qualquer loja decente, ao trocar um produto, você vai lá no balcão de atendimento e ali mesmo resolve tudo. Mas não na Casa&Vídeo: tive que chegar no balcão, deixar o aparelho defeituoso, pegar um papel falando da troca, ir até a loja para pegar um cartão referente a um aparelho novo (nessas lojas os produtos não ficam à mostra, você pega um cartãozinho para pagar e depois no balcão de retirada pega o produto), ficar na fila do caixa (que não estava pequena) para entregar o papel e enfim voltar ao balcão para finalizar a troca! Uma verdadeira burrocracia! Mas finalmente tinha resolvido o problema, e ia voltar para casa...

Em função da proximidade e custo, preferi pegar um ônibus direto na porta da loja, em vez de caminhar umas três quadras até o metrô. Antes tivesse escolhido pegar o metrô, me arrependi profundamente de não ter feito isso... Sentei tranquilo no banco do confortável ônibus de ar condicionado, uma maravilha para aquele verão insuportável, e fomos indo, passando pelo primeiro túnel, e logo ao lado da sede do Glorioso e do shopping Rio Sul, a tão temida batucada e as insuportáveis músicas de samba. Estico o pescoço para o lado e simplesmente tive a visão do inferno: um mega bloco, com direito a trio elétrico e tudo, virando pela Lauro Sodré, em direção da praia de Copacabana... Para ajudar o leitor não-carioca a se localizar, veja no mapinha abaixo a situação (clique nele para ampliar):

Resumindo: ninguém mais chegava em Copacabana.

Fiquei alguns minutos ali no ônibus, na esperança de que o bloco não fosse demorar, mas não parava de vir gente. E eu ainda pensava no risco daquele maldito bloco pegar a Barata Ribeiro, rua que os ônibus seguem, aí eu ia estar realmente fu... Decidi então saltar do ônibus e tentar achar a estação do metrô. Mas o maior problema é que eu nunca havia ido para a estação de Botafogo por aquele caminho, só sabia pela Rua da Passagem, o que significaria ir contra a maré de gente sambando. Cara, dei tantas voltas pelas ruas e quase meia hora de caminhada consegui me encontrar e peguei o metrô de volta para casa. Nem precisa dizer que xinguei muito, tava com os nervos à flor da pele que se algum engraçadinho viesse mexer comigo certamente iria levar porrada.

Agora você entende por que eu odeio o Carnaval? Depois de passar por esse perrengue todo, deixo aqui meu conselho para aqueles que como eu não suportam essa época do ano: se você está na cidade, NÃO SAIA DE CASA até a quarta-feira de cinzas!

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Humor Negro

Fico imaginando como certos filmes violentos ficariam muito melhores com aquelas risadinhas que costumamos ver em séries de comédia e no Chaves. Afinal de contas, nesses filmes sempre tem aquelas cenas hilárias de fazer você se mijar de rir, por mais violentas que sejam. Como essa cena clássica do Pulp Fiction, com um toque mais divertido...



"Oh man, I shoot Marvin in the face!"
"Why the fuck did you do that?!"

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Cuidado com o Portunhol!

Falar uma língua estrangeira é algo fundamental hoje em dia, não apenas para ter maiores chances em ganhar um espaço no mercado de trabalho, mas também para conseguir se virar em viagens ao exterior, se comunicar pela internet e falar com os estrangeiros. Aqui no Brasil em especial, falar inglês é quase que uma obrigação, e em virtude da proximidade com os demais países da América Latina, o espanhol tem cada vez se tornado mais importante.

Há quem pense que o espanhol é mais fácil que o inglês, devido a muitas semelhanças desse idioma com o português. Só que não é bem assim, e muitas pessoas acabam quebrando a cara ao tentar arranhar alguma coisa em espanhol, improvisando no portunhol. E numa dessas as chances são grande de você se dar mal, falando o que não devia, como naquele comercial do CCAA... Principalmente porque existem muitas palavras que tem praticamente a mesma pronúncia, porém possuem siginificados totalmente diferentes. São os famosos falsos cognatos, que podem provocar situações muito embaraçosas ou até mesmo engraçadas.

Com isso, o Texugo Maluco vem para ajudá-lo com algumas dicas de palavras que podem gerar confusão e fazer você pagar um mico ao tentar se comunicar em espanhol.
  • Você está viajando pela Argentina, por exemplo, e precisa se hospedar em um hotel... Aí podem perguntar para você qual é seu apellido. Não cometa a estupidez de dizer "ah, me conhecem como O Bola", na verdade estão perguntando qual é o seu sobrenome!
  • Muito, mais muito cuidado ao dizer a sua idade! Em espanhol, ano é año (fale como um fanho, diga "anho"). Agora, se você falar para algum chileno que você tem 23 anos, ele vai pensar que você é uma aberração retrofuricular, pois em espanhol a palavra ano siginifca... bem, como dizer isso de uma maneira adequada para esse horário... Em espanhol, ano é o final do seu sistema digestivo. Já deu para entender, né?
  • Você entra em um restaurante, e a atendente pergunta se pode pegar o seu saco. Calma, não vá desabotoar suas calças, pensando que a moça está interessada em brincar com suas bolas. Em espanhol, saco é paletó.
  • E se no mesmo restaurante, após pedir um bife o garçon disser "un rato", não precisa se preocupar que vão pegar um roedor na dispensa e colocá-lo na frigideira... A expressão un rato em espanhol quer dizer algo como "um momento".
  • Lá no bar, um colega se mostra interessado em uma garota de pelo largo. Não pense que ele tem fetiche por mulheres peludas como o Chewbacca, pois pelo é cabelo, e largo é longo (ô língua complicada esse espanhol...).
  • No mesmo bar, podem te oferecer um vaso de cerveja... Calma, não pense que nossos hermanos exageram na birita, pois vaso é copo. E ainda tem mais, a pronúncia não é como em português, pois no espanhol o "v" tem som de "b". Ou seja, falando seria como se fosse "baso".
  • Falando em cabelo, rúbia significa loira, e não ruiva. E se falarem que fulano está pelado, não quer dizer que ele é adepto ao nudismo, mas que ele é careca.
  • O carro quebrou? Não diga que você tem que levá-lo para a oficina, as pessoas vão achar que você é louco. Afinal, oficina na verdade é escritório em espanhol.
  • Ah, e não diga carro, pois aí mesmo vão achar que você não bate bem. Olha só, carro em espanhol é carroça, a palavra certa para carro é coche.
  • Se você for lanchar e pedir umas batatas fritas, se prepare para uns peidos bem fedidos na sequência: em espanhol, batata é o termo usado para as batatas doces. Se você quer as batatas normais mesmo, tem que dizer patatas.
  • Não se supreenda se alguém falar que a comida é exquisita, trata-se de um elogio, dizendo que a comida está deliciosa.
Existem muitos outros, esses são apenas para mostrar que tentar improvisar no portunhol pode ser uma péssima idéia. Se você quer viajar pela Argentina, comprar muamba no Paraguai, conversar com um cliente espanhol ou mesmo dar uma idéia naquela mexicana interessante que conheceu no bar, deixe de ser mão-de-vaca e vá fazer algum cursinho de espanhol.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

As Mais gatas do BBB

Tudo bem, eu tenho que admitir que não resisti... Ficou claro no final da postagem que fiz sobre o Big Brother que existe alguma coisa de bom no reality show da Globo, que são algumas das participantes. Realmente umas gatas estonteantes passaram na frente das câmeras (e muitas delas também nas revistas masculinas), esbanjando beleza. Segue então a minha lista das 5 garotas mais belas do Big Brother, embora você talvez já desconfie quem sejam as duas primeiras. Ah, e se não concorda, ou diga a sua lista Top 5 nos comentários ou fique na sua!

5º Lugar - Carol Honório

Dona de uma beleza exótica, parece uma índia com seus longos cabelos negros. Era meio "sem sal", mas após sair da casa ela fez um upgrade na comissão de frente, pena que foi depois de seu ensaio para a Playboy. Tive ainda o prazer de vê-la pessoalmente, na fila de embarque de um vôo, e posso dizer que ela não usou muito Photoshop...

4º Lugar - Mariana Felício

Não vou mentir, já ficou claro que um de meus estereótipos femininos preferidos é a mulher de pele ligeiramente morena, longos cabelos pretos lisos e rosto de índia, e a Mariana se enaixa bem nesse tipo. Sem falar que ela tem um sorriso bem atraente. Ela está bem sumida, mas fez um ensaio para a Playboy de tirar o fôlego!

3º Lugar - Maíra Cardi

Olha, essa daqui é incrível! Um belo sorriso, jeito simpático e um corpo perfeito. E ela ainda vem e usa uns decotes tão ousados, que nos fazem torcer para uma rápida escapada, se é que você me entende. A Maíra em parte é uma garota de boa índole, por ser uma das poucas a não ter posado nua... Porém protagonizou uma situação complicada, quando seu ex-naorado colocou na Internet uns vídeos dela... bem... certamente você sabe o quê...

2º Lugar - Sabrina Sato

Ah, Sabrina... Além das morenas com visual de Pocahontas, sou muito atraído pelas orientais. E a Sabrina Sato conseguiu um perfeito equilíbrio entre a beleza exótica do Extremo Oriente e a sensualidade da brasileira. Posou duas vezes para a Playboy, e é simplesmente linda... Até mesmo aquela pinta na testa tem seu charme. Continua hoje fazendo sucesso no Pânico na TV, sempre vestindo trajes mínimos que exaltam suas curvas. Por pouco ela não fica na primeira posição...

1º Lugar - Grazi Massafera


A grande campeã, e certamente uma das participantes que mais fez sucesso depois da casa, se tornando atriz da Globo e participando de várias novelas. Pode não ter um corpo escultural como a Sabrina Sato, mas também não significa que ela não tenha boa aparência, muito pelo contrário, diria que as proporções são perfeitas. Afinal, ela não estaria nessa lista se não tivesse um corpo maravilhoso, tudo no lugar sem exageros. Mas também é dotada de uma personalidade encantadora, com uma voz suave e meiga e um rosto hipnotizante. E para esse texugo, é um dos poucos exemplos de beleza completa. Digo sem nenhum arrependimento, essa aí é pra casar!