quarta-feira, 29 de abril de 2009

Mulambo Reclamão!

Eu acho que daqui a pouco vou mudar o nome do blog para Texugo Revoltado, pois lá vou eu aqui de novo descer a porrada em alguém. E dessa vez eu certamente vou desagradar a torcida toda fo Flamengo, literalmente falando! Como um bom texugo botafoguense, além de torcer para o Glorioso também é de lei odiar o Flamengo, e ultimamente o meu ódio por esse timinho vem aumentando com o passar dos anos. E o "alvo" dessa vez é o babaquinha do lateral do time rubro-negro, o chorão do Juan.


O que me motivou a escrever esse post sobre o babaquara acima é a revolta pelo o que aconteceu neste fim de semana, no primeiro jogo da final do campeonato estadual entre Botafogo e Flamengo. O time dos mulambos saiu na frente depois de um pênalti cobrado pelo tosqueira acima, um pênalti duvidoso na opinião deste humilde texugo alvinegro, já que lances similares aconteceram na área rubro-negra e que passaram despercebidos pelo árbitro. Mas o Botafogo, que indiscutivelmente tem mais time, conseguiu virar o jogo ainda no primeiro tempo! Silêncio na favela, e no segundo tempo viria a acontecer o lance polêmico...

Em uma jogada de ataque do alvinegro, o meia Maicosuel, artilheiro do Estadual e melhor jogador do campeonato, partiu para cima e aplicou um drible desconcertante no boçal do Juan. E ele, como "bom" flamenguista, impediu a jogada com uma falta violenta. Até aí nada demais, todos nós sabemos que o time do Flamengo precisa apelar para o jogo violento quando estão tomando... Mas o sujeito acima partiu para cima do atacante, ainda derrubado no chão, chegou no cangote dele e ficou reclamando! Disse que o Maicosuel tinha que "respeitar o Flamengo e a torcida rubro-negra". (fonte: Terra) Ainda falou que não iria pedir desculpa, ficou achando que estava certo.

Em primeiro lugar, acho bom esse tal de Juan aprender uma coisa: ele estava errado, na minha opinião tinha que levar um cartão vermelho e ir para o chuveiro mais cedo! O Maicosuel estava apenas jogando futebol, algo que esse timinho de arrogantes não sabe, ele não fez nada de errado! Até o Júnior, flamenguista convicto que estava comentando o jogo, condenou a atitude do Juan. Acho um absurdo esse jogadorezinhos que se acham, que não toleram quando aparecem um que joga mais bola e é capaz de driblar da forma que o craque botafoguense consegue. Se o Maicosuel está errado, então que sejam condenados tantos outros craques como o Robinho, o Ronaldo...

Sabe o que acontece? Os flamenguistas, tanto os dirigentes como jogadores e princialmente torcedores, são extremamente convencidos e arrogantes. Eles não conseguem aceitar quando aparece alguém melhor do que eles, não conseguem engolir um time que seja superior ao deles. Ficam alimentando essa ilusão de que é o melhor time do Brasil, quando não ganhou nenhum campeonato expressivo nos últimos anos (ganhar campeonatos estaduais ROUBADOS não conta). A revolta desse babaquinha do Juan contra o Maicosuel é um exemplo dessa arrogância, ele não conseguiu aceitar como homem o drible que tomou, e saiu reclamando. É assim mesmo, na cabeça desses cretinos, se é um flamenguista sendo driblado, é uma falta de respeito; se é um flamenguista driblando, é futebol arte...

E tem mais uma coisa: respeitar o Flamengo é o c@ralho! Além de serem arrogantes, os flamenguistas não tem o mínimo respeito pelos outros times, principalmente com os do Rio. Não venha com essa baboseira da irreverência e gozação sem ofensas, os flavelados nunca perdem a oportunidade de pisar, humilhar e sacanear os adversários. Ano passado esses imbecis inventaram a babaquice do "chororô" para sacanear o Botafogo, começando com aquele idiota do Souza que fez o gesto após fazer um gol, o que foi repetido pelos jogadores após a vitória na final - inclusive pelo próprio besta do Juan, que agora fica cobrando respeito. Isso mostra como os flamenguistas não são apenas maus perdedores, mas também maus vencedores. Ainda bem que a justiça sempre chega, e quando estavam todos animadinhos e zoando o Botafogo, levaram uma mega enrrabada do América do México, que fez aquele fantástico 3 a 0 sobre os mulambos, que acabaram chorando de verdade...

E isso é uma constância, essa arrogância de se acharem os melhores do Brasil junto com essa necessidade baixa e cretina de menosprezar os outros fazem com que o Flamengo venha a ser o time mais odiado no país. Para a alegria dos anti-flamenguistas, o rubro-negro já passou por vários vexames hercúleos em sua história devido a essa falta de humildade, alguns deles contra times pequenos. Algum dia ainda vou relatar aqui essas derrotas vergonhosas do Flamerda, para a diversão de alvinegros, vascaínos e tricolores!

Embora parte de mim esteja torcendo pelo título alvinegro na final deste fim de semana, infelizmente fico sempre com a sensação de que este é mais um campeonato de cartas marcadas, e que os mulambos muito provavelmente vão comemorar mais um título... É difícil, pois sabemos muito bem que tem muito mais envolvido nesse torneio do que futebol, que sempre tem o dedo da emissora do "plim plim", além de juízes que parecem ter medo de apitar qualquer coisa contra eles, por medo de represálias, quando não roubam descaradamente para a mulambada. Toda essa força política e de mídia que vem de fora das quatro linhas e o fato de que muitas vezes eles jogam com doze em campo (um deles com um apito na boca) infelizmente podem acabar fazendo com que o melhor não vença no domingo... Sem falar que o craque Maicosuel não joga, já que foi arrebentado por um zagueiro do Flamengo, em um lance anti-esportivo e violento que o juiz sequer marcou falta. Mas a esperança é a última que morre, e nesse domingo é partir pra cima deles, Fogão!

Em tempo: o Tribunal de Justiça Desportiva aparentemente vai suspender o paspalho do Juan no jogo da final de forma preventiva, devido à atitude do jogo passado, para a revolta do salafrário do Kleber Leite, vice-presidente do Flamengo. Bem feito para o time do apito!

Update: o viadinho do Juan foi absolvido pelo TJD. Era de se esperar, a justiça tem medo desses urubus imundos e não fazem nada contra eles.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Farra das Passagens II

Deu no G1 hoje:


"O deputado Eugênio Rabelo (PP-CE) admitiu ter dado passagens para jogadores e técnicos do time do Ceará, clube do qual foi presidente. (...) Rabelo reconhece ter cedido as passagens e nega ter cometido "qualquer irregularidade" porque na época do repasse, em 2007, “não havia restrição” ao repasse de bilhetes para terceiros. (...) em 2007, quando Rabelo era presidente do clube e deputado, 77 passagens foram emitidas em sua cota parlamentar para jogadores, técnicos e dirigentes do Ceará, que disputou a segunda divisão naquele ano. (...) entre Fortaleza e Brasília em datas coincidentes com os jogos do time contra o Brasiliense (DF) e o Gama (DF). Curiosamente, o Ceará perdeu as duas partidas. Rabelo foi presidente do Ceará entre janeiro de 2006 e março de 2008."

É brincadeira, eu achava que não podia piorar. Só faltava essa, meus impostos sendo usados para pagar viagem de timinho de segunda divisão! E o mais absurdo é que esse estrupício ainda diz que não cometeu nenhum irregularidade, acho que para ele é a coisa mais normal que o dinheiro público seja usado para pagar as despesas de um time de futebol.

O que mais podemos esperar de nossos governantes?

domingo, 26 de abril de 2009

Farra das Passagens

Antes de mais nada, gostaria de já avisar que vou descer bem o nível logo mais, igual ao de uma gilette deitada. Tudo isso devido à minha indignação e revolta contra uma série de comentários de deputados, contrários ao maior controle e limitação do uso de passagens aéreas por eles, como estamos acompanhando recentemente. Oficialmente, fala-se que o aumento nos gastos com passagens aéreas neste trimestre foi de quase 40% em relação à 2008, o equivalente a quase 10 milhões de reais! E o pior de tudo é que o uso dessas passagens chega ao limite do absurdo: além dos próprios deputados estarem viajando aos montes, também estavam levando seus familiares e amigos para os mais diversos destinos, muitos deles no exterior. Teve até deputado que deu passagem para atrizes da Rede Globo para Miami! Claro, tudo isso pago com o nosso dinheiro, e curiosamente nesse momento onde o "partido da ética" está no poder...

Houve uma tentativa frustrada em acabar com essa sacanagem, mas logo apareceram vários deputados batendo o pé pela manutenção deste "direito", e com isso a decisão final será em uma votação... E como nossos representantes tem um grande senso de justiça e bom senso, posso esperar que vai ficar tudo por isso mesmo.

Eu não gostaria de escolher um deputado para ser alvo dos meus comentários, pois todos eles de alguma forma se beneficiaram disso - até mesmo o Gabeira, um dos poucos que considerava íntegro, admitiu ter usado a cota para pagar uma passagem para a filha. Mas o ilustríssimo deputado Silvio Costa, do PMN de Pernambuco, deu uma declaração contra a probição de passagens para parentes que me chamou a atenção:

"Não é justo que as mulheres e os filhos dos parlamentares não possam vir a Brasília. É preciso acabar com o teatro da hipocrisia. Quer dizer que agora eu venho para Brasília e minha mulher fica lá? Assim vocês querem que eu me separe. Esta decisão não é correta. É uma decisão acuada."

Sinceramente, ao escutar uma declaração dessas eu me sinto enojado de ser brasileiro. Dava vontade de abrir uma barraquinha de óleo de peroba lá na frente do Congresso para atender esses deputados caras-de-pau! O pior de tudo é que ele foi bastante aplaudido depois de tal comentário, o que só mostra quais são os rumos que a votação certamente irá tomar...

Em primeiro lugar, caro deputado, ninguém está dizendo que seus familiares não possam ir para Brasília. Mas absurdo é o fato que quem paga essas passagens são os contribuintes! É o dinheiro que vem dos altos impostos que o povo paga que está bancando as viagens de sua esposa e filhos. O brasileiro não tem nada a ver com isso, se a sua família ficou em sua cidade e você precisou ir para Brasília, o problema é seu! É a consequência de querer ter um cargo federal, se não quisesse ficar longe de seus familiares que fosse se candidatar a deputado estadual, cacete!

E digo mais: por que você não paga essas passagens de seu próprio bolso? Afinal de contas, você não ganha pouco, posso apostar que tem muito brasileiro (alguns que votaram em você e te colocaram nesse cargo) que leva um ano para ganhar o que você ganha em um mês só de salário! Por acaso tem algum escorpião no seu bolso te impedindo de usar sua própria carteira?

O pior de tudo é que certamente tem muito pai de família aqui em nosso país, que paga os impostos e financia a passagem de primeira classe dos familiares dos deputados, que está na mesma situação, trabalhando longe da família, mas por necessidade e não por interesse próprio. Acontece que esse trabalhador não pode se dar ao luxo de ver sua família que ficou em casa toda semana, pois ele tem que pagar do próprio bolso pelas viagens, ele não tem o dinheiro da Viúva à disposição para bancar seus caprichos pessoais. Só vai ver sua esposa e filhos algumas vezes no ano, depois de alguns dias de viagem de ônibus. Pergunto, excelentíssimo deputado, isso é justo? Por acaso você se considera melhor que o restante da população para merecer mais o direito de estar perto da família, a ponto de receber essas passagens?

Fico cada vez mais decepcionado em como nossos políticos praticam esses atos indecentes como tornar pessoal a verba pública. Vão depois dizer que eles merecem ter essas passagens para familiares, que é um direito deles. Me desculpe o palavreado, mas direito é o c@ralho! Uma vez mais, só há preocupação por parte de nossos governantes na manutenção de seus "direitos" absurdos e ultrajantes, deixando de lado os seus deveres para com o povo que os elegeu.

Eu não consigo conceber esse tipo de absurdo, existem coisas tão inacreditáveis em nosso governo que parece piada. Quer ver um exemplo: na época que a capital federal era o Rio de Janeiro, cada senador tinha "direito" a duas passagens entre o Rio e seu estado por mês. Pois muito bem, há exatos 49 anos surgiu Brasília, para onde foi transferida a capital. Pela lógica, a tal passagem para o Rio de Janeiro seria extinta, afinal de contas a capital havia mudado para Brasília e não fazia mais sentido esse translado. Pois muito bem, nada foi feito, e as passagens para a Cidade Maravilhosa continuaram à disposição dos senadores até hoje, e mesmo não sendo usadas podiam ser acumuladas! Sinceramente, vai pra puta que te pariu, será que falta tanta vergonha assim para os nossos políticos? (ironia on) Aposto que ao longo desses anos as passagens devem ter sido muito bem utilizadas para atividades direcionadas para o bem de nossa nação, como jogos no Maracanã, desfile de escolas de samba e festas de fogos no Reveillon ...(ironia off)

Bem, vou aguardar com ansiedade a votação dessa semana, para ver se o Brasil ainda corre um pequeno risco de dar certo ou se estamos cada vez mais fu...

sábado, 25 de abril de 2009

Primeiro, o governo... depois o povo

Você certamente se lembra do caso da brasileira na Suíça, que alegou ter sido vítima de um ataque de skinheads e que se mostrou como uma verdadeira farsante (para ver meu post sobre esse assunto, clique aqui). Aliás, pouco mais se fala desse assunto, desde que ela confessou ter inventando tudo e os advogados de defesa já pretendem alegar que ela é doente. Mas o que mais me impressiona e me revolta é o silêncio do governo brasileiro...

Afinal de contas, quando o caso surgiu o nosso ilustre presidente e o diplomático ministro de Relações Exteriores já vieram acusando a Suíça de ser um país xenófobo e tudo mais, queriam até denunciar o país europeu à ONU, exigindo que os brasileiros fossem tratados com respeito. Como se aqui fosse um lugar maravilhoso, desenvolvido socialmente e com igualdade e respeito por quem vem de fora... É brincadeira, correndo o risco de ser repetitivo, estrangeiro aqui só é bem respeitado e bem tratado se não for norte-americano ou for um terrorista italiano acusado de quatro homicídios. E até agora não houve sequer um pedido de desculpas ao povo suíço por parte de nossos líderes de governo, depois de suas declarações inflamadas (e infundadas) sobre xenofobia.

Mas a razão pela qual eu estou desencavando esse assunto é por causa de um crime (desta vez de verdade), que vitimou uma brasileira na Argentina, durante essa semana. A jovem de 21 anos foi morta pelo seu namorado argentino, que depois se suicidou, um triste crime passional. O pai da garota, que trabalha como pedreiro no norte do estado do Rio, encontrou uma série de dificuldades para resolver todos os trâmites legais para trazer de volta para o Brasil o corpo de sua filha, alegando que não teve apoio do consulado brasileiro no país e do nosso Governo. Passando por esse momento de tragédia em sua família, o pai da garota precisou pedir dinheiro emprestado para pagar a passagem até Buenos Aires, e chegando lá no consulado do Brasil não encontrou ninguém que falasse português e pudesse ajudá-lo.

Olha, eu cada vez me revolto mais com esse governo estúpido! Uma família humilde passando por um episódio triste e revoltante e nossos "solidários" governantes sequer pagam a passagem do pai para buscar o corpo de sua filha! Sabe, tive a curiosidade de ver quanto custa uma viagem de ida e volta para Buenos Aires, sairia em torno de R$ 1400. Somando a isso o translado do corpo sairia por 8 mil dólares, embora a jovem será cremada - me pergunto se por causa do desejo da família ou por causa do custo menor, de 300 dólares...

Talvez apareça alguém dizendo que meu comentário acima é insensível, por estar falando de dinheiro numa situação dessas. Não é verdade. Mencionei essa questão pois o nosso governo, diante da acusação de não estar colaborando, já se prontificou a negar, e dizer que está fazendo todo o possível. Insensível é o nosso Itamaraty, que em nada ajudou a família, dizendo que não dispõe de verba para pagar o serviço. Mas com certeza tem verba para as inúmeras viagens de nossos deputados e senadores, que só nesse início de ano já gastaram quase 10 milhões de reais! E passagens para tudo quanto é canto do Brasil e do exterior: fico me perguntando o que diabos um deputado vai fazer em Paris, New York ou Roma para o bem de nossa nação... Claro, sempre levando uma série de acompanhantes, vai a esposa, filhos, sogra, papagaio... Será que nenhum desses sanguessugas estaria indo para Buenos Aires, para assim, ceder uma passagem para o cidadão que perdeu sua filha?

Interessante observar como também não houve nenhuma declaração do governo contra os argentinos... Quando foi uma brasileira "vítima de um crime" em um país europeu de primeiro mundo, já estavam pisando em cima do povo suíço, acusando-o e ser xenófobo; mas como agora o crime foi em um país hermano, nenhuma crítica é feita... Talvez eu esteja exagerando, mas é lamentável ver que não houve um empenho diplomático por parte das autoridades brasileiras nesse no caso desta jovem, porém para apontar o dedo e comprar briga com um país rico, não esperaram nem a conclusão das investigações.

É mais um caso triste, mostrando como o Governo está mais preocupado consigo mesmo, sem dar atenção ao povo quando este passa por necessidades. Enfim, fica comprovado como nossos governantes só se preocupam com o povo humilde quando existe a possibilidade de ganharem alguma coisa em troca. Afinal de contas, colocar dinheiro nas favelas é um investimento que pode trazer votos nas próximas eleições, mas ajudar uma família humilde que perdeu um ente querido aparentemente é um gasto sem retorno garantido, e para isso não há verba...

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Loucuras da Viagem no Tempo

São vários exemplos que vemos nos filmes e séries sobre a famigerada viagem no tempo. Esse tema de fantasia me foi apresentado pela série De Volta Para o Futuro, com o DeLorean, o relógio da torre e a locomotiva do Velho Oeste, mas existem outros exemplos igualmente famosos, indo desde ao clássico da literatura de H.G.Wells, com os Elois e os Morlocks, até o recente fenômeno da TV Lost, com a sua misteriosa ilha. E é um assunto que sempre faz nossa imaginação voar, quem nunca sonhou em viajar no tempo, para presenciar um acontecimento histórico ou para conhecer o futuro?

E uma das coisas que seria bastante comum seria voltar ao passado para tentar mudar alguma coisa, e opções não faltariam: os mais egoístas arrumariam alguma forma de indicar para o seu "eu" do passado quais os números da loteria ou as respostas da prova do concurso, haveriam os mais altruístas que impediriam algum acidente trágico de acontecer (eu, por exemplo, se pudesse voltar no tempo faria algo para impedir o acidente do Senna), teriam aqueles que usariam a viagem no tempo para sacanear alguém... Enfim, voltar ao passado para alterar o futuro seria interessante, mas teria as suas consequências, que poderiam ser até fatais. Como diria o Dr.Brown, certos momentos no passado, se alterados podem mudar o futuro de uma maneira inesperada. Mas será que seria possível mesmo?

Vamos imaginar um exemplo hollywoodiano: acredito que você conheça o filme De Volta Para o Futuro, e ao voltar para o passado Marty McFly acaba se esbarrando com os seus pais e quase esculhamba o seu presente. Mas imagino se isso aconteceria mesmo, acompanhem meu raciocínio:
  • A mãe de Marty se apaixonou por ele. Com isso, o encontro com o seu pai não aconteceu, e aí eles não se casariam e Marty desapareceria, pois ele nunca teria nascido;
  • Como Marty não nasceu, ele não teria como ser convidado pelo Dr.Brown para ver a máquina do tempo, e assim não voltaria para o ano de 1955;
  • Se Marty não tivesse voltado ao passado, nada mais impediria que os seus pais se conhecessem, se apaixonassem, se casassem e tivessem filhos (ou seja, o rumo natural seria seguido);
  • Se tudo corresse da maneira normal, Marty voltaria a nascer e a existir... Para voltar no tempo e esculhambar tudo, reiniciando o ciclo.
É muito confuso mesmo, até se formos pensar que uma mísera modificação, como simplesmente dar um espirro ou matar um mosquito pode de alguma forma alterar o presente de uma forma incrível, como o Homer Simpson aprendeu no clássico episódio da viagem no tempo com a torradeira...

Uma coisa que penso é que se fosse possível voltar ao tempo e mudar o passado, as consequências poderiam até desmotivar a viagem no tempo. Lá vou eu de novo, mas dessa vez vou tentar usar um enredo um pouco mais original. Vamos imaginar que eu sou um texugo que tem uma máquina do tempo. Por algum motivo, eu ache que o nome "Nescau" é sem graça, e decido voltar ao passado e convencer o criador do achocolatado em pó de nomeá-lo como "Chocolatron"...

Tá certo, admito que Nescau é um assunto que não tem nada a ver, mas a primeira idéia que me veio à cabeça foi essa. E sim, eu tenho a consciência de que "Chocolatron" é um nome ridículo e mais parece o nome de um dos monstros dos Changeman, mas colabore comigo, é só para apresentar a idéia...

Enfim, entro na máquina do tempo hoje, dia 23 de abril, volto ao passado e convenço o criador do Nescau que o nome deve ser Chocolatron, ele gosta da idéia e decide usar esse nome. A partir desse momento, toda e qualquer referência ao nome Nescau ao longo da História é substituída por Chocolatron, até aí nada demais... E isso inclui eu mesmo, por exemplo, qualquer lembrança minha do Nescau desde o dia que nasci até o dia que voltei no tempo seriam reescritas.

Com isso, será que essa viagem ao tempo aconteceria? Afinal de contas, após ter provocado essa mudança, eu teria acordado nesse dia 23 de abril e tomado uma xícara de Chocolatron e tudo estaria bem. O nome Nescau não existiria, e portanto nunca eu teria a idéia de que esse nome era sem-graça, logo não haveria mais a necessidade de viajar no tempo para mudar isso. Mas sem essa viagem ao passado o criador seguiria com o nome Nescau, não surgiria um texugo misterioso recomendando o nome Chocolatron, e tudo voltaria a ser como antes... Loucura, né?

Há quem fale das realidades alternativas, e que o fato do Marty ter impedido seus pais de se casarem geraria uma realidade alternativa onde ele não existia, da mesma forma que o meu retorno criaria uma realidade onde as crianças tomariam Chocolatron no café da manhã. Esse é um artifício muito usado pelos quadrinhos do X-Men, como quando o professor Xavier foi morto no passado, gerando assim a Era do Apocalipse (aliás, as melhores histórias foram dessa época), inclusive dando números para cada realidade. Novamente, uma relação familiar arrebenta com tudo, pois o carequinha é morto pelo seu próprio filho, vindo do presente. Curioso como esse ato faz com que a realidade como conhecemos deixasse de existir e uma nova surgisse.

Mas toda essa interdependência entre as realidades é muito complicada, principalmente quando a existência de uma depende de alguém ou alguma coisa vinda de outra realidade diferente. Para facilitar, vamos chamar essas duas realidades do De Volta Para o Futuro de Realidade 1 (a original) e 2 (aquela onde os pais dele não se casam e ele não existe). Ora, se quem provocou o acontecimento da Realidade 2 foi o Marty que veio do presente da Realidade 1, a Realidade 2 só pode existir se a Realidade 1 existir também. Mas, por outro lado para a Realidade 1 existir (e os pais de Marty se casarem e terem ele como filho), isso faz com que a Realidade 2 deixe de existir!

Ou então isso provocaria o famoso paradoxo de alguém existir em dobro em uma determinada realidade. Voltando ao caso do Nescau, suponha que a minha pessoa que voltou ao tempo permanecesse com toda a consicência da realidade original (onde existiria o Nescau), e com a missão cumprida voltaria para o ano de 2009. Acontece que a alteração da realidade faria com que o meu outro "eu" (este que já nasceu em um mundo com Chocolatron) não tivesse motivos para voltar no tempo, e com isso estaria aqui numa boa nesse 2009 alternativo. Assim, ao voltar para o presente o eu original estaria "desgarrado" de sua realidade e acabaria cruzando com o outro eu. Aí daria aquele paradoxo do Dr.Brown que provocaria o fim do Universo...

É, viagem no tempo é muito mais complicado do que 1.21 gigawatts a 88 milhas por hora! Por isso vejo que realmente voltar ao passado é algo que só existe na fantasia. O único tipo de viagem no tempo que considero plausível seria para o futuro, como acontecia com o Fry do Futurama: ficar congelado por alguns anos e depois despertar em um futuro com mulheres cíclope e robôs bêbados, porém sem poder voltar para sua época original...



domingo, 19 de abril de 2009

As 5 melhores capas

Tá certo, essa idéia aqui é muito velha, mas este texugo aqui é nostálgico e além disso está sem muita imaginação no momento. Algum tempo atrás, diversos blogs brasileiros estavam desenvolvendo essa corrente de relatar as cinco capas inesquecíveis da revista Playboy, e em seguida convidando os donos de outros cinco blogs a fazer o mesmo, e assim a corrente (ou meme, como é normalmente chamada) ia seguindo. Bem, certamente ainda vai demorar para que algum autor de um blog mais conhecido venha a tomar conhecimento da existência deste mísero texugo e me incluir em uma corrente dessas, e como esta meme em particular já está bem passada, decidi tocar nessa idéia, até pela grande influência que a revista Playboy tem na sociedade.

Com isso, após analisar com bastante cuidado, chego à minha lista. Realmente é bem difícil, foi uma grande dificuldade escolher cinco capas, mas vão aí as capas inesquecíveis da Playboy na opinião de um simples mamífero que jamais vai conseguir chegar perto de uma mulher dessas.

Bel (julho de 1995)

Como dizem, “a primeira vez a gente nunca esquece”. Esta foi a primeira revista que comprei, e é curioso como existe toda uma história: em minha adolescência, vi o anúncio desta Playboy em uma revista, e o desejo em poder folhear uma revista de mulher pelada falou mais forte. No dia seguinte, após a escola, fui procurar uma banca para comprar a revista, e tinha que ser longe de casa, para não correr o risco do jornaleiro me conhecer e de repente contar para os meus pais (que babaquice). Apesar da insegurança, comprei a revista, e valeu a pena! Quanto à garota da capa, nunca vi jogar, mas ela é bem exótica apesar de magrinha, e diria que até hoje não vi um ensaio tão bom, com direito a um belo close-up...

Michelly Machri (agosto de 2001)

Curiosamente, enquanto a capa número 1 foi a primeira revista que comprei, a que fica na posição número 2 foi a última que eu comprei, daí por diante todas vieram pela Internet, graças aos inúmeros tarados de plantão que mantém os sites. Essa menina comprova a fama das belas mulheres de Santa Catarina, para onde pretendo um dia viajar, muito gatinha e jeito de menina sapeca, mas também com um ar muito sensual. Ela ficou famosa como a Garota da Sukita, nos comerciais do refrigerante sabor artificial de laranja que sempre esnobava o tio no elevador. Se bem que ele não é bobo, sabe do que as mulheres gostam, e se vingou...




Grazielli Massafera (agosto de 2005)

Esta só vi digital, mas confesso que não me arrependeria de arrumar a versão de papel. Embora a mídia tenha falado que esta edição tenha sido um relativo fracasso, na minha opinião só pelo fato de trazer a beldade Grazi já é suficiente. Juntamente com a Sabrina Sato, é o pouco de bom que podemos tirar do Big Brother. As fotos são bem comportadas em um estilo caseiro, e acho que combinam muito bem com essa gracinha de moça, que além de um corpo de tirar o fôlego tem um rostinho muito doce. Com todo o respeito, vai ser gostosa lá em casa!

Ana Paula Tabalipa (outubro de 2008)

Quem nunca se derretia pelas garotas da pseudo-novela Malhação? Isso realmente me deixava furioso, pois nunca na escola vi meninas assim tão atraentes. Já era mãe de três filhos quando fez esse ensaio ano passado, o que impressiona a boa forma de uma garota jovem: já deu para perceber que eu tenho uma queda por mulheres que tem um jeito meigo de menina, mas que também possuem um ar sexy ao seu redor. E eu diria que é uma das melhores capas, vestindo esse sutiã bem apimentado, embora o que está por baixo dele é que realmente é apetitoso...

Fernanda Paes Leme (dezembro de 2005)

Essa é a típica atriz que passa despercebida e que pouco aparece nas novelas e notícias. Mas isso não a torna menos atraente. Sinceramente, me derreti com as fotos dela, muito sensuais e cativantes, em um clima de campo. É o tipo de mulher “para casar”, bonita, meiga, e com um ar nobre e doce, por isso muito cuidado ao ver as fotos dela, você corre o risco de se apaixonar perdidamente. Como um colega meu já disse certa vez, “Fernanda normalmente é sinônimo de mulher gata”, e esse é um exemplo que comprova a sua teoria.

Menção Honrosa - Sabrina Sato (maio de 2003)

Eu tenho uma queda por orientais, com seus olhinhos puxados e delicadeza de gueixa. Agora misture isso com a sensualidade da mulher brasileira, e você tem a belezinha acima. Com todo respeito, mas ela tem um corpo perfeito, seios deliciosos, curvas magníficas! Até aquela patentada pinta na testa tem seu charme. Uma das poucas coisas boas no Big Brother e no Pânico na TV. Nesta primeira capa ela estava mais natural, na segunda o idiota (mas sortudo) que tira as fotos decidiu por um tema de desenho japonês. Por pouco ela não fica nas 5 primeiras posições na minha lista.

Bom, essa aí é a lista, fiquem à vontade para concordar ou discordar. Para as mulheres, também fiquem livres para me chamar de tarado e porco chauvinista, mas acho que fui até bem comportado em meus comentários, se não gostaram sugiro ver como outros sites costumam retratar as mesmas mulheres acima.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Crie seu fusquinha!

Hoje em dia são cada vez mais comuns na Internet os programinhas do tipo "Create your ???", onde o ??? pode ser um super herói, um monstro ou uma boneca. Mas finalmente alguém teve a idéia de fazer um programa para você customizar um carro. Existem vários desses por aí, a maioria seguindo a febre Velozes e Furiosos e trazendo os carros mais modernos para serem tunados com aerofólios, luzes neon e nitro. Mas os alemães da Volkswagen tiveram a idéia original de criar um desses programas para os seus veículos mais famosos, e não podia faltar o carismático Fusca!

Abaixo vão algumas das minhas criações: um Fuscão azul bem maneiro, um modelo conversível mais clássico e um baja para corrida (clique nas imagens para ver maior).


Para criar o seu, vá no site do Bugselecta.

domingo, 5 de abril de 2009

Pole Position

Tem horas que estou escrevendo aqui e bate uma saudade dos bons tempos, na época que a vida era mais fácil, onde os dias eram mais longos e dava tempo para se divertir mais. E uma das coisas que sempre gostei muito (e confesso que até hoje gosto) é assistir aos desenhos animados. Hoje em dia até que tem alguns desenhos legais, mas nunca chegam aos pés de vários clássicos das décadas de 80 e 90. E um desses grandes desenhos que marcou minha vida foi o Pole Position.


Quando garoto, sempre brincava com carrinhos de ferro, me lembro até hoje que os carrinhos ficavam guardados em quatro latas de plástico de sorvete da Kibon (antigonas, daquelas redondas e de cor bege). E a imaginação muitas vezes levava a ver os carros como se fossem vida própria, e não duvido que acabei sendo incentivado por esse desenho animado. O vídeo abaixo tem a abertura em português, e admito que quando boto esse vídeo para rodar algumas lágrimas me vem aos olhos de emoção.



Nesse desenho são contadas as aventuras de um casal de irmãos, Dan e Tess, que fazem parte de uma organização secreta chamada Pole Position. Para combater o crime, cada um deles possui um super carro, todos equipados com uma série de equipamentos high-tech como hidrofólios e ganchos. E como disfarce, eles fingem ser uma equipe de dublês, que faz shows de direção perigosa pelos Estados Unidos.


Eles contam com a companhia de sua irmã mais nova, Daisy, e um bicho meio estranho chamado Kuma, que parece um guaxinim, e que atua como o "comic-relief" do desenho, sempre entrando em confusão.


Os carros, claro, são um show à parte, pois além dos equipamentos maneiros eles possuem uma inteligência artificial própria, contando inclusive com pequenos monitores nos painéis, onde suas faces pixeladas aparecem. O carro de Tess é um fantástico Mustang vermelho chamado Wheels, enquanto Dan pilota um carro-conceito azul bem futurista que atende pelo nome Roadie (dublado aqui no Brasil como Rodão). Engraçado como a resolução da tela do Rodão é superior a do Wheels, acho que ele devia ser 640x480 pixels...


Uma curiosidade: o desenho não tem nenhum tipo de relação com o jogo do Atari Pole Position, apenas o nome era igual, inclusive usado sob licença da Namco, que produziu o jogo. Embora só tenha tido pouco mais de dez episódios, certamente deixa saudade...

Preconceito

Além das palavras bizonhas citadas no post anterior, nesses dias o nosso ilustríssimo e culto presidente Lula fez um comentário bem incomum e que gerou uma grande repercussão, ao dizer que a crise econômica mundial era culpa de "gente branca, loira e de olhos azuis". Diria que é mais uma daquelas frases de cultura de botequim que apenas o nosso presidente é capaz de proferir, e vai se juntar a outras pérolas como "o Obama parece baiano" ou o singelo "sifu". Aliás, taí uma boa idéia, criar um livro com essas frases do Lula, resta saber se caberia tudo num volume só ou se seria uma coleção...

Porém o objetivo de eu resgatar esse comentário infame é para falar sobre a questão do preconceito racial em nosso país. Eu pessoalmente não vejo que as pessoas são dividas em raças diferentes, fazemos todos parte de uma raça só, a humana. Eu entendo que raça é algo mais aplicável a animais: por exemplo, falando em cachorros, um São Bernardo é uma raça completamente diferente de um Chiuaua, embora todos sejam cães. Mas convenhamos que a realidade não é assim, e todos nós somos identificados por raças baseadas nas origens e principalmente na cor da pele. E esse tipo de distinção acaba levando à discriminação e ao preconceito racial. E nesse momento eu levanto a seguinte pergunta: o que você pensa quando eu falo em preconceito racial?

Se eu fizesse essa pergunta em uma praça ou estação de metrô para os transeuntes (ou se pelo menos meu blog tivesse alguma visita sequer), posso apostar que a imensa maioria iria associar esta palavra composta com a discriminação aos negros, o que é uma visão comum de nossa sociedade. Por que isso? Será que preconceito racial é só contra o negro? Afinal de contas, entendo a palavra "preconceito racial" como julgar alguém pela sua raça, independente de qual seja. Mas aqui no Brasil é de um senso comum que apenas é errado quando o negro é vítima de algum tipo de preconceito ou discriminação. Vide a quase inexistente reação de entidades e organizações defensoras da igualdade racial diante do comentário preconceituoso de nosso presidente.

Por exemplo, até algum tempo atrás existiam várias piadinhas como "preto parado na esquina é suspeito" e "preto correndo é ladrão". Piadas estúpidas, extremamente preconceituosas e racistas, sem sombra de dúvida. Afinal, julgar uma pessoa negra que corre como um ladrão apenas pela cor de sua pele é preconceito racial. Mas pergunto: e dizer que branco, loiro e de olhos azuis é culpado pela crise, o que seria isso? É correto julgar a responsabilidade de um grave problema mundial em pessoas apenas pelas cores de sua pele, cabelos e olhos? Mesmo que a intenção do Lula não tenha sido essa, ninguém fala nada, comprovando que só se considera preconceito quando a vítima é o negro. Posso apostar que se em uma entrevista o Lula falasse que a culpa era dos pretos, ia aparecer um monte de gente chiando.

Você se lembra da tal ministra Matilde Ribeiro? Ela fazia parte da Secretaria Especial da Promoção da Igualdade Racial, até ser afastada por uso indevido do cartão corporativo, e ficou famosa por declarações como "não é racismo quando um negro se insurge contra um branco". É mais um exemplo de como é vista a questão do preconceito racial. Eu não ignoro a História de nosso país, e reconheço o fato de que o período escravocrata foi responsável por uma série de problemas que atingiram os negros, como a exclusão social e a pobreza. Mas não é por isso que devemos só nos atentar ao preconceito contra os negros. Principalmente porque o branco, loiro de olhos azuis de hoje não tem culpa pela escravidão do passado, ao contrário do que pensa a tal Sra. Matilde, que o negro que "foi açoitado a vida inteira não tem a obrigação de gostar de quem o açoitou". Alguém precisa avisar pra ela que a escravidão acabou, e que o negro de hoje nunca foi açoitado, tampouco pelo branco de hoje. Claro que não podemos ignorar o passado, mas também perpetuá-lo não leva a nada, e culpar os brancos de hoje é irresponsável.

E ultimamente a sociedade tem ficado cada vez mais rígida com essa questão do preconceito contra os negros (sim, apenas com eles), o que em muitos casos chega a ser um exagero. Alguns exemplos:
  • Se você pegar um livro de piadas, todos os principais personagens ainda estão lá, como o português, o louco, a bicha e o papagaio. Mas agora as piadas de negro não tem mais, pois foram vistas como racistas. Tá certo, é preconceito quando na piada tem um negro se dando mal, mas aparentemente não é quando é o Manuel quem quebra a cara...
  • Criminalmente falando, uma pessoa pode ser até presa se cometer um ato preconceituoso contra outra, sem mesmo direito à fiança. Uma vez mais, aparentemente apenas quando o negro é a vítima (lembra do jogador argentino Desábato, que foi acusado de racismo pelo Grafite?). Chamar um negro de macaco, preto sujo ou crioulo pode te colocar atrás das grades; agora será que chamar um branco de branquelo, Galak ou leite azedo teria a mesma punição? Ou chamar um japonês de amarelo ou Jaspion, um árabe de Bin Laden ou um alemão de chucrute?
  • Até nos filmes, quem diria, existe toda uma preocupação para evitar a associação da palavra negro com algo ruim, o que poderia ser entendido como uma forma de racismo. Eu sempre me acostumei em escutar nos filmes do Guerra das Estrelas sobre o "lado negro da Força", mas para evitar problemas com os afrodescendentes agora Darth Vader precisa chamar de Lado Sombrio... Pessoalmente, perdeu a graça.
Coisas assim só comprovam que aqui no Brasil nada tem o menor risco de dar certo. Até concordo que os negros são os mais prejudicados pelo racismo e acho justa a luta pela igualdade, mas é uma grande insensatez usar um discurso de luta contra o racismo para levar vantagem. Adotar uma posição de vítima é sempre mais confortável, sempre é mais fácil justificar tudo como racismo para não sair perdendo. Certa vez vi uma reportagem de um negro que acusava uma empresa de racismo, que supostamente não o havia escolhido para uma vaga de emprego por causa da cor de sua pele. Em nenhum momento ele se perguntou se o seu currículo era o melhor ou se não havia outro canditado melhor. Para esconder a sua própria incapacidade, preferiu acusar a empresa de racismo, e desta forma ele sairia "bem na fita" e como vítima a ser amparada... Imagina se a moda pega?

Isso é resultado de um problema do brasileiro em geral: ninguém quer ficar na desvantagem, e tampouco busca condições iguais, todo mundo quer mesmo é levar vantagem sobre os outros. E os negros podem usar o preconceito como desculpa para se dar bem. Como propõe a estúpida lei de cotas nas universidades, uma das maiores atrocidades que eu já escutei. Os "defensores da igualdade" reclamam de uma distribuição desigual nas universidades, e buscam uma solução que descaradamente facilita e favorece um grupo racial, uma postura "exemplar" de igualdade. Em primeiro lugar, o vestibular é um processo perfeitamente justo por ser meritocrático, passam os melhores, e não existe uma prova para brancos e outra para negros. Mas em nenhum momento as pessoas focam na real fonte do problema, não se falou em nenhum momento em melhorar as condições do ensino público fundamental, de forma que as classes sociais de menor renda, onde estão muitos negros, tenham acesso a um ensino de qualidade. Será que é tão difícil de perceber isso?

Mas além de ser um problema mais caro de resolver e com prazo de resolução muito maior que a duração dos mandatos (afinal, nenhum governante quer começar uma obra para depois outro inaugurar), melhorar o ensino colocaria todos, brancos e negros, nas mesmas condições para disputar uma vaga. Mas isso não agrada aos negros, que se sentem prejudicados pelo período de escravidão, eles querem ser compensados de alguma forma, parece até que querem se vingar dos brancos e levar vantagem sobre eles. E assim com uma rápida e barata canetada, definiu-se que a divisão deve ser meio a meio, de forma que na atual conjuntura serão comuns situações onde um branco vai tirar 7 no vestibular e não vai entrar, mas um negro que tirou 5 vai passar. E boa parte dos negros certamente não reclama disso! Claro, (ironia on) chamar isso de desigualdade é errado, essa é a mais bela justiça social... (ironia off)

Enfim, eu acho muito legal a luta contra o preconceito racial, mas ainda fico na esperança de que essa luta tenha o objetivo de estabelecer a igualdade entre todos, e não de favorecer ou compensar apenas um grupo. E honestamente, se depender dos negros, veremos a grande maioria deles querendo apenas usar o preconceito para tirar vantagem com a cor de suas peles.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Nunca antes na história desse país...

... tivemos um presidente tão troglodita. Cada dia que passa fico imaginando o que devem estar pensando as pessoas que votaram no Lula para presidente, o que essas pessoas têm a dizer depois de ouvir uma pérola dessas:

"Você não acha muito chique o Brasil emprestar dinheiro para o FMI?"

Realmente, acho que sou só eu que não percebi o quanto o nosso país é maravilhoso e desenvolvido. Afinal de contas, se o Brasil tem dinheiro de sobra pra gastar com outras nações, é porque aqui deve ser um país com educação de qualidade para todos, pronto atendimento nos hospitais públicos e segurança nas grandes cidades. Fico aliviado ao saber que nosso presidente tem plena consciência das prioridades, de que o bem estar do povo está em primeiro lugar...

Mas realmente o Brasil deve estar com muito dinheiro de sobra, pois antes mesmo do Lula emprestar para o FMI, já estão querendo aumentar o número de deputados no Congresso. Só para ter uma idéia da ordem de grandeza do que se gasta hoje, cada um deles custa em torno de 100 mil reais por mês, e todos eles custam aproximadamente 650 MILHÕES DE REAIS por ano! Como já disse uma vez, deve ser muito bom ser político, não fazer quase pôrra nenhuma e ganhar uma fortuna. É uma atrocidade, acho que ver uma coisas dessas é mais sacanagem e putaria do que um filme pornô alemão. Dava até vontade de pegar uma metralhadora e entrar no Congresso atirando... Se bem que seria até pior, pois eles têm o auxílio-funeral, iam sugar nosso dinheiro até mesmo depois de mortos.

Só para fechar o circo, vai mais uma pérola de nosso ilustre presidente da república:

"Se você encontrar o Obama no Rio de Janeiro, você pensa que ele é carioca; se encontra na Bahia, pensa que é baiano."