terça-feira, 19 de abril de 2016

Hipocrisia da Esquerda

Muita repercussão depois da votação no Congresso a respeito do impeachment da presidanta... Muito bate-boca nas ruas, na rodinha de amigos, na internet, com dedo na cara de um e de outro. Chegando ao ponto de até mesmo amizades ruírem por conta das diferenças políticas. Sabemos muito bem que isso já vinha acontecendo faz tempo, mas neste domingo chegamos ao ápice, depois de um episódio que será comentado por muito tempo.

Votação na câmara dos deputados, passando por aqueles do estado do Rio. Chega-se na letra J, e então veio o Jair Bolsonaro, que em seu discurso exaltou o coronel Ustra, que durante a época da ditadura militar torturou nada mais nada menos do que a própria Dilma Rouseff. Logicamente que sob vaias do pessoalzinho da esquerda. Que, por uma coincidência alfabética (ou será de batismo?), foram representados logo na sequência por dois dos exemplares mais marcantes da fauna vermelha. A começar por Jandira Ferghali e seguida pelo(a) Jean Wyllys. Ambos, logicamente, não pouparam palavras contrárias ao processo de impeachment, acusações contra o Eduardo Cunha e uma agressividade fervorosa contra o Bolsonaro, algo que só podemos esperar de partidos "da paz" como o PC do B  PSOL.


Chegando ao nível em que o ex-BBB deu uma cusparada na direção de Bolsonaro.

Bom... Eu não vou me alongar muito aqui... Mas eu acho interessante como é que tem tantas pessoas que ficaram do lado desse homossexual metido à besta. Afirmando que ele estava certo em cuspir no Bolsonaro, pois estava revoltado com ele ter enaltecido um torturador da ditadura. Nas redes sociais é um barato, pois já tem um monte de abaixo-assinado pedindo a cassação do Jair Bolsonaro por conta do que ele discursou, cheio de gentinha "intelectual" defendendo o Jean Wyllys, dizendo que quem é a favor do impeachment é a favor da tortura. Afinal de contas, o processo já passou da Câmara dos Deputados e não cola mais aquele papo de "quem quer o impeachment defende o Eduardo Cunha".

Vamos fazer um breve exercício? Para vermos como que é o pensamento na cabeça do Jean Wyllys, da Jandira Ferghali, da Dilma, do Lula e de toda uma massa de petralhas?

Errado e desumano é o Bolsonaro enaltecer o coronel Ustra...


... mas os vermelhinhos enaltecerem Che Guevera, Hugo Chávez, Fidel Castro e Stalin, isso não tem problema. Afinal, deve ser invenção da mídia golpista que estes ilustres "defensores da democracia" torturaram e mataram seus opositores.

Seguindo, votação do impeachment em uma Câmara presidida por um réu como Eduardo Cunha é ultrajante, é inaceitável...


... mas em 1992, não teve nenhum problema que a sessão tenha sido presidida por Ibsen Pinheiro, que pouco tempo depois foi cassado e teve seus direitos políticos suspensos. 

Se dizem defensores das minorias, condenando qualquer um que supostamente na opinião deles ofenda negros, menores infratores, mulheres, homossexuais e demais...


... mas acham perfeitamente normal o Lula fazer piadinha machista com a assessora que foi acordada por dez homens, ou de pedir a ação das mulheres de "grelo duro".

Que combatem a elite branca e burguesa, que concentra a riqueza e torna a vida do pobre mais miserável, incentivando a idéia de que quem mora na Zona Sul ou viaja para a Disney oprime a classe trabalhadora...


... mas que não abrem mão de comprar o iPhone de última geração, curtir o desfile de carnaval no camarote VIP e viajar de primeira classe.

Enfim... é impressionante como ainda tem gente que acredita nessa turminha. É uma verdadeira hipocrisia como esses cretinos acham tão natural apontar o dedo para os outros antes de olhar para o próprio umbigo, se dando conta que são piores...

domingo, 17 de abril de 2016

Tchau querida!

Finalmente tomaram vergonha na cara, e foi dado sinal verde para o impeachment da presidanta! Podem aparecer todos esses comunistóides aí de meia tigela, querendo amedrontar o cidadão de bem. Podem vir esses cretinos como Stédile, Tico Santa Cruz, UNE, MST, Socialista Morena e Paulo Henrique Amorim, que eles não me metem medo! Podem vir esses políticos vermelhos como Jandira Ferghali, Marcelo Freixo, Jaques Wagner "O Passivo", Cardoso "O Formoso", todos esses filhos das putas, que vão ter que meter o galho dentro. E pode até vir o Lula. Abre o olho, sapo barbudo... Daqui a pouco a PF bate na sua porta.


Fica agora a esperança de que o processo ande a largos passos, para que essa imbecil e arrogante que se diz presidente seja enxotada como barata. Pra ver se conseguimos fazer o Brasil sair do buraco em que o PT o colocou. 

Essa é pra você, Dilma!


"É hora de dizer tchau!" 

sábado, 16 de abril de 2016

Tico Santa Cruz, o babaca

Eu não poderia deixar de comentar sobre esse assunto que aconteceu nessa semana, envolvendo o "cantor" Tico Santa Cruz. Como de costume, coloco entre aspas pois não considero tal criatura digna de ser chamada de cantor, não apenas pelas suas músicas sofríveis mas também pela sua postura partidária extremamente estúpida e idiota. Pra quem não sabe, ele é mais um desses "artistas" que defendem PT, Lula e Dilma, apesar de todas as mazelas que esses vermelhos trouxeram para o nosso país.


Mas o assunto aqui não é sobre política, e vou fazer o possível aqui para não me deixar influenciar por essa questão. Isso será difícil, embora mesmo que ele fosse o primeiro a pedir a cabeça da presidanta, eu o chamaria de babaca diante da situação que ele provocou.

O sujeito estava de viagem para Maringá, e ele pretendia comprar um daqueles assentos conforto da Gol. Para as pessoas que não viajam de avião, esses são assentos que ficam na frente ou perto das saídas de emergência, que têm maior espaço para as pernas e cujo assento central fica bloqueado. Ou seja, duas pessoas podem ali viajar numa boa, mais confortáveis do que os demais passageiros. Logicamente, tal conforto não vem de graça, e para usufruir de tal regalia, a pessoa precisa pagar uma taxa adicional. 


O que eu pessoalmente acho justo. Afinal de contas, em um vôo de longa duração você pode pagar mais para ir na executiva ou primeira classe. Por sua vez, em um vôo regional mais curto, em que não faz muito sentido esse tipo de divisão na aeronave, ter uma taxa (que é relativamente pequena) para ter um pouco mais de espaço não me parece algo absurdo... 

Pois muito bem... Segundo comentou o nosso camarada Tico Santa Cruz, um ferrenho defensor do socialismo e da igualdade, ele queria comprar um assento desses para ir com mais conforto. Afinal de contas, essa taxa deve ser como trocado para uma pessoa como ele, que fatura rios de dinheiro com sua música, e nada melhor para um sujeito que defende tantos os pobres e o PT do que ter a exclusividade de viajar sem ninguém encostado do seu lado. Mas ele supostamente tentou comprar esse assento pela internet e não conseguiu. Assim, ele comprou um assento normal. 

No dia do vôo, ele ficou ali perto da entrada, esperando todos os passageiros embarcarem. Quando todo mundo entrou e ele se certificou de que não havia ninguém sentado ali naquela poltrona da primeira fila, ele prontamente se sentou. Palavras dele: “Esperei que as pessoas embarcassem, todas as pessoas, até o último, para não pegar o assento de ninguém. Fui até o assento número um, que estava vazio, onde não havia ninguém.”

Claro, pois estamos falando de um cidadão consciente, que estufa o peito para dizer que a Dilma e o Lula são honestos, e que o Eduardo Cunha é um corrupto e precisa ir preso. Isso aí, Tico Santa Cruz... Você condena tanto a corrupção mas ficou ali na encolha para sentar num assento pelo qual você não pagou...

E tem a cara de bunda de dizer que é contra corrupção.

A sorte é que uma comissária da GOL achou estranho e pediu para ele mostrar o seu bilhete. Vendo que o malandro estava ali no lugar errado, ela pediu para que ele fose para o assento correto, e com isso ele começou então a discutir, dizendo que era um absurdo e outras coisas mais. Comentou por exemplo que era ilegal esse tipo de cobrança, pois o serviço era o mesmo. Nessa hora, vários passageiros começaram a gravar em seus celulares a confusão.

Bom... Vamos aqui pensar um pouco... Se a cobrança é ilegal na cabeça dele, por que ele então havia tentado pagar pelo assento? Por que em outras oportunidades ele pagou a mais para usufruir dessa poltrona (como ele mesmo diz, está na gravação)? Será que a cobrança só se tornou ilegal na hora em que você não respeitou a regra, Tico?

Pergunto se ele tivesse pago pelo assento e tivesse ali um engraçadinho como ele sentado ali, se ele não ia ficar puto? Vejam o vídeo logo abaixo.


Ainda tem a pachorra de perguntar se tinha um advogado! Fala sério, que panaca! Ainda chegou ao nível de querer pagar para a funcionária da Gol no ato, algo que não tem pé nem cabeça. 

A grande maioria dos passageiros se emputeceu com o ocorrido, pois por conta daquele idiota metido à esperto o vôo ia atrasando. Todo mundo com seus compromissos e aquele cretino do Tico Santa Cruz achando que é melhor que os outros. Até que chegou um momento em que a Polícia Federal foi acionada e tirou o imbecil do vôo, sob uma salva de palmas dos passageiros. Mais um vídeo para você ver.


Largado ali no aeroporto, o babaquinha ainda chegou a gravar um vídeo para colocar nas redes sociais, citando até artigo de lei e o caralho a quatro, dizendo que a companhia estava errada, e que ela não podia cobrar mais pelo "acento"...


Peraí? 

Como essa zoação do Kibeloco deixa bem claro: é um intelectual mesmo esse Tico Santa Cruz...

Agora, o que eu comento aqui é o seguinte... Como esse cara é um babaca! Puta merda, se esse tipo de cobrança fosse contra a lei, você acha que alguém já não teria colocado a Gol na Justiça? Ela faz isso há anos, e não apenas ela, mas outras companhias também. Será que é só o Tico Santa Cruz que sabe o que é certo e errado no país? Sinceramente, fica difícil não fazer a avaliação dessa peça sem considerar sua postura política, mas fica evidente que é o tipo de postura desses boçais de esquerda, que inventam leis para se favorecerem, que acham que elas só podem ser cumpridas desde que não os afete.

Vem dizer que a companhia estava prejudicando todos os passageiros. Cascata! 

Quem estava prejudicando todos os passageiros era você, seu imbecil! Quem foi intransigente foi você! E o pior de tudo, uma intransigência defendendo o seu "direito" de infringir uma regra da companhia e sentar em um assento pelo o qual você não havia pago!

Quem você acha que é para pensar que pode fazer isso, Tico? Por que você se acha no direito de pegar algo que não é seu?


É uma falta de respeito para com os passageiros que pagaram a mesma passagem que você. Tá lá atrás uma pessoa que pagou o mesmo valor X pela passagem que você pagou, mas que vai se sentar numa poltrona comum, enquanto você vai poder esticar as pernas, porque foi esperto pra sentar ali na frente. De novo, cadê a sua postura socialista nessa hora? Você fica aí defecando pela boca pra falar que defende a igualdade, mas se acha superior aos demais passageiros que pagaram a mesma passagem que você. Por que você merece e os outros não?

Tem mais, não é só questão de perguntar se merecem: é perguntar por que nenhum outro passageiro na mesma situação que você deu de esperto. Sabe por quê? Porque são pessoas corretas, e não espertinhos como você, Tico Santa Cruz.

E é uma falta de respeito também para com os demais passageiros que pagaram pelo assento conforto. Você por acaso acha justo que eles tenham pago a mais para usufruir de uma poltrona mais confortável, e aí olhar para o lado e ver que você está também em uma delas, mas não precisou pagar mais por isso? E foda-se que não tinha ninguém sentado ali! Não é correto que você venha a tomar um espaço ali que não é seu de direito, só porque estava vazio. É um desrespeito àqueles que pagaram a mais.

Deixa eu te perguntar uma coisa, seu panaca. Vamos imaginar aqui um show de sua banda. Aí então eu vou e digo que eu tentei comprar um ingresso para o camarote, mas vou alegar que eu não consegui. Aí então eu vou lá no seu show e fico na entrada do camarote, esperando até que o show comece, e vejo que tem ali uma cadeira livre. E vou lá em sento ali. Afinal de contas, segundo você mesmo disse aí nesses vídeos gravados, o serviço que eu estou usufruindo é o mesmo, ou seja, o seu show (embora usufruir um show dos Detonautas é algo que não me passa pela cabeça).

E aí, seu mané? Vai achar certo? Vai vir com esse papinho de lei? Vai ficar de boa que eu tenha pago um valor de X pela pista normal e estou ali num camarote que custa 5X?

Vou mais longe... Pela mesma lógica do Tico Santa Cruz, que basta ficar ali de olho e ver se ninguém vai usar, então parece que não tem problema eu parar numa vaga de deficiente físico.


Afinal de contas, vou chegar ali com meu carro, vou esperar um pouco e vou ver que ninguém vai usar... E aí vou lá e estaciono, não estaria tirando o lugar de ninguém, não vai prejudicar ninguém...

Sério, Tico Santa Cruz... Vai tomar no rabo! Metido a esperto, fica se achando melhor que os outros e acima da lei. Tu tem direito pôrra nenhuma! É por conta dessas pequenas corrupções do dia-a-dia que o nosso país está do jeito que está, por causa de gente que dar de malandro e levar vantagem. Duvido que se fosse lá fora ele ia fazer isso, faz aqui pois o Brasil é o país da impunidade. Tinha era que ter sido preso, pra deixar de ser idiota!

domingo, 10 de abril de 2016

Vizinhos Barulhentos

Vamos para mais uma postagem de desabafo, onde lanço aqui no blog algo que aconteceu comigo, compartilhando a minha frustração e desespero com os raríssimos leitores que aparecem por aqui. E o assunto de hoje é sobre vizinhos. Algo que me faz tero desejo de virar um ermitão e viver numa caverna, ou então isolado em uma ilha deserta, pra não ter nenhum tipo de contato humano, para não ser incomodado na tranquilidade de meu lar.


Não entrando muito nos detalhes de como é o prédio e o apartamento onde vivo, mas posso dizer que eu tenho, digamos cinco vizinhos imediatamente nas minhas cercanias. Felizmente, aqueles que estão imediatamente acima e abaixo de mim não são um grande problema, com um casal idoso no andar de baixo, que passa boa parte do tempo na rua, e uma família mais jovem no andar de cima, que apenas trouxe um certo incômodo quando o bebê chorava de madrugada. Mas não sou um texugo tão intolerante assim, essas são coisas que passam, afinal de contas o pimpolho não tem culpa. De um dos lados tem um vizinho que é tranquilo, quase não está em casa, assim que também não incomoda muito. E, por fim, tenho o que posso classificar como "vizinho de janela", que são os moradores de um apartamento que fica do outro lado, e que tem a janela do quarto de frente para a minha. E esses também são relativamente tranquilos, inclusive com o costume de deixar as cortinas fechadas sempre.

Nessas horas é que eu fico pensando no meu azar... Quem me dera que minha janela ficasse de frente para o apartamento de uma moça, com reduzido pudor na hora de trocar de roupa...


Sim, eu não presto... Vamos em frente.

Bom, só que resta ainda o vizinho que fica do outro lado... Que está em outro bloco do prédio e que compartilha uma parede com meu quarto. Lá vivem dois caras e uma garota, todos em idade universitária e que alugam o apartamento para ficarem mais perto da "facul". E eles não fazem o tipo que ingressou a vida acadêmica para estudar e ser alguém na vida, como a moça com cara de estudiosa abaixo...


Sim, a turma tinha toda a pinta de ser mais alguns daqueles que só querem saber de zoação. Típicos filhinhos de papai, que ganharam carro novo por ter passado em qualquer universidadezinha particular e que bancava a moradia sem cerimônia. Fazem o estilo de descolados que passa na prova na base da cola, só pensa nas choppadas e festinhas. Como os alucinados a seguir, que provavelmente iam me arrumar dor de cabeça.


E isso se comprovou na noite dessa sexta. Depois de uma longa semana de labuta, o que eu mais quero é desabar na cama e dormir até o cu fazer bico. Já passou o tempo que eu saía de noite com meus amigos, até porque a imensa maioria dos meus amigos casou e teve filhos, assim eu prefiro passar minhas sextas à noite vendo um pouquinho de Netflix e depois indo dormir em uma hora relativamente cedo, cerca das dez e meia... Assim, dá pra ter umas merecidas e revigorante 10 horas de sono sem passar metade do meu sábado na cama, para que eu possa aproveitar e fazer algumas coisas.

Só que nessa sexta os filhos das putas dos meus vizinhos decidiram fazer uma festinha... E convidaram provavelmente uns vinte de seus amiguinhos pra algazarra, que começou lá pelo meio da tarde.

Não é preciso pensar muito, é uma matemática de nível primário: um bando de jovens em seus vinte e poucos anos + caixas de cerveja barata = barulheira infernal!


Como disse, a festa começou no meio da tarde, e o que eu fui obrigado a escutar durante boa parte do dia foram berros, rádio ligado naquelas músicas escrotas do momento como Wesley Safadão e Rihanna, gritos de garotas histéricas, arrotos de tremer a vidraça e xingamentos de todos os tipos. Confesso que uma hora deu a impressão de eu ter escutado uma das garotas gemendo ao extremo, devia estar rolando um bacanal ali do lado. Mas, nesse momento, dava pra evitar... Era ir pra outro cômodo da casa e fugir da algazarra, ou na pior das hipóteses colocar um fone de ouvido. Mas eu já via que eu iria me aborrecer.

E isso começou quando deu dez horas da noite. Geralmente, em uma cidade em que a lei é cumprida, esse é o horário para barulho exagerado, conforme diz a Lei do Silêncio. Das 22 às 7, é proibida a poluição sonora. Mas, como aprendi certa vez da pior forma, ela não se aplica dentro de um condomínio, onde valem as regras estabelecidas na convenção. Que aqui, considera também o limite de dez horas da noite, mas o início só a partir das oito da manhã. Já eram 22:05 e a turminha aqui do lado não tinha parado.


Nessas horas eu tentei ser um pouco tolerante... Também não vamos ser escrotos de achar que o barulho tenha que parar às dez em ponto, embora eu não estaria errado em reclamar. Vamos considerar uma tolerância, enquanto eu cuidava dos afazeres noturnos, como escovar os dentes, fechar o gás e trancar a porta. Tudo isso na esperança de que o bom senso iria falar mais alto, e os jovens ali do lado iriam dar um fim à sua festa, ou pelo menos deixá-la em um volume que não incomodasse o prédio.

Só que sabemos que bom senso não dá em árvore...


Quase dez e meia e continuava a gritaria e a música alta. Nessa hora, decidi então seguir tranquilo, e interfonei para a portaria, explicando que já passavam das dez e o vizinho estava muito barulhento. Segundos após desligar o meu interfone, pude escutar o aparelho do vizinho tocar inúmeras vezes. Já desconfiava que os putos sequer atenderam. E a zorra continuava, agora ao som de Maria Gadú ou outra merda parecida. MPB era dose, era falta de respeito. Já estava enchendo o saco...

Liguei mais uma vez para a portaria, e o porteiro disse que ninguém tinha atendido lá, talvez eu estivesse enganado e era outro apartamento. Na boa, me segurei para não mandar ele tomar dentro, disse que eu podia escutar pela minha parede, não tinha dúvidas. Caralho, se eles ignoraram o interfone, que ele fosse lá pessoalmente bater na porta deles para avisá-los do barulho. Esperei mais alguns minutos, com o barulho rolando solto, gargalhadas e cantoria, nego berrando a plenos pulmões. Já era possível escutar o interfone lá da portaria tocando, provavelmente outros moradores que também estavam sofrendo com o barulho. Já eram mais de dez e meia e continuava.


Nessas horas, começa a juntar sono com raiva, e perco a paciência. Comecei a socar a parede do meu quarto de tanto ódio, na esperança que essa atitude agressiva surtisse algum efeito. Me fudi, acabei machucando a porcaria da mão, e ainda tive que escutar algumas risadas do outro lado, que nessa altura do campeonato interpretei como se eles estivessem rindo de mim, embora provavelmente eles sequer escutaram meus murros na parede.

Interfonei mais uma vez para a portaria, e o porteiro disse que tinha ido lá no apartamento, falado com o pessoal, e que eles disseram que a festa já estava para acabar. Sei que temos que ter um pouco de compreensão em certos momentos, mas não aguentei e dei um esporro nele. Não me orgulho disso, até pedi desculpas para ele no dia seguinte, mas infelizmente não dava mais. Como assim que ele simplesmente aceitou a desculpa que os canalhas deram? Na boa, que se foda se a festa está para acabar, já tinha passado da hora e eles tinham que parar com o barulho imediatamente! Não estava certo, ameacei inclusive que eu ia ligar para a polícia, pois aquilo era um abuso. Sério, tinha até criança pequena chorando, após ter sido brutalmente acordada tão tarde da noite por aqueles putos.


Os ponteiros já marcavam depois das onze, e eu estava na cama olhando para o teto, me perguntando se valeria a pena dar uma cabeçada na mesa de cabeceira pra cair desacordado e só acordar sabe-se lá que horas... Estava naquela situação onde o cansaço imperava, não rolava sequer disposição para ler um livro ou ver televisão para ajudar a cair no sono, pois o barulho era infernal. Pior de tudo era que ele vinha pela parede, nem adiantava fechar a janela que toda a zorra atravessava os tijolos. Interfonei mais uma vez para o porteiro, que apenas disse que já havia avisado, que muita gente estava reclamando. Disse mais uma vez que ia ligar para a polícia, mas eu sinceramente já sabia que nada iria adiantar... Mais uma vez tocava o interfone no vizinho, novamente ignorado. Talvez a música estivesse muito alta... Talvez eles estivessem apenas ignorando mesmo...

Onze e quarenta e cinco e a festança não dava sinais de acabar tão cedo. O teor alcoólico já devia estar estourando a escala, e quanto mais bebida menos inibição e respeito. Algum maluco lá cantando e berrando com toda força, as risadas ficavam mais ruidosas, e até mesmo dava pra escutar algumas batidas na parede. Puta que parola, estava ali ainda rolando na cama, olhando para o teto, tentando arrumar uma distração para pelo menos não perder a cabeça. Confesso que até dar uma googlada por umas fotinhos mais calientes eu cheguei a fazer, tamanha era o meu desespero. Não adiantava nem enfiar os fones de ouvido até os tímpanos e escutar alguma música, o barulho incomodou tanto que eu então acabei chegando ao limite.


Vesti minha calça por cima da minha bermuda de pijama, calcei os tênis que estavam no canto do meu quarto, e decidi tirar satisfação com os vizinhos eu mesmo. Tive que descer até o térreo, pois eles ficam em outro bloco, e no caminho cruzei com o porteiro da noite, dizendo que estava insuportável. Apesar do pedido de desculpas, ele ali também não se mexia muito, pois afinal de contas é difícil porteiro assumir alguma responsabilidade. Nesse momento deu vontade de interfonar dali para a síndica, provavelmente ela estaria acordada por conta desse barulho todo, ou pelo menos poderia compartilhar comigo o segredo de como ela conseguia dormir no meio daquela zorra. Só que não deu, pois o porteiro disse que ela estava fora.

Apesar dele me sugerir em não ir lá, eu acabei indo até o elevador do outro bloco, e fui lá no andar dos vizinhos. Impressionante como ali o barulho parecia ainda mais alto, me perguntava porque os demais condôminos daquele andar não tinham reclamado ainda. Fui lá tocar a campainha, embora eu sinceramente estava com um louco desejo de sair chutando aquela pôrra daquela porta até alguém abrir. Logo apareceu um capiau, com uma cara de bunda e garrafinha de Skol na mão, não parecia ser um dos moradores de lá.


Falei que queria falar com um dos moradores, e o moleque mal conseguia ficar de pé. Decidi então ir por outra linha, dando um esporro nele, falando pra baixar o volume pois estava atrapalhando todo mundo. Nesse momento é que o pesado odor da mistura de birita, cigarro, vômito e suor começou a chegar nas minhas narinas, quase me fazendo chamar o Hugo. O sujeito continuava ali, com aquela cara risonha que os bêbados mamados costumam ter quando estão prestes a perder os sentidos. Outro carinha passou atrás, mas me ignorou, gritando para os seus colegas alguma dessas gírias estúpidas da garotada... Maravilha, dois minutos ali e já estava não só com sono mas também me sentindo um velho.

Meus olhos começaram a ver a baderna que estava ali dentro. Era curioso ver um apartamento que era uma cópia espelhada do meu, mas que parecia tão largado e zoado. Sério, a tinta das paredes parecia que ia descascar se alguém encostasse ali. E estava cheio de gente, dava pra contar ali pelo menos uns oito adolescentes no meu raio de visão, todos exaltados e chapados. E tinha até uma garota, muito bem dotada diga-se de passagem, que parecia estar ali se exibindo com uma camiseta molhada!


Bom... era o que eu me lembrava de ter visto... Talvez fosse minha imaginação, lembre-se que alguns minutos antes eu estava tentando ver se um pouquinho de fotos de mulher pelada me ajudavam a me distrair da festança dos meus vizinhos...

Finalmente um dos moradores veio até a porta, e taquei um esporro nele. Não medi palavras, disse que era um absurdo o que estava acontecendo ali, era uma sacanagem grande, quase meia noite e muita gente no prédio querendo dormir. Falei das regras do condomínio, permitindo barulho alto até às 22:00. Ameacei até ligar para a polícia. O canalha nem se ligou, disse que a festa ia acabar logo, que não era sempre que ele fazia festa e tinha que celebrar o final do período (como assim?). Ainda veio desdenhando, dizendo que era jovem, que tinha que aproveitar a vida, e algo como "que tipo de lesado vai dormir na sexta às dez?".


Deu uma vontade imensa de acertar um soco na boca daquele cretino...

Continuei ali argumentando, que não tinha essa de que era jovem e o caralho. Tinha a maldita regra do condomínio, eu disse que ia denunciar ele para a síndica, para que ele fosse multado. Recebi um foda-se e uma porta fechada na minha cara, seguida do volume da música ainda ser aumentado como forma de provocação. Dessa vez, bati na porta, de dar soco mesmo, mas fui ignorado. Começava a ficar muito puto dentro das calças, e decidi voltar ao meu apartamento e ligar para a polícia.

Depois de alguns minutos esperando na linha, finalmente consegui falar com alguém. Expliquei toda a situação, dizendo que era quase meia noite e havia um morador incomodando todo o prédio com uma festa exageradamente barulhenta. Mas o policial do outro lado disse que não podia intervir, pois eles só estavam autorizados a intervir em casos de perturbação da ordem pública, e não privada, onde valeriam as regras do condomínio. Apenas se fosse o síndico relatando alguma questão de risco à segurança dos moradores é que a polícia poderia fazer alguma coisa. Deu quase vontade de dizer que sim, havia um grande risco contra a segurança de alguns moradores, dos vizinhos ao lado, mas vi que não adiantaria nada e desliguei...

Dado por vencido, decidi então esperar quando que a barulheira iria acabar, pensando em como que as pessoas têm esse desprezo pelos vizinhos. Lembrou de uma história recente, sobre a "cantora" Ludmilla. Sim, entre aspas pois essa porcaria funkeira está longe de ser cantora. Essa energúmena havia dito em uma entrevista algo semelhante que o boçal acima, dizendo que ela é jovem e quer curtir, que quem reclama é invejoso e se está incomodado tem que se mudar. E um dos vizinhos respondeu na lata, dizendo, de uma forma mais polida que eu diria, que existem leis e que ela não tem educação.


É fato como que existe gente que incomoda mesmo... É uma grande falta de respeito que certos cretinos têm. Tipo essa coisa horrorosa aí de cima, tipo os filhos das puta dos meus vizinhos aqui do lado. Tipos assim não têm a mínima capacidade e inteligência para viver em sociedade, tinha mais era que viver no mato que nem um bicho. Se bem que tem muitos bichos aí que acabam sendo mais educados que muita gente, ainda mais por aqui no rio, onde se cultua muito essa política do "deixa rolar". Não é só aqui no meu prédio, o que mais tem por aí são bares e casas de espetáculo que fazem zona até altas horas, incomodando a vizinhança. Pelo menos nesses casos aí a lei pode valer, dá pra chamar as autoridades pra calarem a boca dos barulhentos...

Voltando à minha história de sofrimento... Quase às uma da matina é que o barulho parou... Respirei fundo, imaginando como meu final de semana estava começando com os dois pés esquerdos, me dando conta que meu relógio biológico ficaria mais esculhambado do que quando tem a mudança do horário de verão... Finalmente, eu poderia dormir em paz...

...

...

...

Só que tem uma coisa... Tem momentos em que eu sou extremamente vingativo...


Eu não quis saber que iria perder algumas horas de sono. Não me preocupei em perder o meu sábado, sem disposição para fazer qualquer coisa. Não queria saber se isso ia me arrumar algum problema.

Coloquei o meu despertador para tocar às quinze para as oito. Despertei numa boa, e rapidamente peguei duas caixas de som imensas que eu tinha lá no quartinho de empregada, remanescentes de um estéreo daqueles antigos que eu sempre esquecia de anunciar no Mercado Livre. Coloquei as duas caixas viradas para a parede que eu dividia com meus vizinhos e pluguei um rádio. No celular, liguei para o 130 para acompanhar a hora certa, e exatamente às 8:00 apertei o play do CD Player no último volume, tocando a música Florentina de um CD do Tiririca que ganhei num inimigo oculto alguns anos atrás.


E foi sensacional escutar os caras xingando e reclamando lá do lado... Fazer o quê? Estava no horário, pôrra! Deviam estar todos de ressaca e cabeça inchada, e deve ter sido foda não conseguir dormir numa boa, não é? Vingança é um prato que se come frio, parceiro... Mexeram com a pessoa errada. E de quebra, eu ainda reclamei com a síndica a respeito da festinha que eles fizeram até tarde da noite, o que resultou em uma multa, como definido no regulamento do condomínio.

Pode parecer que eu fui muito escroto por ter apelado para essa vingança... Mas sinceramente, eles mereceram. Não tem como baixarmos a cabeça para esse tipo de gente egoísta, que está pouco se fudendo para as regras e para os seus semelhantes. Eles não gostaram de ter o seu sono interrompido, não foi? Só que eles não têm moral para reclamar se fazem o mesmo. Fizeram questão até de desdenhar de mim, de achar que estavam certos e tinham o "direito" de fazer barulho até a hora que bem entendessem, vai se fuder! Não pode ser assim, quer ser respeitado, então comece respeitando os outros!

Enfim... Espero que eles tenham aprendido a lição. Vamos ver o que me espera no próximo fim de semana.