terça-feira, 24 de novembro de 2009

Hit The Bitch

Nos últimos dias uma ONG dinamarquesa lançou uma campanha na internet, a príncipio contra a violência contra as mulheres, em especial destinada a adolescentes. Digo a princípio pois a idéia que os caras tiveram foi de criar um site com o sugestivo nome de Hit the Bitch, com um "joguinho" em flash bem controverso...


Após escolher se você vai usar o mouse ou uma webcam, aparece a garota acima, e que começa a falar algumas coisas em dinamarquês, supostamente o xingando e mostrando pra você o dedo médio. Então, o que fazer? Movendo o mouse você pode simplesmente meter um tapa na cara da garota, sem dó nem piedade!

A cada porrada, um medidor no alto da tela vai saindo da posição pussy para gangsta, algo como indo de um viado mariquinhas para um machão de primeira...

... sem falar que a pobre garota vai ficando cada vez mais machucada, com hematomas e ferimentos no rosto.


Quando o contador chega a 100% gangsta, a moça desaba, e o "jogo" termina.


Por fim a mensagem de moral aparece, com o programa dizendo que você é 100% idiota, mostrando a pobre menina caída no chão chorando, juntamente com mensagens que (acredito eu) devem falar contra a violência...

Apenas como curiosidade nórdica, em um primeiro momento pensei que a frase "gør noget" significasse uma chamada mais severa como "seu cretino", mas a tradução real seria algo como "faça alguma coisa", contra a violência imagino.

Como era de se esperar, uma grande repercussão surgiu ao redor desse "jogo", a ponto de que hoje apenas os dinarmaqueses podem acessar a página. Caso a sua curiosidade em ver esse flash seja tão grande, o Hit the Bitch está disponível neste link.

Eu pessoalmente acho que foi uma idéia muito mal executada pela ONG, pois independente de sua postura, você é encorajado a bater na garota. Não existe a opção de não bater nela, algo que este nobre texugo faria independente de o quanto ela xingasse. Pode até dizer que eu seria um boçal, mas não tenho vergonha de admitir que sou um fiel seguidor do ditado "em mulher não se bate nem com uma flor".

Confesso que só consegui "jogar" tal jogo duas vezes: a primeira por curiosidade, e a segunda apenas para capturar as imagens. Em ambas as oportunidades, me senti mal de bater no rosto da menina, e partiu meu coração quando a vi no chão em prantos. Tá, eu sei que não é real, mas mesmo assim bater numa mulher é uma idéia tão revoltante para mim que mesmo virtualmente não me sinto à vontade... Me lembro até que quando era mais jovem, não achava legal bater na Chun Li ou na Cammy no Street Fighter!

Claro que não duvido nada que deve ter muita gente que se divertiu em dar umas porradas na garota, vendo em sites e fóruns há um monte de marmanjos que acham muito engraçado descarregar sua raiva no rosto dela. Acredito que muitos deles são insensíveis desalmados que não se incomodam com a violência dos dias de hoje, fruto de uma sociedade fria e tolerante com criminosos. E claro que deve ter alguns babaquinhas no meio, que acham que tudo na vida é um videogame, e pensam em bater na mulher como jogam Mortal Kombat.

Mas certamente deve ter no meio muitos que são realmente grandes cretinos que acham certo bater em mulheres, não duvido que em pleno século XXI ainda existam trogloditas machistas e covardes que olham para as mulheres como seres inferiores. Afinal, certamente a tal ONG não teria uma iniciativa dessas se houvesse um total respeito pelas mulheres no mundo, se não existissem canalhas estúpidos que sentem prazer em bater em mulher. Esse tipo de homem é que mereceria estar num jogo desses, eu encheria de porrada com gosto.

Acredito que a grande falha dessa iniciativa é que não há outra opção a não ser bater na menina. Seria mais interessante se você pudesse ficar quieto, sem tocar nela, e depois de alguns segundos você receberia uma mensagem de incentivo e apreciação por sua postura de respeito ao sexo feminino (talvez incluindo a garota sorrindo e mandando um beijinho para o jogador).

Apesar de toda a polêmica ao redor do jogo, pelo menos acho positivo que todo esse episódio colocou em evidência a questão da violência contra a mulher, algo que deve ser combatido. Seria muito melhor que essa mensagem pudesse ter sido passada sem o uso da violência, mesmo que virtual, mas talvez seja melhor levantar o assunto de uma forma relativamente cruel do que simplesmente ignorá-lo.

sábado, 14 de novembro de 2009

Os Aventureiros do Bairro Proibido

Quando me lembro dos tempos de colégio, quando eu estudava de manhã e podia passar minha tarde me casa, volta e meia o programa era assistir a Sessão da Tarde e seus grande clássicos. E certamente não houve filme mais trash do que essa grande obra do cinema, Aventureiros do Bairro Proibido.


Para que não conhece a história, prepare-se pois ela é bem bizarra. O herói do filme é Jack Burton (interpretado por Kurt Russell), um caminhoneiro mal-encarado que entra em uma grande enrascada para ajudar seu amigo, Wang Chi, de Chinatown, cuja noiva foi sequestrada por uma gangue, que também roubou o seu caminhão. Acontece que não se trata de uma gangue qualquer, mas um grupo de malucos liderados por Lo Pan, um feiticeiro chinês de mais de 2000 anos, que precisa se casar com uma mulher de olhos verdes para recuperar a forma humana (uma chinesa de olhos verdes não é algo que se vê em qualquer lugar). E durante todo o filme é ação sem sentido, porradaria e umas tiradas clássicas do durão Jack Burton. Um filme que é tão ridículo que chega a ser engraçado.

Aliás, Jack Burton é um espetáculo à parte, faz todo estilo debochado e anti-herói que nos diverte desde os tempos de Bruce Willis e Arnold Schwarzenegger, com frases de efeito como "Son of a bitch must pay" ou "I was born ready". Tudo bem que ele não é muito brilhante (como na cena onde ele atira com sua arma para cima, derrubando uma pedra em sua própria cabeça), mas no final da história é ele quem salva o dia.

It's all in the reflexes

Mas realmente o que mais chama a atenção são os vilões. Realmente não pouparam em escrotidão quando foram criar os inimigos da história, é um mais ridículo do que o outro!

Uma turma da pesada...

A começar pelo bandidão da história, Lo Pan. Quando ele aparece inicialmente, mais parece um maracujá de gaveta, mas na verdade ele é um feiticeiro sinistro (segundo os personagens no filme, com mais de 12 metros de altura...). Nas duas encarnações, entretanto, não passa de um doido varrido e tarado, louco para arrumar uma mulher de olhos verdes.


Mas pior que os seus lacaios não tem... Os principais são os The Three Storms, ou Trio Parada Dura, três guerreiros com seus super-poderes, embora não tenham muito bom gosto com seus chapéus ridículos.

Coreografia de balé

Começando por Rain, ele tem como super poder a grande agilidade, sendo capaz de pular que nem um gafanhoto. E é o cara na luta com espada, enfrentando Wang Chi em uma das lutas mais bizarras, com direito aos dois voando e guerreando com as espadas.

O seguinte é Lightning, que tem poderes realmente mais maneiros, controlando relâmpagos e tudo mais...


Peraí, me enganei! Esse aí de cima é o Rayden, do Mortal Kombat! Esse aqui que é o Lightning.

Se bem que é um erro admissível, ainda mais considerando que os criadores do clássico e sangrento jogo de lutas admitiram que basearam o Deus Trovão no bandido do filme.

Por fim, Thunder, o sujeito aí embaixo, com cara de que está fazendo força pra soltar um barro.


Quanto ao poder dele, não poderia ser mais escroto: ele simplesmente incha como um balão e explode no final do filme! Um verdadeiro kamikaze!

Não é uma gracinha?

Essa cena abominável é tão estúpida, que vale a pena ver o vídeo:



E tem muito mais, o que não falta no filme são coisas bizarras, como o monstrengo horroroso aí de baixo, o tal do Guardião, que mais parece uma mistura de um polvo com uma almôndega.

Ah, e se você espera ver uma grande luta no final, não se anime muito. Tudo acaba muito rápido, porém sem deixar de ser hilário. Sei que é um spoiler, mas convenhamos, esse filme tem mais de 20 anos, quem não viu não tem direito de falar nada!



Jack Burton, um dos caras mais durões do cinema, mostrando como se faz! Herói macho não perde tempo com lutinhas demoradas ou enrolação, ele parte pra ignorância e resolve numa facada só!

Na cara não, pra não estragar o velório...

Se você ainda não viu Os Aventureiros do Bairro Proibido, corra logo numa locadora e assista, você pode apostar que vai se divertir muito com as loucas aventuras de Jack Burton em Chinatown. É garantia de umas boas risadas nesse clássico dos anos 80, um dos filmes que posso dizer que formou o meu caráter.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Chega pra lá!

Como sou um texugo não motorizado, dependo quase que exclusivamente do transporte público para me locomover pela cidade, seja indo para o trabalho ou para ir em algum lugar qualquer. Como o Rio de Janeiro está repleto de linhas de ônibus, percorrendo os principais bairros da cidade, normalmente essa é a melhor opção, embora tenham vários problemas intragáveis. E uma dessas coisas insuportáveis são os cretinos egoístas que sentam todos espalhados nos bancos, sem o mínimo de respeito pelos demais passageiros.



É sempre a mesma história: entramos no ônibus, com pouquíssimo lugares disponíveis. Aí vemos um banco vazio, mas ao lado de um sujeito sentado com as pernas abertas, como se estivesse cheio de assaduras no saco, ocupando mais que o espaço ao qual teria direito. E não adianta pedir licença, ou mesmo tentar chegar mais perto, na esperança que o folgado venha a se mancar, a não ser que apareça outro banco vago, você terá que passar o desconforto de ficar toda a sua viagem se equilibrando na beirada do assento, sendo esbarrado por qualquer um que passe no corredor...

Observei isso nessa semana mesmo: estava no ônibus e vi um velho com cara de arrogante que praticamente ocupava o banco inteiro. Com as pernas todas abertas, ele quase estava com o pé no meio do corredor. Subiu então um garoto, estudante de escola pública, e o único lugar vago era ao lado do cara. Ele veio, se sentou no estreito trecho do banco ainda disponível, ficando quase de lado. E o velho ainda fez uma cara de quem não estava gostando, de que se sentia incomodado! Ele ficou ali, como uma estátua, e até se expandindo mais, certamente querendo que o pobre estudante fosse jogado no chão, constantemente olhando para o lado com aquela expressão de revolta, achando que estava certo. O garoto tentava em vão uma posição ergonomicamente mais adequada, até que surgiu um outro lugar e ele foi para lá. E me deu um ódio do velho, que ainda se espalhou mais, para mostrar para todos que aqueles dois bancos eram dele e ninguém iria sentar ali.

É um tipo de gente muito desagradável mesmo, dava vontade de encher de porrada. A não ser nos casos de obesidade mórbida, as pessoas com um porte físico normal devem se sentar no espaço reservado para ela, além disso é falta de educação. Afinal, não existe o famoso ditado "o direito de um termina quando começa o de outro"? Sei que seria muito de se esperar bom senso e consideração pelo próximo de um povo ignorante, estúpido e metido a esperto como o brasileiro, mas acho que caberia nessas situações uma adaptação tal como "o conforto de um não pode provocar o desconforto de outro".

Claro, essa revolta não se aplica apenas aos cretinos expansivos que já tomam conta do banco, mas também àqueles abusados que vêm e sentam do seu lado, ocupando o máximo de espaço. Quantas vezes não estou ali, sentado próximo da janela, no meu canto sem incomodar ninguém e ocupando o espaço de uma pessoa, e aparece algum cretino que senta do meu lado se esparramando, me espremendo contra a lateral. E algumas vezes ainda fica com cara de zangado, como se eu tivesse que abrir mais espaço para ele! Sem falar que caso você queria saltar, normalmente essas pessoas chatas não te dão um mínimo de passagem, só se viram um pouco. Acho que eles esperam que a gente dê um salto mortal por cima das cabeças delas. Quando me deparo com esses abusados, não quero nem saber, saio empurrando mesmo.

E o leitor que já passou por essa situação sabe muito bem que quando senta um passageiro expansivo desses, sempre é alguém gordo, suado, fedido e seboso, para tornar a viagem o mais desagradável possível. Queria que pelo menos uma vez sentasse do meu lado uma passageira como essa, não reclamaria nem um pouco se ela viesse pra cima de mim...


Tá certo, não perco uma oportunidade de colocar uma foto de uma mulher bonita num post... É a solteirice que provoca isso, é mais forte do que esse solitário texugo. Vamos voltar ao tema...

Ah, e se os abusados fossem só os que ficam sentados... Tem muitos que ficam em pé quando o ônibus enche, e são tão mal-educados quanto. Não adianta pedir licença, ficam plantados no meio do corredor, ou então fazem o "favor" de se deslocarem 7 milímetros para abrir a passagem. E se você partir pra ignorância e abrir seu caminho na base dos empurrões, ainda te xingam! Isso sem falar naquela turma que traz caixas, malas e isopores e os coloca no meio do corredor, normalmente nos ônibus indo pra Rodoviária, ou então aqueles apressadinhos que só vão saltar no ponto final mas fazem questão de ficar plantados na porta de saída, para ficar mais fácil de descer e para atrapalhar ao máximo quem for descer antes deles...

Enfim, andar de ônibus está se tornando uma coisa cada vez mais desagradável. Já não basta o stress do trabalho e da vida, aqueles que dependem do transporte público sofrem mais. Tenho a plena consciência de que o transporte por ônibus é deficiente, e que as empresas e o governo deveriam dar mais atenção e investir mais verba, mas o que podemos esperar quando o povo não sabe se portar de maneira civilizada dentro de um ônibus ou metrô? Tem vezes que o pior do transporte público é realmente o "público" que viaja nele...

domingo, 8 de novembro de 2009

No escurinho do banheiro...

Um burro montado em um cavalo

Mais uma notícia vinda da próspera e maravilhosa nação bolivariana:


"Ir ao banheiro à noite com uma lanterna ao invés de acender a luz, fazer visitas surpresa às grandes empresas para avaliar o consumo das mesmas e multar quem desperdiçar energia elétrica: estas serão as medidas adotadas para economizar energia na Venezuela, segundo o presidente Hugo Chávez.

'Se você levanta às três da madrugada para ir ao banheiro, compadre, por quê gastar este pouco de luz? Deixe a lanterna ali, na mesa de cabeceira', pediu o presidente."

Sei lá, acho que o Chávez deve estar de sacanagem... Me impressiona como um governo que posa de democrático e defensor do povo vem com uma estupidez como essa. Não sei qual foi a pior pérola, essa de mijar de madrugada com a luz apagada ou a de que as pessoas não podem levar mais de 3 minutos para tomar banho...

Queria saber agora o que petralhas anti-americanos e defensores da "democracia" bolivariana vão dizer. Será que concordam com isso? É como na época de Cuba, onde um monte de esquerdistas de merda ficavam idolatrando a ilha de Castro apesar de todas as mazelas que lá existiam, ignorando o fato de que o povo era obrigado a sobreviver em condicões precárias, logicamente nunca perdendo a chance de criticar também o "capitalismo cruel" dos EUA. Pois muito bem, quero ouvir agora o que os petelhos vão dizer... Só posso garantir uma coisa: se o Obama ou qualquer norte-americano tiver vontade de ir ao banheiro de madrugada, vão poder acender a luz.

Ainda vai aparecer algum boçal dizendo que a Venezuela está dando um exemplo de consciência energética, que as medidas de Chávez são um exemplo que todos no mundo devem seguir, para evitar o desperdício de água e luz. Esses "intelectuais" eu mando à merda! Consciência energética é o cacete! Embora eu seja a favor de medidas que visem evitar o desperdício, não apenas de energia mas também de dinheiro público, o que acontece na Venezuela é necessidade mesmo, o país está fudido, sem energia. Mais uma prova de que a ditadura vermelha de Chávez não funciona, que esse papo de socialismo funciona só no papel mesmo...

Voltando ao tema da mijadinha noturna, imagino que nem todos os venezuelanos vão querer ou poder seguir as recomendações do presidente... E o que seria então dos pobres coitados que são acordados na calada da noite por um aperto na bexiga? Pode ser até que o cara tenha prática na mira no escuro (eu mesmo já fui obrigado a tirar água do joelho em condições luminosas adversas, e nunca tive problema), mas considerando que o sono pode atrapalhar a precisão, só restariam duas opções: ou correr o iminente risco de molhar a beirada do vaso, o chão ou as paredes (dependendo de quão forte for a balançada), ou então o sujeito teria que por um breve momento abrir mão de sua masculinidade e mijar sentado no vaso. Isso mesmo, com essa nova decisão, Chávez vai acabar transformando a Venezuela no maior alvo de piadas de viado desde Pelotas!

E essa do chuveiro também é braba... O Chávez ainda vem dizer que 3 minutos são mais que suficientes, que ele tomou um banho desses e não ficou cheirando mal! Me desculpa, mas tudo na vida é uma questão de referencial... O Chávez não cheira mal, ele fede! É que o focinho dele já está acostumado com o fedor dele, ainda mais depois de uma de suas muitas diarréias verbais. Essa ditadura comunista venezuelana só não fede mais que o Congresso brasileiro, essa é a verdade.

Enfim, o que mais me preocupa é como o nosso ilustre presidente vai agir diante disso, já que sabemos que o Lula é um grande puxa-saco do Chávez e sempre baixa as calças pra ele. Daqui a pouco ele vai vir com o mesmo papo de economia de energia, e o povo vai ter que se virar. Eu pelo menos estou com a consciência tranquila, pois faço a minha parte: sempre desligo o rádio quando começa a Voz do Brasil e a televisão quando tem horário político eleitoral. Economizo energia e a minha paciência!

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Mortal Kombat bizarro!

Depois que inventaram as câmeras de vídeo portáteis, Photoshop e YouTube, qualquer um pode criar uma atrocidade bizonha e inacreditável como essa:



Bizarro! Não sei qual coreografia é a pior, se a sequência de socos na cara ou a overdose de rasteirinha com chute alto...

domingo, 1 de novembro de 2009

Parada Gay

Hoje foi mais um dia de infâmia nas areias de Copacabana. Já reclamei aqui dos constantes eventos que fazem por aqui, e nenhum deles me enoja mais do que a Parada Gay. Viados, lésbicas, transformistas e homossexuais de todos os tipos e cores vieram uma vez mais para um bairro residencial para fazer a sua algazarra, ao som de Freddy Mercury e Village People...

Cena típica na Parada Gay

Apenas pelas poucas linhas acima, já vai aparecer alguém aqui me criticando, me chamando de homofóbico e preconceituoso. Não diria isso. Eu não tenho nada contra os homossexuais, desde que eles não fiquem dando em cima de mim. Se eles querem ficar se vestindo como a Priscilla, rainha do deserto, cantando I Will Survive e dando a bunda uns aos outros, não tenho nada a ver com isso. Mas acho um absurdo que eles venham fazer tudo isso em plena tarde de domingo, diante dos olhos incrédulos e assustados de crianças e idosos. Tudo tem o seu devido lugar, e o que essa turma gosta de fazer deve ser deixada para a privacidade de suas casas ou para um cantinho escuro na Le Boy.

Vão aparecer os defensores dessa turma, dizendo que tudo isso é normal, e que eles têm direito de ser da maneira que eles são em público. Com o perdão da grosseria (e para os homossexuais, não tomem isso como uma sugestão), mas vai tomar dentro! Não tem nada de normal em um casal de homens vestindo roupas de couro pretas com suas bundas peludas à mostra, não faz parte do cotidiano travecos rebolando na luz do dia... A bicharada não tem o menor pudor, e isso é considerado normal? Nessas horas eu fico com vontade de inventar o dia da Parada do Orgulho Heterossexual, e incentivar a casais de homens e mulheres mostrarem como estão felizes em estarem com o sexo oposto.

E o mais engraçado é que nessa passeata tem gente aos montes, e imagino que ali muitos devem ser aqueles bichonas enrustidos. Conhecemos muito bem o tipo, ficam por aí de manhã andando com pinta de machos, andando no calçadão com seus pitbulls e sunguinhas do Bad Boy, mas caindo a noite soltam a franga. E tem aqueles que usam a desculpa de que só estão na passeata de brincadeira, botam uma peruca e seios postiços só para se divertir como se fosse um carnaval. Sinceramente, essa não cola... Como diria o grande filósofo nordestino Falcão, "homem é homem, mulher é mulher, e viado é viado".

A minha maior felicidade é que durante toda essa tarde choveu bastante, estragando assim a festa da bicharada. Ainda bem pelo menos que não choveu pra caralho, ou aí a viadada talvez fosse até gostar...