terça-feira, 31 de janeiro de 2012

sábado, 28 de janeiro de 2012

Looney Tunes x Tiny Toons

Sabe, eu achei bem legal aquela postagem que fiz no passado sobre a disputa para ver quem era o melhor mágico. Tudo bem que ela acabou se desvirtuando para um caminho de babar pelas assistentes do Mister M e para levantar suspeitas em relação à sexualidade do Mandrake, sempre acompanhado pelo Lothar, o Gigante de Ébano, andando por aí semi-nú e com um chapéu escroto. Mas foi uma iniciativa interessante de fazer essas disputas, e decidi voltar para mais uma rodada. E dessa vez o tema é desenho animado, trazendo as criaturas mais loucas que já passaram pelas telinhas.

Sempre gostei dos Looney Tunes. Desde criança, quando via nas manhãs de sábado as aventuras do Pernalonga, Patolino, Frajola e do Coiote principalmente, que vem alegrando gerações ao longo de décadas. E até hoje me divirto com eles, é um desenho bem legal, distrai bastante e traz boas gargalhadas, mesmo que você já saiba de cor e salteado tudo que vai acontecer. Prefiro muito mais ver esses desenhos do que certas diarréias televisivas que passam hoje...

Do outro lado do ringue, estão as suas crias mais novas, os Tiny Toons. Embora certamente não sejam tão famosos e longevos como Pernalonga e sua turma, os Tiny Toons também eram bem legais de se ver, com uma idéia bem curiosa de mostrar versões mais infantis dos Looney Tunes, trazendo as vezes alguns temas mais da atualidade: enquanto os originais eram focados em um mundo quase que isolado, em Tiny Toons era comum ver diversas referências recentes, seja de personalidades de Hollywood ou de acontecimentos modernos.

Bom, considerando que existe um certo grau de "parentesco" entre os Looney Tunes e os Tiny Toons, decidi então fazer uma pequena disputa entre seus personagens, vendo a cada um dos pares qual das versões é a mais legal. Vamos então ao combate!

Pernalonga x Perninha

Por mais que o Pernalonga não fosse um de meus favoritos dos Looney Tunes, acredito que ele dá uma rasteira (com trocadilho, por favor) no Perninha. O coelhinho azul bem que tenta se igualar ao seu mestre mas não tem o mesmo ar de graça que o Pernalonga tem ao sacanear o Patolino ou o Hortelino, enquanto que o Perninha é apenas um Bart Simpson orelhudo. E afinal de contas, o personagem principal dificilmente perde, né?


Lola Bunny x Lilica

Aqui é curioso notar o seguinte: Lola Bunny surgiu depois de Lilica, naquele filme do Space Jam, que trazia Michael Jordan tentando reerguer sua carreira, atuando ao lado de personagens de desenho animado e do Newman do Seinfeld. Mas por não existir uma contra-parte da coelhinha rosa nos desenhos originais, vamos como Lola mesmo. E acho ela exagerada, muito sensualizada, acho que não combina... Lilica por sua vez tem toda a loucura digna de uma Looney Tune até, sempre trazendo tiradas engraçadas. Mal começamos e já estamos empatados.


Patolino x Plucky Duck

Páreo duro aqui... Plucky Ducky é muito engraçado, sempre rendeu boas histórias, inclusive aquelas em que ele aparecia como um bebê. Você se lembra daquele desenho que ele jogava as coisas na privada?

A fralda desce pelo buraco...

Mas o Patolino não fica atrás. Era o anti-herói, o que sempre quebrava a cara (ou melhor, o bico) às custas do Pernalonga, e o ar dele de se achar o máximo e sempre se dar mal era hilário. Sem falar de seus vários personagens, como Duck Dodgers, no Século 24 1/2, quase sempre contracenando com o Gaguinho... Difícil decidir, acho mais justo ir pelo empate aqui. 2 a 2.


Gaguinho x Presuntinho

Sempre achei o Presuntinho meio enjoado... Sei lá, ele era o certinho da turma, todo comportado e tentando ao máximo tirar o Plucky de problemas. Embora o Gaguinho não era pra mim tão espetacular, ele tinha alguns desenhos legais. Sou mais fã das versões mais antigas dele, em que ele era um porquinho todo gordinho, parecia uma bola! E o seu patenteado "É isso aí, pe-pessoal!" garante mais um ponto para os Looney Tunes.


Frajola x Frajuto

Outro Tiny Toon que podia ser um pouco melhor. Frajuto chega a ser até meigo e muito engraçadinho de se ver, com aquele ar de "gato abandonado largado na rua". Até não desgosto dele, mas competir com o Frajola é covardia. Ele sempre se dava mal, tentando perseguir o Piu-Piu. Tinham aqueles episódios hilariantes, em que haviam aqueles 483 buldogues que enchiam ele de porrada. Frajola é ídolo, indiscutivelmente o vencedor.


Taz x Rói Corrói

Sério, Rói Corrói? Não podiam inventar um nome mais legal para o bichinho doido? Aqui eu confesso que fica difícil, pois o Taz que eu gosto é aquele dos desenhos originais, com a cara mais carrancuda, mas ele parece ter sido deixado de lado, dando lugar àquela versão mais moderna, em que ele aparece com a família. E o Rói Corrói tem um chapéuzinho de hélice, ponto pra ele!


Eufrasino x Valentino Troca-Tapa

Sempre tem aquele personagem que é o "inimigo", que persegue os outros. Nos Tiny Toons, era o Valentino Troca-Tapa, todo estourado e revoltado, sem dúvida dava para dar uma boas gargalhadas. Mas o Eufrasino era mais estourado e revoltado, sempre se emputecendo com o Pernalonga. Sem falar que o pobre coitado sempre se dava mal com os canhões, hilário! Só por aqueles clássicos episódios de pirata, da Legião Estrangeira ou da guerra Norte x Sul coloca o barbudo na frente.


Hortelino x Felícia

O Hortelino na minha opinião era apenas uma cópia mais humana do Gaguinho, que aqui no Brasil pareceu que pegou o problema de fala do Cebolinha, falando de maneira engraçada (quem não se lembro "vou te pegar, seu coelo!"). Mas a Felícia é muito mais engraçada, a personalidade maluca dela, de adorar os animais tanto a ponto de abraçar, esmagar e quebrar seus ossos é fenomenal. Tanto que ela depois acabou protagonizando um desenho com o Pinky e o Cerébro. Está 5 x 4 por enquanto, para os Looney Tunes...


Pepe Le Pew x Fifi

Aqueles desenhos do Pepe Le Pew, que sempre envolviam uma gatinha preta que era marcada com tinta branca e depois era confundida com uma gambá eram até engraçados, mas muito repetitivos. E para mim o Pepe era meio sem graça, achei que essa idéia ficou um pouco melhor com a Fifi, que em diversas vezes perseguia o Frajuto (que também se sujava de tinta). E vou confessar: achava a Fifi uma gracinha...


Qual o problema? Que tem de mais em um texugo gostar de uma gambázinha? Empatamos de novo a disputa.


Melissa Duck x Leiloca

Assim como a Lilica, a Leiloca não tinha uma contra-parte definida no universo Looney Tunes. Mas muitos consideram que ela seria baseada na Melissa Duck, uma pata que aparecia naquele episódio que o Patolino imitava o Zorro. Na disputa entre uma personagem de um episódio e uma patinha cheia de poderes místicos e que levitava que nem o Dhalsim, acho melhor declarar empate...


Wilie Coiote x Coiote Coió

Sem comentários... O Coiote é imbatível! Ninguém soletra "frustração" tão bem como ele. Por sua vez, o Coiote Coió é simplesmente uma versão de fraldas dele... É questão de honra, o Coiote é o meu favorito, sempre se dando mal ao perseguir o Papa-Léguas.


Papa-Léguas x Bipezinho

Como acontece com o Coiote, o Bipezinho é uma versão diminuta do Papa-Léguas... Prefiro nesses casos o original, os desenhos do Papá-Léguas e do Coiote eram meus favoritos.


Do-do x Gogo Dodo

Tá aqui outro personagem que apareceu muito pouco, mas aquele episódio do Dodo era simplesmente alucinante e hilário! Todos aqueles personagens malucos, como a banda de elásticos (Rubber Band, se você não entendeu vá estudar um pouco de inglês), o logotipo da Warner voando e a dancinha dos Do-Dos no final era de se mijar nas calças. Ganha fácil do seu filho Gogo. Isso mesmo, segundo consta esse era o único personagem dos Tiny Toons que tinha algum vínculo familiar com um dos originais. Looney Tunes deram uma disparada, 9 x 6.

Não resisti... Vai aí a dancinha dos Do-Dos...



Beaky Buzzard x Condorinho

Esses são os parentes do Zeca Urubu, que apareciam em algumas poucas histórias. Os dois são bem parecidos, sempre bobões e desajeitados. Embora o Condorinho é engraçado com o seu penteado do Moe, diria que meu voto vai para Beaky, só por causa daquele episódio no qual ele é criado pelo casal de pardais e só faz merda... Lembra quando o pai ia ensinar ele a voar, e ele fica todo assustado?


Piu-Piu x Sweetie

Essa aqui também é barbada... Embora eu não fosse muito com a cara do Piu-Piu, e sempre torcia para ele ser comido pelo Frajola, a Sweetie é bem exagerada, com uma personalidade homicida, perdendo aquele ar de ingenuidade e pureza do clássico passarinho amarelo...


Ah, e não teria como o Piu-Piu perder, pois ele protagonizou um dos episódios mais hilários, no qual ele vira um montro, esse era um clássico! 11 x 6 para os Looney Tunes...


Frangolino x Fanhinho

Outra decisão fácil... Entre o Fanhinho, o galinho dos Tiny Toons que fala um monte de palavrão e outros barulhos (que acho que só apareceu em um episódio), e o Frangolino, sempre malandrão e boa-vida, enchendo aquele cachorro de porrada, se esquivando daquela galinha velha e pelancuda e ainda ensinando aquele pintinho nerd, sem dúvida o Frangolino ganha essa.


Muito hilários aquelas vezes que ele pegava o cachorro, sem mais nem menos, e enchia ele de porrada com um pedaço de madeira...


... e também o pintinho nerd, chamaod Egghead Jr., clássico aquele episódio onde o Frangolino tenta ensinar o garoto a se divertir, e ele fazia aquele avião de papel com metralhadora e tudo mais.


Sniffles x Atchum

Bom, depois de algum tempo vamos ter um dos Tiny Toons ganhando. O Sniffles não deve ser conhecido por muitos, mas era um ratinho manhoso, chorão e enjoado, não suportava ele! Muito melhor é o Atchum, essa dele dar um espirro absurdo a ponto de derrubar prédios e fazer uma mega zoeria é demais. Placar de momento, 12 x 7 para os Looney Tunes.


Marco Antônio x Barky Marky

Juntamente com os desenhos do Frajola e do Coiote, uns que eu me mijava de rir eram aqueles com o buldogue Marco Antônio. Só pelo nome dele já é engraçado! Eram aqueles episódios onde normalmente tinha aquele gatinho pequenininho e aquele gato amarelo, que sempre levava porrada do Marco Antônio. E o Barky Marky era apenas uma cópia barata, mais um ponto para os Looney Tunes.


Era de se mijar de rir aquele onde ele pensava que o gatinho tinha caído na massa de biscoito, e a dona ainda faz um biscoitinho no formato de gato!


Marvin the Martian x Marcia the Martian

Também não tem comparação, Marcia pode ser engraçadinha e tudo mais, mas o seu mentor Marvin é muito mais engraçado. E, pela madrugada, ele tinha uma vassoura no capacete, qualquer criatura que tenha uma vassoura no capacete não pode perder!

E com isso, chegamos ao placar final... E foi de goleada, 14 x 7 para os Looney Tunes!

Não desmerecendo os Tiny Toons, certamente eles são bem engraçados e trouxeram personagens e episódios memoráveis, mas mais uma vez fica comprovado que o original é sempre o melhor...

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Bairrismo na tragédia

Mais uma tragédia está estampada nas páginas dos jornais... Ontem à noite, houve um grave desabamento no Centro do Rio, onde três prédios vieram abaixo inexplicavelmente. Até o momento dessa postagem, cinco vítimas confirmadas, alguns feridos sem muita gravidade já em tratamento, mas ainda em torno de 15 desaparecidos. As buscas continuam por sobreviventes.

Os três prédios ficavam em uma região de grande movimento, ao lado do Theatro Municipal e próximo de vários edifícios e construções, como a Biblioteca Nacional, a sede da Petrobras e a estação de metrô da Cinelândia. Embora ainda seja cedo para especular as causas, imagina-se que houve uma falha estrutural do prédio maior, de 20 andares (pintado em vermelho, nessa foto que peguei no Terra), que veio abaixo e levou um prédio menor de 9 andares (o amarelo) e um pequeno sobrado (em azul). Nas construções, haviam entre outras coisas, uma agência bancária, escritórios de advocacia e RH e um curso de informática, onde estavam a maioria dos desaparecidos até o momento.


Entretanto, não venho aqui para falar a respeito da tragédia em si, até porque ela ainda está muito recente, e muito precisa ser feito para identificar as verdadeiras causas que resultaram no ocorrido. Minha motivação maior em ter vindo aqui é para falar a respeito de algo que está acontecendo em massa na Internet, nos sites e redes sociais, depois desse desabamento. Trata-se do bairrismo infantil e estúpido de certas pessoas (em sua maioria, paulistas), aproveitando essa oportunidade para menosprezar os cariocas...

Caso o leitor tenha a curiosidade de dar uma olhada no link acima, na sessão de comentários, verá até que ponto o nível baixou. Pessoas que chegam ali, sem cerimônia, e acham graça desse infortúnio, proferem asneiras como "carioca é tudo idiota" ou "mandem as Olimpíadas para SP", e ficam ali se achando os melhores do Brasil. São essas e outras que me fazem ter "orgulho" desse país. Realmente, o povo brasileiro é muito mesquinho e estúpido mesmo, para chegar a esse ponto de rir da desgraça dos outros...

Faço o possível para não descer ao mesmo nível dessa turma, mas é complicado. Já é enjoado ter que aturar uns babacas do meu trabalho que são de São Paulo, que toda hora vem com gracinhas sobre bueiros, balas perdidas e favelas. Sou carioca, e apesar de tudo, gosto de minha cidade. Problemas, certamente ela tem, não estou dizendo que o Rio de Janeiro é uma cidade perfeita. Está longe disso... Mas muitos dos problemas que temos aqui são típicos de qualquer outra cidade grande brasileira, talvez possam haver certas coisas que são mais críticas aqui, mas não tenha dúvidas de que em outros aspectos o Rio está melhor que outras cidades. Problemas tem em qualquer lugar. Inclusive (e muitos deles, principalmente) em São Paulo.

As pessoas precisam ser um pouco mais decentes e solidárias nesses momentos de tragédia, colocar as diferenças de lado e no mínimo ter um pouco de respeito pelos familiares que perderam parentes ou que esperam ansiosos que os desaparecidos tenham sobrevivido. Mas, diferente de outros países mais desenvolvidos, mesmo nesses momentos prevalecem aqui coisas como inveja, ódio e estupidez.

Enfim, mas esse é mesmo o retrato do povo brasileiro. Aqui a maioria das pessoas sofre de algo que defino como um egoísmo corporativista (falando chique, hein?). Quando acontece uma tragédia ou alguma coisa ruim, isso só é visto de forma negativa quando afeta seus semelhantes. Quando acontece a mesma coisa com os outros, não faz diferença. E, em casos ainda mais extremos, se acontece essa mesma coisa com um grupo rival, um adversário ou inimigo político, é uma alegria, uma sensação orgásmica de felicidade, muitas vezes seguida de comentários como "bem feito" ou "eles merecem se f...".

É aquela famosa questão do "mesmo peso e duas medidas" e do "pimenta nos olhos dos outros é refresco"... Duvida?

Explode um ônibus espacial, e as pessoas acham engraçado, fazem piadinha, dizem que os astronautas viraram churrasco; explode uma base de lançamento de foguetes brasileira, aí é uma tragédia, um acidente terrível, foi sabotagem dos americanos.

Alguns adolescentes de classe média-alta matam um índio na rua com requintes de crueldade, tacando fogo nele, e os garotos são tidos como criminosos, tinham que ficar presos para sempre, sem direito à fiança; um fascínora "de menor" chamado Champinha mata um casal de classe média-alta, após ter torturado sexualmente a menina com requintes de crueldade por dias, e ele é um pobre coitado, vítima da sociedade, ganha uma ficha limpa e proteção para sua vida após completar 18 anos.

Um garoto chega nos EUA e entra na escola e mata várias outras crianças, olha só como esse país é uma nojeira, lá só se cria serial killer e assassino, os Estados Unidos não prestam, lugar violento; um garoto chega em uma escola em Realengo e mata várias outras crianças, coitado dele, era judiado pelos amigos, ele foi induzido a fazer isso, logo no Brasil, que é tão pacífico.

Na época da ditadura, militares mataram os revoltosos, e até hoje luta-se para que eles sejam julgados, são considerados como a escória da Humanidade, colocados ao lado dos nazistas que matavam nos campos de concentração; na mesma época de ditadura, os revoltosos também mataram militares e cometeram outros crimes, são vistos como defensores da liberdade, pessoas de bem e ganham como "punição" rios de dinheiro em indenizações.

E agora, é a vez dos paulistas ficarem de palhaçada e zoação com o Rio, dizer que essa cidade não presta, fazendo piada com o que acontece por aqui, dizendo que carioca é tudo malandro, que não faz nada direito. Agora, se acontecesse a mesma coisa em São Paulo, aí seria uma tragédia, uma comoção, iriam lamentar a tragédia e ficar tristes, até botariam uma faixa preta no braço em sinal de luto. A não ser que sejam petistas: aí eles iam reclamar e pedir a cabeça dos tucanos...

Claro, e se eu chegar em um momento desses, após uma tragédia em São Paulo, e mandar uma como "paulista só consegue pegar onda quando o Tietê transborda", vão ficar todos putinhos e me chamar de preconceituoso...

Novamente, faço o possível para não me rebaixar ao nível desses idiotas, mas é interessante observar como que os paulistas são um povo que, em sua imensa maioria, olha para os demais estados brasileiros com nariz empinado. Uma postura arrogante, de achar que são eles os únicos que trabalham, os únicos que levam as coisas a sério e que sustentam o Brasil... Ficam achando que sua cidade é maravilhosa, mas fecham os olhos para as centenas de quilômetros de engarrafamentos, a poluição imensa e as quase inexistentes belezas naturais. Como costumam dizer, quando menosprezam muito alguma coisa, normalmente é por causa de inveja...

Sabe o que é mais engraçado de tudo? Apesar de ficarem com toda essa marra, de ficarem menosprezando o Rio de Janeiro e de acharem São Paulo a melhor cidade do mundo, adivinha para onde que os paulistas vão quando saem de férias?


Como um amigo meu costuma dizer, a pior coisa no Rio são os paulistas que vem pra cá encher o nosso saco com os seus "e aí, mano?" e "pô, meu"...

domingo, 22 de janeiro de 2012

Pirataria virtual

Nessa semana, muitas pessoas se surpreenderam quando foram tentar baixar algum arquivo hospedado no site do Megaupload, considerado por muitos um dos melhores e mais estáveis sites para baixar arquivos. Só pelo fato de que no Megaupload não havia aquele maldito limite de downloads por tempo comum em outros sites, que obrigava o sujeito a esperar quase meia hora para poder baixar um segundo arquivo, colocava esse site em destaque.

Acontece que, aos pedidos do governo norte-americano, o Megaupload foi tirado do ar, e inclusive os seus donos foram presos (veja a notícia aqui), sob a justificativa de fazerem parte de uma rede de pirataria virtual, ferindo os direitos autorais dos criadores dos arquivos disponibilizados ali... Logicamente, isso provocou a ira de muitas pessoas, que inclusive tentaram hackear sites do FBI e de outras entidades.

Aproveitando a deixa, vamos pensar um pouco sobre essa questão de "pirataria virtual", que é algo bastante comum e corriqueiro hoje em dia. Afinal de contas, posso apostar que você alguma vez na vida já deve ter baixado algum arquivo que, sob um certo ponto de vista mais rigoroso, estava protegido por direitos autorais. Seja uma música, um filme, um jogo, um livro, qualquer coisa. Não adianta enganar, alguma vez você fez um download desses. Essa de baixar um arquivo na Internet para uso próprio está mais comum e rotineiro do que ver ministro sendo demitido no governo Dilma.

Você viu que eu dei ênfase ao "uso próprio". Embora o sujeito está de certa forma levando vantagem ao obter alguma coisa sem pagar, pelo menos ele não está lucrando com isso. Eu pessoalmente não vejo isso como uma pirataria digna de colocar o cidadão atrás das grades, embora hajam pessoas que considerem isso de uso pessoal como um delito também. Eu acho uma putaria mesmo são aqueles que se enriquecem com isso. É aquele cretino que baixa programas pela Internet, grava uns CDs e vai pra porta do shopping Avenida Central (para quem não é do Rio, trata-se de um dos maiores shoppings de informática da cidade) e fica lá segurando aqueles montes de CDs, gritando incansavelmente para atrair os transeuntes...

Coréu, Otocádi, Fotoxopi e Uindos Xispê, dez reau!

Voltando à questão do uso pessoal, sinceramente acho uma utopia grande das autoridades norte-americanas achar que vai vencer esse fenômeno que eles denominam como pirataria, de maneira exagerada na minha opinião. A idéia agora vai ser fechar todos os demais sites, como Rapidshare, Hotfile e Filesonic? Tentaram fazer isso no passado, fechando o Napster, aquele programinha que compartilhava música, e veja só se mudou alguma coisa...

Acredito que o compartilhamento de arquivos é uma realidade nova, fruto de um avanço estupendo que a Internet nos proporciona. Acredito que melhor que tentar uma abordagem punitiva e opressora, baseada em conceitos que surgiram quando sequer existia computador, é tentar se adaptar a essa nova realidade, onde essa de direito autoral e propriedade intelectual têm cada vez menos espaço... Permita-me apresentar dois exemplos:

Na última postagem aqui, falei a respeito daquele comercial da Luiza, que está no Canadá. Ou melhor, que estava no Canadá e já voltou para o Brasil...


***UPDATE*** Graças a um leitor mais observador, essa garota aí de cima não é a Luiza. Seu nome é Eva Andressa, e na opinião desse texugo até mais interessante que a Luiza, que estava no Canadá. Apesar dela ser uma dessas marombeiras, com um abdômen todo malhado...

Bom, O tema se tornou uma grande febre, já está cheio de sites fazendo piada, citando a garota e o fato dela estar no Canadá. Agora, me diz uma coisa: e os direitos autorais no criador da propaganda? Ele pode alegar que foi ele quem bolou a frase, logo se alguém lucrar em cima disso, deve pagar royalties para ele. Ou então, a própria Luiza, que estava no Canadá, pode achar que merece receber por essa exposição, pois é a sua imagem que está sendo usada...

Mas não é bem assim que a banda toca, ou que pelo menos está acontecendo... Até o presente momento, não vi ninguém, seja a agência publicitária, seja a Luiza, exigindo os direitos pela frase e imagem. Se por um lado eles podem a princípio estar deixando de ganhar um dinheiro pela questão de direitos autoriais e de uso de imagem indevida, por outro eles ganharam um destaque na mídia absurdamente fantástico, que jamais sonhariam conseguir de forma natural. Mesmo com milhares de pessoas aproveitando-se do fato, pode apostar que a imobiliária deve ter conseguido vender vários apartamentos, a produtora de comerciais deve ter fechado vários contratos e a Luiza, que estava no Canadá, ganhou seus 15 minutos de fama, e vai lucrar muito com isso. Mais do que ganharia se recebesse por direitos autoriais e de imagem...

Agora, será que haveria essa movimentação toda, se a agência publicitária proibisse os vídeos no YouTube e o pai da Luiza, que estava no Canadá, proibisse o uso da imagem dela? Duvido...

Vamos ver um segundo exemplo, mostrando que é necessário que as pessoas coloquem em suas cabeças ocas que é preciso se adaptar aos novos tempos. Veja a questão de músicas, todo mundo já deve ter baixado músicas pela Internet, eu não sou exceção. Mas, o que motiva as pessoas a baixarem músicas? Existem vários fatores, o primeiro é o preço de um CD, principalmente aqui no Brasil, que costuma ter um preço bem salgado. Certa vez, fui comprar um CD de uma das minhas bandas favoritas, e tive que morrer em quase 50 reais! E isso porque era um CD produzido aqui no Brasil, nem queria imaginar por quanto sai um CD importado. Eu paguei tudo isso pois era uma banda que eu curto, mas muitas pessoas não podem se dar ao luxo de gastar tudo isso.

Claro, apenas os CDs bons, de músicos de qualidade, é que chegam nessa faixa de preço. Só mesmo atrocidades como essa é que você consegue por R$9,99 nas Lojas Americanas...


E depois aparece gente aqui me criticando, dizendo que o nacionalismo musical exarcebado aqui no Brasil é lenda. Continuando...

Soma-se a isso o fato de que normalmente os CDs não são 100% bons em termos de músicas. Salvo raras exceções, quando trata-se de um Greatest Hits ou então quando o sujeito é fã incondicional da banda, nem todas as músicas do álbum interessam à pessoa, você vai contar nos dedos das mãos quais músicas é que valem a pena. Aí é complicado pagar trinta pratas por causa de uma música só...

Vendo tudo isso, dá pra culpar uma pessoa de baixar uma música na Internet?

Agora é que está se popularizando aqui no Brasil essa de comprar a música pela Internet, como no iTunes da maçã mordida... Provavelmente ainda vão haver pessoas que vão baixar nos outros sites, mas não duvido que vai ter muita gente que vai acabar comprando a música certinha, como manda o figurino, pois dessa forma evita os problemas de gastar muito por um CD no qual apenas uma ou duas músicas são de interesse... Ou seja, em vez de adotar uma postura agressiva, de sair fechando sites, é usada a criatividade para oferecer uma forma atrativa e idônea das pessoas conseguirem baixar suas músicas.

O curioso é o seguinte, é que esse tipo de "pirataria pessoal" já existia faz tempo, e nunca ninguém falou nada contra. Por exemplo, os mais antigos vão certamente se lembrar do aparelho abaixo. Para os mais novos que já começaram na geração iPod e MP3, isso era um aparelho de video cassete, que era usado alguns anos atrás para assistir fitas de filmes que eram alugadas.


Mas, além de simplesmente reproduzir as fitas que eram alugadas, existia lá no controle dele aquele famoso botão com a bolinha vermelha, muitas vezes acompanhado da legenda REC, de Record. Bastava fazer as conexões corretas, e podíamos então gravar nele qualquer coisa que estivesse passando na TV. E se o sujeito tivesse grana para ter dois aparelhos de vídeo, olha só que barato: dava pra ligar um no outro, o que permitia pegar aquele filme alugado e gravar uma cópia para você!

E ninguém falava nada a respeito disso, sem brincadeira! Nenhum papo de pirataria, de direitos autorais, nem nada! Tudo era tranquilo... Então, naquele tempo era perfeitamente normal ir numa loja, comprar aquelas fitas Basf ou TDK e usá-las para gravar aquele filme que passava na Tela Quente, ou o mais novo episódio do Alf.


Lógico, antes mesmo do video-cassete, havia ainda a mágica fita K7, essa para gravar músicas (e até mesmo programas de computador, mas não vamos voltar tanto assim no passado). Os aparelhos de som da época vinha sempre com um deck de fitas, que podia gravar facilmente a música que estivesse tocando no aparelho, seja ela vindo de outra fita, do disco ou mesmo, alguns anos mais tarde do CD. Sim, antes do gravador de CD se popularizar, só tinha como gravar em fita...

Até mesmo da rádio era possível gravar: me lembro que eu fazia isso, pegava uma fita de longa duração, daquelas de 90 minutos, e deixava gravando a minha estação favorita. Depois eu pegava uma outra fita e copiava pra ela apenas as músicas que eu queria, tendo toda uma ginástica de pressionar os botões de pause para que a gravação saísse perfeita. E sempre com a ajuda de uma lanterna, para ver através da janelinha de acrílico do aparelho, se ainda havia fita suficiente para gravar mais uma música... Ah, se a geração de hoje, já tão acostumada em simplesmente ripar e copiar os MP3 para seus iPods soubesse como era antigamente...

Aí eu pergunto para você: na prática, qual a diferença entre os dois processos? Tudo bem que hoje, com o advento da tecnologia digital, ficou tudo mais fácil, mas será que há alguma diferença tão grande entre o cara que gravava um filme que passava na televisão e aquele que hoje baixa o filme do Emule? Ou entre o cara que pegava o LP emprestado com os amigos e gravava numa fita e o sujeito que hoje vai num site e baixa os MP3? Se hoje se pune os sites que, sob uma certa ótica, favorecem a pirataria, o que dizer das próprias empresas que desenvolviam os aparelhos de VCR e gravadores cassete ou as fitas? Pombas, seria tão simples, era só obrigar a Sony, a Panasonic e outras companhias a tirar aquele botãozinho vermelho de REC de seus aparelhos...

Voltando à nossa realidade digital, existe ainda aquela questão de que a princípio podemos baixar arquivos, desde que tenhamos aquele produto original, muito comum com jogos. Se você tem o cartucho daquele jogo de Mega Drive, poderia baixar o ROM e jogar em um emulador, do contrário você era obrigado a apagar o arquivo 24 horas depos, lembra disso? O mesmo vale para aqueles famosos patchs de no-CD, que permitem jogar jogos sem precisar colocar o CD ou DVD toda hora no drive. Muito útil, só quem perdeu um jogo do qual gostava pela maldita mídia ter ficado arranhada de tanto usar sabe o quanto isso é ótimo. Mas, tais patches também são considerados como fonte de pirataria: afinal de contas, isso permitiria "absurdos" como eu emprestar o jogo para um amigo e ele poder jogar sem ficar de posse do meu CD...

E aí, será que alguém vai verificar se os jogos que tenho aqui no meu computador estão válidos, se os arquivos estão aqui há mais de um dia, e se eu tenho fisicamente os jogos? Fala sério, isso é impossível de ser feito, não há como ter um controle desse tipo, o cara pode dizer que ele baixou todos aqueles 200 ROMs de Super Nintendo naquele momento, e os baixa todos os dias, respeitando o limite de 24 horas. Como provar o contrário?

Levanto ainda a seguinte questão: eles podem até fechar os sites, mas e quanto aos milhões (ou mesmo bilhões) de pessoas que possuem arquivos que foram obtidos de forma, digamos, ilegal? Qual é o plano deles, investigar o computador de cada ser humano desse planeta, à procura de arquivos protegidos por direitos autorais que foram baixados desses sites, e prender aqueles que tiverem esses arquivos? Pôrra, vai faltar prisão pra toda essa gente...

Enfim, a verdade é que todos agora estão em uma situação de alarme total, pois a pergunta que não quer calar é: qual será o próximo site a ser fechado?

***UPDATE 2*** E já temos a repercussão do fechamento do Megaupload, agora foi a vez do Filesonic, outro site muito bom, remover o compartilhamento de arquivos, como forma de evitar um destino parecido. Agora, a pessoa só consegue ver os arquivos que ela mesmo fez o upload. Não quero ser pessimista, mas parece que vamos ter algumas consequências graves à caminho...

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Luiza, que está enchendo o saco!

Terrance e Philip, que também estão no Canadá

A não ser que você esteja vivendo em uma caverna (ou, que nem a Luiza, está no Canadá), certamente você deve ter visto esse comercial...



Não demorou muito, e milhões de pessoas assistiram o vídeo na Internet, devido ao comentário sem sentido do puto do comercial, que reuniu toda a família, menos Luiza, que está no Canadá, para falar do prédio que estão vendendo...

Não demorou e já fizeram uma porrada de piadas a respeito do assunto, sempre mencionando a pobre da Luiza, que está no Canadá...


Fico pensando de onde tiraram essa idéia... Será que teria sido um pedido do tal sujeito do comercial, o colunista Gerado Rabello, que não queria desprezar sua filha Luiza, que está no Canadá? Ou o cara que bolou a propaganda estava planejando desde o início criar um viral com a Luiza, que está no Canadá?

Apenas um comentário de passagem... Até que a Luiza, que está no Canadá, apesar de ainda ser uma jail-bait com seus 17 aninhos, até que dá um caldo...


Uma coisa é certa... Não vai demorar para que ela comece então a usufruir dos seus 15 minutos de fama. Pode apostar, a Luiza, que está no Canadá, vai depois aparecer em um quadro no Faustão, vai dar dicas sobre a moda canadense na Ana Maria Braga, vai fazer uma participação especial em algum programa humorístico e, se ela completar a maioridade ainda famosa, vai acabar posando pelada pra Playboy... Possivelmente, em um ensaio fotografado no Canadá...

E toda essa fama (e consequente fortuna) pelo simples fato de que ela estava no Canadá... Nessas horas é que eu me lembro do esforço do cacete que tenho que fazer todo mês para ganhar o meu salário... Até a fama passar, ou até a Luiza voltar para o Canadá, vamos ter que aturar essa papagaiada...


terça-feira, 17 de janeiro de 2012

A comissária chinesa...

Impressionante como esse blog está tendo muitas visitas ultimamente! Tenho acompanhados as estatísticas, e esse mês de outubro foi um novo recorde, com mais de 15 mil visitas! Acho que não posso dizer mais que esse aqui é o site menos visitado de toda a Internet...

E isso vem se refletindo nos comentários... Antes só haviam pessoas que vinham aqui para me xingar, reclamando de eu não seguir seus ideais políticos ou me chamando de tarado, devido às postagens de mulheres que volta e meia aparecem aqui. Isso vem mudando, agora há pessoas que vêm para agregar aos assuntos, expressando suas opiniões de maneira educada e racional.

Existem também aqueles comentários que fazem pedidos, o que é bem legal. Sério, muitas vezes eu venho aqui, tenho a vontade e o tempo de escrever alguma coisa (o que é difícil), mas não consigo pensar em um assunto, e nessas horas é que os pedidos são bons. Como as postagens de nostalgia, é legal ver os visitantes sugerindo desenhos e séries do passado, para eu colocar aqui...

Mas acontece que a imensa maioria dos pedidos tem a ver com as postagens de mulheres, pedindo normalmente mais fotos dessa ou daquela garota, que apareceu em uma postagem particular. Alguns são até insistentes, comentando seguidas vezes, quase que implorando para que eu coloque mais fotos... Isso me leva a concluir duas coisas:

1 - Parece que o blog realmente faz mais sucesso com os "mela-cuecas" de plantão, que não fazem nada mais além de fuçar a Internet por fotos de mulheres;

2 - Esses mesmos "mela-cuecas" ainda não foram apresentados ao Google, onde podem procurar as imagens que tanto querem eles mesmos...

Bom, um dos pedidos mais insistentes veio com uma postagem relativamente recente, na qual eu falava sobre a minha fraqueza por comissárias de bordo, sempre tão admiradas... Um post que eu usei e abusei de fotos de belas aeromoças, algumas delas até mais picantes. Mas foi uma das mais discretas que motivou todos os pedidos, de uma simpática comissária oriental, com essa foto aqui.


Sério, nego ficou alucinado com a japinha, toda meiga e sorridente, a ponto de não só pedirem mais fotos, mas até saber mais detalhes dela! Tudo bem, verdade seja dita, sem dúvida ela é bem bonitinha mesmo... Vou confessar que também não resisto a uma bela menina oriental, sei lá... Acho que é porque elas normalmente são assim bem delicadas e meigas, com seus olhinhos puxados e seus sorrisos encantadores, nem precisando ser curvilíneas para chamarem a nossa atenção. Ou então tenho essa queda por elas já que na minha infância eu assistia muito aqueles seriados japoneses, sempre babando pelas heroínas de olhos puxados das tardes da Manchete. Os marmanjos que estão perto da casa dos 30 anos devem concordar comigo, se derretiam pela Anri, a andróide amiga do Jaspion, pela Sayaka, a Change Mermaid e/ou pela Sara, a Yellow Flash...

Ah, e eu não podia esquecer da oficial Tomoko, dos CyberCops, de longe a minha favorita!


Foco! Mais uma vez me desviando do tema da postagem, pôrra! Deixa pra falar mais da Tomoko quando vier a postagem dos CyberCops, ou então das heróinas de seriados japoneses favoritas...

Enfim, foram tantos os pedidos, que decidi ter esse trabalho de procurar mais fotos e informações da bela japonesinha trajada de comissária de bordo... Hoje em dia é bem fácil conseguir achar as coisas na Internet (uma salva de palmas para o Google), principalmente com mecanismos de busca reversa de imagens, é moleza achar outras parecidas. Sério, hoje você joga qualquer imagem no Google e aparecem centenas de outras semelhantes, uso isso aos montes para achar imagens de melhor qualidade para colocar aqui no blog...


Além disso, os orientais são a raça mais tarada que há no mundo, logo fotos e informações sobre qualquer menina, mesmo que ela tenha sido coadjuvante em um videoclipe de uma boyband colorida da Cingapura, pode ser encontrada. Tudo que você gostaria de saber (e mesmo coisas que não gostaria ou não dá a mínima) podem ser vistas, em fichas técnicas detalhadas. Nome completo, cidade onde nasceu, todas as suas medidas, tudo mesmo...

Inclusive, não faço idéia por que nessas fichas sempre há duas informações que são tão relevantes quanto o número de cruzamentos feitos no segundo tempo pelo lado direito do campo em amistosos da seleção brasileira disputados contra seleções da América Central que ocorreram no segundo semestre e que se converteram em gols de cabeça, ou outras informações típicas que os repórteres do SporTV comentam nas partidas. Sempre essas fichas técnicas de modelos, atrizes e cantoras orientais trazem o signo do Zodíaco e o tipo sanguíneo...

Sabe, signo eu até consigo digerir... Sei lá, de repente os caras mais tarados e sonhadores devem ver se aquela menina que estava "tocando trombone" vigorosamente em um filme mais adulto é de um signo compatível com os deles, caso um dia eles venham a namorar e casar (patético, né?)... Mas tipo sanguíneo? Pôrra, vai se danar, será que é pro caso de ajudá-la em uma transfusão de sangue? Ou será que existem vampiros no Japão, e cada tipo de sangue tem um gosto diferente? Nunca entendi isso...


Cacetada, duas vezes! De novo estou desviando do foco! Retornando ao assunto, não demorou para que depois de uma rápida pesquisa fosse possível descobrir que a comissária japonesa na verdade é chinesa! Não esperava por essa, podia apostar, como alguns dos leitores, que ela era do Japão...


Sim, japoneses e chineses têm diferenças sim! Diria que as japonesas normalmente tem a pele mais clara e os olhos menos puxados, pessoalmente mais bonitas do que as chinesas, que na sua maioria têm a pele mais amarelada mesmo, e olhos tão puxados que quase parecem fechados. Essas observações são importantes, pois chineses e japoneses não se dão muito bem... Como acontecia naquele filme do Bruce Lee, Fúria do Dragão, onde ele descia a porrada em uns 734 japoneses, naquela cena antológica da escola de luta japonesa...


É, dessa vez estou me superando... Terceira vez que vou desviando do assunto! Melhor seguir logo... Então, já que temos vários curiosos, a doce chinesinha vestida de aeromoça se chama Li Xiao Yang, conhecida também como Sunny Lee, e na verdade é modelo, não uma comissária de verdade. O restante vem de um descarado Ctrl+C Ctrl+V do site onde descobri tudo isso, incluindo todas as estatísticas, caso haja algum pervertido japonês aqui:

Data de nascimento: 20 de abril de 1986
Origem: Tianjin, China (sei lá onde fica isso)
Altura: 1,70 m
Peso: 48 kg
Medidas: 85-65-87 cm
Signo: Áries
Tipo Sanguíneo: O


Mas vou confessar uma coisa: o pessoal falou tanto, me levando a essas pesquisas todas... e agora acabei ficando apaixonado por ela! Muito gracinha mesmo, dá vontade de abraçar e nunca mais soltar... Dá até vontade de encarar uma viagem para a China depois dessa...