domingo, 28 de setembro de 2014

E mais outra do preconceito!

Cara, eu sinceramente acho que a nossa sociedade está perdendo a linha... Estou vendo que estamos no caminho em que o preconceito (somente contra o negro, é claro) vai logo se tornar um crime pior e mais hediondo do que assassinato ou estupro. Cada vez mais as pessoas estão com uma neura exacerbada de lutar contra o racismo, de ficar condenando qualquer coisa que possa dar a mínima margem de interpretação de que é preconceituosa.

O "causo" que me trouxe aqui hoje foi uma notícia onde em uma escola de Nova Iguaçú uma professora escolheu como capa de sua prova uma imagem da turma da Mônica descendo por um escorregador. Até aí, nada demais, me lembra dos tempos longínquos onde minhas provas tinham desenho na capa. Mas o detalhe é que um de seus alunos decidiu pintar todos os personagens de negros, dizendo que estava cansado de desenhos diferentes dele.


Bom, aí claro que todo mundo, inclusive a professora, ficou super feliz com o protesto criativo do garoto, dizendo que foi muito legal e tudo mais. A imagem rodou nas redes sociais, e gerou até um comentário do Maurício de Souza, criador da Turma da Mônica, falando que gostou da sacada do menino. Certamente deve ter muitos defensores da raça negra e da "igualdade racial" que ficaram orgásmicos com o protesto inocente da criança.

Bom, quanto a mim... Minha opinião é que, puta que pariu, como que a sociedade tá ficando escrota!

Pombas, eu acho que estamos exagerando mesmo... Por que as pessoas se doem tanto com coisas banais, por que as pessoas enxergam preconceito onde não há? Vão começar a dizer agora que a Turma da Mônica é racista, pois no grupo de personagens principais estão quatro caucasianos? Isso considerando que no universo da historinha tem sim personagens negros, como o Jeremias.


Cacete, olha só até que ponto estou chegando, ao me lembrar dos personagens das histórias em quadrinhos de minha infância...

O meu ponto é que eu acho um certo exagero considerarmos que a atitude do garoto é digna indiscutivelmente de aplausos. Pois eu levo para o seguinte lado, olhe para a foto acima novamente. Percebeu que todos, eu repito, TODOS os personagens foram pintados de negro. Até o cachorro!

Pergunto agora: tá certo isso? Isso aí é igualdade racial?

Eu sei que na cabeça do garoto provavelmente não havia nenhuma intenção negativa, foi mesmo uma espécie de desabafo em querer ver os desenhos com a cor da pele dele. Mas as pessoas ao redor, vendo esse episódio e aplaudindo de pé, demonstram que esse papo de igualdade racial é babaquice, que tudo não passa de balela. É errado que todos sejam brancos, mas tudo bem que todos sejam negros? Me explica essa matemática racial onde é tido como desigualdade somente quando a maioria é branca, mas quando se passa uma imagem de maioria negra é uma "bela justiça social". 

É como acontece com as cotas nas universidades... Implementam essa cota com o argumento de que é necessário que tenha 50% de negros, de que é necessário corrigir as desigualdades provocadas por um processo justo e meritocrático como o vestibular mas que sob o ponto de vista desses defensores da igualdade racial é totalmente preconceituoso. Mas ninguém se mexe caso a balança pese pro outro lado e tenhamos menos de 50% de brancos, né?


"Agora é fifty-fifty!"

Meu ponto aqui é que as pessoas precisam parar de exagerar e enxergar racismo em todo o lugar. Pombas, logo o Maurício de Souza que em seus quadrinhos procura sempre apresentar todas as raças, classes sociais e estilos, pra justamente ninguém ficar de fora: tem o negro, tem o japonês, tem o árabe, tem a criança adotada, tem a outra com pais homossexuais, tem a cega, tem a cadeirante... Tenho a certeza de que ele não teve nenhuma intenção de ser preconceituoso ao criar os seus personagens, mas aparece um monte de retardados enxergando isso como preconceito. Agora fica uma situação em que se o diretor de cinema escalar um elenco com 51% de brancos ele será chamado de racista, por exemplo. Considerando esse nosso país de merda aqui, não duvido que logo vão querer instituir cotas raciais para empresas, programas de televisão, escolas primárias e por aí vai.

Quer ver um exemplo de como as pessoas estão ficando neuróticas com isso? E para mostrar que não é só aqui, essa história veio dos EUA, nessa notícia que vi na lateral da página em que vi a história do garoto que pintou todo mundo de negro. Um sujeito foi numa loja em San Diego e tirou uma foto de um cabide onde era impresso a foto de uma criança negra, onde foi pendurada uma camisa com a estampa de um macaco.


Atitude racista da loja? Certamente a imensa maioria das pessoas vai dizer que sim.

Mas, espera um pouco: o sujeito chegou a checar as outras camisas? Na boa, se ele chegasse ali e mostrasse que todas as camisas com estampa de macaco estivessem com o cabide do negrinho, tudo bem, aí seria sim uma atitude meio escrota. Mas quem garante que não foi apenas uma coincidência? Quem me garante que se você olhar ali atrás você verá cabides com garotos brancos, negros, hispânicos e árabes pendurando a camisa com o corpo do macaco também?

Mais uma vez... Eu sou contra todas as formas de preconceito. É errado agir de maneira preconceituosa contra o negro, da mesma forma que contra o branco, o oriental, o árabe, a mulher, o homem, o velho, a criança, o gordo, o magro, o feio, o alto, o baixo, o fanho, o gago, o deficiente, o pobre, o rico, o morador da favela, o morador da Zona Sul, o argentino, o norte-americano... Todas as formas de preconceito devem ser combatidas, e deve se buscar a igualdade para todos os seres humanos. 

Só que o que não pode acontecer é que certos grupos menos favorecidos assumirem uma posição constante de vítimas, de sempre acharem que todo mundo está contra eles, de que eles merecem regalias como compensação por erros do passado provocados pelos nossos antepassados. Achar lindo quando um garoto pinta todos os personagens de negros, aplaudindo uma visão onde seja certo que a maioria ou totalidade sejam de negros, assim como condenar cegamente alguém por uma atitude que possa parecer preconceituosa sem analisá-la de forma fria e justa, não é por aí...

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Super Amigos - Bravo Para Você


Está na hora de mais um episódio dos Super Amigos. Sério, estou me divertindo ao fazer esses posts, é muito engraçado rever aquelas histórias engraçadas com as situações mais estúpidas que se pode imaginar. E esse aqui é bem tosco, mais uma vez um daqueles onde temos aborrescentes estúpidos fazendo merda e levando uma bronca no final.

Começamos a história de hoje na escola de Gotham, onde, segundo o narrador, um "último-anista" terá uma experiência bem familiar...


Pôrra, isso que chamo começar com dois pés esquerdos. Pra começo de conversa, eu acho que nunca ouvi na minha vida essa expressão "último-anista", imagino que quer dizer que é um estudante do último ano, mas enfim, nunca vi ninguém usar isso. E eu não sei  que quer dizer com experiência bem familiar, como se fosse normal garotos de escola encontrarem super-heróis.

E perceba logo pela primeira imagem como que os criadores do desenho têm a idéia de que a garotada do high school só quer saber de fornicação, com o carinha dando uma idéia na moça.

Essa é a deixa para a trama, onde o capitão do time de futebol, com sua boa-pinta e lábia com a qual já traçou metade da população feminina da escola, tenta jogar um charme na menina chamada Gloria, toda meiga e cuti-cuti de vestido rosa, como se estivesse no primário.


Como de costume, esses caras sempre levam um amigo na aba, o puxa-saco que fica ali só pra compor cenário, ou para mostrar para as garotas de que tem cara que é mais feio. E esse outro sujeito tem uma pinta de bêbado e uma napa de impor respeito, com toda a cara de que só acompanha o seu chapa nas investidas nas garotas do colégio para depois fantasiar com elas quando estiver no banheiro numa luta de cinco contra um.

Só que a garota diz que já tem um encontro marcado com outro, o moleque chamado Ernie. 


Bom, com esse nome, já podemos imaginar que o cara é um babaca dum gordo que não faz nada direito. E que consegue a proeza de levar uma coça de um boneco cheio de palha.


Agora, me pergunto o que uma garota dessas iria querer ao sair com um pleura como esse aí. Tá na cara que o sujeito é mais desajeitado que o Mr.Bean e mais feio que uma bunda de elefante. A não ser que ele tenha grana e a menina estava afim de dar um golpe do baú, não vejo razão para ela querer sequer ser vista com ele.

Logicamente, o capitão acha essa idéia ridícula também. Ou então ele tava escutando um discurso da Dilma.


Ernie então se levanta, diz para o boneco de areia que quando eles se enfrentarem pela vigésima vez ele vai ganhar, e chega então no grupo. Interessante é que ele deve ter visto o capitão do time dar em cima de sua garota, mas em vez de chegar ali xingando, perguntando que esbórnia é essa e mandando ele tomar no rabo, simplesmente se aproxima com uma pinta de bobão, e uma vez na versão dublada ainda mais boba. Sem falar que ele parece o Bussunda.


O puxa-saco, que a partir de agora vou chamar de Zureta, devido à sua cara de retardado com um olhar vesgo bizarro, diz que o gordo joga mal pra caralho e que ele devia brincar no parquinho com outras criancinhas, e deixar o time de futebol para homens de verdade.


Ernie, o gordão, responde como se espera de um homem de verdade.


Sim, faz cara de choro... Que bostinha!

Ele então decide se mandar, dizendo que os dois são um bando de macacos. Ainda bem que nenhum dos dois é negro, ou rolaria mais uma merda como com a torcedora do Grêmio. Veja que parece mesmo que a garota gosta dele, pois o deixa segurar sua mão. Mas o capitão fica puto, e decide dar um troco.


O troco consiste em simplesmente baixar a camisa do gordão, dar um cafuné na cabeça dele e chamá-lo de bolotão. Muito maduro mesmo... Mas gostei da idéia, a partir de agora vou chamar o Ernie de Bolotão.


Aparentemente os dois manés aprovaram a minha escolha. E fico imaginando como eles devem ter destruído a gola da camisa do Bolotão, para fazer isso.


Enquanto isso, no centro da cidade, temos dois sujeitos limpando janelas de um arranha-céu. O primeiro deles parece ser pai do Zureta, veja a semelhança nasal com o moleque acima. E o cara ali atrás é o Super Mario, que desistiu de uma vida de cogumelos, princesas e tartarugas para trabalhar como limpador de janelas.


Aí acontece então a tragédia. Como os dois limpadores de janela bateram dois pratos de arroz, feijão, farinha e bife no almoço cada um, acabam ficando pesados demais para o andaime, e arrebentam a corda.


Como os desenhos são sempre bem comportados e com violência zero, os dois conseguem se segurar no andaime, quando normalmente deveriam ter caído que nem dois sacos de batata no meio fio. Aliás, considerando a qualidade do andaime, que não passa de uma tábua com duas barras laterais e sem nenhum tipo de cinto de segurança, me admiro que eles não tinham caído antes.


Convenientemente, logo ali estavam Batman, Robin e os Super Gêmeos. Eles estavam a caminho do shopping para comprar presentes para o Super Amigo-Oculto dos Super Amigos, que seria naquele fim de semana.


Pode me chamar de chato, mas se você olhar pra imagem acima com mais cautela, vai ver como o Batmóvel está absurdamente desproporcional em relação ao cenário. Veja as pessoinhas na calçada, que mais parecem formigas e são menores que as rodas do carro do Batman! Veja as árvores perto do hotel, igualmente minúsculas se comparadas com o carro. E o que diabos é Boknne?

Batman explica então para os Super Gêmeos que não vai refazer o sorteio dos nomes, pois o seu Bat-Sorteador de Nomes de Amigo Oculto evita que uma pessoa sorteie a si mesma, logo se alguém ali teve o azar de sortear o Aquaman, que se dane. E aproveita para dizer que os super-heróis devem estar sempre atentos, pois alguma merda pode estar acontecendo a qualquer momento.


Zan, como sempre se acha o fodão, diz que ele tem um sexto sentido e consegue saber dos problemas antes mesmo que eles ocorram. Não podia ter sido um comentário mais triste, pelo que sei normalmente são as mulheres que têm sexto sentido...


Pra você ver que o Zan é tão babaca, mas tão babaca, que nem o Gleek o leva a sério. E me pergunto quem penteou esse macaco.


Os heróis então finalmente ouvem os gritos desesperados dos dois limpadores de janela (mostrando que tanto o sexto sentido de Zan como a atenção de escoteiro do Batman são de araque), e partem para o resgate. O Batman, usando a sua experiência, manda os Super Gêmeos ficarem quietos e não se meterem, pois esse resgate é pra heróis de verdade e não para uma dupla de heróis de meia-tigela que só estão ali para os momentos engraçados.


Filho da puta esse Batman. Fica se achando só porque tem uma capa.

Zan e Jayna ficam ali, desanimados. Se soubessem que iam sair para ficar só olhando, teriam ficado na Sala da Justiça jogando videogame no Bat Computador.


Batman e Robin usam então as Bat Ventosas para subir no prédio. Aí vemos como a Dupla Dinâmica realmente tem umas idéias meio boçais no que se diz a equipamentos, isso aí parece coisa que vemos nos desenhos do Pato Donald.


Considere pelo menos que nesse episódio não tiveram que fazer aquela tosqueira do seriado antigo. E sim, comprova a relação homoerótica do Homem-Morcego e do Menino Prodígio, veja como o Batman mete a mão na bunda do Robin.


Robin, que sempre gostou de italianos, vai ao resgate do Super Mario...


... só que o gordão é muito pesado para o Menino Prodígio, e eles caem em direção à morte certa. Parece que o Batman vai ter que colocar um anúncio nos Classificados, para contratar um garoto disposto a andar de cuequinha e capa amarela, e que tenha uma mente aberta para andar junto com um homem adulto vestido de morcego sem se preocupar em como isso afetará a sua masculinidade.


Acontece que não é dessa vez que o Robin bateu as botas, afinal de contas ele estava com seu Bat Pára-Quedas, que aparentemente saiu de sua cabeça, como o Inspetor Bugiganga.


Batman então vai salvar o próximo limpador de janelas, bem na hora em que a corda de rompe. Seguindo o elevado realismo do desenho, o sujeito começa a bater os braços em desespero, o que lhe garante alguns poucos segundos no ar antes de ser pego pelo Batman.


Com direito àqueles barulhinhos engraçados que parece alguém derrapando.

Acontece que na queda o sujeito acaba sem querer querendo arrancando fora o cinto de utilidades do Batman.


Vem então aquele momento tenso, em que o carinha fica ali desesperado, se segurando nas pernas do Batman, rezando para não cair. Olha só que, ao contrário do que se normalmente se faz numa situação dessas, ele olha para baixo. Mas é compreensível, pois se ele olhasse para cima, veria a Bat Bunda.


Enquanto o Homem Morcego faz uma cara de esforço, daquelas quando se está sentado no trono e tá difícil de lançar o submarino, torcendo para que o cara não arranque suas calças, o que resultaria não somente em um civil inocente morto para a conta dos Super Amigos, mas também a aparição nada agradável de sua Bat Cueca no jornal da noite.


Preferindo conviver com a morte de um mero limpador de janelas em vez da eterna vergonha de que toda a cidade o veja com roupas de baixo, ele acaba deixando o pobre coitado cair.


Oh, e agora quem poderá ajudá-lo?

Eu!!!

Não, não o Chapolin... Mas os Super Gêmeos, que o Batman disse que tinha que ficar quietos e não atrapalhar. Perceba então a ironia, justamente o mesmo filho da mãe do Batman que disse que os jovens heróis tinham que ficar quietos foi quem fez merda, conseguindo a proeza de ser pior num resgate do que o Robin.

Jayna se transforma em um polvo...


... e o Zan? Isso, pra variar um pouco ele se transforma em água.


Jayna então toma o seu irmão e atua como uma cama elástica para amortecer a queda. Ah, os desenhos animados, só aqui um cara pode cair do alto de um prédio em cima de um polvo e sair sem nenhum arranhão. E Zan consegue uma proeza de ter sido cuspido para todo lado.


Todos salvos, o limpador de janelas agradece aos Super Amigos pela ajuda. Menos o Batman, que quase o matou. Segundo a opinião dele, o Homem Morcego podia pegar o seu cinto de utilidades de merda e enfiar na bunda.


Aí é que o Batman então percebe que ficou sem o seu cinto de utilidades! Oh, a infâmia! Sem esse cinto, ele não passa de um babaca vestido de morcego, sem falar que corre o sério risco de que suas calças caiam.


Robin então diz que o cinto deve ter caído durante o resgate. Pior que isso, só se ele se chamasse Capitão Óbvio. É claro que ele deve ter caído no resgate, seu besta! Atrás dele, o Super Mario fica pensando na morte da bezerra.


Em vez de simplesmente pegar o cinto de utilidades do Robin como punição pelo comentário desnecessário, Batman manda os Super Gêmeos irem para o norte, enquanto que ele e o Menino Prodígio vão para o sul.


Acho que não precisava ir tão longe pra procurar esse cinto, eles podiam simplesmente procurar ao redor do prédio. A não ser que o cinto do Batman tenha asas, ele não deveria ter caído tão longe. E ainda se acha o inteligente esse Batman.

Enquanto isso, não muito longe dali, o Bolotão está puto por ter sido zoado pelos dois manés. Logo quando ele finalmente tinha achado uma garota de padrões pouco exigentes que topou sair com ele, tinham que ter aparecido o Zé Bonitão e o Zureta para atrapalhar, e impedir ele sair com a Gloria e descobrir se a cor do carpete combina com a das cortinas...


Sim, ele devia estar pensando em sacanagem, veja só a cara dele!

Ele acaba então encontrando o cinto de utilidades do Batman, largado em cima de uma lixeira. Como nenhum drogado passou a mão ali no cinto pra vender e arrumar dinheiro pra comprar pedra, é um mistério.


Em vez de levar o cinto para as autoridades, ou correr para a casa para vendê-lo no eBay, ele decide brincar com o cinto, acidentalmente disparando um laser. Como resultado, o barbeiro de Gotham sai no prejuízo, ao ter sua plaquinha destruída.


Veja só a cara orgásmica do Bolotão ao ver o ocorrido. E por que nessa época todo mundo tinha esse penteado ridículo de Beatles?


Como suas calças tamanho 64 estavam meio frouxas, o gordinho decide colocar o cinto de utilidades, e sai então desfilando pela cidade ao som de Stayin' Alive.


Perto dali (que coincidência todo mundo estar por ali no mesmo quarteirão, não é mesmo?), Gloria está saindo da aula de música. Curioso é que ela não carrega nenhum instrumento, mas somente uma pasta. Era de se esperar que, se alguém vai na aula de música, que leve algum instrumento como um violão ou saxofone. A não ser que o professor tenha emprestado sua flauta para que ela tocasse...


Zé Bonitão aparece e bate continência, tentando mais uma vez convencer a garota a ter o prazer de sair com o capitão do time de futebol e esquecer aquele gordo seboso. E como ele é um cavalheiro, garante que não vai arrancar fora as calcinhas dela no primeiro encontro: ela poderia tirar ela mesma.


Sim, provavelmente o cara estava pensando nisso, ou alguma outra sacanagem. Você viu como os roteiristas acham que os adolescentes só pensam em trepar como macacos no cio, então vamos acompanhar a brincadeira.

Nisso aparece o Bolotão, fazendo pose de destemido. Agora ao som de Macho Macho Men.


O Zureta, que mais uma vez está ali bancando o puxa-saco do Zé Bonitão, dá uma zoada no gordo, perguntando se na loja que ele comprou aquele cinto não tinha pra homem.


Observem como a garota fica ali, com uma cara de pateta. Devia estar se divertindo ao ver dois sujeitos brigando para ver quem sairia com ela, sem que eles fizessem a idéia que o professor de música já iria levá-la a uma ópera particular naquela noite. E o Zé Bonitão parece estar segurando um espirro, certamente iria acabar com seus planos se a Gloria visse ele expelindo ranho pelas narinas.

Bolotão então decide mostrar que é macho, e dispara uma teia em cima do Zureta. Podemos ver que, na falta de criatividade para bolar um apetrecho do cinto de utilidades que fosse inofensivo, o pessoal recorreu ao Homem Aranha.


É Zureta... Se fudeu nessa... Não sei porque, mais ele me lembra o Salsicha do Scooby Doo.


Enquanto Zé Bonitão e Gloria ficam só olhando. Ou eles se deram conta de que os criadores do desenho vão ter que pagar royalties pro Stan Lee.


O Bolotão então saca mais uma Bat gerinconça, que mais parece ser uma caixa de fósforos. Porém, para sua tristeza, a caixinha não dispara raios que iriam transformar o Zé Bonitão no Alceu Valença, mas simplesmente fica disparando umas ondinhas sem graça.


Zé Bonitão se safa mais uma vez, zoando o gordo, dizendo que até sua irmãzinha tem brinquedos mais perigosos na sua casa de boneca.


Nessa hora, o narrador nos explica que os adolescentes não fazem idéia que a caixinha de fósforos na verdade é um Bat Dispositivo Oscilante. Em outras palavras, um vibrador.


E um puta vibrador, diga-se de passagem, pois a força é tanta que começa a tremer o bairro inteiro, destruindo um prédio ali perto. Afinal de contas, o Batman gosta de brinquedos heavy duty.


Os jovens de desesperam, e em vez de saírem correndo, ficam ali se debatendo debaixo dos destroços. Enquanto o Bolotão aproveita seus últimos minutos para dar uma engatada na Gloria, o Zureta se estica feito uma bicha e o Zé Bonitão faz a dança na boquinha da garrafa.


Os Super Gêmeos estavam ali perto e percebem o fuzuê, e partem para o resgate, para mostrar de uma vez por todas que pelo menos nesse episódio eles vão ter uma participação muito mais importante que aquele babaca do Batman. E pela expressão de Gleek, parece que o Zan rasgou as calças.


Jayna aproveita o tema Homem Aranha, e se transforma em uma aranha gigante, tecendo uma teia para proteger a Gloria e o Bolotão de serem esmagados pela placa do Café do Mudo...


... enquanto Zan faz uma pose extremamente gay...


... para se transformar em nevasca, assim contendo os restos do prédio que estavam pra cair sobre os outros jovens. E como o cara que desenhou essa cena não sabe trabalhar com layers, a impressão que dá é que Zan acabou cobrindo o Zé Bonitão e o Zureta com neve também.


Mais uma vez a contribuição do Batman nesse desenho é mínima, onde ele simplesmente aperta o botão de off do seu Bat Vibrador. Algo que qualquer macaco treinado saberia fazer, menos o Bolotão. É um merdel mesmo.


O Batman está puto dentro das calças, e quer saber quem foi o engraçadinho que pegou o cinto de utilidades dele e ficou fazendo merda pelos cantos. E também ele quer saber porque tiveram que fazer um furo extra no cinto dele. Me admira o Homem Morcego ainda ter que se perguntar isso, ao ver que apenas o Bolotão ali tinha uma circunferência abdominal capaz de fazer até o Adam West parecer magro.


Em vez de culpar o Zé Bonitão, ou mesmo o Zureta, que tinha toda a pinta de ser um baderneiro, o Bolotão assume a culpa, dizendo para o Batman que ele queria provar que era um homem de verdade, corajoso como ele.


Batman então lhe dá um esporro, porque o que o faz ser um homem corajoso é admitir que fica pulando de prédio em prédio vestido que nem um morcego, na companhia de um moleque de sunguinha e capa amarela. Só mesmo quem tem coragem pra assumir uma vida bizarra como essa.


Aí temos uma conclusão bizarra, onde o gordinho diz que ele não é um fracote, que ele é homem o suficiente para admitir que errou. Sim, essa é a fala original. Até parece que um brutamontes como o Zé Bonitão, puto pelo gordo ter estragado suas chances com a Gloria, iria aceitar uma dessas. O Zureta, por sua vez, tem a expressão vazia de quem fumou um baseado. E por algum motivo, ao ver essa imagem me lembrei dos Três Patetas.


Mas o Zé Bonitão aceita as desculpas, e fica amiguinho do Bolotão...


... e o Batman faz uma cara de paspalho, todo bobo ao ver mais dois adolescentes ficando amigos, prestes a despertarem o interesse por experiências homossexuais no chuveiro da escola.


Acha que eu estou de zoação? É só ver a cena final, onde Bolotão, Zé Bonitão e Zureta se mandam em direção ao pôr-do-sol, todos amiguinhos.


E cadê a menina?

Considerando que o Robin também misteriosamente sumiu, eu poderia até imaginar que o Menino Prodígio levou a menina pra que ela pudesse brincar com seu cinto de utilidades. Mas sabemos muito bem que o Robin não é chegado nisso, na verdade a Gloria deve ter se mandado, puta da vida por ter sido rejeitada até mesmo por um gordão como o Bolotão, decidindo se tornar lésbica.

Episódio engraçado pra burro, apesar de ter mais uma dessas moralzinhas do final estilo He-Man.