sexta-feira, 26 de julho de 2013

Zona da JMJ


Nesses dias o Rio de Janeiro foi o palco de mais um evento de destaque internacional, mostrando como a capital carioca está mesmo em evidência. Trata-se da Jornada Mundial da Juventude, onde jovens do mundo inteiro vieram pra cá atrás do Papa Francisco, que chegou aqui na última segunda e veio para diversos eventos, como missas, inauguração de obras e outras coisas relacionadas à Igreja Católica.

Eu sou um texugo ateu, logo não estou muito ligado nessa Jornada. Embora ateu seja uma palavra muito forte, digamos que eu até acredite que existe uma força superior, que cada religião interpreta de uma certa forma e que associa a uma determinada entidade. Algo que eu acredito que possa ser feito de forma individual, cada um à sua maneira, sem a necessidade de se juntar debaixo do mesmo teto, como uma igreja ou templo, para praticar a sua religião. Mas sabemos bem que as religiões pregam justamente o contrário, principalmente a Igreja Católica, que sempre prega certas obrigações de seus fiéis, como ir à missa pelo menos uma vez por semana, rezar o terço e fazer comunhão. 

Enfim, mas meu objetivo aqui não é falar de religião. Já basta falar de política e futebol, são assuntos que já geram discussões suficientes, algumas delas bem acaloradas. O que eu quero falar a respeito aqui é da baderna que a JMJ está trazendo para a nossa cidade, em especial para os moradores de Copacabana, onde os grandes momentos desse evento vão ocorrer.

Sim, como já era esperado, presenciamos uma grande baderna e desordem durante os primeiros dias, e independente de quanta reza se faça, a tendência é que o restante dessa jornada seja um verdadeiro inferno. Com trocadilho, por favor.

Só mesmo o Eduardo Paes, aquele filho da puta do nosso prefeito, para achar que tudo iria transcorrer sem problemas. Tudo aqui é feito nas coxas, e graças a esse calhorda foi possível mostrar para o mundo como o Brasil é desorganizado, como a cidade do Rio de Janeiro não está preparada para receber eventos de grande porte. Como já se constatou na Copa das Confederações algumas semanas atrás. E mesmo apelando para soluções extremas, como decretar feriado na cidade, foi possível ver como todo o evento foi mal-planejado. 

Começou já com  a chegada do Sumo Pontífice, na segunda. Tudo bem que o Papa foi o grande responsável por uma mudança de última hora, quando ele quis passear pelo centro da cidade para estar perto dos fiéis, saindo da Catedral Municipal do Rio (aquela construção que mais parece uma pirâmide asteca). Acabou que no trajeto do aeroporto até a tal catedral, a polícia se enrolou com os bloqueios e o Papa Chico ficou preso num engarrafamento no centro! 


Por mais que houvessem mudanças de última hora, a polícia devia ter tido mais jogo de cintura. Pelo que me pareceu, foi cagada do motorista do carro do Papa, que aparentemente errou o caminho e pegou a pista da avenida que estava com trânsito congestionado, e não a que estava liberada para ele passar. O pior de tudo é que esse Papa, ao contrário do Imperador Palpatine que o precedeu, é muito mais humilde, muito mais "do povo", e nessa ocasião ele estava com a janela aberta. Com isso, não faltou gente querendo tocar nele, enfiar crianças pela janela para serem abençoadas, obrigando os seguranças a trabalhar muito. Toda essa zona, essa falha de planejamento no projeto e de segurança, foi destaque na mídia internacional. 

Outra demonstração de falta de organização e de que essa cidade está despreparada ocorreu no dia seguinte, quando haveria a abertura da jornada a praia de Copacabana, no final do dia. Inclusive a prefeitura teve uma idéia bem "brilhante" de instituir feriado a partir das 16 horas, algo que eu nunca vi na vida! Dessa forma, juntou-se um monte de peregrinos querendo ir para a praia para a abertura, com inúmeras pessoas saindo do trabalho e voltando para casa.

E, coincidentemente ou não, bem nessa hora o metrô, o mesmo metrô que eu já critiquei aqui muitas vezes pela sua péssima qualidade, apresentou uma suposta pane que parou todas as estações...


Digo suposta pois é uma puta duma coincidência... Sei que o metrô aqui do Rio é uma merda, o único do mundo onde existem congestionamentos diários na linha, onde somos obrigados a andar espremidos como sardinhas, e já apresentou em algumas oportunidades panes elétricas e quebras de trens que provocaram transtornos. Mas é muita coincidência que essa ocorreu exatamente na hora em que muitas pessoas estavam deixando o trabalho e outras indo para a jornada na praia. Na minha opinião, o metrô simplesmente não estava preparado para o grande volume de passageiros e precisou arrumar uma desculpa. Arrisco até dizer que a possibilidade de sabotagem não seria tão absurda assim...

Agora, a lambança que veio pra coroar a desorganização foi a mudança de última hora do local da vigília da JMJ. A idéia original dos organizadores seria levar todos os peregrinos para a região de Guaratiba, onde chegaria lá no sábado e ficariam lá acampados até o domingo. Uma região bem distante dos grandes centros, para quem não conhece o Rio segue um mapinha.


Ou seja... Longe pra caralho. Depois de onde Judas perdeu as meias.

Nesse fim de mundo, estava sendo construída uma grande instalação, onde antes havia um mangue sem nada. Um imenso palco faraônico onde o Papa Chico iria fazer uma missa e todos os jovens pernoitariam lá em vigília, depois de andarem mais de dez quilômetros desde o local de desembarque dos ônibus. Todo um sofrimento exagerado na minha opinião, mas que faz parte do programa da jornada.


Acontece que a foto acima é meramente uma imagem gerada por computador, de como ficaria esse palco. Na prática, ele está assim... Um imenso lamaçal.


Bastou algumas chuvas e o local da vigília se transformou num mega lago de barro e lama, em condições impraticáveis para se fazer qualquer coisa. A não ser uma corrida de rally ou luta-livre feminina na lama. Exemplo máximo da falta de planejamento, se as coisas fossem feitas da maneira séria por aqui, se essas obras já tivessem sido feitas a mais tempo, provavelmente o lugar estaria em condições de receber o evento, mas sabemos bem como aqui tudo é feito em cima das coxas e em cima da hora. Com isso, a Igreja e a prefeitura debateram sobre a situação e decidiram mudar o local dessa vigília para a praia de Copacabana, onde já viriam a ocorrer dois eventos na quinta e sexta.

Não precisa dizer como isso literalmente fudeu os planos de muita gente. Pra começar para os moradores do bairro de Copacabana, que vão ser obrigados a enfrentar por mais dois dias uma situação semelhante ao reveillon, com diversas ruas fechadas, com a orla tomada por mais de um milhão de pessoas e todos os acessos ao bairro fechados. Uma vez mais, cagam na cabeça dos moradores que pagam um dos maiores IPTUs da cidade, que raramente podem desfrutar do lazer de fim de semana em seu bairro sem ter que competir com eventos que bagunçam tudo, que simplesmente deixam de ter o seu direito de ir e vir, vendo a praia de Copacabana se tornando terreno de uso da Prefeitura para o que bem querer.

Além disso, quem se deu mal nessa brincadeira foram alguns dos moradores de Guaratiba que planejavam faturar uma graninha adicional graças à jornada. É de lei, quando tem um grande evento desse, sempre tem vagabundo que gosta de se dar bem em cima dos outros, e não seria diferente nessa jornada. Pode apostar que tinha muita gente que deve ter comprado centenas (ou mesmo milhares) de latinhas de cerveja e garrafas d'água, para vendê-las a preços exorbitantes para os participantes dessa vigília, tipo dez reais uma garrafinha de água mineral. Desses eu não tenho muita pena não, pois eles são um bando de exploradores, só querendo lucrar em cima da necessidade dos outros. Se fuderam, quero ver onde vão enfiar essas garrafinhas e latinhas agora.

E outros que vão ter dificuldades são os peregrinos que arrumaram lugares próximos a Guaratiba para se hospedarem, esperando chegar mais facilmente ao local da vigília. Esses agora vão ter que atravessar a cidade inteira para chegar em Copacabana. A caminhada, comum a esse evento, será da Central até a praia, quero ver quem é que vai ter gás pra tudo isso.

Além disso, considerando que a praia de Copacabana não tem a mesma estrutura, a recomendação dos organizadores é que os peregrinos voltem pra casa depois da missa da noite de sábado, voltando na manhã do domingo. Por sua vez, o prefeito Dudu Paes sugere que eles durmam na praia, porém sem montar barracas por não haver espaço (algo extremamente "inteligente" de se fazer, considerando o frio). Mostra o total desencontro entre as partes envolvidas...

Porém a pergunta que não quer calar: o quanto foi gasto com esse palco lá em Guaratiba? Por mais que o prefeito venha dizer que não gastou um centavo, acho difícil que a prefeitura não tenha dado uma ajuda...


Aliás, essa JMJ só fez meu ódio pelo prefeito do Rio aumentar ainda mais. Além dessa pouca-vergonha em dizer que não gastou nada em Guaratiba, ele fica vindo esse papinho mole de que assume a responsabilidade, dizendo que os moradores de Copacabana precisam ter compreensão, que tudo no final das contas está a mil maravilhas. Baita dum filho da puta! O mais engraçado é como os protestos, que continuam acontecendo por aqui no Rio, mas em menor escala, raramente criticam o Dudu Paes, só pedindo a cabeça do Serginho Cabral...

Enfim... ainda vão ter alguns dias de jornada pela frente. Não vejo a hora disso acabar, para que nós cariocas possamos ter a nossa cidade de volta. Pelo menos até o próximo evento que venha a tumultuar o Rio de Janeiro...

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Repulsa pelo frio


Finalmente estamos tendo alguns dias de frio aqui no inverno, já estava me perguntando se não erraram de estação com alguns dias aqui no Rio onde a temperatura estava beirando os trinta graus. Tivemos nessa semana uma das tardes mais frias, o que já me obrigou a tirar o casaco do armário pela primeira vez no ano e dormir debaixo das cobertas. Que continue assim por algumas semanas, para equilibrar um pouco as coisas, já que aqui o verão é sempre de rachar.

Mas logicamente a maioria do povo brasileiro, principalmente os cariocas, nutre um desgosto, uma repulsa pelo clima mais frio. Dá pra escutar as pessoas na rua reclamando que está muito frio, indivíduos exagerados que se cobrem como se estivessem na Sibéria e querendo a volta do sol e do calor. Consequentemente, isso ainda veio a incentivar uma "brincadeira" que rola nas redes sociais, onde pessoas que certamente preferem mais o calor e o tempo quente desejam algo não muito agradável para aquelas pessoas que curtem o tempo frio...


Eu sou um texugo que gosta de fio sim. Mesmo sendo carioca, eu sempre preferi o frio ao calor, sempre gostei mais do inverno do que o verão, curto mais assistir um filme debaixo do cobertor (filme de verdade, não filme pornô, seu pervertido!) tomando chocolate quente do que ficar de molho numa piscina tomando cerveja, acho mais legal ir numa montanha com neve do que pisar nas areias de uma praia. E justamente por morar no Rio, sou sempre visto como o "do contra", já que a imensa dos meus amigos e colegas prefere mais o tempo quente do verão carioca. 

Aliás, percebo que discordo de muita coisa do que os outros pensam... Devo ter nascido no lugar errado...

Realmente eu não consigo entender como que as pessoas gostam tanto do calor. A começar pelas vestimentas. No frio, cada um pode colocar o tipo de quantidade de roupas que achar necessário para se proteger da temperatura baixa. Aqueles que não se incomodam muito podem colocar só um casaco para proteger da friagem, enquanto que os friorentos exagerados podem se carregar com ceroulas, três camisas uma em cima da outra, suéter de lã, cachecol, gorro, luvas e sobretudo para encarar uma temperatura de 20 graus... Sério, cariocas em sua maioria sentem frio demais, se vestem como esquimós quando a temperatura está abaixo dos trinta...


Enfim, dependendo da temperatura e do gosto particular de cada um, coloca-se mais ou menos roupas quando está frio. Porém, o mesmo não pode ser dito do calor do verão carioca. Em um dia típico da estação tão amada pelo povo em geral, a temperatura ultrapassa os trinta e cinco graus, e não é comum beirar os quarenta. Sem contar outros efeitos que potencializam o calor, como o asfalto fervendo, a poluição e a falta de uma brisa para refrescar. Aí camarada, fica tão quente que mesmo nu não dá pra aguentar. É insuportável ter que ir trabalhar nesse clima quente, onde bastam alguns passos na rua para suar que nem um porco, deixando a roupa toda molhada e melequenta. Desanima sair de casa e fazer qualquer coisa, ir na esquina comprar o jornal já é suficiente para que você chegue em casa precisando de um banho. Como alguém podem gostar de viver assim?


Outra consequência do calor excessivo, que não ocorre com o frio, é encarar os problemas estomacais e digestivos em geral. É só tomar como exemplo o Natal, onde é costume que se tenha na ceia aquele monte de guloseimas, como torta de nozes ou de amêndoas, coisas deliciosas que pelo motivo da tradição só são feitas nas festas de fim de ano. Fim de ano que aqui no hemisfério sul coincide com o verão. Não somente com o verão, mas com o sempre escaldante mês de dezembro. Ou seja, exagerando nessas sobremesas você corre o risco de esperar o Papai Noel ou de virar o ano sentado no trono.


Sem falar na hora de dormir... Na boa, não há nada melhor que dormir no frio, com o quarto bem fechado, se encolhendo debaixo do cobertor. E quem tiver a sorte de poder dividir a cama com alguém, é simplesmente sensacional dormir abraçadinhos num tempo frio. Pelo menos assim eu imagino, pois aqui para minha infelicidade eu continuo dormindo em uma cama de solteiro tendo como companhia somente os mosquitos que passam zunindo perto da minha orelha...

Por sua vez, dormir no calor só é possível se você tiver um ar condicionado ligado em temperaturas sub-árticas, ou pelo menos um ventilador ligado no máximo. Da mesma forma que acontece com as roupas, dormir em um clima quente é desagradável, incomoda muito. A colcha e o travesseiro logo ficam molhados de suor, fica aquela movimentação incansável até encontrar aquele lugar da cama menos quente, que logo estará fervendo passados poucos minutos. Tinha vezes que eu me levantava, ia no banheiro e jogava um pouco de água gelada (ou melhor, água fresca, pois água gelada no Rio é impossível) para dar uma refrescada, embora isso viesse a me despertar. Uma merda... Só dormindo numa geladeira pra encarar essa.


Acho realmente muito difícil que as pessoas tenham toda essa paixão pelo tempo quente e uma repulsa pelo tempo frio. Parece mais uma daquelas posturas sem noção, do tipo "Maria vai com as outras", de gente sem vontade própria que precisa gostar do que a maioria gosta ou do que a mídia e a sociedade dizem que é bom. E aqui no Brasil há essa de dizer que aqui é o país do calor, da praia, e todo mundo se sente compelido a gostar do mesmo. Eu não! Não tem nada de bom no calor, é uma verdadeira bosta, nada presta...


Ok... talvez as garotas em biquinis seja a única coisa que vale a pena do calor...

Deixo como saideira só um recado para esses escrotos que ficam declarando que adoram o calor e o verão: que sua geladeira pife, que seu ar condicionado exploda, que alguém suado encoste em você no ônibus ou no metrô, que mijem na sua piscina e que sua cerveja seja morna!

domingo, 14 de julho de 2013

A inveja é uma m...

Olha só a cara de inveja da coroa no lado esquerdo da foto... Só comprovando que a inveja é mesmo uma merda...


Bom, vou entender de você, visitante do sexo masculino, não faz idéia de que coroa estou falando.

sábado, 13 de julho de 2013

Piada Mercosul

Veja essa foto, onde os presidentes dos países membros do Mercosul posaram após a reunião que teve recentemente. Uma reunião onde preocupou-se mais em criticar os EUA...


Pra mim, essa foto mais parece a turma do Chaves, com o Kiko, a Chiquinha, o Jaiminho, a Bruxa do 71 e o Professor Girafales.

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Super Amigos

Certas coisas chegam a ser tão escrotas, mas tão escrotas, que acabam sendo muito legais, e acabam nos conquistando. Acho que é assim que posso definir o desenho dos Super Amigos. Imagino que a DC Comics queria sempre colocar os seus principais heróis em situações extremamente estúpidas e idiotas, e não satisfeita com aquele seriado tosco do Batman, decidiu acabar com a fama do Super-Homem e da Mulher Maravilha também...

E desde quando o Aquaman voa?

Trata-se de mais um daqueles desenhos da Hanna-Barbera, então já podíamos esperar aquelas historinhas infantis, com piadas toscas e as costumeiras lições de moral no final do episódio, na mesma linha de He-Man e G.I.Joe. Só que aqui a idéia foi unir os super-heróis da Liga da Justiça como uma super equipe pronta para defender a Terra de diversas ameaças, além de garantir a perpetuação da moral e bons costumes. Esse é um dos motivos pelos quais eu sempre preferi mais os heróis da Marvel, afinal de contas você não via o Wolverine dando liçãozinha de moral, mas sim fumando charuto, tomando cerveja e descendo a porrada nos bandidos. Mas o desenho dos Super Amigos era legal de se ver, com suas histórias curtas e divertidas. Durou um bom tempo na televisão, sendo lançado originalmente em 1973 e durando mais de dez anos, sendo logicamente reprisado inúmeras vezes por aqui.

O que não faltavam eram super-heróis no desenho, sendo que a turma principal, que sempre esteve em todas as temporadas, era composta pelo Super Homem, Mulher Maravilha, Batman, Robin e Aquaman.


Detalhe como essa imagem é tosca. O Super Homem e o Aquaman tem a mesma cara de babaca, a Mulher Maravilha ali no meio de braços dados com o herói aquático e o Menino Prodígio, com uma cara de safada. Embora sabemos bem que o Robin fica animado é com a mão do Batman em seu ombro. Não tinham como fazer uma foto mais gay que essa.

Por que diabos insistiram com o Aquaman, é um mistério. Pombas, ele é o super herói mais inútil da face da Terra, com seus poderes de falar telepaticamente com as criaturas do oceano, principalmente se você considerar que a imensa maioria dos episódios ocorria em terra firme, de forma que assim o Aquaman não passava de um idiota de camisa laranja que não servia pra nada.

Aquaman em cima de uma tartaruga jurássica

Outro detalhe que levanto era que a Mulher Maravilha parecia um traveco! Sério, com sua cara meio quadrada, e de quebra a voz meio fanchona da versão brasileira deixava ela com uma pinta de Roberta Close. Nojento, prefiro muito mais como desenharam ela naquele desenho da Liga da Justiça.


Gatinha essa Mulher Maravilha... Continuando...

Todos os heróis se reunião na famosa Sala da Justiça, um prédio no meio da cidade de Metropolis, um pouco megalomaníaco demais para abrigar meia dúzia de super heróis. Tanta gente sem um teto para morar e os putos dos Super Amigos com essa mega mansão só para eles, de quebra com um lago doido! Sem falar que, para heróis que seriam certamente alvo de muitos bandidos, ficar num lugar tão visível, no meio da cidade, era realmente um convite para que o próximo gênio do mal mandasse uma chuva de mísseis para destruir o prédio todo... Acontece que naquela época não se imaginava que bandidos poderiam fazer ataques dentro do território americano.

Enquanto isso, na Sala da Justiça...

Claro que os cinco heróis principais não eram os únicos, e outros amigos viriam a ajudá-los em algumas situações, sendo que alguns desses outros supers viriam a fazer parte do time durante algumas temporadas. Como o Lanterna Verde, Flash, o Homem Águia e a Mulher Águia e o Átomo, ajudando os demais da equipe de acordo com a popularidade momentânea de cada um.

Quer cena mais gay que essa?

Pra você ver que até o Homem Borracha chegou a participar de um episódio! Me lembro do desenho dele, muito sem noção esse cara, mostrando que a DC também tinha umas idéias meio toscas em termos de heróis.

Homem Borracha cheio de papo com a loirinha boba

Mas havia espaço para a loucura sem noção também no desenho dos Super Amigos, com tentativas de heróis muquiranas que foram criados somente para esse desenho. Coisas da Hanna-Barbera, que na primeira temporada decidiu colocar uma pitada de Scooby Doo no desenho, com a dupla de adolescentes Marvin e Wendy, juntamente com o seu cachorro Marvel (que irônico). Nenhum deles tinha poderes, mas achavam que só porque vestiam capas poderiam andar com Super Homem e companhia.


Considerando que o Batman está no time, e conhecendo seus traços pedófilos homoeróticos, não duvido nada que a dupla foi idéia do Homem Morcego, cansado de ficar só brincando de pique-esconde com o Menino Prodígio.

Pergunto mais uma coisa, o que diabos os estúdios da Hanna-Barbera tem com cachorros? Scooby Doo, Muttley, Bionicão, Hong Kong Fu, Droopy... Tantos cachorros! Diga-se de passagem que esse tal de Marvel parece ser um cruzamento do Bionicão com o Scooby Doo.


Mas acho que tudo bem... Afinal de contas, o Falcão Azul era quase uma cópia descarada do Batman também...

Felizmente para a nossa sanidade, Marvin, Wendy e Marvel o cachorro perderam o emprego logo após o final da primeira temporada, desaparecendo por completo do universo DC e Hanna-Barbera. Mas somente para abrir espaço para os Super Gêmeos!


Não tem marca registrada dos Super Amigos mais conhecida do que os Super Gêmeos. Zan e Jayna são de algum planeta distante e vieram se juntar aos heróis da Sala de Justiça, juntamente com seu macaco de estimação Gleek, com o descarado objetivo de ser o novo comic relief da série. Ao contrário dos adolescentes anteriores que só tinham como super poderes serem chatos para burro e ter casos crônicos de acne, os Super Gêmeos viriam sim com poderes especiais. Ao chocar seus punhos um contra o outro, eles podiam se transformar, sendo que Jayna podia virar qualquer animal conhecido (ou mesmo desconhecido), enquanto que Zan podia virar qualquer coisa de água ou derivados.


Sim, Zan conseguiu ter um poder ainda mais inútil do que o Aquaman!

Enquanto Jayna poderia virar qualquer animal, que muitas vezes poderia ser de utilidade nas missões, Zan só podia se transformar em água ou coisas de gelo. Sim, na maior parte dos episódios ele simplesmente adotava a forma de água, para se derramar dentro de um balde que era levado por Gleek ou Jayna em uma de suas transformações. Ou seja, não servia pra pôrra nenhum. Uma vez ou outra ele virava alguma coisa de gelo, mas quase sempre a idéia do retardado era virar água. Se bem que uma vez ele se transformou nisso...


Sim, ele virou merda.

De qualquer forma, os Super Gêmeos tiveram uma boa participação do desenho, muitas vezes entrando em confusão, mostrando que eles estavam ali mesmo para justificar as piadinhas toscas e situações engraçadas. Mas os criadores do desenho viriam a inventar mais outros super-heróis para se juntarem ao Super Homem e companhia. E acreditem, alguns ainda mais bizarros que os Super Gêmeos, sendo praticamente uma tentativa de tornar o desenho politicamente correto ao retratar as minorias.

Afinal de contas, os Super Amigos eram até o momento compostos praticamente por heróis brancos, de origem americana. Pior que isso em termos raciais, só se o chefe deles fosse o Hitler e os inimigos fossem todos negros. Então, para agradar a criançada que fazia parte das minorias negra, asiática, nativo e hispano-americanas, quatro novos heróis foram convocados.

O primeiro da lista é o Vulcão Negro, um negão com um uniforme extremamente gay. Ao contrário do Super Homem, que andava de cueca por cima da calça, ele decidiu adotar o visual só de cueca. Tinha o poder de disparar relâmpagos das mãos, assim como da bunda, e com esse mega peido elétrico ele podia assim voar. Quase como uma cópia masculina descarada da Tempestade dos X-Men.


Tinha também o Samurai, com um nome original para o herói de origem japonesa e voz engraçada. Ele tinha como poder principal o controle do vento, o que usava para gerar um furacão ao redor de seu corpo, com o qual podia acertar os inimigos ou voar. Ou seja, quase como soltando um peido-furacão. Em algumas raras oportunidades eles também usava outros poderes, como ficar invisível ou criar ilusões. E como o Vulcão Negro, gostava de andar por aí de cuequinha.


Na sequência, vinha o Chefe Apache. O índio tinha um poder peculiar, ao dizer as palavras mágicas "Ine shok" ele podia aumentar de tamanho. Ou seja, ele era praticamente como o robô que os Changeman usavam quando precisavam enfrentar monstros gigantes. Por isso que ele muitas vezes acabava relegado ao papel de dar lição de moral para os inimigos. Ao contrário do Vulcão Negro e Samurai, o Chefe Apache não usava cueca, mas somente uma tanga...


Isso quer dizer que em episódios como esse, no qual ele fica maior do que a Terra, além dele conseguir com seus pés destruir estados inteiros, quem estivesse ali embaixo e olhasse para cima viria as bolas do índio ocupando todo o céu...


Por fim, o último dos heróis era o El Dorado. O mexicano parecia ter fugido do jogo do Montezuma com sua descendência asteca, e tinha uma grande variedade de poderes (não porque ele era fodão, mas pelos criadores nunca terem se decidido do que ele podia fazer), como teletransportar a si mesmo usando sua capa. Ao contrário de seus demais colegas, pelo menos usava um par de calças, mas ficava andando sem camisa, sempre adotando essa pose de go-go boy.


Com todo esse batalhão de heróis, você deve imaginar que haviam também vários vilões, né? Bom, no início não era bem assim, e os Super Amigos acabavam eram enfrentando ameaças mais diversas, como cientistas do mal anônimos, punks genéricos (naquela época era comum sempre colocar os punks como bandidos) desastres naturais e criaturas espaciais. Ou então haviam aquelas situações mais "light", onde havia alguma pessoa se acidentando ou os típicos adolescentes fazendo merda, e lá iam os heróis para ajudá-los, juntamente com uma lição de moral e cívica no final. Alguns desses episódios eram clássicos de tão escrotos, tanto que eu ainda vou me dar ao trabalho de fazer algumas postagens mais detalhadas a respeito de alguns deles. Só como aperitivo...


Sim... É simplesmente o Titanic, que virou um monstro... Com direito a um olhinho zangado.

Chegou uma hora que o pessoal cansou de inventar essas baboseiras, e se deu conta de que super heróis poderiam enfrentar super vilões. Da mesma forma, a idéia foi juntar vários inimigos dos Super Amigos, que se uniram para traçar os planos mais asquerosos e astutos. Surgia assim a Legião do Mal.


Encabeçando o grupo, quem além do cabeça de ovo Lex Luthor? O inimigo do Super Homem seguia todos os traços de líder incompetente de desenho animado, como o Comandante Cobra e o Esqueleto, e ainda fazia isso usando uma camisa roxa. Pôrra, seu careca! Onde você comprou essa camisa não tinha pra homem não?


Os inimigos se reuniam em uma nave que mais parecia a cabeça do Darth Vader, que ficava em um pântano. Vale aqui o mesmo comentário da Sala de Justiça, esconderijo mais estúpido e facilmente localizável não existe. A sorte dos bandidos é que os Super Amigos são meio bobos, e jamais iriam executar um ataque em massa na fortaleza dos malfeitores para acabar com a raça deles.


Os bandidos eram os mais diversos, vindos das histórias em quadrinhos. Juntaram na verdade os inimigos dos membros dos Super Amigos, mas no final das contas o que acaba se tendo é um verdadeiro circo de horrores, com criaturas das mais absurdas e bizarras possíveis. Como o Espantalho, Capitão Frio, Charada, Bizarro, entre outros.


Incluindo um Brainiac que andava de cueca...

Os Super Amigos ficaram no ar por um bom tempo, foram quase 15 anos no ar nos Estados Unidos, sem contar com as inúmeras reprises, assumindo diversos formatos, indo desde episódios curtos de 20 minutos como a maioria das séries de hoje mas chegando até a temporadas onde era uma hora de Super Amigos para a garotada, normalmente com vários episódios. Claro que aqui no Brasil o formato era diferente, sempre sendo um episódio só na grade de desenhos do programa infantil que os estivesse exibindo, dividindo espaço com Popeye, Pica-Pau e Tom & Jerry.

Por conta disso, nós aqui no Brasil não nos demos conta de algumas bizarrices mais que haviam nos episódios, em especial naqueles maiores de uma hora. Entre cada aventura, era comum algo como pequenos intervalos onde os heróis apresentavam recomendações de segurança, receitas (não aquelas daquele livro da DC) e até mesmo brincadeiras, como um decodificador onde os Super Amigos davam dicas para a garotada adivinhar uma palavra. Isso permitia a gente ver ridículos como esse...


Mas o que estava mais presente eram as dicas de segurança e saúde. Volta e meia aparecia alguma criança fazendo alguma merda, e então vinha lá um super herói para salvá-los e dar uma lição. Como, por exemplo, o Batman e o Robin ensinando para um moleque que não deve andar de skate na rua.


Claro que a dupla dinâmica faz isso laçando o pirralho como um bezerro, provavelmente levando-o amordaçado para a Bat-Caverna onde será disciplinado...

Super Amigos foi sem dúvida um de meus desenhos favoritos, mas sem dúvida muito mais pelo fator tosqueira, era realmente hilário ver as situações bizarras que os pobres heróis tinham que passar. Como prometido, vou depois apresentar alguns episódios aqui no site, para que vocês vejam como era tosco mesmo.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Dilma e os dados...

Certamente você se lembra da época do Lula como toda semana ele falava alguma asneira sem sentido, aquelas coisas estúpidas que só poderiam ter sido bostejadas por um metalúrgico analfabeto e burro com devaneios comunistas. Da gerentona Dilma eu tenho falado pouco, mas não significa que ela seja menos estúpida que o sapo barbudo, e nessa semana ela deu um exemplo de como tem uma cabeça bitolada e vazia. É tão ridículo, que fiz questão de reproduzir na íntegra a notícia.

Antes que reclamem, hoje estou sem saco de ficar procurando fotos... Vai um post só com texto mesmo.

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira (8) que o governo quer que o Marco Civil da internet – projeto de lei em tramitação na Câmara dos Deputados – determine que o armazenamento de dados brasileiros deve ser feito obrigatoriamente no Brasil.

O governo vai rever o projeto do marco civil antes de colocar em votação, de acordo com a presidente, para 'garantir melhor a privacidade' dos dados.

Reportagem do jornal 'O Globo' publicada no domingo (7) afirma que, na última década, pessoas residentes ou em trânsito no Brasil, assim como empresas instaladas no país, se tornaram alvos de espionagem da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (National Security Agency - NSA, na sigla em inglês). Segundo a reportagem, não há números precisos, mas em janeiro passado o Brasil ficou pouco atrás dos Estados Unidos, que teve 2,3 bilhões de telefonemas e mensagens espionados.

'Vamos dar uma revisada porque uma das questões que devemos observar é onde se armazenam os dados. Porque muitas vezes os dados são armazenados fora do Brasil, principalmente o do Google. Queremos obrigatoriedade de armazenamentos de dados de brasileiros no Brasil. E fazer revisão para ver o que pode garantir melhor a privacidade', afirmou.

Para a presidente, a nova legislação brasileira que estabelece direitos e deveres de usuários, governo e empresas no uso da rede deverá oferecer segurança 'primeiro, aos direitos humanos, à privacidade de cada pessoa, de cada cidadão. E segundo, mas não nessa ordem, a garantia de soberania do Brasil'.

Dilma disse que é preciso apurar se, de fato, houve participação de outros países e de empresas estrangeiras na suspeita de espionagem e que não deve haver pré-julgamento, mas reiterou que o Brasil não concorda com interferências como essa.

'Se houver participação de outros países, de outras empresas que não as brasileiras, seguramente é violação de soberania e de direitos humanos. Mas temos que ver sem precipitação, sem pré-julgamento. Agora, a posição do Brasil nessa questão é muito clara e muito firme. Nós não concordamos de maneira alguma com interferências dessa ordem, não só no Brasil como em qualquer outro país', afirmou.

Engraçado isso... Toda essa história começou depois que um ex-técnico da CIA, que por agora está refugiado em um aeroporto de Moscou, afirmou que os EUA promoviam a espionagem de ligações telefônicas e e-mails, e conforme foi apresentado na reportagem citada (que pode ser vista aqui), brasileiros foram também alvo dessas investigações. Isso colocou o Brasil no mesmo patamar de outras nações de grande "índole" e "confiança", como China, Rússia, Irã e Paquistão.

Lógico que, se antes os petelhos já estavam todos ouriçados com a denúncia de investigação dos EUA, quando descobriu-se que ela foi feita aqui também, aí é que eles ficaram ainda mais vermelhos do que de costume, sacando as suas bandeiras com o martelo e o foice de dentro do armário, vestiram suas camisas do Che Guevara e começaram a gritar furiosamente "morte aos EUA!".

Vamos por partes, e começo destacando essa questão de espionagem. Não é surpresa que o governo norte-americano tenha ampliado esse tipo de investigação, principalmente depois do 11 de setembro. Afinal de contas, terroristas estavam bem debaixo de seus narizes e promoveram os atentados mais destrutivos e covardes da História. É de se entender que os EUA viessem a buscar todos os meios para evitar que isso acontecesse de novo, para garantir a segurança de seu povo. Mesmo que isso signifique espionar e-mails e ligações.

E o fato do Brasil figurar entre uma das nações mais investigadas não é surpresa. É uma consequência dos tempos do Lula, que fazia todo um lobby a favor de todos os maiores inimigos políticos dos EUA. O Brasil é um país emergente, que vai ganhando cada vez mais uma posição de destaque no cenário mundial, mas sendo liderado por aquele jumento do Lula fez com que nosso país fosse se associando e se aproximando de nações como Líbia, Cuba, Síria, Venezuela e Irã. Nosso governo, sempre mais preocupado em seguir a sua ideologia ultrapassada comunista e em promover abertamente o anti-americanismo, pediu para ser taxado no mesmo nível de nações inimigas dos EUA, quem fazem muito bem em espionar esse mar de lama.

Pronto. Podem começar a me xingar. Já vão dizer que eu estou defendendo os EUA, que acho certo que ocorra essa espionagem. Eu espero.

...

...

...

Posso continuar? Pois muito bem.

Eu sempre procuro ser razoável na minha posição sobre qualquer assunto, e nesse não será diferente. Acho que a espionagem voltada para o interesse próprio é sim algo que deve ser condenado, seria quando você por exemplo espia o contra-cheque do amigo para depois reclamar com o RH porque ganha menos, fuçar o telefone da namorada pra descobrir o telefone da amiga gata dela que você quer dar uns pegas ou olhar a resposta do livro de palavra-cruzadas antes de jogar sério. Nesses casos, acho que é sim um abuso, tendo o interesse egoísta de se beneficiar.

Como por exemplo bancos, editoras e agências de propaganda que ficam divulgando telefones de clientes entre si, para ficarem ligando e oferecendo produtos e serviços que não queremos. Outro dia recebi uma ligação da TIM, nunca tive telefone dessa operadora, mas eles tinham meu contato, sabiam meu nome e sobrenome e a minha atual operadora, querendo me oferecer para mudar para eles. Isso sim eu acho uma grande sacanagem, uma putaria homérica, ao usarem informações privadas obtidas sem meu consentimento para tentar me vender um novo plano.

O que ao meu ver não é a intenção da NSA, CIA e do governo americano. Essa espionagem tem o propósito de localizar possíveis terroristas, pessoas que podem estar planejando atos como aqueles russos que colocaram aquela bomba na maratona, por exemplo. Uma espionagem que tem o interesse de garantir a segurança, o bem-estar da sua população, evitando que tenhamos mais mortes promovidas por loucos fundamentalistas que nutrem ódio pelos Estados Unidos e os norte-americanos. Um mal necessário, eu diria.

Mas claro que as pessoas não pensam assim. Principalmente se forem seguidores assíduos da cartilha vermelha da esquerda, que tem como um de seus primeiros mandamentos sempre discordar e criticar de qualquer coisa que os Estados Unidos façam, mesmo se nações "amiguinhas" como Cuba e Venezuela façam o mesmo. O famoso mesmo peso e duas medidas. Se os soviéticos na Guerra Fria espionavam, tudo bem, eles estavam no seu direito de garantir a soberania comunista; se os americanos espionavam, eram cretinos sem-vergonhas invadindo a privacidade dos outros.

Essa é a primeira bandeira levantada pela Dilma, dizendo prezar pela privacidade e os (sempre eles) Direitos Humanos, considerando que a espionagem promovida pela nação do Obama agride esses direitos das pessoas. 

Sério, isso vindo de alguém como a Dilma é uma verdadeira palhaçada! Interessante como uma ex-terrorista que promovia a luta armada para emplacar uma ditadura comunista no Brasil vem com esse papinho de defesa da privacidade e dos Direitos Humanos...

É um exagero muito grande as pessoas se sentirem ofendidas com essa espionagem. Diria até que se sentem ofendidas, é porque tem algo a esconder. Eu entendo sim o direito a privacidade, acho isso extremamente válido. Só que essa preocupação com a privacidade deve ser plena, de forma a não expor certas coisas que se deseje manter em segredo, ou que pelo menos não se deseje expor de forma tão evidente para pessoas próximas. 

Mas as pessoas, principalmente hoje em dia, não parecem dar a mínima para isso. Vai no Facebook e você vai ver pessoas expondo de forma gratuita todas as suas informações, colocam ali o endereço onde moram, número do telefone, fotos da família e filhos. Chegam ao ponto de usar aplicativos para dar check-in e dizer onde estão, comunicando isso para todos com uma necessidade quase que orgânica de compartilhar todos os detalhes de sua vida. Tenho uma amiga que ainda cometeu a estupidez de tirar uma foto segurando o seu cartão de crédito, para que qualquer um pudesse ver o número.

Só que errados são os EUA por espionarem e-mails e ligações. Expor sua vida no "Faice", tudo bem, nada demais...

E o interessante é que não existe toda essa mesma gritaria por conta de outras ações, muitas delas que são promovidas aqui mesmo no Brasil, e que poderiam ser da mesma forma interpretadas como invasão de privacidade. Por exemplo, hoje é comum que os prédios tenham câmeras de segurança em suas áreas comuns. Sob a mesma ótica, isso poderia ser entendido como uma espionagem, uma pessoa poderia se sentir violada ao ver que o porteiro sabe a hora exata em que ela saiu de casa ou com quem ela chegou. Será que a Dilma vai depois proibir o uso de câmeras de segurança?

Interessante é ver a frase dela, dizendo que essa nova política de segurança de dados que ela propõe deve dar segurança "primeiro, aos direitos humanos, à privacidade de cada pessoa, de cada cidadão. E segundo, mas não nessa ordem, a garantia de soberania do Brasil"

Me diga o que ela quer dizer com "segundo, mas não nessa ordem"?

Dá a impressão que a prioridade seria garantir a privacidade de cada pessoa, e depois pensar na soberania (como os petelhos gostam dessa palavra...) do Brasil. Daria até essa impressão se não fosse ali o "mas não nessa ordem". Aí eu entendo que a prioridade mesmo é garantir a soberania do Brasil, que este deve ser o foco em detrimento do direito de privacidade.

Até poderia imaginar ser essa outra daquelas frases sem nexo proferidas pela nossa "presidenta", que tem a mesma articulação gramatical e capacidade de raciocínio de uma ameba retardada. Mas levando em conta os constantes interesses obscuros do governo e o infinito desejo de transformar o Brasil em uma nova Cuba me leva a desconfiar que no fundo é isso mesmo... Dilma está preocupada é em garantir a soberania de seu governo e de seu país, isso sim. Não duvido nada que se ela tivesse como controlar os dados e as informações para saber quem fala mal dela e de seu governo, ela não iria fazer isso. 

E errados são os EUA, por espionarem com o objetivo de garantir a segurança de seu país... Interessante...

Agora, o outro ponto que me chamou atenção, muito mais pelo teor hilário, é ver a Dilma imaginar que todos os dados de brasileiros sejam armazenados em servidores localizados no Brasil...

Sério, ela deve estar de sacanagem mesmo. É piada? 

Primeiro lugar, eu fico me perguntando como que o governo acha que terá esse controle, de que todos os dados de alguém do Brasil sejam gravados aqui, imaginar essa regionalização é uma grande estupidez. A internet é altamente globalizada, muito provavelmente todos os dados desse blog aqui, por exemplo, podem estar armazenados em um servidor da Google localizado no Turkomenistão, como que a gerentona acha que vai conseguir controlar para que tudo seja gravado aqui? É totalmente sem lógica...

Segundo, supondo que seja possível fazer isso, onde que o governo vai achar dinheiro para financiar a compra de servidores de dados? Confesso que essa é uma pergunta fácil, pois quem sustenta todos os gastos do governo, não importando o quanto fúteis sejam, é o povo. Ou seja, as pessoas de bem que trabalham duro vão ter mais uma fatia do pouco que ganham para financiar a compra desses servidores.

Em terceiro lugar, não resta dúvida de que essa compra de servidores seria feita da forma mais trambiqueira possível. Vai aparecer alguma empresa de um amigo de um ministro, oferecendo servidores que vão custar o quíntuplo do preço de mercado, vai ter alguém que vai enriquecer com isso...

Quarto, levando em conta a trambicagem, pode apostar que esses servidores serão não só muito mais caros do que realmente valem, como provavelmente terão a mesma capacidade de processamento e armazenamento de um 386. Pois afinal de contas Dilma vai querer incentivar a indústria nacional, priorizando produtos de baixa qualidade, que vão perder dados importantes de pessoas físicas e empresas.

E em quinto lugar, se o governo tiver o total controle dos dados dos brasileiros, se todas essas informações estiverem sob o controle de Dilma e companhia... Fica bem mais fácil para que eles possam fazer uso delas em benefício próprio. Seja para perseguir adversário políticos, seja para começar a censurar quem fale mal do governo, seja para ocultar os seus desvios de verba e crimes...

Uma verdadeira palhaçada mesmo esse país... Quero ver se essa idéia vai colar, ficam com esse papinho de proteção de Direitos Humanos mas no final vai tudo acabar em pizza. Podiam até dar a opção das pessoas escolherem onde vão deixar seus dados, eu não pensaria duas vezes: coloca em qualquer lugar, menos aqui.

sábado, 6 de julho de 2013

Lançamento Perfeito

Estou sumido, mas só para espantar as moscas, vamos ver um vídeo que veio lá da Coréia, e que abriu meus olhos para o baseball...



Puta merda! Que flexibilidade! Vale até uns GIFs animados, para registrar para a posteridade, caso o vídeo do YouTube seja deletado um dia...


Sempre tive uma queda por orientais, sempre tão meiguinhas e sorridentes. Mas essa menina se destaca com a sua extrema habilidade e flexibilidade com as pernas, quase como um Spinning Bird Kick da Chun Li.


Digo que não só o movimento, mas mesmo no início do lançamento a garota já faz uma pose bem interessante, com o bumbunzinho arrebitado e empinando a comissão de frente. E me pergunto por que tem um calhorda vestido de urso com bonezinho rosa ali atrás...


Na boa, 9 entre 10 homens numa hora dessas devem estar pensando em sacanagem, imaginando como esses movimentos poderiam ser usados entre quatro paredes.


Como é possível ver no banco dos coréias: o primeiro da esquerda deve ser o arremessador oficial que está vendo que será mandado embora e vai ter que fazer malabarismo no sinal pra ganhar uns trocados; o risonho com colar de boneca soltou um peido e ficou quieto; o gordinho da ponta direita tá pouco se fudendo pro que está acontecendo, e está procurando o sujeito que vende espetinho de cachorro nas arquibancadas...


E o filho da puta agachado ali no meio está com uma mega cara de safado, provavelmente imaginando se a mocinha tem a mesma habilidade em manipular um taco como tem com uma bola, enquanto se masturba discretamente no banco de reservas.

Em tempo: o nome da menina é Shin Soo-ji, e ela é atleta de ginástica rítmica da Coréia, o que explica a incrível habilidade contorcionista.

  

Oriental e ginasta? Posso confessar que essa é uma excelente combinação para este texugo que vos fala.

E pra ele também...