sábado, 25 de abril de 2015

Descendo Escada


Sou um texugo muito observador. Tantas vezes me vejo observando as pessoas na rua, percebendo certos comportamentos e manias que me fazem pensar e refletir sobre como é o ser humano. Mesmo eu tendo uma aversão total à qualquer coisa relacionada às Ciências Humanas, tenho que confessar que me intrigo em muitas situações como se eu fosse um psicólogo. Mas aí caio na realidade e vejo que toda essa observação na maioria dos casos é para ficar revoltado e abismado com alguma estupidez que alguém está fazendo. E hoje não será diferente.

Dessa vez, eu estava indo pegar um metrô, era na estação da General Osório bem no fim da linha. Mas eu estava na verdade entrando não pela praça que fica em Ipanema, mas pelo acesso que tem em Copacabana, perto do Posto 6. Para quem não é do Rio e não conhece, entenda que a entrada na praça General Osório é a principal, toda fuderosa, só falta ter alguns anjos com trombetas voando na porta de tão chamativa que é; por sua vez, essa entrada de Copacabana por onde eu estava indo é como a entrada de serviço de um prédio, sem graça, cheio de lixo na entrada, e sequer uma pôrra de ventilador pra refrescar a caminhada até o metrô.

A única vantagem é que por ela se anda muito menos, enquanto que entrando pela General Osório é quase como a jornada ao centro da Terra...

Mas mesmo com uma distância menor a ser caminhada, essa é uma daquelas entradas do metrô onde a escada rolante é só pra cima, e para descer tem que ser a escada normal mesmo, a não ser que você faça parte de uma das minorias, como deficientes ou idosos, que pode usufruir do elevador, quando funciona. Não precisa dizer que esse elevador trabalha mais que não sei o quê, em função da grande população de velhinhos de Copacabana, assim como do grande número de mal educados preguiçosos que não descem pelas escadas.

Bom, e é sobre o ato de descer escadas que me traz aqui. Nesse dia, eu fui lá descendo pela estação, no meu passo normal, sem muita pressa, até porque eu estava carregando algumas sacolas de compras e a última coisa que eu queria era me desequilibrar e me estabacar lá embaixo. Aí percebo que passa um cara do meu lado, aqueles típicos adolescentes recém-admitidos em universidade de Direito, com seu terninho comprado à prestação e mochila nas costas, descendo a escada saltitando.


Sim... Saltitando como uma gazela...

Pior que logo depois me passa outro, esse não apenas saltitando, mas com os braços pulando para cima e para baixo, como duas mangueiras de jardim penduradas. Depois passa uma garota, também dando saltinhos para descer as escadas, com direito às suas bazingas pulando para cima e para baixo como gelatina.


Tudo bem que essa última foi até agradável de se ver, ainda era uma mocinha bonita, e com um belo decote que quase deixava os peitos pularem para fora... mas aí estou fugindo do foco.

Enfim, mas que pôrra! Puta que pariu! Por que as pessoas fazem isso? O pior de tudo é que passei a perceber isso em outros lugares com escadas, e não são poucos aqueles que descem dessa forma. Fora pequenas variações, tipo a forma como balança os braços ou se os passos são contínuos ou com paradinhas, tá cheio de gente que desce escada saltitando.

Não consigo ver nenhum tipo de motivo para se fazer isso. Sei lá, cheguei a pensar que poderia ser uma forma de forçar menos as articulações, talvez poupando um pouco mais os joelhos. Mas por outro lado ao saltitar você acaba provocando um impacto maior nos pés, ainda mais se estiver um pouco acima do peso. Não, na boa, se algum médico especialista na área aparecer por aqui e conseguir me esclarecer, ótimo. Mas eu sinceramente não consigo ver como descer uma escada dessa forma possa ser mais saudável.


Sem falar que em certas situações pode ser até perigoso. Já vi pessoas carregando coisas, mulheres de salto alto, só para citar alguns exemplos de sujeitos que na minha opinião se arriscam tremendamente ao descer lances de escadas com pulinhos. Qualquer desvio, qualquer escorregão, e a pessoa se fode bonito, vai levar um tombaço daqueles. E aí vai dar trabalho para os outros, sem dúvida!

Eu suspeito que uma das razões é pressa... Já comentei aqui sobre a minha teoria de que lançam algum produto no ar dentro das estações de metrô que deve deixar as pessoas mais apressadas, e talvez essa seja uma razão, pois ao descer saltitando dessa forma normalmente se desce mais rápido. Embora já vi pessoas descerem assim em outros lugares além de estação de metrô. Mas chega a ser curioso, pois certa vez fiz uma observação em outra vez que eu fui nessa mesma estação: estava andando na calçada em direção ao metrô e havia um sujeito que estava na minha frente, pois era um flamenguista que por aquela postura arrogante e convencida estava usando o trapo rubro-negro mesmo depois de ter perdido no fim de semana...

Estava andando em um passo relativamente lento o filho da puta. Tanto que eu o ultrapassei, sem precisar fazer muito esforço. Chego então na escada e começo a descer como uma pessoa normal, e daqui a pouco passa o mulambo, saltitando como se tivesse uma lanterna enfiada na bunda! Depois das escadas, voltou a seu passo devagar, e eu o alcancei mais uma vez!

Aí eu fico me perguntando: se fosse pressa mesmo, as pessoas não iriam apenas saltitar nas escadas, mas também manter um passo rápido quando andassem em uma superfície plana. Se não é por querer economizar alguns segundos de sua vida, me explica então por que alguém precisa descer escadas como se fosse um dos Bananas de Pijamas?


É realmente curiosa a natureza humana, não é mesmo? São coisas que me fazem pensar... Não consigo realmente imaginar uma razão plausível para pessoas descerem as escadas dessa forma, com pulinhos afrescalhados e ridículos. Pra mim não existe nenhum objetivo prático em fazer isso, mas mesmo assim muitas, mas muitas pessoas o fazem. Não tem razão de saúde, não tem a ver com pressa... Ou é simplesmente uma modinha, uma forma que todo mundo quer imitar por que todos fazem, ou é mesmo algo inexplicável.

Tudo bem, sei que estou me emputecendo por bobagem. Cada um desce a pôrra da escada como quiser! Se quiser descer saltitando, vai lá; se quer pular de dois em dois degraus, tranquilo, só não me pede ajuda se cair depois; se quer aplicar um Moonwalker ou outra bizarrice, siga em frente. Mas realmente queria muito saber um motivo para as pessoas descerem saltitando, tem que ter algum porquê! Se alguma nobre alma puder me esclarecer, eu agradeço.

Ou então vou passar a descer sempre de elevador... Assim evito de ver essas tosqueiras quando estou descendo uma simples escada.


quinta-feira, 9 de abril de 2015

Chora Mulambada mais uma vez

Sempre é bom ver meu Botafogo ganhar mais um título, ontem foi conquistada mais uma Taça Guanabara, aquele campeonato que para os mulambos não vale nada quando os outros ganham mas quando é o Flamerda quem ganha, vale mais que a Copa do Mundo. Mesmo com um time renovado, se preparando para disputar a segunda divisão, o alvi-negro fez uma campanha exemplar com onze vitórias, três empates e só uma derrota.


Mas, como dizem... Tem coisas que só acontecem com o Botafogo. Pois mesmo o mais otimista dos botafoguenses imaginava que esse título viria. Na última rodada, o Flabosta estava com dois pontos a mais que o Botafogo, e iria jogar contra o fraquíssimo Nova Iguaçu, praticamente rebaixado, enquanto o Glorioso iria enfrentar o Macaé. Ou seja, os mulambos dependiam somente de suas próprias pernas, só precisavam de um mísero gol para garantir o título da Taça Guanabara, e a vantagem do empate para todos os jogos da fase final do Carioca. Só isso que eles precisavam. E para o Botafogo, só a vitória interessava.


Bom, o Botafogo fez o dele, e o mais legal foi que o gol contra o Macaé lembrou muito aquele gol bizonho feito contra os urubus, onde a bola bateu na trave, depois nas costas do goleiro e entrou. Só não foi mais hilário que o gol contra os mulambos por motivos óbvios.


Enquanto isso, o menguinho sofria, não conseguia fazer um gol contra o time de New Iguáçu. Nessa altura, fica sempre aquela apreensão, conhecendo como o Flamerdinha sempre tem ajuda do apito amigo, que deu jogo até os 50 minutos. Ataque rápido, quase que um atacante deles cava um pênalti (se ele não tivesse se reequilibrado certamente o juiz marcaria), bate rebate e a bola sobrou nos pés do Alecsandro, o Alec-Gol, na pequena área, pra ser o golaço do artilheiro pra mais um título do Framengo...


... e o animal acertou o travessão!


Artilheiro é o caralho! Como é que ele perde um gol desses?

Acabou o jogo, e aí você então olha a tabela, que eu reproduzo abaixo:


Se você olhar, o Flamerdalho teve a exata campanha do Botafogo. Igualzinho! Mesmos pontos, mesmo número de vitórias, mesmo saldo de gols, gols pró e gols contra. Tudo idêntico. A definição veio a sair no último critério de desempate, o confronto direto. E nos lembramos muito bem qual foi o resultado desse confronto direto.

Ou seja... De certa forma, esse é mais um título alvi-negro que foi ganho em cima dos mulambos. Quer coisa mais deliciosa do que isso?


Chora mulambada!

terça-feira, 7 de abril de 2015

Princesas da Disney

Bom, eu já imagino pra começar que vai ter alguns babacas aqui me chamando de viado e bicha só por conta do título da postagem, dizendo que escrever aqui sobre princesas é coisa de quem gosta de sentar num charuto. E para esses panariços minha resposta é com um singelo dedo médio em riste, aqui eu escrevo sobre o que me der na telha. Além disso, sou um texugo completamente seguro de minha sexualidade, e não é por conta de uma postagem que significa que eu tenha desistido de vez das mulheres. Na minha visão, babaquinha que fica com esse tipo de zoação, tipo chamando alguém de viado só porque usa camisa rosa ou outra coisa, é na verdade um enrustido que no fundo adora os carinhas do One Direction e aproveita o Carnaval pra botar uma roupa de odalisca...

Enfim, e se esses putos parassem um pouco pra ler a postagem, iriam ver que de homossexual esse post não tem nada...

O que me motivou a essa postagem aqui foi uma constatação que me veio à tona outro dia, enquanto eu estava zapeando pelos canais de televisão. Em um dado momento, passei por um canal onde estava passando o desenho do Aladdin, e como não havia nada mais pra se ver, fiquei ali um pouco...


Até que então me vi ali admirando a princesa do desenho, a Jasmine, achando ela muito jeitosa e bonita.

Nessas horas eu fico meio preocupado, pois fico com medo de que se trata de descer a ladeira, depois de tanto falhar com as mulheres podia ali estar indo para um caminho sem volta onde iria começar a me apaixonar por desenhos animados, culminando depois em algum absurdo como comprar bonecas de hentai para colocar aqui na estante ou me casar com uma almofada de uma heroína de desenho japonês. Será que eu estava prestes a me tornar um desses japoneses tarados?


Mas eu comecei a perceber que eu não sou o único. Na verdade, existem muitos caras por aí que de certa forma acham as princesas dos desenhos da Disney bem bonitas. Lógico, não vou chegar ao nível dos doentes que levam isso para um lado mais sacana, criando inclusive montagens que arruínam a infância de muita gente. Mas acho curioso como elas acabaram caindo no gosto popular, fala-se mais das tais princesas do que das próprias histórias e filmes lançados, mesmo quando elas não são as protagonistas. Pessoas de todas as idades, homens e mulheres, sempre acabam em algum momento comentando a respeito de uma delas, ou mesmo de todas. Vide aquele episódio do The Big Bang Theory.


Já disse isso e vou dizer mais uma vez: que Penny que nada, gata mesmo é a Bernadette.

Aliás, como esse episódio da série dos nerds mostra bem, fantasia de princesa da Disney é um fetiche para muitos. Sex-shop que se preze deve ter fantasias de Branca de Neve ou Pocahontas à disposição, para aqueles casais que querem fazer um "coito de fadas" entre quatro paredes...

Vamos voltar, esse não é o objetivo da postagem, eu juro...

Fato é que as princesas dos filmes de Walt Disney parecem cada vez mais em voga ultimamente, é como se fosse uma franquia ou franchise da empresa do Mickey Mouse, mesmo considerando que elas vêm de filmes totalmente independentes e que não tem nada a ver uns com os outros. Sei que franquia pode ser uma denominação meio sem noção, mas é algo como a Patópolis da mesma Disney, onde criaram uma cidade onde os seus moradores são patos (ou pelo menos sua maioria), e dessa forma uniram em um mesmo universo o Pato Donald, a Margarida, o Tio Patinhas, os sobrinhos, o Professor Pardal e assim vai.


Mesma coisa com as princesas. Todas elas acabaram sendo unidas sob a original alcunha de "Princesas da Disney", aparecendo sempre juntas em diversas ocasiões. Embora isso não ocorra muito em termos de desenhos, se mostrando mais evidente na forma de produtos, como linhas de roupas, materiais escolares e brinquedos, mostrando que no final das contas a idéia de juntar as principais princesas da Disney tem como objetivo faturar dinheiro dos pais de meninas que desejam ter os mais diversos produtos da marca...

E é uma franquia bem "organizada" vamos assim dizer, pois os criadores para começar fizeram meio que uma seleção de quem poderia fazer parte. Por exemplo, a Sininho, aquela pequeninha que era amiga do Peter Pan, foi durante um breve momento parte do grupo, mas foi meio que "expulsa" do time, talvez por ela não ser uma princesa de verdade, estando mais para um vaga-lume; as duas princesas do filme Frozen, até o momento não foram convocadas para a seleção, talvez pelo fato de ninguém aguentar mais aquela música "Let It Go". Curioso como até algumas princesas da era digital, como Rapunzel e Merida do filme Valente, foram incluídas no grupo com versões em desenho mais clássico, algo bem interessante. Outras como Jane, a namorada do Tarzan, a Alice do País das Maravilhas, aquela cigana do filme do Corcunda de Notre Dame e a outra que era amiga do Hércules também ficaram de fora.

Bom, e considerando essa questão da seleção das princesas, uma pergunta que não quer calar desde que a Disney comprou os direitos da série Star Wars é se a Princesa Léia fará parte do time.


Sei não, tudo bem que o biquíni dourado da Princesa Léia é uma das coisas mais sensacionais do universo (é outra fantasia clássica que deve vender muito em sex shop), mas eu acho mais bonitinha a princesa Amidála... E realmente o Jabba The Hutt parece algo que a gente encontra na privada de um banheiro de rodoviária.

Um detalhe curioso, que li na Wikipedia, é que o sujeito que bolou essa idéia de juntar as princesas ainda estabeleceu uma regra que dita que em todos os anúncios de itens da franquia, nenhuma princesa pode estar olhando para a outra, todas precisam estar mirando para alguma outra direção. Isso era explicado pois cada uma vem de uma realidade distinta, e essa regra fazia com que nenhuma princesa tivesse idéia da existência das demais. Só de olhar a imagem abaixo você pode perceber isso.


Na boa, acho meio estúpido isso... Se vai juntar todas elas, deixa pelo menos que elas possam olhar umas para as outras.

Interessante que, olhando para a imagem acima, podemos ver como que a Disney busca algo como a imagem politicamente correta. Lógico que a maioria faz parte da "elite branca", como dizem os petralhotários, mas temos a representante asiática, a negra, a muçulmana e a índia, de forma que assim qualquer garotinha possa se identificar mais com a princesa que é mais parecida com ela. Claro, a não ser que a garotinha seja de origem latina, pois não tem nenhuma princesa com traços hispânicos. Aí ela vai ter que se espelhar, por exemplo, na personagem Chel do filme "O Caminho Para El Dorado" da DreamWorks, que no final das contas não deixa de ser um dos "filhotes" da Disney.


Pela carinha dela, dá pra imaginar que ela não deve ter a delicadeza puritana típica de uma princesa Disney...

Voltando, o que eu particularmente acho interessante é como muitos artistas amadores usam as princesas da Disney como inspiração para seus desenhos. Quem costuma passear pelo site 9gag ou por fóruns de desenho, certamente já deve ter visto em alguns momentos postagens que trazem algumas das princesas, muitas vezes mostrando sob uma ótica diferente, como se elas fossem super-heroínas, pessoas comuns de nossa sociedade, guerreiras medievais ou mesmo zumbis. Alguns podem dizer que é preguiça, mas acho interessante quando alguém pega personagens relativamente conhecidos e lhes dá um novo visual, uma nova roupagem seguindo um determinado tema.





Essa baseada no desenho Hora da Aventura ficou hilária!

Lógico que sempre tem alguns mais pervertidos que fazem desenhos semelhantes mas que já descem um pouco mais o nível. Como diz a tal da Lei #34 que conheci em sites de piadas, "if it exists, there is porn of it", o que coloca não só as princesas mas inúmeros outros personagens de nossas infâncias, que guardamos em nossas queridas lembranças de forma pura e inocente, em situações dignas de um filme do Brasileirinhas. Não vou colocar nenhuma dessas aqui, lógico. Me impressiona como que tem gente doente que parece sentir um prazer em criar tais desenhos de todo e qualquer personagem, eu já tive a infelicidade de receber de meus amigos desenhos desse tipo que me causaram muito desconforto e até um certo nojo... Como é que pode? Sério, certa vez me mandaram uma imagem que envolvia o Pernalonga e a Lola Bunny, que foi um verdadeiro chute nos bagos de minha saudosa infância...


Enfim, mas deixando de lado esses doentes que cismam em destruir a reputação dos nossos queridos personagens de desenhos animados, existem aqueles que fazem sim alguns desenhos relativamente mais comportados, embora que se aproveitam da beleza das princesas e as coloca com um visual mais sensual e digamos, caliente. Fica ainda relativamente interessante, sem descer ao nível de uma Gillette deitada.




Interessante... Muito interessante...

Confesso que essas três aí de cima são de longe as minhas favoritas. Como havia mencionado, a Jasmine é bem gata, na verdade é talvez uma das únicas princesas dos desenhos que mostra um pouco mais de decote. Olho para o passado, quando eu jogava Prince of Persia e imaginava que a princesa que você resgatava no final era ela, muito mais atraente e curvilínea do que a mulher original do videogame pixelado. Sem falar que o visual mil e uma noites é sem dúvida bem agradável aos olhos...


A Bela, outra que sempre achei bem bonitinha e doce. Embora eu vou dizer que ela é a que aparenta ser a de coração mais meigo e honesto, afinal de contas, se apaixonar por um sujeito que mais parece um Chewbacca da Renascença não é algo para mulheres superficiais. Ou seja, fica aquela impressão de que ela não é superficial, enxergando além da aparência horrível e animalesca, algo de que este pobre texugo aqui também é dotado, talvez uma que poderia na vida real se interessar por mim.


Claro, esqueci do detalhe que, embora tendo um visual de monstro, a Fera tá cheio de grana... Talvez seja por isso que a Bela gostou dele...

Porém, a que se destaca lá na frente como uma das minhas favoritas é a Ariel, a Pequena Sereia. Não vi o filme até agora, e acho que o fato dela vir acompanhada de um crustáceo falastrão que chega a ser mais escoto que o Senhor Sirigueijo pode até ser meio brochante... Mas a Ariel é bem cuti-cuti, é muito linda, com seus longos cabelos ruivos e tem aquele toque meio sensual com o sutiã de concha. Ah, como eu seria feliz tendo uma dessas em minha cama... Ou aquário, sei lá.


Deve ser meio que uma certa queda pela figura de sereia... Sereias sempre tiveram esse efeito sobre homens em geral, pelas histórias mitológicas e o caramba.

Fica só a dúvida a respeito de se seria ela na forma 100% humana, apesar de ser mais desajeitada com um par de pernas do que um trêbado perneta, ou na forma de sereia. Bom, como eu sou um texugo que não resiste a um belo par de peitos, acho que ela como meia mulher meio peixe não seria de todo ruim, apesar dela, nas palavras de um colega de faculdade meio pôrra louca, "não ter fendas".


Mas digo que é melhor sereia com a parte de cima humana do que só com a parte de baixo, não concorda?

Agora, é que certos sujeitos como eu, que ficam achando as princesas muito gatas, olhando para elas de uma forma mais peculiar, admirando certos aspectos de sua beleza, com alguns indo mais além com desejos mais carnais, vem a revelação bomba, que os mais espertos já deviam ter percebido: se você for considerar a idade verdadeira delas, verá que elas são praticamente crianças...


Cacetada! Como dizem, verdadeiro jail-bait essa turminha! A Branca de Neve, pombas, só 14 anos, como é que pode? Jasmine, toda decotada e tudo mais, só tem 15 anos! É até algo de se questionar, pois em quase todos os filmes essas princesas chegam e se casam com outros sujeitos, desde quando uma garota lá com seus 15 anos já vai querer casar? Tudo bem, é conto de fadas, talvez nessas histórias era mais comum o pessoal juntar as escovas de dente mais cedo, mas é foda. Pior ainda é como os desenhistas da Disney ainda as fizeram de forma muito atraente, algumas até relativamente mais sensuais, e todas são menores de idade.

Bom, aposto que tem muita gente que deve estar se sentindo agora como ele...


Baseado nessa revelação... Acho que pode ser interessante eu cogitar um pouco mais a Rapunzel, que apesar do cabelo imenso que poderia provocar muitos acidentes e situações embaraçosas, pelo menos já alcançou a maioridade...


Ou então fazer como mais um desses desenhistas amadores fez, considerando como ano de nascimento de cada uma das princesas a data na qual o filme estreou. Mais um desenho original, onde vemos a pioneira Branca de Neve como uma anciã de mais de 70 anos, e as minhas favoritas Ariel e Jasmine como mulheres nos seus vinte e poucos anos, já mais acessíveis.


Enfim, não resta dúvidas que as princesas da Disney mexem muito com a imaginação de muitos, não só das meninas (e diria que até muitas mulheres) que sonham em ser como elas, dos meninos mais jovens que as vêem somente como donzelas indefesas que não são páreo para os Comandos em Ação ou Transformers, mas que com um pouco mais de idade elas começam a personificar outros interesses menos nobres. No meu caso, um texugo sempre sonhador e romântico, sempre vi essas princesas como exemplos de doces e carinhosas damas, mulheres que sabem ser fortes e independentes quando precisam (como algumas das princesas da Disney mostram bem), mas que também têm o seu lado mais vulnerável e delicado, esperançosas de encontrar um homem que venha a torná-las felizes para sempre...

Difícil pra mim está em encontrar uma mulher que aceite ser a minha princesa... Estou vendo que parece que meu destino é continuar sendo sempre um sapo.


sexta-feira, 3 de abril de 2015

C.S.I. de Favela

Nos últimos dias o pau está comendo em muitas favelas do Rio de Janeiro, com tiroteios quase que diários que assombram os moradores das "cumunidades". Principalmente no Complexo do Alemão, que aparece todos os dias nos telejornais devido a constante troca de tiros entre polícia e bandidos. E, infelizmente, muitas pessoas inocentes acabam pagando o preço máximo. Nesse mês, seis pessoas já foram atingidas por balas perdidas, com três delas morrendo. Entre elas, um garoto de 10 anos.

Enfim, é baseada nessa história que eu venho aqui tecer uma de minhas opiniões, e que eu tenho certeza de que será vista de forma ruim pela maioria das pessoas. Vou tentar me explicar aqui para não deixar dúvidas quanto à minha visão e sobre o que estou falando, embora sei que em certos assuntos existe sempre aquela posição que a maioria da sociedade segue de olhos fechados.

Bom, nesse episódio do garoto morto, o que me chamou atenção foi um vídeo amador de um dos moradores da favela, onde passa um policial e uma moradora berra um sonoro "Covarde!" para ele, isso alguns momentos depois do garoto ter sido baleado. Segundo os pais e os moradores da favela, o menino foi atingido na cabeça por um policial, sem mais nem menos. Teve até um protesto dos moradores, criticando a polícia e condenando o que ocorreu.

São coisas que me fazem pensar um pouco, olhando para trás e vendo outros episódios de balas perdidas, alguns muito recentes. Uma mulher foi baleada também nesses dias e morreu, e familiares e vizinhos fizeram os mesmos comentários hostis contra a polícia. Morre alguém na favela, e sempre nas entrevistas realizadas algumas horas depois, a crítica é sempre contra os policiais, com afirmativas de que eles chegaram atirando em qualquer um, de que atiram primeiro e perguntam depois, que eles são assassinos, e por aí vai...

Nunca, mas nunca vi favelado dizer que a bala veio da arma do traficante.

Engraçado isso, né? Parece que todas as balas perdidas são disparadas por policiais, o traficante é bom de mira e só acerta na polícia e nunca no morador da favela. Inocente sempre é vítima da polícia, parece que por definição, na via das dúvidas a culpa sempre recai sobre aqueles que estão ali para proteger e servir a população. E não estou inventando bobagem, é só acompanhar as notícias por alguns dias para perceber como que o discurso é sempre o mesmo.

O pior de tudo é que esse tipo de acusação é feita por gente que, com todo o respeito, não tem um pingo de conhecimento de balística e que não sabe nem soletrar "perícia". E uma acusação que muitas vezes é feita logo depois da vítima ser atingida, o sujeito leva um tiro e quinze minutos depois já afirmam quem matou foi um policial. Puta merda, fala sério! Mais rápido que o tempo que o pessoal do C.S.I. leva para encontrar o suspeito do episódio do dia...

Bom, nesse momento muita gente já deve estar me xingando, dizendo que eu defendo a polícia (sim, isso hoje por aqui é visto como algo negativo), entre outras coisas. 

Em nenhum momento estou dizendo que a polícia é sempre inocente e honesta, pelo que eu vejo ali em cima eu não disse que policial não mata inocente, tanto "sem querer" com uma bala perdida ou mesmo com a intenção. Não coloquem palavras na minha boca! Mas, por outro lado, acho absurdo achar que sempre o policial é quem mata inocente, estou questionando por que ninguém suspeita que a bala possa ter partido da arma do bandido. A não ser que os moradores da "cumunidade" tenham provas incontestáveis de que o menino foi morto covardemente pelo policial (tipo, um vídeo mostrando o ocorrido), eles não têm o direito de levantar uma acusação dessa forma. É simplesmente inconsequente, absurdo.

Numa situação dessas é que entra a perícia, uma avaliação da cena do crime e uma investigação da bala que vitimou o pobre garoto e das armas dos policiais na ativa naquele dia (como está sendo feito). Até lá, não se pode afirmar nada. Se identificarem que foi sim um policial que atirou nele, que esse policial seja preso e pague por isso. 

Mas antes de comprovarem, não é justo afirmar assim que a culpa já é da polícia. Por que para tantos outros crimes vale o "inocente até se provar o contrário", mas quando é vítima de bala perdida em favela, o policial é automaticamente considerado culpado?

O que me deixa puto é essa inversão de valores, essa postura onde o policial é visto como o bandido, enquanto que os malfeitores de verdade são poupados. Nenhum favelado vai acusar o traficante de ter matado alguém. É uma visão geral de boa parte da sociedade que enxerga a polícia de forma negativa, algo que é incentivado por diversos grupos, como (adivinha?) entidades de Direitos Humanos, Viva Rio e outros imbecis que acham que vivemos na Noruega. Novamente, não sou cego a ponto de negar o fato de que existe sim corrupção na polícia, existem sim policiais que são verdadeiros criminosos, que contribuem para manchar a imagem da corporação; mas maldizer a polícia da forma como favelados e intelectuóides fazem é uma postura errada, e que leva para uma visão deturpada da realidade, onde todo policial é bandido e todo morador de favela é de bem.

O mais curioso de tudo é o seguinte: quando a vítima é um policial, quando quem morre é um pai de família que veste a farda pra defender a população... tudo mundo fica quieto! Você já viu o Viva Rio fazer passeata pela paz depois da morte de um polícia? Já viu favelado lamentar morte de policial em confronto com traficante? Sério, nunca vi. 

Mais uma vez, peço para não colocarem palavras na minha boca. Embora eu ache essas passeatas pouco efetivas, é direito fazer uma manifestação pacífica em memória de uma vítima dessa guerra urbana que assola nossa cidade, cobrando do governo e das autoridades alguma ação. Manifestação pacífica, não protestos violentos como os favelados tipicamente fazem, queimando pneus e chamando a polícia de covarde. E manifestações tem que ser válidas para todas as vítimas, seja um menino de 10 anos morador da comunidade vítima de bala perdida, seja um policial morto por traficantes em uma ação num desses morros. Mais uma vez, para todos. Não só quando morre alguém da favela.

Às vezes fico pensando, acho que uma boa saída seria a polícia sair dessas favelas. Largar essas UPPs, deixa a "cumunidade" ali entregue para a bandidagem. Que cerquem as favelas, deixa a turma toda lá se virando lá dentro e desloca a polícia para defender regiões onde é bem-vinda. Aí vou querer ver o que é que vão dizer quando alguém for morto, se vão acusar a polícia mais uma vez... Fala sério.

São coisas assim que me fazem questionar porque eu ainda vivo aqui. Não me refiro só à cidade do Rio de Janeiro, mas do Brasil. É realmente de desanimar que, diante de toda essa violência a qual estamos sujeitos, a sociedade em geral escolheu ficar contra instituições como a polícia, que estão aí para nos proteger. De novo, sei de toda a corrupção que existe lá. Mas a partir do momento em que a sociedade não apóia a polícia, não dá um voto de confiança, tal corrupção ganha força...