domingo, 28 de junho de 2015

Facebook colorido

Quem tem conta no Facebook já deve ter percebido nos últimos dias como muitos de seus amigos estão alterando as suas fotos de perfil, colocando sobre elas faixas coloridas lembrando um arco-íris. Tudo isso motivado por uma decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos, que legalizou o casamento gay em todo o país, para a felicidade de muitos casais homossexuais que agora vão poder se unir em matrimônio. Querendo celebrar o fato histórico, ou talvez cheirando uma excelente oportunidade de marketing, o pessoal do Facebook criou um aplicativo que faz com que a foto do perfil fique assim colorida. Logicamente que milhões de pessoas foram lá e deixaram seus perfis com arco-íris... 


E mais logicamente ainda, isso detonou uma avalanche de discussões...

Era de se esperar que isso iria acontecer... De um lado, estão as pessoas que mudaram a foto de perfil para expressar seu apoio pela comunidade gay, e do outro aqueles que permaneceram com a foto inalterada, destes alguns por não serem muito partidários da causa dos homossexuais e afins, e outros (incluindo aqui este texugo) que não mudaram porque nem tinham idéia do que estava acontecendo ou por preferirem manter a foto como está. E esses dois grupos estão se degladiando do Facebook e outras redes sociais, apenas pela foto do perfil de cada um, o que vai certamente fazer com que muitos alterem suas listas de amigos com base na opinião a respeito do casamento gay, a favor ou contra.

E assunto polêmico é o que eu adoro debater aqui...

Como mencionei acima, não alterei a minha foto de perfil... Pra começo de conversa, sou muito mais fã da combinação alvi-negra, não apenas pelo fato de seu ser um texugo mas também por torcer para o Botafogo. Além disso, eu não sou de ficar seguindo as "modinhas" de Facebook, tenho nojo delas, não importando qual seja a causa, vejo isso como uma falta de personalidade, típica de pessoas que só querem fazer o que todo mundo está fazendo. Por fim, eu acho muito exagerada essa hiper-valorização que é dada aos homossexuais, como eu já havia comentado naquele post sobre a propaganda do Boticário aqui. Não tenho nada contra os gays, mas acho simplesmente cansativo como que a sociedade tem essa necessidade de aplaudir tanto eles, como que os relacionamentos de pessoas do mesmo sexo parece ser mais bem visto do que um casal heterossexual. 

Enfim, é realmente curioso como que tantas pessoas aderiram ao perfil arco-íris. Tive a curiosidade de dar uma olhada na minha lista de contatos da rede do Mark Zuckeberg, e pude ver que aproximadamente 10% deles por enquanto mudou o perfil para expressar seu apoio à comunidade gay. Talvez seja pouco, não sei... Pode ser questão de tempo, dependendo deve ter gente que ainda deve mudar sua foto, ou talvez meu círculo de amizades não inclua muitas pessoas que são tão fãs da causa gay...

Uma das minhas primeiras impressões é como muita gente se deixa influenciar por "modinhas"... Não duvido nada que tem muita gente que só está se mostrando pintado com as cores do arco-íris só porque tá todo mundo fazendo. Talvez nem façam idéia dos motivos, ignorem completamente o que aconteceu para motivar a onda de perfis coloridos... Mas não querem por nenhum motivo ficar de fora, não suportam a idéia de não estarem participando do que a maioria das pessoas está fazendo. Já disse e repito: isso é falta de personalidade. 


Mostra como as pessoas estão cada vez mais supérfluas. Não importa qual seja a causa, mas se é para estar "no bolo" com todo mundo, tem gente que não pensa duas vezes. Uma verdadeira demonstração de futilidade, de estupidez, onde ninguém quer ser excluído por pensar de forma diferente da maioria da sociedade.

E não é só isso. Talvez tenha muita gente que de fato apóia os homossexuais, que é a favor do casamento gay, e assim por diante. Todo mundo tem o direito a ter a sua opinião, de enxergar essa questão da maneira como interpreta. Mas parece que as pessoas têm uma necessidade imensa de mostrar para os outros o que pensa, como se não adiantasse nada ter uma opinião sobre alguma coisa se você não a demonstra. Com a popularidade das redes sociais, isso se tornou ainda mais evidente. Isso explica um pouco desse fenômeno dos perfis coloridos: o mais importante é deixar claro para todo mundo a sua opinião a respeito do casamento gay. 

Eu pessoalmente acho isso outra paspalhice... Segue a linha dos compartilhadores de plantão, que precisam mostrar o que gostam, o que estão fazendo. O fato de que você coloca sua foto de perfil do Facebook colorida não significa necessariamente que você seja defensor da causa dos homossexuais, como disse acima, pode ser apenar um babaca querendo seguir a modinha; por sua vez, deixar a foto normal, sem alterações, não significa que você seja homofóbico, que odeie gays. Mas é isso que vemos nas redes sociais, essa postura bipolarizada onde sua opinião a respeito de alguma coisa é definida pela cor da fotinho que aparece ao lado de seu nome... 


Lembra daquele episódio do Seinfeld, onde o nosso louco amigo Kramer ia participar de uma marcha pela cura da AIDS, mas onde ele se recusa a colocar uma fitinha no peito, por achar aquilo desnecessário, que o importante era ele estar lá na caminhada. Só que o restante da multidão pensa o contrário, como se só quem tivesse a tal fitinha fosse realmente a favor da cura da doença...

E isso traz ao principal ponto da minha discussão aqui... Em virtude dessa campanha, fica então evidente a divisão dos membros da comunidade online em dois grupos, um que alterou sua foto de perfil para ficar colorida e outro que não o fez. Automaticamente, essa distinção trouxe para um preconceito mútuo dos dois grupos, logicamente não de todos, mas indiscutivelmente de uma grande maioria. As pessoas que mantiveram suas fotos normais começam então a chamar os amigos que se pintaram de colorido de viados e lésbicas, dizendo que eles dão a bunda e colam velcro, que não tem vergonha e agridem os bons costumes; e do outro lado aqueles que vestiram o arco-íris não agem diferente, enxergando aqueles que mantiveram suas fotos como estavam como homofóbicos, pessoas com ódio no coração que não respeitam o relacionamento entre o mesmo sexo, defensores de uma conduta atrasada. 

Como na época das eleições, temos então um clima de disputa e ódio instaurado na rede social mais famosa do mundo. Não duvido que deve ter muita gente atualizando a sua lista de amigos, deletando aqueles que supostamente pensam de maneira diferente sobre um assunto polêmico, com base na cor da foto do perfil. Será que é pra isso que inventaram sites como Facebook? Para promover a segregação da sociedade em pequenos grupos que pensam da mesma maneira?

Chega a ser curioso... Penso que antes da grande evolução da Internet, as discussões eram menos acaloradas e severas como são hoje. Na rodinha de amigos, na mesa de bar, no churrasco de fim de ano, nas mais diversas ocasiões onde as pessoas se reuniam sempre houveram opiniões diferentes, mas que eram discutidas de forma mais natural e comportada, por assim dizer. Logicamente que certos temas mais sensíveis como religião, política e futebol sempre exaltaram mais os ânimos, mas assuntos de menor criticidade não chegavam ao nível de agressão que temos hoje. Qualquer diferença, qualquer opinião divergente, e é só porrada, xingamentos dos mais pesados e chulos, um dizendo que o outro é um filho da puta descarado, o outro chamando o um de viado arrombado, e daí por diante, ladeira abaixo. Chega-se até o nível de agressões mais pesadas, com ameaças e etc.


O pior de tudo é que essa macheza toda só existe dentro da segurança da Internet, principalmente quando existe a proteção do anonimato. Como acontece muitas vezes aqui no meu blog, os comentários mais agressivos (geralmente de flamenguistas e petistas) são escritos por pessoas sem coragem que postam como anônimos, pois na vida real não iam ter colhões pra falar essas coisas na minha cara.

É foda... Pelas próximas semanas pode ter certeza de que ainda vão rolar muitas discussões no Facebook, entre aqueles que pintaram seus perfis e os que não pintaram. Eu vou ficar aqui só assistindo, observando o quanto as pessoas conseguem ser tão fúteis, superficiais e tapadas, se deixando levar por modinhas do Facebook e não respeitando aqueles que pensam de maneira diferente. O máximo de arco-íris que eu vou colocar será esse aqui...


sexta-feira, 26 de junho de 2015

Apaixonite Aguda III

Sou um texugo patético... Principalmente no que diz respeito às mulheres, sempre me dei mal, apesar de procurar ser um sujeito honesto, que as respeita e as trata bem. Acumulo mais fracassos do que vitórias, e estas nunca duraram o suficiente para me trazerem felicidade. Quebro muito a cara sim, quando digo patético é com "P" maiúsculo. Fico pensando o que me resta agora, penso seriamente em arrumar uma noiva russa por encomenda, afinal de contas ouvi falar que naquelas bandas tem muito mais mulher do que homem, e os homens em geral são machões chauvinistas os quais as russas, em sua maioria lindas e meigas, não querem para ter um relacionamento. Acho que é a solução...


Enquanto não tomo a coragem de descer mais um patamar na lastimável escada que desce em direção ao ridículo e os correios não se mostrarem eficientes e seguros para receber uma bela noiva russa por encomenda, acaba que no meu dia-a-dia vou sendo tomado por uma apaixonite por diversas mulheres que cruzam meu caminho. Seja aquela mais bonitinha que está sentada no banco do ônibus, a outra jeitosa de roupa elegante que entra comigo no elevador, a gatinha de calça colada em seu corpo em forma... acaba que por alguns segundos fico ali me imaginando se teria alguma chance com ela. Não se trata da costumeira tara da maioria dos homens, que torce o pescoço pra olhar melhor pra bunda da mulher que acabou de passar, enquanto a imagina pelada e em poses comprometedoras... Este pobre texugo fica mesmo encantado, se perguntando o nome da cidadã, do que ela gosta, e por aí vai... 

Sim, sou deprimente... Mas, espere, que ainda fica pior.

E não precisa esperar tanto, pois muitas vezes eu chego ao ridículo de ficar gamado em mulheres "inanimadas". Mas não, não me refiro ao abominável, como aqueles pirados que ficam se pegando com bonecas infláveis ou almofadas com estampas de personagens de desenhos japoneses. Estou falando de mulheres que aparecem em propagandas, geralmente impressas, como capas de revista e outdoors. Lógico que se referem a mulheres reais, mas que vejo ali só numa foto.

Pra ver como essa minha apaixonite idiota por mulheres em anúncios e propagandas não é de hoje,é só desenterrar algumas postagens que fiz há algum tempo. Já fiquei gamado por um outdoor que havia na Zona Sul do Rio de Janeiro (veja aqui) ou pela capa de uma revista de boa forma (que escrevi aqui). Algo que tornava as minhas idas e vindas mais agradáveis...

E já estava demorando para eu eleger uma nova "musa" de minhas andanças pela cidade. E desta vez tenho que dar o braço a torcer de que a dita cuja está associada a algo que eu odeio, que são as nights... Sem mais delongas, está aí o anúncio que me deixou babando...


Quem mora aqui no Rio deve ter presenciado em alguns lugares esses cartazes, colados em muros, que inclusive mostram a loira gatinha aí de cima por completo. Já digo novamente que eu não quero nem tomar conhecimento do que se trata o "Boqueirão do Passeio" e estou pouco me fudendo se "o cachorrão chegou"... Tem pinta de ser funk essa pôrra, e funk é algo que me faz revirar as tripas.

Mas que a loirinha aí me fez tremer na base... Isso sim! O shortinho preto justinho, a barriguinha delicada com piercing no umbigo, o top sensual que esconde um deveras lindo par de seios, os belos cabelos e o rostinho angelical e sapeca... Sem dúvida algo bem agradável aos olhos. 

Pena somente que eu não faço a menor idéia de quem ela seja. Não sei se é alguma famosa que emprestou o seu visual para a casa de shows ou se é uma anônima que topou aparecer pela cidade... Certamente não faria mal ver outras fotos dela...

Abro inclusive um desafio aqui: será que algum dos meus tão raros visitantes saberia dizer quem é a beldade acima? 

Vale uma bala 7 Belo!


domingo, 21 de junho de 2015

É hora do Brahma!

O cerco está fechando... Finalmente começo a ver uma luz no fim do túnel, com as prisões dos grandes figurões das maiores empreiteiras do país, envolvidas em corrupção como nunca antes de viu na história desse país. É o melhor de tudo é que, se continuar nesse ritmo, vão chegar também a um certo sujeito, de nove dedos nas mãos e língua presa, que sempre esteve por trás das falcatruas, roubalheira e toda a putaria desde que o PT assumiu o poder...


É, "Brahma"... tua hora vai chegar, seu filho da puta! Ainda sonho em ver esse corno de uniforme laranja e com os pulsos algemados, indo passar uma temporada na Papuda! 

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Boné para idiotas

Mais uma de minhas observações que eu faço ao meu redor. Chego à conclusão de que cada vez mais eu me revolto e fico puto com as pessoas, fico vendo certos comportamentos que me chamam a atenção e me deixam de ovo virado, me perguntando para onde a nossa pobre sociedade está caminhando. E o desabafo de hoje vai contra os bonés.


Na verdade, não contra o boné em si, não tenho nada de contra a peça de indumentária que é colocada na cabeça. Minha revolta é contra um pessoal que parece que não sabe usar o boné como alguém normal, de uma forma ridícula e sem noção. Cada vez mais tem gente usando bonés de maneira que acho estúpida, proliferando como um enxame de baratas.

Na minha concepção, boné (e mesmo o chapéu) é uma coisa que deve estar meio que fixa na cabeça. Imagine um chapéu de Playmobil, quando você o coloca aquela parte mais rebaixada do cabelo se encaixa na cavidade do chapéu, e dessa forma ele fica firme. Pode correr, pode se abaixar ou até mesmo pegar uma ventania um pouco mais moderada, o boné fica ali na cabeça, como deve estar.


E é dessa forma como a maioria das pessoas normais costuma usar um boné. Ele fica bem colocado sobre a cabeça, como deve ser.

Acontece que hoje em dia muita gente está seguindo uma nova "tendência de moda", a qual consiste de deixar o boné praticamente apoiado sobre seu couro cabeludo. Sim, pega o boné e o posiciona sobre a cabeça, sem enfiá-lo muito a fundo (soou meio sacana essa frase, mas você entendeu o que eu quis dizer). É só olhar ao seu redor, como que tá cheio de sujeito usando o boné agora dessa forma. É a nova moda da rapaziada.


E que eu acho escroto pra cacete! Fica aquela "bolsa" cheia de ar, como se fosse um chapéu de palhaço! Dá vontade de chegar e dar um tapa na aba assim por baixo, pra arrancar fora o boné de um mané desses...

Podem falar o que for, arrumar qualquer desculpa. Tem gente que vai falar que é moda, que todo mundo agora usa o boné assim, e de fato, está cheio de "celebridades" usando a peça de vestimenta capilar dessa forma. Entenda celebridades como jogadores de futebol mais preocupados em ficar esbanjando roupas ridículas (tipo Daniel Alves ou Neymar), aqueles MCs e DJs que cantam qualquer merda juntamente com alguma vagaba e ficam famosos depois de aparecer no Esquenta ou outros frequentadores das manchetes do TV Fama, como ex-BBBs e outros bostelhos que tiveram seus 15 minutos de fama. Como o povão é burro e facilmente influenciado, é só uma dessas personalidades de "grande calibre" lançar moda como usar boné apoiado que tá todo mundo usando.

Pra mim moda é o caralho! Acho que cada um deve se vestir e se arrumar de sua maneira, logicamente buscando um equilíbrio entre o gosto particular, no que diz respeito ao conforto, cores preferidas e estilos que mais aprecia, com o que regras básicas de etiqueta e decência definem como o aceitável. Por exemplo, por mais que alguém goste de usar bermuda, acho que deve haver um bom senso ao entender que não é o tipo de roupa que se usa num casamento, por exemplo. Não precisa exagerar, claro: já comentei aqui há algum tempo sobre o formalismo exagerado que impera no mercado de trabalho. Agora, usar uma determinada roupa de certo estilo só porque é "a moda", eu acho uma falta de personalidade total, uma verdadeira babaquice digna de retardados.

Outros podem argumentar que existe uma razão estética para isso, para que não bagunce o cabelo. Sim, sabemos que colocando o boné de uma maneira normal, depois que tiramos o cabelo fica todo amassado e bagunçado, o típico "hat hair". Bom, só que aí o usuário do boné do sexo masculino que faz jus as suas bolas, diante de uma situação dessas ele vai simplesmente dar aquela passada rápida com a mão na cabeça, como se estivesse tirando fiapo de alguma coisa, e fim de papo, já está mais do que bom. Ou o cidadão é careca e não tem o que se preocupar, ou até deixa do jeito que estiver e foda-se. Homem que é homem, se está em uma situação onde precise estar com o cabelo decentemente arrumado, tipo um casamento ou outro evento mais social, jamais usaria um boné. Mas, homem fresco, afeminado e bichinha, todo metrossexual que fica ali cheio de viadagem que o boné pode bagunçar seu penteado, que vai desarrumar seu topetinho moldado com gel depois de uma hora em frente ao espelho, aí é que vai querer usar o boné dessa forma estúpida mesmo.


Me faz pensar como que cada vez mais tem homem fresco... O pior de tudo é que tá cheio de marmanjo aboiolado, que fica pintando unha, que passa horas se arrumando, que gasta fortunas com produtos de beleza para esfoliar a pele e para dar volume e brilho aos cabelos. Antes que venham a me criticar, não estou dizendo que o cara tem que ser um ogro. Mas existe uma grande diferença do homem que se cuida de maneira ainda masculina, que toma banho decente, se barbeia, mantém o cabelo cortado e etc, se comparado com o sujeitinho que depila as pernas, faz sobrancelha e tratamento facial.

Existem logicamente outros detalhes a respeito de como a turma anda usando bonés hoje em dia. Outra observação que vejo é o uso da aba do boné. Quando você compra um, normalmente a aba está plana, retinha. E aí normalmente o que uma pessoa normal faz é conformar um pouco a aba, quase que enrolando ela um pouco, de forma que ela fique curvada. Na minha visão, assim ela fica melhor adaptada, acompanhando o rosto. Mas hoje em dia, é comum o pessoal manter a aba retinha, como se fosse uma tábua, parece o focinho de um ornitorrinco.


Vai aparecer gente dizendo que existe dois tipos de boné, um de aba curva e outro de aba reta. Cara, na boa, todos os bonés são vendidos com aba reta, pode até ser que existam algumas lojas que já moldem um pouco, mas desde que me entendo como gente a aba do boné vem reta mesmo, e depois cabe a cada um curvá-la de acordo com o gosto e o estilo de cabeça/rosto. Deixar a aba reta é ter algo como uma língua saindo de sua testa, fica escroto pra burro.

Lógico que tem coisa pior quando o assunto é aba...


Sim, tem muita gente que compra o boné e não tira a pôrra do adesivo que tem na maldita aba! Geralmente é um adesivo bem chamativo, daqueles brilhantes com cores berrantes e fosforescentes, que ocupa boa parte da aba. E a manezada não tira essa merda! Puta que pariu, meu amigo, não tem coisa mais escrota, ver um sujeito com um boné apoiado na cabeça com a aba reta e um puta adesivo colado nela é uma das coisas mais estúpidas, ridículas, escrotas e idiotas que eu já vi!

De novo, são dadas as mais diversas razões... Tem gente que fala que manter o adesivo é uma forma de você comprovar que o boné é oficial, algo como um selo de qualidade que assegura que você gastou uma pequena fortuna em um artigo de verdade e não num genérico, mostrando como o boné se tornou um item de ostentação quase como uma jóia. Há energúmenos que acham que é maneiro, que é legal ter o adesivo ali, que sem ele fica sem graça. Deve ser tipo de gente que deixa a etiqueta no casaco como forma de decoração, bando de palhaços, parece um holofote aquele adesivo escroto grudado na aba. Dá até a impressão que o imbecil acabou de roubar o boné de uma loja e colocou na cabeça...


É uma estupidez mesmo... O pior de tudo é que esses putos nem se dão conta que isso acaba estragando o boné. Mais cedo ou mais tarde a cola do adesivo vai acabar apodrecendo e vai soltar. E depois de todo esse tempo de uso, o desgaste natural do tecido só estará presente na região livre da aba, de forma que sem o adesivo vai ficar aquela bolota de cor diferente, como se fosse um sujeito que foi pra praia de camiseta e ficou com o braço marcado depois. Aí tem alguns que fazem pior ainda e devem colar um adesivo novo. Sim, já existe esse mercado, onde vendem adesivos dos mais diversos pros sujeitos colarem nos seus bonés...

Foda mesmo... como tá cheio de gente idiota. Pra mim, usar o boné dessa maneira é um atentado contra o bom gosto e a decência, impossível acreditar que esses babacas não percebam o quanto eles parecem ridículos quando botam o boné apoiado em suas cabeças como um saco de feijão, ou quando deixam um adesivo cromado colado nas suas abas retas. É uma falta de personalidade na minha opinião, considerando que muitos só usam boné dessa maneira pois é como "todo mundo usa", me enoja essa necessidade estúpida de se estar na moda, de fazer aquilo que é in, que é da hora.

Se bem que tem coisa mais escrota, mais ridícula e estúpida do que usar boné assim...


Fala sério... Essa moda agora de chapeuzinho de malandro é imbecil para caralho! Hoje tá cheio de gente assim, bancando o Zé Carioca com um chapéu boçal, se achando poeta de Ipanema e com essa pinta de idiota. Boné pelo menos dá pra se usar de uma maneira normal, agora chapeuzinho de malandro é ridículo não importa como você use.

Cansei... depois dessa merda, melhor parar por aqui...

sábado, 13 de junho de 2015

Sentimentos exagerados

Ontem foi Dia dos Namorados, e mais uma vez este lastimável texugo passou essa data mais solitário do que azeitona na boca de banguela. Tudo bem que no final das contas essa não passa de mais uma data do comércio pra faturar em cima das pessoas, mas não tem como não ficar um pouco deprimido ao ver todo esse amor no ar por todos os cantos, tendo que me conformar em passar a noite de 12 de junho comendo Miojo enquanto assisto mais alguns episódios dos Simpsons, enquanto praticamente todos que eu conheço estão celebrando com seus pares...


Tanto que uma coisa que eu fiz e acabei me arrependendo de fazer foi abrir o maldito Facebook nesse dia... Sinceramente, não sei o sentimento que foi maior após rolar algumas vezes pela página ao longo de inúmeras fotos, frases, poemas e etc, se foi a depressão de estar sozinho ou o enjôo de ver tanta falsidade e baboseira!

Eu acho impressionante, talvez até curioso e engraçado, como que as pessoas parecem ter a necessidade de compartilhar tudo nas redes sociais. Já escrevi aqui algum tempo atrás sobre isso, sobre como hoje em dia tem gente com uma necessidade fisiológica de mostrar para todos os amigos e amigos de amigos o que está fazendo, o que está comendo, quantos quilômetros correu de bicicleta e por aí vai. E no Dia dos Namorados, a necessidade dessas pessoas é por compartilhar para todos que são as pessoas mais felizes do mundo nessa data.

Vale tudo nesse dia... O "selfie" do casal apaixonado, muitas vezes com os dois pombinhos dando uma bitoquinha um no outro; uma foto do buquê de flores comprado no posto de gasolina, logicamente após os ajustes de filtro do Instagram para parecer mais épico; ou o registro da caixa de chocolates dada pelo namoradinho, com ênfase em mostrar que foi comprada (à prestação) na Kopenhaghen e não na Cacau Brasil; o desenhozinho fofo de um ursinho segurando uma florzinha, juntamente com algumas frases bonitas, para dar aquele ar que inocência e pureza ao relacionamento que é só fornicação; os textos poéticos, cheios de palavras de afeto e ternura, provenientes de um Ctrl+C Ctrl+V após alguns minutos de pesquisa no Google...


Dá vontade de vomitar...

Tudo isso sempre com alguma intenção oculta, pois ninguém compartilha tudo isso sem um interesse por trás. Em geral é para a pessoa provar para o mundo que ela está feliz no Dia dos Namorados, que não é um fracassado que não tem ninguém nessa data, e que o amor que tem é maior e mais forte do que os outros. A idéia é sempre enaltecer ao máximo, para "ganhar" de seus conhecidos, mostrando que ninguém se gosta tanto como o dado casal que posta tudo ali no "Feice" ou outros lugares.

Acho uma palhaçada...  O sentimento entre duas pessoas, entre um homem e uma mulher (ou entre dois homens ou duas mulheres, já que como vimos na postagem mais abaixo, o mundo está mais "moderno"), diz respeito somente a eles dois. Não é algo pra ficar exibindo, não é necessário. Demonstrações públicas exageradas de afeto pra mim não passam de uma forma de esfregar na cara dos outros o quão lindo e maravilhoso é o seu relacionamento, algo como dizer "eu tenho um(a) namorado(a) maravilhoso(a), estou muito feliz e sou melhor do que todo mundo". E é o tipo de demonstração que vemos nas redes sociais. Cada casal querendo demonstrar que é mais feliz do que os outros. 

Engraçado como parece que para muitos casais é mais importante mostrar para os outros que eles são felizes e apaixonados do que em investir de fato em seu próprio relacionamento. Se um casal está feliz junto, se eles se amam de verdade e tem um relacionamento legal... Não deveria importar o que os outros pensam.

E o mais curioso é saber que todo esse sentimento imenso demonstrado no Dia dos Namorados é muitas vezes algo só para esse dia mesmo, esconde uma realidade onde não há tanto amor assim. É muito fácil um sujeito dar flores, escrever poemas,comprar um presente bonito e levar sua namorada pra jantar num lugar chique no 12 de junho (ou vice-versa), é manjado, é o que "se espera" nesse dia. Mas quero ver se isso ocorre nos outros 364 dias do ano. É muito lindo demonstrar o amor pelo seu par no Dia dos Namorados, mas quando se gosta de verdade de uma pessoa, não é necessário esperar um dia determinado para fazer algo legal pela pessoa de quem você gosta. Você não será um Romeu ou uma Julieta se nesse dia mostra para o mundo inteiro lindas juras de amor e demonstrações de afeto, enquanto que nos outros você desconfia de seu namorado, mente pra sua noiva ou maltrata sua esposa. Não adianta nada exibir uma casca falsa de felicidade para aparentar que tem o melhor relacionamento do mundo quando na verdade o casal tem mais coisas pra reclamar do que apreciar um no outro. Imagina só quantos desses apaixonados vão de repente ano que vem estar exibindo orgulhos no "Feice" fotos, poemas e outras baboseiras, mas para declarar seu amor "verdadeiro" a outra pessoa que surgiu em sua vida, e não mais àquele(a) com quem estava nesse último 12 de junho...

Enfim... Mais um Dia dos Namorados sozinho, mas pelo menos antes só do que mal acompanhado. Antes sentado na frente da TV comendo Miojo e vendo o Homer fazer mais uma de suas loucuras do que ficar exibindo para conhecidos um relacionamento que não é tudo isso... Tenho ainda a esperança de que, um dia, consiga encontrar alguém, ter um relacionamento legal, saudável, com respeito e carinho, com compreensão e cumplicidade. Por mais difícil que seja...


domingo, 7 de junho de 2015

Casais do Boticário

Mais um assunto polêmico, alguns dias antes de mais uma data comercial como o Dia dos Namorados. Como tantas outras ocasiões festivas criadas só para aumentar o faturamento do comércio com a venda de presentes, diversas empresas investem pesado em campanhas publicitárias e outras tramóias pra trazer consumidores. Indo desde prestações mínimas com juros não tão modestos das Casas Bahia até preços promocionais de pá, acém e lagarto nos Supermercados Guanabara, passando por mensagens de Whatsapp dados pela TIM ou coleções de apetrechos de volta às aulas do Ben 10, o que não falta são propagandas das mais diversas. E algumas que acabam caindo na boca do povo, como foi o caso do Boticário nesse Dia dos Namorados.


A propaganda começa mostrando homens e mulheres se arrumando, tipo o sujeito lá penteando o cabelo e a mulher fazendo a janta, ao todo temos quatro homens e quatro mulheres fazendo os preparativos para alguma celebração de Dia dos Namorados, incluindo logicamente um carinha passando na loja do Boticário pra comprar o presente de última hora. E aí então vemos todos eles se encontrando.


E é nessa hora que temos a polêmica...


Sim, dois dos casais que se encontram para celebrar a data mais romântica do ano são homossexuais. Dois homens e duas mulheres.


Bom, isso então gerou uma enorme repercussão, a começar com pessoas que se viram ofendidas com a propaganda acima, pois segundo elas era passada uma imagem nociva e fora do normal. Uma mulher usou inclusive um site de reclamações para criticar a empresa, contestando uma propaganda que sob seu ponto de vista sendo imoral e agredindo o conceito de família. Muita gente se sentindo ofendida, considerando tal atitude inaceitável, e chegando ao ponto de iniciar uma campanha de boicote contra o Boticário, em função de sua propaganda mostrar casais homossexuais como algo normal.

Logicamente que não demorou para aparecer o outro grupo, com aqueles que acharam legal e bonito o comercial e que são pró-homossexualismo. Mas que na verdade se mostrou mais como um grupo que é contrário ao anterior, que acha inaceitável que as pessoas critiquem a propaganda, chamando-os de conservadores e acusando-os de não respeitar o direito de cada um ter a orientação sexual que quiser. Chegaram ao ponto de zombarem da tentativa de boicote, listando dezenas de outras empresas, como Apple, Coca-Cola, Facebook e McDonald's que são a favor dos gays, lésbicas, transgêneros e todos os demais.


Bom, e lá vou eu mais uma vez expor aqui a minha opinião, certo de que vou pisar no calo de muita gente...

Eu tenho uma posição muito definida a respeito do homossexualismo. Eu não acho algo natural, mas não me incomodo enquanto não venha a agredir o meu direito. Quer ser gay, vá em frente, não é meu problema. Mas não venha ficar esfregando na minha cara isso. É um estilo de vida que eu jamais seguirei, e não quero ser criticado por não achar natural. Tipo uma postura de cada um na sua.

Natural, realmente não é. Por mais que venham me criticar e me chamar de homofóbico, o relacionamento entre pessoas do mesmo sexo ou a alteração pela qual passa um transgênero não é uma coisa natural no meu ponto de vista. Percebam bem a palavra que eu estou usando, antes de me xingarem: não estou dizendo que é errado, estou dizendo que não é natural. São coisas na minha concepção totalmente diferentes.

Um exemplo, vamos comparar suco de laranja com Fanta laranja. O suco é algo (geralmente) natural, estamos pegando ali a laranja como ela existe na natureza, espremendo e fazendo um suco; a Fanta laranja pode até levar um pouco de suco, confesso que não sei, mas sei que em sua maioria ela é composta por químicas das mais diversas, não sendo algo natural. As duas são bebidas com gosto de laranja, mas uma é natural e outra não é. Quem bebe suco não está certo e quem toma Fanta está errado, e vice-versa. Só atesto que é indiscutível que um é algo mais natural, o que se espera de uma bebida de laranja, enquanto que o outro é artificial. Mas cada um bebe aquilo que quiser.


Esse é o meu ponto ao dizer que uma relação homossexual ou uma troca de sexo não é uma coisa natural. A relação no final das contas, sob uma ótica ainda bem rudimentar e primitiva, tem o objetivo de gerar uma criança e perpetuar a espécie. Sei que os seres humanos estão além disso, possuem sentimentos, mas no final das contas toda a origem natural do relacionamento está na procriação. E pra procriação acontecer, só funciona quando o macho e a fêmea se juntam. É o caminho natural das coisas, certo?

E como diria a música... Homem com homem dá lobisomem e mulher com mulher dá jacaré. Me desculpe, mas não é natural... Podem fazer qualquer discurso bonito e efusivo, eu simplesmente vejo como dois homens se pegando como algo não natural. Mesma coisa quando o assunto é duas mulheres se pegando, não é natural e tampouco excitante: sei que tem muito marmanjo que se amarra em ver duas gatinhas em uma luta de aranhas, mas eu pessoalmente não acha isso muito espetacular assim, na verdade dá uma sensação de que são menos duas mulheres disponíveis...


Admito, essa aí foi só pra atrair os meladores de cueca pra aumentar um pouco as visitas. Até porque geralmente lésbicas só são assim nos filmes eróticos, na vida real não é assim. Vamos voltar...

Principalmente acho que a mudança de sexo é menos natural ainda, embora não seja o ponto abordado pelo comercial. Cada pessoa nasce com seu determinado sexo, e é esse sexo que ela terá. O ser humano não é como algumas espécies que muda de sexo na ausência do outro (cultura vinda lá do Jurassic Park, lembra?) e tampouco somos hermafroditas por padrão que podem assumir os dois "lados da moeda", embora logicamente existem casos de pessoas que nascem dessa forma, mas que não é o padrão. Galo nasce galo e será sempre galo, galinha nasce galinha e sempre será galinha.

Embora na sociedade hoje isso seja cada vez mais recorrente, homem que vira mulher e mulher que vira homem, e não apenas no que diz respeito a roupas, mas chegando ao ponto de se fazer operações e tratamentos hormonais para mudar de time. Recentemente se fala muito de um sujeito que virou mulher, apareceu até em capa de revista de moda, todo mundo aplaudiu, mas eu acho totalmente fora do que é natural. Aqui no Brasil temos também nosso exemplo, como a filha da Gretchen, que fez cirurgia pra tirar os peitos, toma hormônio, só falta implantar uma tromba pra ficar mais macho do que todo o elenco dos Mercenários todo junto. Vai me dizer que isso é natural?


Faço mais uma comparação, pra deixar claro o porquê de eu estar batendo na tecla do "natural". Imagina o cara que sofre um acidente e perde uma perna. Ele vai lá então e coloca uma prótese. A prótese não é algo natural, é algo artificial, dependeu de uma cirurgia para ser implantada. Por melhor que ela seja, jamais será algo natural como o membro de verdade. É diferente de uma estrela-do-mar, que tem a capacidade natural de regenerar um de seus braços caso ele seja cortado fora. Claro, não estou dizendo que a prótese seja errada, simplesmente atesto o fato de que não é algo natural...

Deixando de lado um pouco essa questão de mudança de sexo, que não é o foco, voltemos ao comercial. Sob esse ponto de vista, eu vejo que a propaganda da Boticário mostra algo que não é natural. Mas também é algo que ainda não é visto hoje pela sociedade como algo normal. Isso é fato, muitas pessoas não consideram certo o relacionamento entre duas pessoas do mesmo sexo. Convenhamos, o homossexualismo é algo relativamente recente, se comparado com o relacionamento heterossexual, que vem desde a época dos homens das cavernas. Diria até que há algo de religioso nisso: existem muitas religiões que não consideram correto o relacionamento homem-homem ou mulher-mulher, é a visão delas. Não estou dizendo se está certo ou errado, religião pra mim é algo muito de cada um, cada uma com sua interpretação. Sério, muitos dos conflitos no mundo ocorrem por conta de um grupo religioso não aceitar o outro, seria bem melhor cada um se respeitar e seguir a vida.

O que mais me impressiona, entretanto, é na reação daqueles que se dizem pró-GLBT diante da crítica contra a propaganda. Vejo muitas vezes eles sendo os mais agressivos, aqueles que proferem as palavras mais chulas e são os mais revoltados. É só ver o contra-ataque após alguém sugerir o boicote ao Boticário: não perderam tempo pra criticar as pessoas, dizendo que elas precisam engolir que muitas empresas que fazem os seus produtos favoritos defendem a causa gay, que se quiserem boicotar o Boticário que boicotem todos os outros. Nas redes sociais foram várias pessoas explodindo de raiva contra os chamados "conservadores homofóbicos", neguinho foi lá no Youtube e encheu de jóinha a favor do vídeo, e por aí vai. Uma verdadeira cruzada para garantir o direito do comercial ter ali casais homossexuais se presenteando.


Na boa... Eu acho que chega a ser um exagero. Hoje em dia existe uma postura politicamente correta exacerbada onde é feita uma defesa abominável e imensa aos grupos menos favorecidos. Chegando a um ponto onde parece que ser gay é certo e ser heterossexual é errado. Da mesma forma que ocorre com outras "rixas", quando vamos comparar dois ou mais grupos da sociedade.

Como já cansei de falar aqui, em inúmeras oportunidades... É como a política de cotas para negros nas universidades, garantindo um certo número de vagas para aqueles que se declaram como negros. Na prática, é um diferencial a favor deles, chegamos ao ponto que ao fazer o vestibular é vantagem ser negro, pois mesmo que você tire uma nota mais baixa poderá ficar na frente de outro só por causa da cor de sua pele. Mesma coisa após inventarem o crime de feminicídio, onde a pena é mais dura quando a vítima é uma mulher, como se no final a vida de uma mulher vale mais que a do homem. Não estou ignorando o fato de que negros, mulheres e outros grupos sociais sofreram e sofrem de alguma forma, tampouco estou dizendo que eles devem ser vistos como inferiores e menosprezados; mas por outro lado, se a idéia é igualdade, então vamos tratar todos com justiça e igualdade de verdade, e não com um favorecimento para eles.

A questão que eu comento é que chegou a um ponto onde parece que todas as pessoas precisam gostar e aceitar o homossexualismo. Como se todo mundo deve achar lindo dois homens juntos, duas mulheres juntas, quem é contra está errado, é um filho da mãe que não sabe de nada. Vivemos hoje uma época onde certos grupos são enaltecidos a ponto de serem vistos quase como santidades a serem amadas por todos. Não se tem o direito de não gostar, de ser contra. Tampouco se tem o direito de valorizar aqueles que não fazem parte desses grupos "menos favorecidos": da mesma forma que ter orgulho de ser negro é bonito e ter orgulho de ser branco é visto como racismo, pode-se ter orgulho de ser gay mas não se pode ter orgulho de ser heterossexual.


Essa postura moderna é algo que eu condeno, que eu odeio. Eu acho que não há nada de errado em uma pessoa não se sentir confortável em ver um relacionamento homossexual, eu não considero isso preconceito. Por que temos que ficar sorridentes e felizes com o homossexualismo? É algo a ser vangloriado, a ser aplaudido? Por que uma pessoa só pode se orgulhar de fazer parte de uma minoria, e não o contrário? É exatamente como a tirinha acima...

De novo, é essa mania de bipolarizar a sociedade, de dividir em dois grupos distintos e criar esse clima de inimizade, de rivalidade, sempre escolhendo aquele que é a princípio menos favorecido como o "mocinho" da história, dando sempre a razão para ele, colocando-o em um pedestal. Se o branco leva vantagem sobre o negro é racismo, se o negro leva vantagem sobre o branco é justiça racial; se o homem agride a mulher, ele é um cretino, Lei Maria da Penha, mas se a mulher agride o homem é maravilhoso, ele merecia; o rico dizer que a violência é por causa do pobre é ser esnobe, mas o pobre pode culpar os ricos, loiros de olhos azuis, de sua condição, está certo; o heterossexual ter orgulho de ser heterossexual é preconceito, é revanchismo, enquanto que o homossexual ter orgulho de ser homossexual é lindo, é uma vitória, merecem ter até parada pra incentivar isso...

E depois esses idiotas que têm "consciência social" tem a pachorra de falar em igualdade...

Eu acho que é um direito, uma liberdade de expressão que uma pessoa possa se sentir ofendida com algo que vai contra as suas crenças pessoais. Isso não a torna preconceituosa. Algum tempo atrás apareceram pessoas contestando os desfiles de moda aqui no Brasil, pois achavam errado que haviam pouquíssimos negros, que era errado, pois não representava a verdadeira proporção racial do país. Se sentir ofendido com isso, pode. Não interessa se de repente não há "no mercado" modelos negros o suficiente para atender a essa proporção. Agora, se sentir ofendido ao ver uma propaganda que mostra o relacionamento homossexual entre dois casais, inclusive de uma forma a indicar que tem tantos casais homossexuais do que heterossexuais (algo que não acredito que seja verdade), isso não pode, é preconceito, é ser atrasado.

Por exemplo, vamos pegar outra propaganda recente e com a mesma temática. Tem um anúncio do Itaú onde mostra o casal heterossexual de manhã cedo, andando pela cidade, cheio de amores. Então, quando dá oito em ponto o carinha fala lá que tem que ir no banco, deixando assim a garota desanimada. Só que tudo isso é pra abrir uma conta conjunta no Itaú.


Diga-se de passagem que a menina é muito gatinha... Que covinhas lindas ao sorrir...


Enfim... Daqui a pouco os simpatizantes dos GLBTs vão começar a xingar e protestar, dizendo que a propaganda é homofóbica, pois passa uma imagem de que só casal heterossexual pode abrir conta conjunta. Começará então uma iniciativa de boicote contra o banco, pois ele não é gay-friendly, só por conta da interpretação que farão com base em um comercial. É ridículo, eu sei... Mas não duvido, do jeito que as pessoas estão tão sensíveis assim, interpretando tudo da maneira que mais lhe convém.

O que acontece é justamente isso, nesse embate só os homossexuais têm direito a reclamar e a fazer tudo sem que ninguém os encha. Falo sério, eu já presenciei certa vez na praia de Ipanema um Guarda Municipal chamando atenção de um rapaz e uma moça que estavam ali num esfrega-esfrega um pouco mais caliente num banquinho. Nada demais, tipo mão dela na bunda dele e mão dele nas coxas dela. O guardinha disse pra eles se comportarem, que estavam sendo indecentes e se continuassem ele teria que multá-los por atentado ao pudor. Falo sério, estava ali perto do lado, tomando um suco, e fiquei perplexo.


Agora, se chega dois marmanjos enfiando a língua na garganta um do outro, vindo com a mão entre as pernas dando uma "conchada"... Aí é lindo, estão apenas expressando o seu amor, todo mundo aplaude debaixo de uma nuvem de purpurina e arco-íris. E se alguém se sentir ofendido com a demonstração exagerada de afeto, é porque não passa de um cretino de um homofóbico.

Estou falando sério... Vai ver os exageros que muitos fazem aí na parada gay. Será que os gays não precisam ter pudor? Só é errado e imoral quando é um casal heterossexual que está ali de maneira mais afetiva?

Eu acho que devemos ter um certo respeito pelos valores que as pessoas têm, e um pouco de bom senso para entender como que a maioria das pessoas pensa. Se é feita uma propaganda que aparece em TV aberta e outros meios de comunicação que mostra valores ou algo que a maioria da população não se sente confortável de ver, é esperada uma reação assim. De novo, não estou dizendo que o homossexualismo é errado e deve ser escondido, mas apenas temos que ter um pouco de noção para saber que certas coisas podem enfurecer as pessoas de graça. Acha que estou falando bobagem?

Vamos imaginar então que uma marca de camisinhas decida fazer uma propaganda, e adote uma postura de mostrar o... ato. Tipo, apresentando o cara vestindo a sua cenoura e depois investindo de maneira vigorosa na borboleta de uma gata, mostrando como que o seu produto é fácil e rápido de colocar e proporciona um intenso prazer para ambos, garantindo toda a segurança contra DSTs.

Aí iria aparecer um monte de gente criticando... "Pensem nas criancinhas".


E aí? Mas não é algo tão natural, tão normal? Se não fosse isso, ninguém iria nascer. Tudo bem, tal comentário não faz muito sentido quando se está anunciando camisinhas, mas você entendeu meu ponto.

Por que não vamos colocar uma propaganda desse tipo no intervalo da Sessão da Tarde? Porque sabemos que, apesar do ato sexual ser algo normal e natural, não fica bem. Por mais que tenham pessoas que são mais alternativas e de cabeça aberta, que não se ofendam com esse tipo de exibição, sabemos que vai chocar a maioria das pessoas. Esse é o tipo de tato que eu esperaria do pessoal do Boticário, em ter a consciência de que iria ofender muitas pessoas.

Seja como for, eu continuo achando um exagero reclamar da propaganda, pois infelizmente a sociedade está cada vez mais homossexual, é um caminho que parece que não tem volta. Rapazes preocupados em fazer limpeza de pele, indo no cabeleireiro pra retocar as pontas e fazer as unhas, moças tomando bomba e vivendo na academia pra ficar com abdominal trincado e pernas musculosas, tá ficando tudo misturado mesmo. Mas também acho que não tem nada a ver a sociedade adotar uma postura exagerada a ponto de enaltecer tanto assim o homossexualismo. A relação homem-homem e mulher-mulher em nenhum momento é mais bonita e mais merecedora de atenção do que a relação homem-mulher.

Porém, verdade seja dita... Não duvido nada que a pessoa que bolou essa propaganda estava ciente de toda a repercussão que iria causar. Três milhões de visualizações até agora no YouTube, sob o ponto de vista prático o comercial é sem dúvida um sucesso. Conseguiu cair na boca da população, seja graças àqueles que gostaram, ou aqueles que odiaram.

Mas aposto uma coisa: a maioria não faz a menor idéia do produto que é anunciado! Pra ver como o assunto de criticar ou defender ferozmente o homossexualismo acabou se tornando mais importante do que ajudar a vender o produto. Nisso eu acho que o tiro saiu pela culatra...