domingo, 27 de novembro de 2011

Saga Crepúsculo

Não acredito que vou escrever sobre isso aqui... Mas (infelizmente) é difícil ficar completamente isolado de toda um auê que rola no momento, com o lançamento do novo filme da saga Crepúsculo alguns dias atrás, que conta a história do triângulo amoroso entre Edward, Bella e Jacob, ou como prefiro chamá-los, o vampicha, a sem-sal e o gaysomen...

Trata-se de mais uma daquelas super produções destinadas a uma geração de adolescentes tapados, inundados por uma onda politicamente correta e afrescalhada. Começou com Harry Potter, aquele bruxinho de araque quatro-olhos e agora vem com essa série de vampiros afetados e lobisomens descamisados, destinados a agradar as garotinhas... Não vou aqui me ater a descrever os filmes, até porque jamais iria chegar aos pés de um review fantástico feito por esse blog que acompanho, que apresenta de forma super original e engraçada uma análise dos filmes da série, aqui, aqui e aqui. Mas ainda vale uma análise rápida e geral sobre essa saga...

Sinceramente, considero essa série de filmes absurdamente insuportável, além de extremamente difamatória contra duas das criaturas de filmes de terror mais assustadoras. Fala sério, depois do vampicha a honra e a reputação dos vampiros foi por água abaixo... Mesmo os vampiros gays interpretados por Tom Cruise e Brad Pitt não causaram o mesmo estrago de Edward. Pombas, vampiro que é vampiro não fica se apaixonando pela garota, apenas a seduz para depois cravar seus caninos no pescoço dela e torná-la sua escrava...


Mas em Crepúsculo os vampiros são bonzinhos, vivendo em harmonia com os humanos. Tanto que eles só se alimentam de sangue de animais, que meigo! Fala sério, uma viadagem sem tamanho, cacete! Será que o Drácula seria a criatura tão temida por todos se ele só bebesse sangue de cachorros e gatos? Quanto aos vampiros desse filme, imagino que eles tomem sangue de gazelas, veados e cervos, para ficar com esse visual todo afeminado...

Isso sem falar nas fraquezas dos vampiros... Todos sabemos que eles não resistem ao sol, que os raios solares são capazes de queimá-los. Já havia comentado aqui, por exemplo, no desenho do Don Drácula, a horripilante cena em que ele se desfazia em pó quando atingido pelos raios solares. Mas em Crepúsculo, os vampiros ficam brilhando, como uma drag-queen purpurinada! Mais gay que isso impossível... Bela Lugosi deve estar se revirando no túmulo, aquele que fez um dos melhores Dráculas do cinema.


E o gaysomen? Nessa série, os lobisomens são sempre sujeitos que andam de bermuda e sem camisa que ficam pulando de precipícios, coisa mais ridícula! Sem falar que parece que se esqueceram que os lobisomens só se transformam em noites de lua cheia, aqui eles são como Transformers que fazem sua mutação quando bem entendem. E, para piorar, não viram lobisomens, mas apenas lobos gigantes. Tá tudo errado nessa merda! Só falta eles não serem mortais apenas quando alvejados por balas de prata.


Entre os dois viadinhos, está Bella, desejada por ambos, embora eu acredite que na verdade o vampicha quer dar uma mordida no pescoço peludo do gaysomen...

Me lembrei das dobradinhas MAD agora!

Quanto à Bella, simplesmente é uma das atuações mais sofríveis que eu já vi! Tudo bem que ela até não é tão feia assim, ainda mais quando não está atuando...
Link

... mas, sem brincadeira, ela fica com essa cara de (*) sem pestana durante horas e horas! É uma falta de expressividade incrível, uma rocha consegue atuar melhor que ela! Você nunca sabe se ela está satisfeita, se está triste, se está puta... É a mesma cara durante todos os filmes, um boneco de posto faria uma atuação mais convincente do que ela.


Acho que a atriz que interpreta a heroína deve ter tido aulas de interpretação e teatro com nosso grande amigo, o Cigano Igor...

Cigano Igor, radiando de felicidade por ter sido lembrado

Eu não consigo entender todo o sucesso desses filmes... Acho que no final das contas é toda essa historinha de bosta do romance entre os três, onde o vampicha é mostrado como o sujeito meloso e emo, todo conflitado com o seu relacionamento com Bella, enquanto que o gaysomen é colocado quase como o bad boy que tenta conquistá-la, apesar de ser aquele que a trata melhor. Ou seja, passando uma imagem para as garotas que o homem ideal é aquele carinha frágil, metrossexual.

Foi até algo que constatei ao ler os reviews no blog citado acima, pois o gaysomen é o que realmente a trata bem, estando sempre do lado dela, enquanto que o vampicha viado fica todo cheio de medinho, larga ela sozinha e cria toda uma frescura ao redor do relacionamento com Bella. Interessante que, embora sejam claros os rótulos gaysomen=bad boy e vampicha=príncipe encantado, o dentuço é o que a trata como um verdadeiro malandro, sem se preocupar com os sentimentos dela, agindo de maneira egoísta, enquanto que o lobo mau não era tão mau assim, sendo aquele cara que a respeitava de verdade e queria o seu bem.

Com isso, a autora dos livros faz toda uma imagem de que o cara ideal não é aquele que trata a garota bem, mas sim aquele que foge dela, que banca o complexado e difícil. O gaysomen é apresentado como o tipo de cara que a sem-sal quer, mas ela acaba se derretendo ao vampicha. Ou seja, já temos uma sociedade que parece dar valor aos homens metidões e aproveitadores, mas que tem boa lábia e boa pinta, colocando em segundo plano aqueles que tentam ser corretos e respeitar a garota de quem gosta. E aí me vem essa puta dessa autora e colabora em tornar isso ainda forte, como se o egoísmo e a falta de consideração pelos sentimentos é algo natural de um cara fazer com uma garota que gosta dele...

Sabe, seria ainda mais escroto se o vampiro fosse retratado como o galã e o lobisomem como um cruzamento entre Ronaldinho Gaúcho e Datena, mas no quesito aparência é feito o contrário: afinal de contas, é o gaysomen quem fica por aí desfilando sem camisa... Bom, por mais gay que esse meu comentário possa soar, o gaysomen tem mais pinta de macho do que o vampicha, com sua pele delicada, cabelinho com gel e aparência frágil. Mas, mesmo assim Bella resiste aos instintos mais primitivos e acaba se derretendo mesmo pelo vampicha. E com isso, acaba se criando um novo paradigma, começa a se criar uma nova tendência para as garotas...

E isso que é, na minha opinião, o pior de tudo é ver justamente a influência que esse filme proporciona para as garotas, de todas as idades eu temo... Da mesma forma que Justin Bieber, Jonas Brothers e Restart, o vampicha Edward de Crepúsculo coloca em destaque o estilo de "homem afeminado", que passa maquiagem, passa creminho no rosto antes de dormir, vai no manicure e fica todo afetado e bobo com relacionamentos com as garotas. Fala sério, é isso que as mulheres querem? Consequentemente, muitos garotos acabam também se vendo obrigados a acompanhar essa tendência, para que não fiquem na pista. É só passar na porta de qualquer escola, e você vai perceber a quantidade cada vez maior de carinhas afeminados e com visual fresco...

Exemplos de "homens" modernos...

Enfim, só tem uma coisa que salva na saga Crepúsculo: é a vampirinha Alice, meigamente interpretada por Ashley Greene. Ah, essa gracinha podia morder meu pescoço que eu não iria reclamar nem um pouco!

Opa, eu disse isso em voz alta? Bom, sem dúvida a linda vampirinha, interpretada pela graciosa Ashley Greene, é a melhor coisa de toda a trama dos vampiros!


Nenhum comentário: