sábado, 24 de março de 2018

As Hipocrisias no Caso Marielle

Não teve como eu não retornar a esse caso. Realmente, eu acho que nunca vi um crime ter tanta repercussão na mídia e na sociedade como o assassinato da vereadora Marielle Franco. Nunca vi tanto engajamento da população em pedir a solução deste crime, nunca vi um acompanhamento tão efetivo dos meios de comunicação, nunca vi tamanho interesse das autoridades em solucionar nenhum outro caso.


Não venho aqui pra discutir detalhes sobre a investigação. E antes que apareçam as acusações infundadas, não estou aqui difamando ou falando mal da finada vereadora. O que me chamou muito a atenção e me motivou a escrever aqui é como estamos presenciando uma grande hipocrisia por parte de muitas pessoas...

Quando digo hipocrisia, é em diversas frentes. Reações muito desproporcionais diante de crimes tão bárbaros quanto. Opiniões totalmente diferentes diante das mesmas situações. Uma parcialidade do julgamento em prol de uns e contrário a outros. Um combate apenas à parte das "fake news" que interessa.

Repito, eu não estou aqui fazendo juízo de valor da Marielle. Não venho aqui pra comentar sobre os seus feitos em vida, sobre as suas lutas e ideais. Eu sei que tem muitas pessoas extremas que estão demonizando a mulher só porque ela era de esquerda, do PSOL. Dizendo que ela defendia traficante e bandido, por exemplo. Honestamente, eu não vou comentar nada quanto a isso, embora já tenha admito várias vezes (inclusive no primeiro post do assunto) que eu detesto o PSOL e a esquerda, por conta de suas idéias atrasadas, retrógradas e hipócritas. Mas eu acho que deve haver um limite,  temos que saber separar as coisas, disputa política nenhuma justifica mortes... apesar de haver pessoas dos dois lados que acreditam nisso.

Mas eu realmente preciso dizer uma coisa: toda essa luta em defesa da memória de Marielle pra mim perde muito de sua força e de sua moral quando ela é repleta de casos de hipocrisia. Foi o que mais vimos aqui.

Por exemplo, logo que começaram as acusações sobre ela supostamente defender traficantes, não demorou para surgirem relatos de seus defensores, afirmando que Marielle pensava na polícia também, e ajudava família de oficiais mortos. Veio até um ex-oficial da PM falar que ela fazia de tudo para que os policiais tivessem uma vida digna, dizendo que ela se preocupava com a execução de vários oficiais de polícia.

Tudo bem... Acho muito legal isso...

Mas aí, eu pergunto para os defensores de Marielle: por que então nas manifestações que vocês fazem para ela existem pichações e palavras de ordem como essa abaixo?


Então? Como que vocês me explicam isso? "Matem a PM"?

Esse é um dos exemplos da hipocrisia que eu falo... Em um momento, as pessoas falam de uma vereadora que defendia sim os moradores das favelas, mas que também defendia os policiais... e essas mesmas pessoas no momento seguinte estão pedindo que os policiais sejam mortos. Eu não entendo...

Pergunto pra mãe do policial morto que disse que a vereadora apoiou sua família, pergunto pro ex-oficial da PM que era amigo dela, e pra tantos outros: vocês concordam com isso?

Talvez essas pessoas que vão na passeata por Marielle tenham gostado do fato de que morreram mais de cem policiais no ano passado, será?


Com todo o respeito, das duas uma... Ou esse argumento de que ela defendia os policiais também é apenas uma lorota pra tentar passar uma imagem mais correta da vereadora, que talvez quisesse a morte de policiais também (o que eu não acredito que seja verdade... mas não boto a mão no fogo pra acreditar 100%...), ou então trata-se de uma grande hipocrisia por parte dos manifestantes, que promovem o ódio às autoridades policiais, mesmo elas sendo de certa forma defendidas por Marielle.

Honestamente... apostaria mais na segunda opção... o que nos levaria a perceber que manifestantes como esses, que picham e gritam palavras como "a PM tem que morrer", na verdade são grandes hipócritas...

Mais ainda, eles estão denegrindo o legado de Marielle Franco, ao promover algo que ela achava errado...

Como que vocês se sentem agora?


Logicamente que alguém deve dizer que esses aí são exceções, que não representam o pensamento da maioria, que não se pode generalizar. Ótimo, acho que seria uma boa explicação sim... Caso vocês não fizessem o mesmo.

Tá cheio de exemplo de gente extrema dos dois lados... Acontece que quando o radical da esquerda pede a morte da PM, ele é considerado por vocês como uma exceção, embora não veja nenhum tipo de repreensão por parte dos defensores de Marielle contra esse tipo de ofensa... agora, se é um radical que se diz eleitor do Bolsonaro... então vocês afirmam que todos os eleitores do Bolsonaro são crápulas, que todos comemoram a morte dela... Aí não existe essa precaução em não generalizar.

Pois é... assim é moleza...

Prosseguindo, outro exemplo da hipocrisia que eu gostaria de citar é direcionado ao PSOL mesmo. Depois do assassinato da vereadora, os seus integrantes estão pedindo que o Estado coloque escolta para garantir a segurança deles. Algo que já acontece com o Freixo, que tem "escolta de policiais civis" que possuem até mesmo "uma arma de grosso calibre, um fuzil, cedido pela polícia".

O mesmo PSOL que defende o desarmamento...


Me expliquem isso...

Eu sempre acreditei em uma coisa: precisamos ser fiéis aos nossos valores e conceitos. Por exemplo, se alguém diz que não gosta, sei lá, de ver filme no cinema, então que não vá ver filme no cinema. Se alguém fala que a sociedade deve economizar água, então esse alguém não deve tomar banho de meia hora ou lavar carro com mangueira. Se a pessoa diz que odeia futebol, então que não faça uma assinatura do Premiere pra assistir o Brasileirão em casa.

Todo mundo tem direito a ter as suas opiniões, ideais, convicções e valores. Mas, não adianta nada ter tudo isso e não seguir. É enganação a si mesmo.

Isso se chama hipocrisia. É o velho "faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço".

E é isso que eu destaco sobre o PSOL. Sempre foi um partido que levantou a bandeira do desarmamento, sempre usou casos de mortes em escolas nos EUA como justificativa para a população ser desarmada, sempre defendeu a idéia de que pra garantir a segurança não são necessárias armas. Aliás, uma idéia de desarmamento da população que foi promovida por muitos governantes extremamente democráticos como Hitler, Stalin, Fidel Castro, e tantos outros... Deixo pra vocês meditarem sobre o porquê.

Aí eles pedem escolta de policiais... que provavelmente será armada, como já ocorre com o Freixo... e paga com o dinheiro do Estado.


Defendem a idéia que a população não precisa de armas para segurança... mas eles precisam. E paga com o dinheiro que deveria ser usado para dar segurança ao povo, que o PSOL diz tanto que defende...

Algo esperado, na minha opinião. Pois os políticos, sejam eles de qual partido for, estão preocupados primeiro com eles, e depois com o povo.

Pois bem... outro tema que tem se tornado cada vez mais recorrente é o combate às "fake news" e ao discurso de ódio promovido contra Marielle. Surgiram várias postagens falando mentiras a respeito da vereadora, prontamente desmentidas por um site criado pelo PSOL, que também foi à justiça para pedir o bloqueio de sites e vídeos que ou estivessem levantando calúnias ou estivessem ofendendo a memória de Marielle. Eles inclusive incentivam internautas a tirarem printscreens das ofensas e mandarme pra eles, para que as ações cabíveis sejam tomadas.

Legal, acho justo combater esse tipo de postagens agressivas, que não acrescentam em nada e só disseminam o ódio... Como essa aí abaixo.


Acontece que esse aí não precisa se preocupar com nenhum tipo de ação dos defensores da moral e dos bons costumes. Alguém que comemora a morte da Marielle é um canalha desalmado que está colocando política na frente da humanidade... Alguém que torce para que "tudo dê certo" e o Michel Temer morra na cirurgia é liberdade de expressão...

Depois dizem que a esquerda é "paz e amor"...


Antes que digam qualquer coisa, eu não estou defendendo o Temer, que é um filho da puta dum corrupto. Que chegou ali por ter se aliado a um partido corrupto como o PT. Pois, precisamos sempre lembrar aos petistas que adoram berrar um "Fora Temer" que foram eles que o colocaram ali, que na época em que Dilma estava de lua-de-mel com ele, nenhum deles o criticava. Votaram nele, e agora pedem que ele morra...

Aliás, tal tipo de demonstração de grande "afeto" pôde ser vista dos protestos em nome de Marielle, pichados nos prédios públicos.


Ou seja: segundo os simpatizantes das idéias da vereadora, se você foi às ruas pra pedir o impeachment da Dilma, da mesma forma que alguns anos antes Lindbergh e os caras-pintadas pediram o mesmo para o Collor... você deve morrer. Repito, esquerda "paz e amor".

Esse tema do compartilhamento de "fake news" é um assunto bem curioso, algo que depois eu gostaria de comentar em mais detalhes. Mas eu não posso esperar pra relatar a grande hipocrisia que existe aqui mais uma vez. Pois notícias falsas e caluniosas são sempre publicadas, muitas vezes até mesmo pelos meios de comunicação mais formais e renomados... mas parece que só há uma preocupação com a difusão dessas "fake news" quando elas ofendem a esquerda ou enaltecem a não-esquerda. Como de costume, uma indignação seletiva e hipócrita.

Por exemplo... a tal desembargadora publicou uma postagem em que acusou Marielle de estar engajada com os traficantes, que tinha sido eleita pelo Comando Vermelho.


Resultado: revolta da população e da mídia, prontamente iniciaram-se ações para desmentir o que estava na postagem. Tipo, a Globo dizendo que a maioria de seus votos veio de eleitores da Zona Sul e Barra (ou seja, da esquerda caviar). Começou também uma campanha de linchamento virtual da mulher, com denúncias à CNJ para que ela seja afastada. Mesmo dizendo que só tinha compartilhado, que não prestou atenção se era verdade, a desembargadora ficou na mira daqueles que defendem a verdade e a justiça.

Não estou dizendo que ela está certa. Ela agiu muito errado, compartilhar notícias falsas é errado, principalmente vindo de uma pessoa que faz parte do Poder Público. E deve ser punida sim.

Acontece que há poucas semanas, a senadora Gleisi Hoffmann, em sua constante cruzada para defender Lula, publicou a imagem abaixo, com a clara intenção de acusar o juiz Sergio Moro de estar aliado ao PSDB e por isso engajado em punir o petista.


Perfeito, né? Afinal de contas, qualquer coisinha que possa ser usada pra desmerecer o julgamento do "Nine" tá valendo. O problema é que algumas horas depois da postagem, veio a verdade: era mais uma das montagens feitas pelos mortadelas, fãs da propaganda enganosa.


Rapidamente ela tirou a postagem do ar... Ela agiu muito errado, compartilhar notícias falsas é errado, principalmente vindo de uma pessoa que faz parte do Poder Público. E deveria ser punida.

Só que ninguém veio falar de "fake news", né? Os mesmos que hoje se dizem paladinos da verdade e da justiça ao condenar postagens difamatórias contra Marielle não se pronunciam quando a notícia falsa é como essa aí.

Realmente, é bem interessante ver como que as coisas são... Parece que só é "fake news" quando o alvo da notícia é uma vereadora do PSOL assassinada, um ex-presidente do PT que é réu em vários processos de corrupção e assim por diante. Mesmo quando a notícia é verdadeira, tá cheio de gente que ainda acha que o triplex e o sítio não são do Lula.


Agora, se é uma notícia difamando o Bolsonaro, o Michel Temer, o Aécio Neves, o Fernando Henrique, o Sérgio Moro, o Donald Trump... bom, aí é de verdade. Não importa o que seja. São publicadas sem a menor cerimônia, sem nenhum tipo de preocupação se são de verdade ou não. Pra completar, são muitas vezes proferidas até mesmo por "jornalistas" tidos como parte da imprensa profissional... Como Lauro Jardim, colunista do jornal O Globo, dizendo que em uma palestra Bolsonaro teria dito que a solução da Rocinha seria metralhar tudo... o que só aconteceu na cabeça dele.


Pois é... Mas esse aí não apareceu na matéria de "fake news" do "show da vida"...

De novo hipocrisia... Se a notícia, mesmo sendo falsa, atende aos interesses políticos e ideológicos, então ela é considera a mais pura verdade inquestionável.

É isso que eu vejo... Tantos exemplos de hipocrisia promovidos pelos defensores de Marielle. Eu acho que a sociedade em geral está perdendo uma grande oportunidade para resolvermos vários problemas dessa nossa nação, no caso o problema da segurança pública. Repito, nunca uma vítima da criminalidade carioca teve tanta repercussão no Brasil e no mundo, são notícias diárias nos jornais para que a população fique acompanhando de forma vigilante as investigações das autoridades, que seguem em uma velocidade jamais vista. Poderia ser o início de uma mudança definitiva, um verdadeiro "basta" contra a violência urbana, para que todos, independente de sexo, cor, idade e orientação política, possam viver em um país com um pouco mais de segurança.

Mas, "poderia" ser... pois o que vemos na prática é uma parcela da sociedade clamando pelo interesse próprio, fazendo uso de um discurso hipócrita voltado aos seus interesses. Usam o caixão de Marielle como palanque para discurso político, promovendo o ódio contra aqueles que pensam diferente, que não concordam com a ideologia da esquerda. E pra justificarem essa posição parcial, transformam um problema de segurança pública em uma questão de preconceito contra negros e mulheres.

É isso mesmo... Não podemos nos limitar a ver esse crime até onde interessa... Eu sei que é muito conveniente para certas pessoas, alinhadas com a ideologia de esquerda, que a morte de Marielle seja rotulada como um crime contra as mulheres, contra os negros, contra os moradores de favelas e contra os Direitos Humanos. Pois isso na cabeça delas apóia os seus ideais, isso dá espaço para que eles possam promover o discurso de ódio contra os seus "inimigos": homens brancos de direita racistas...


Isso mesmo... É uma das muitas provas de como que existem pessoas usando a morte dela para seus discursos políticos. Ainda mais considerando que o pensamento de esquerda é binário, é oito ou oitenta, é "nós contra eles". Mais um exemplo da hipocrisia que se torna mais evidente após esse episódio. Pois os fiéis ao martelo e à foice gostam de dizer que são isentos de preconceitos, que defendem a justiça, que são contrários às demonstrações de ódio... Enquanto gritam a plenos pulmões que foram brancos de direta racistas e misóginos que mataram Marielle.

Vai me dizer que isso não é preconceito? Vai me dizer que isso é justo? Vai me dizer que isso é bondoso, sem nenhum tipo de ódio?

Ah, já ia me esquecendo... Além dos homens brancos de direita, outros que são considerados como assassinos de Marielle são os militares. Pois na cabeça retrógrada da esquerda, os militares são a personificação do mal, da ditadura, em uma cisma com o passado, em um discurso repetitivo de que eles vão "esculachar" os moradores de favelas e executar as pessoas.


Só um parênteses: é muito bonitinho se dizer comunista, defensor da igualdade e do povo, pegando um friozinho na Big Apple... Bobeando a foto foi tirada num iPhone X.

Esse é mais um exemplo de hipocrisia... Pois por um lado os militares brasileiros à frente da intervenção federal, que estão atrás dos traficantes e milicianos, botando pra correr os bandidos, promovendo ações de cidadania para os moradores das favelas, sempre serão vistos pela esquerda como lixo, que diz que as Forças Armadas não devem se envolver na sociedade; mas, por outro lado, nada dizem dos militares venezuelanos, cubanos e norte-coreanos...


Esses aí não têm problema, é tudo gente fina, em defesa do povo. Até mesmo quando estão metralhando a própria população.

Mas a demonstração mais visível de hipocrisia volta à velha questão do preconceito racial. Pois, principalmente aqui no Brasil, a causa racial sempre tem muita força.

Claro que Marielle seria, com todo respeito, a "vítima perfeita". Não me entendam mal, não estou comemorando a morte dela, embora eu sei que essa é a interpretação tendenciosa que muitas pessoas vão ter, por não concordarem comigo, buscando assim desmerecer meus argumentos. Não, eu digo isso pois a vereadora representa praticamente todos os principais grupos sociais que são tão "amados" pelos politicamente corretos. Pois ela era mulher, era de esquerda, lutava pelos Direitos Humanos, era homossexual, era nascida em favela.

Mas o que parece pesar mais é o fato de que ela era negra.


A quantidade de exclamações e postagens falando de um suposto "genocídio negro" me assustou. Vide a postagem do sujeito lá em cima. Logicamente, um genocídio que precisa ser obrigatoriamente associado à PM, ao Temer, ao PSDB, ao Bolsonaro e todos e quaisquer adversários políticos e ideológicos da esquerda "paz e amor".

Eu sei que muitas pessoas vão discordar, mas o meu raciocínio aqui segue argumentos semelhantes que me fazem contestar a política de cotas. Eu não discuto o fato de que a maioria das vítimas no Brasil são rapazes negros (diferente do que muitos afirmam hoje, de que as mulheres negras são a maioria, com a intenção de tornar mais grave o assassinato de Marielle), os números estão aí pra provar.

Entretanto, eu discordo de que eles foram mortos pelo fato de serem negros. Da mesma forma que discordo, no caso das cotas, de que os vestibulandos negros não passam porque são negros. Dizer isso seria afirmar que o bandido vai matar só quem for negro e poupar o branco, o que sabemos que não é verdade.

Trata-se de um problema de segurança pública. A criminalidade está correndo solta, graças ao sucateamento da polícia, à lerdeza e omissão da Justiça, ao desinteresse de nossos políticos, e a tantas outras coisas que deixaram cidades como o Rio de Janeiro em situação de guerra civil. Estão morrendo brancos e negros; estão morrendo jovens, adultos, idosos e crianças; estão morrendo homens e mulheres; estão morrendo heterossexuais, homossexuais e todas as outras definições; estão morrendo moradores de favela e de bairros nobres; estão morrendo ricos e pobres; estão morrendo católicos, evangélicos, umbandistas, judeus, muçulmanos e seguidores de todas as religiões; estão morrendo seguidores da direita e da esquerda.

O crime é democrático. Está matando a todos.

Aí é que tem o problema, similar às cotas. Na universidade, temos um problema do ensino nacional, que os defensores da esquerda e do politicamente correto transformaram em um problema racial, dizendo que no vestibular, que era totalmente meritocrático e isento de preconceitos, deveria haver uma política de cotas. Que faz uma discriminação racial, que determina quem vai entrar na faculdade por conta da cor da pele.


O mesmo se quer fazer com a questão da segurança, com essa falácia do "vidas negras importam". Com esse discurso que tenta transformar a morte de uma pessoa negra como algo pior do que a morte de uma pessoa branca. Que tentam determinar que toda vez que um negro for morto, foi um crime de racismo.

Por que não dizer "vidas importam"? Porque essas pessoas estão preocupadas somente com a vida dos negros? Se matam um branco e um negro, vão dizer que a vida do negro vale mais?

Só se importam se a vítima for branca caso exista a possibilidade de culpar a polícia. Afinal de contas, essas pessoas consideram a polícia como inimiga da sociedade. Voltamos lá ao início do post: a mesma polícia que Marielle se preocupava, e que os manifestantes pedem que seja eliminada, que leve bala.


Pode parecer desumano o que eu vou dizer... Mas é fato, parece que existem certos cadáveres que têm mais "pedigree" do que outros... É como se houvessem mortes que mereçam maior atenção da sociedade, que exijam maior revolta. Por exemplo, no mesmo dia em que Marielle foi morta, teve um empresário que foi morto na frente do filho... só que esse aí ninguém mais fala dele. Afinal, ele era empresário, andava de SUV, era homem e branco... O pessoal que pede justiça e o fim da violência gritando "Marielle presente" não se incomoda nem em saber o nome desse cidadão.

Ele só teria um pouquinho mais de valor se tivesse sido morto por policiais, pois aí passa a ser útil na cruzada dos esquerdistas contra a polícia. Mas como foi o bandido quem atirou... será só estatística...

Agora, sabe o que é engraçado? Esses "entendidos" que têm "consciência social", adoram bater no peito e dizer que são contrários ao preconceito, gostam de gritar para todos os cantos que não são racistas. Chegam até ao ponto de afirmarem que defendem a igualdade.

Dizem tudo isso... mas no fundo pensam de forma semelhante a essa cidadã.


Quero ver se alguém vai chamá-la de racista. Aí pode. Afinal de contas, no dicionário vermelho do mortadela politicamente correto e comunista, racismo é só contra negro. O contrário não existe.

Mais um exemplo da hipocrisia dessas pessoas que lotam as ruas, fazendo manifestação pela memória da Marielle. Pessoas que se dizem isentas de preconceitos, que dizem defenderem a igualdade, mas que aprovam a supremacia dos negros, que só se comovem quando a vítima é negra.

Enfim... são tantos exemplos da hipocrisia da esquerda e da sociedade politicamente correta que estão se tornando cada vez mais evidentes nas constantes manifestações pela Marielle. Repito, me dá uma certa tristeza e desânimo ao ver que um episódio desses, que poderia unir o povo de maneira unida contra a violência e a criminalidade, estar sendo usado de forma descarada para defender a agenda político-ideológica de alguns. Suspeito dizer que deve ter muito esquerdinha aí que deve ter ficado contente com a morte da vereadora, pois assim conseguiram algo que supostamente dá mais força à sua luta pela implementação mais uma vez do regime de esquerda aqui: um mártir. Era tudo que eles precisavam, pode apostar que nas eleições vai aparecer um monte de gente querendo se eleger dizendo que vai "defender os ideais de Marielle"... quando na verdade estarão é preocupados com si próprios.

Nenhum comentário: