segunda-feira, 26 de março de 2018

A Inconsistência dos Correios

Você já deve ter percebido como eu tenho uma raiva dos Correios. Só esse ano, foram três postagens relativas ao péssimo atendimento de um dos piores serviços públicos que eu já tive o desprazer de ter que lidar. Realmente eu acho que não existe serviço postal no mundo que chegue perto do nível de incompetência, marasmo e lentidão que os nosso "Cúrreios"...


Antes de mais nada, eu não quero que pensem bobagem a meu respeito, que venham me chamar de insensível. Pois eu sei muito bem que existem outras instituições públicas que exercem trabalhos que são mais importantes para a população e estão em piores condições. Como as escolas e os hospitais. Não estou colocando aqui o recebimento das encomendas que eu e outras pessoas aguardamos à frente da educação e saúde, principalmente do povo mais humilde.

Porém, existem diferenças... Diferente do que ocorre com os Correios, o ensino e a saúde não ficam nas mãos de uma entidade única, não existe monopólio. Tipo, a pessoa tem até uma certa possibilidade de escolher qual, dentre os hospitais e escolas públicas, vai buscar. Por exemplo, existem hospitais que são federais, outros são estaduais, e tem os municipais. O mesmo vale para as escolas e universidades. Não que o fato de haver opções torne a situação melhor, mas ao menos são opções. 

E, logicamente, para aqueles que podem, existem as opções particulares. Onde geralmente se tem um serviço melhor, mas pagando (e muito) por isso.

Diferente do que ocorre com os Correios. Não importa onde você more, não importa a sua condição social e financeira, não importa o que você precise. Se tem que mandar uma carta ou pacote, não há outra opção além deles.


Bom... talvez até podemos considerar as transportadoras, como DHL e FedEx. Mas os preços delas aqui são tão exorbitantes (muito possivelmente por causa dos impostos cobrados sobre o serviço) que acredito que não é exagero afirmar que os Correios detém o monopólio aqui no Brasil. E mesmo assim os filhos das putas conseguem ter prejuízos anuais de 2 bilhões de reais por ano...

Como? Todo o transporte de encomendas passa por eles. Ainda mais hoje em que a esmagadora maioria do envio de produtos devido ao comércio online depende dos Correios, que não cobram barato pelos seus serviços de péssima qualidade. Sem concorrência, cobrando o que quiserem, e os caras conseguem ficar no vermelho... Por que será?


Enfim... não vou aqui discutir esses detalhes, embora tenha uma opinião muito firme sobre a incompetência dos serviços públicos, em que a preocupação principal é atender as necessidades do servidor público em vez de prestar serviço decente ao público. Meu foco aqui é mostrar como os Correios conseguem ser extremamente incompetentes, e até mesmo inconsistentes em seus argumentos. Em especial no que diz respeito ao atraso no recebimento de encomendas, reclamação constante de 11 em 10 pessoas que usam o serviço. 

Fora outros problemas: correspondências que são perdidas, tanto aquelas que são de fato como as que são "perdidas" na mão dos funcionários, demora na entrega de contas a pagar e danos provocados por uma turma que parece fazer questão de fornecer o pior para o cliente.


Eu sei que podem surgir várias justificativas. Tipo, que existe falta de pessoal, que o volume de correspondências aumentou muito, que existem atrasos que não são da responsabilidade dos Correios, mas da Receita Federal. Tudo para passar uma idéia de que os Correios possuem uma presteza fora de série, que são extremamente competentes e nós, os clientes, estamos reclamando de barriga cheia.

Claro... Quando o assunto é uma estatal, o problema é o povo que pede pelo serviço...


Mas eu agora quero fazer questão de desmentir isso. Eu quero muito destacar que não se trata de um problema de volume de correspondências ou falta de pessoal, ou mesmo de atrasos provocados pela Receita. E vou mostrar isso com uma breve avaliação de algumas encomendas que eu recebi (e estou esperando para receber) nesse ano.

São nove encomendas internacionais, de produtos que eu adquiri em lojas estrangeiras na sua maioria nesse primero trimestre de 2018, incluindo duas do final do ano passado. Claro que não vou entrar em detalhes sobre o que estou comprando, mas digo que são coisas relativamente baratas, de valor em torno de 50 dólares, incluindo o frete. Diria que, em sua maioria, produtos semelhantes. Cinco vindas dos Estados Unidos, o restante vindo da Europa, sendo uma da Inglaterra e três da Suécia (da mesma loja, inclusive). 

E todas essas encomendas enviadas pela modalidade denominada Prime Express, daquelas cujo código de rastreio começa com L. Paga-se um pouco mais, porém o tempo de recebimento é menor e existe rastreio completo. Pelo menos teoricamente, conforme mostra esse diagrama extraído do site dos Correios (que por algum motivo foi removido, após reformulação da página).


Depois eu conto uma de outra encomenda que estou aguardando... mas que está vindo pelo envio econômico...

De uma forma geral, uma encomenda dessas passa por uma mesma série de etapas. Primeiro, ela é postada na origem, e depois é recebida aqui no Brasil, sendo encaminhada para Curitiba. Lá, ela aguarda a liberação da Receita Federal. Tão logo passe pela fiscalização aduaneira, ela viaja para a cidade de destino (Rio de Janeiro, no meu caso). Aí por fim passa por vários trâmites regionais, sendo recebida pela unidade de tratamento, encaminhada para a unidade de distribuição e por fim entregue ao destinatário.

Bom, deixa então eu apresentar as encomendas. Vou chamá-las de letras, em ordem de envio.

Começando com a encomenda A, essa veio dos Estados Unidos, saiu de lá no dia 27 de novembro, bem na época da Black Friday. Chegou no Brasil em 5 de dezembro, liberada pela Receita no mesmo dia. Chegou na unidade de tratamento do Rio em 20 de dezembro (depois de uma mensagem de "ainda não chegou" no dia 18). E finalmente foi recebida no dia 26 de dezembro. Falei dela nesse post aqui.

A próxima, encomenda B, foi outra que foi um parto. Postada no dia 30 de novembro, foi recebida no Brasil no dia 7 de dezembro. A Receita Federal fiscalizou e a liberou no dia 8 de dezembro. Viajou aqui pro Rio, com uma mensagem de que não havia sido recebida no dia 20 de dezembro, e só chegou aqui na cidade no dia 9 de janeiro de 2018. No dia 11 eu finalmente a recebi em casa. Foi outra da qual comentei em uma postagem.


Seguindo, a encomenda C também veio da terra do Trump, postada no dia 11 de janeiro. E essa demorou uma eternidade, segundo os Correios foi recebida aqui no dia 6 de março! No dia seguinte foi liberada da fiscalização, chegando no Rio de Janeiro no dia 20, sendo entregue aqui no mesmo dia. Essa foi a encomenda da última postagem que fiz.

Encomenda D, também veio dos Estados Unidos, saindo de lá em 17 de janeiro. Demorou um pouco pra ser recebida aqui, no dia 29 de janeiro. A Receita liberou no dia 30 de janeiro, e então começou a longa jornada até o Rio, chegando somente no dia 20 de fevereiro (com a temida mensagem "ainda não chegou" no dia 12 de fevereiro). E no mesmo dia 20 foi entregue aqui em casa. Destaque que essa era uma encomenda com livros, item que geralmente não deveria demorar tanto.

Vamos pra encomenda E, outra dos Estados Unidos. Foi postada no dia 2 de fevereiro, recebida no Brasil em 8 de fevereiro. Curiosamente, levou um tempo maior pra ser liberada da Alfândega, saindo de lá em 17 de fevereiro. Mais curiosamente ainda, levou só dois dias pra chegar de Curitiba no Rio, em 19 de fevereiro. E no dia 20 foi entregue, mesma data da encomenda acima.

A encomenda F é a primeira da Suécia, teoricamente um pouco mais distante do que os EUA. Foi postada em 9 de fevereiro, chegando no Brasil em 15 de fevereiro. No mesmo dia foi liberada pela Receita. Chegou no Rio no dia 22 de fevereiro e entregue pra mim no mesmo dia.

Bom, agora são encomendas que estão vindo ainda, sendo que a G vem da Inglaterra, e é a mais baratinha de todas (menos de 15 dólares, com frete). Postada no dia 19 de fevereiro, chegou no Brasil no dia 23 de fevereiro, sendo liberada na fiscalização no dia 27. Ainda não chegou, e recebi a mensagem "objeto não chegou à unidade" no dia 12 de março, última comunicação disponível.

A encomenda H também é da Suécia, e saiu de lá no dia 27 de fevereiro. Aqui, uma coisa engraçada, pois por algum motivo inexplicável a encomenda chegou no Brasil duas vezes! Isso mesmo, coloco até o print abaixo pra provar. E recentemente, no dia 22 de março, ela foi encaminhada para a Unidade de Fiscalização Aduaneira... onde espero que não seja taxada, nunca tinha visto essa mensagem.


Por fim, a última aqui é a encomenda I. Que também está vindo da Suécia, da mesma loja, e com produtos muito semelhantes à anterior. Deixou a terra do ABBA no dia 16 de março, chegando no Brasil em 22 de março... e no mesmo dia foi liberada pela Receita, e está a caminho do Rio.

Só de ver essas descrições já é possível ver como não tem nenhum tipo de lógica. Como que tem encomendas que levam uma eternidade em certos estágios do processo e passam rápido em outras situações. E repito, três encomendas vindas da mesma loja, uma chegou aqui em uma rapidez surpreendente, outra está retida na Alfândega e outra levando o tempo "padrão", pelo menos por enquanto.

Pra ficar mais visual, fiz esse gráfico abaixo. As barras mostram o tempo da encomenda desde a postagem até chegar, sendo que as regiões em azul marcam a viagem do exterior até o Brasil, em vermelho marca o tempo em que ela esteve em Curitiba (seja nos Correios ou na Receita), em laranja a viagem até o Rio de Janeiro e em verde desde sair do centro de distribuição até a minha casa. Uma delas tem uma barra rosa, que é aquele período inexplicável em que a encomenda estava chegando pela segunda vez no Brasil. Vai ter que clicar pra ampliar.


Veja como as barras são praticamente aleatórias. Tipo, veja as barras em laranja que marcam o translado Curitiba-Rio de Janeiro, como que elas não seguem um padrão, umas são bem maiores que as outras. 

Eu compro coisa de fora há bastante tempo. Mas foquei nesse período pois é o mais recente. E teoricamente não deveriam haver muitas diferenças entre si. Claro, se eu comparasse com o tempo que levava há um ano atrás, talvez alguém poderia me dizer que muita coisa mudou na estrutura da empresa. Mas, estamos falando de encomendas que saíram muito perto umas das outras.

Eu gosto de gráfico, eu acredito que eles ajudam muita a entender melhor as coisas, a ilustrar de forma simples e direta os números. E vou fazer mais alguns pra mostrar a total discrepância que existe, e questionar as desculpas que os Correios usam. 


Sim, eu acho que vou dar uma de Marshall e exagerar nos gráficos... Mas vamos em frente.

Vamos começar com o tempo que as encomendas levaram pra chegar da sua origem até o Brasil. Lembrando que de A até E vem dos Estados Unidos, a encomenda G vem da Inglaterra e as demais da Suécia.


Me explica isso... Tá, vamos ignorar o absurdo da encomenda C, que levou quase dois meses pra vir dos EUA pra cá, já reclamei muito dessa tosqueira na postagem original. Não foge muito do prazo que os Correios dão de 8 dias úteis (os gráficos estão em dias corridos), mesmo considerando que deveria levar um dia só pra chegar aqui. Até aqui, podemos dizer que existe pelo menos um padrão, mesmo que não concorde com uma encomenda levar 12 dias pra vir dos Estados Unidos, por exemplo.

E reforçando o absurdo mais uma vez daquela encomenda, quando eu falei com o atendente que não tinha explicação pra ela estar levando cinquenta dias pra viajar dos Estados Unidos pro Brasil. Com esse tempo, daria pra vir a pé, pôrra!

O curioso começa aqui ao vermos os tempos para liberação da alfândega.


Sim, temos alguns casos que demorou um pouco mais. Tipo a encomenda E, ficou nove dias ali. Mas em geral, fica no máximo um dia apenas, às vezes algumas horas. O que comprova que a Receita não é a principal responsável pelo atraso, podemos dizer que 66% das vezes ela sai no máximo em um dia apenas... Tudo bem que deve ter muita coisa sendo liberada sem nem olhar... mas mesmo assim.

Embora, ainda questione a demora em certos casos. Tipo, a encomenda H é aquela da Suécia que está até agora na fiscalização aduaneira... e vem da mesma loja e contém o mesmo tipo de item que as encomendas F e I, que foram prontamente liberadas. 

Afinal de contas, qual o critério?

Tudo bem que esse número está alto porque eu estou contando esse tempo da seguinte forma, pegando o dia de hoje e contando quantos dias até ela ter sido recebida no Brasil, o que eu considero que foi no dia 4 de março (a primeira vez). Pois uma coisa se observa: os Correios são rápidos na hora de levar as encomendas para a Receita, pois esse é o momento que interessa, é onde eles podem taxar a gente. Talvez eu esteja sendo meio exagerado, e deveria contar a partir de quando ela efetivamente foi pra lá (22 de março). Mas repito: essa é uma mensagem que nunca vi. Bom, vamos ver o que acontece.

Agora é que vamos ver onde a porca torce o rabo. Esse próximo gráfico apresenta o tempo que leva pra encomenda sair de Curitiba e chegar no Rio de Janeiro. Não digo nem na minha casa, mas na Unidade de Tratamento daqui. Destacando que as três últimas não chegaram ainda, sendo que os pacotes G e I estão neste exato momento fazendo este translado.


Olha só... Visivelmente os maiores tempos são aqui, em um curto trajeto entre as duas capitais, coisa que deve ser feita em um dia com folga. Mesmo assim, os Correios dão um prazo de 12 dias úteis para a entrega. E que varia muito, sendo desrespeitado em uma série de ocasiões. Tipo, em 32 dias corridos certamente tem mais que 12 dias úteis, cacete! 

Compare as encomendas A e B, por exemplo. Veja nos gráficos acima, elas levaram praticamente o mesmo tempo nas demais etapas, e saíram na mesma época (a diferença foi de 3 dias). E uma levou o dobro do tempo pra fazer a viagem de Curitiba pra cá. Como que os Correios me explicam isso? 

Veja as encomendas E e F também. Levaram o mesmo tempo pra chegar de fora, a F vindo de um país com provável fluxo postal menor como a Suécia. A encomenda E ficou retida na Alfândega um tempão, nove dias... mas levou DOIS dias pra chegar de Curitiba até aqui. O que é o prazo que eu acho correto. Enquanto a outra levou uma semana. 

Sem falar da encomenda G... que amanhã completa um mês de aniversário de viagem de Curitiba.


É foda...

Os gráficos não mentem, dá pra perceber como as maiores variações são neste último estágio, que representa uma etapa que é de total responsabilidade dos Correios. Não é possível que o tempo de chegada de Curitiba até o Rio varie tanto. O mais legal é que em muitas ocasiões eles admitem a própria incompetência, dizendo que o objeto ainda não chegou. É o caso da encomenda G que eu mencionei.


Sério... queria muito que alguém dos Correios visse essa minha postagem e comentasse aqui. Como que passam 32 dias (e contando) e o pacote não chegou de Curitiba no Rio? Como que leva mais tempo pra fazer esse trajeto curto, do que pra ele chegar do exterior? 

Não digam que é falta de pessoal ou demanda elevada... Pois se fosse, eu não teria encomendas levando 2 dias pra fazer o mesmo percurso. Que levasse 15 dias, mais do que vocês se comprometem a fazer, eu já estaria bem satisfeito. Mas um mês?! Não dá pra aceitar...

Pra fechar, o gráfico do tempo total que levou pras encomendas chegarem até aqui... De novo, as três últimas na verdade são barras em andamento, é apenas pra se ter uma idéia de quanto tempo já levou.


O resultado é esse, uma grande inconsistência no prazo de entrega. Sei lá, 20 a 25 dias seria algo razoável na minha opinião, pensando em encomendas do tipo expresso. Mas esse tempo varia muito, de acordo com a boa vontade dos Correios. Levar mais tempo apenas demonstra a incompetência e lentidão. Tipo, as encomendas B e D levaram mais de um mês, sendo que 70% desse tempo foi na longínqua viagem entre Curitiba e Rio de Janeiro... O mesmo vale para a encomenda G, ainda a caminho. A encomenda B, também vejo que foi atraso deles, pois não tem como um pacote levar mais de 50 dias pra chegar dos Estados Unidos, provavelmente eles perderam lá em Curitiba e acharam depois. 

E repito: se realmente a situação estivesse tão complicada assim, se fosse tão complexo entregar um maldito pacote na minha casa, se a carga de trabalho estivesse tão pesada... me explica então como a encomenda E levou um prazo razoável de 18 dias pra ser entregue, desde a saída dos Estados Unidos? Me explica como que a encomenda F veio da Suécia e levou apenas 13 dias pra chegar na minha casa?

Então dá pra eu comprar algo lá fora e receber em menos de 15 dias, considerando que seja liberado pela Receita Federal... como foi o caso da imensa maioria das demais encomendas.

Alguém consegue me dar uma explicação pra essa demora toda?

Por isso que eu desejo muito que essa merda seja privatizada. Não tem como, é muita incompetência. Não consigo entender o motivo de toda essa lentidão, é como se eles fizessem uma brincadeira, pegassem todas as encomendas e jogassem para o alto: aquelas que caírem em cima da mesa, eles prosseguem com a entrega, o que cair no chão volta pro depósito. É tão inexplicável essa tamanha aleatoriedade que a úncia razão que vejo é por ser de sacanagem mesmo. 

É o pior serviço público da face da Terra!

Como saideira, lembra que eu falei de uma encomenda vinda por frete econômico? Essa é a modalidade mais barata, que infelizmente costuma ser a única em algumas lojas, cujo rastreio começa com a letra R. Foi algo que eu comprei num site da Austrália, lá do outro lado do mundo. O cara me passou o rastreio, saiu de lá no dia 14 de fevereiro, e fez uma escala na Alemanha, onde chegou no dia 19 de fevereiro.


Veja, levou cinco dias pra viajar da Austrália até a Alemanha.

Depois, viajou para o Brasil. Nesse ponto, o rastreio do site acima veio bem incompleto, pra isso então coloco a informação obtida no site dos "Cúrreios".


Veja que os caras aqui não sabem de nada. Por algum motivo, colocaram como se o pacote estivesse saindo da Nova Zelândia (como assim?) no dia 21 de fevereiro, o que é provavelmente a data quando saiu da Alemanha. Chegou aqui no dia 27 de fevereiro, e imagino que, baseado na outra informação, chegou à Alfandega no dia 3 de março. 

Aí, o grande "barato". Dia 6 de março ela deixa a Receita, e inicia o seu longo caminho até chegar em casa. E como a encomenda é do tipo econômico, não tem nenhum tipo de rastreio e a entrega é em 40 dias úteis!


Sim, são dois meses que os Correios dão de prazo para que a encomenda saia de Curitiba e chegue aqui! Quer dizer que, se tudo correr bem, lá pelo dia 2 de maio que essa minha encomenda será entregue, isso caso não tenha nenhum atraso... Que absurdo!

Depois não sabem porque tem tanta gente querendo que essa merda seja privatizada...

Nenhum comentário: