segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Como Não Odiar os Correios? (II)

Eu continuo puto. Ainda mais puto do que eu estava. Sinceramente, eu estou começando este ano de 2018 nutrindo um ódio cada vez maior pela merda dos Correios. Puta que pariu! É realmente uma piada o que temos que aturar por conta desses imbecis! Já sabemos que a qualidade dos serviços públicos por aqui é sofrível, mas eu preciso realmente destacar o nível de incompetência e absurdo desses Correios malditos.


Há pouco eu fiz um post, que pode ser visto aqui, onde eu falava a respeito. Comentava sobre duas encomendas que eu estava aguardando, uma delas saindo do interior de São Paulo e outra vinda dos Estados Unidos. Narrei ali toda a demora dessas encomendas, sempre com a manjada e temida mensagem de "objeto ainda não chegou à unidade". Até tinha colocado uma atualização, em que uma encomenda vinda de São Paulo levou mais de quinze dias, e a do exterior praticamente um mês.

Mas acontece que eu estava esperando outra encomenda...

Essa aí eu não citado pois na época eu não tinha informação de seu número de rastreio. Sim, mesmo sendo algo tão simples, era uma loja pequena lá nos Estados Unidos que não mandava essa informação. Embora eu ache isso absurdo, ainda mais se estamos falando de um envio internacional em que o fornecimento desse código é algo fundamental, eu não estava preocupado com essa loja. Afinal de contas, já havia comprado coisas com eles há algum tempo, levando aí uns vinte dias pra chegar aqui. Mas dessa vez os Correios estavam preparando uma merdarama imensa que eu preciso desabafar.


O mais interessante é que ela saiu mais ou menos na mesma época da encomenda internacional que eu citei no outro post: aquela lá havia sido postada no dia 27 de novembro, e essa nova foi enviada no dia 30. Assim, eu imaginava que deveria estar recebendo ela mais ou menos pela mesma época aqui. Como você pode ter visto na atualização na outra postagem, a primeira encomenda finalmente chegou em minha casa no dia 26 de dezembro. Logo depois do Natal, a tempo de eu não poder abrí-la no feriadão. Acreditava, ingenuamente, que essa outra chegaria ainda em 2017.

Pois muito bem... Vamos contar a jornada desse pequeno e singelo pacote até ele chegar em minhas mãos.

Haviam se passado vários dias e nada, já estava logo antes do fim de semana do Réveillon. A minha primeira reação foi entrar em contato com a lojinha lá de fora. Eu já havia feito isso há algumas semanas, provavelmente o cara estava fora pelas festas de fim de ano. Mas ele finalmente respondeu e me passou o código. O que me surpreendeu é que ele disse que a informação que ele tinha é que havia sido feita uma tentativa de entrega no dia 20 de dezembro, sem sucesso, e que voltaria no dia seguinte.


Como assim? Impossível! Não dava pra acreditar que esse pacote já havia chegado por aqui antes do Natal. E não conseguiu entregar? Não tem como, meu prédio tem porteiro que recebe todas as encomendas... 

Mas se você olhar no printscreen da tela de rastreio do US Postal Service, é exatamente essa a informação que consta lá.


Repito mais uma vez como que o USPS tem uma informação muito mais detalhada (embora, nesse caso, certamente receberam uma informação mentirosa dos Correios daqui). Que nem da outra vez, vou escrever uma breve narrativa, colocando as distâncias.
  • A encomenda foi postada no dia 30 de novembro, em uma cidade pequena do estado de Ohio, começando assim a sua longa jornada;
  • No mesmo dia 30 de novembro, ela já havia chegado em Cleveland, que é a principal cidade do estado, percorridos 55 quilômetros (em linha reta, para facilitar);
  • No dia seguinte, 1º de dezembro logo depois da meia-noite, ela saiu para Chicago, a 495 quilômetros dali. Chegou lá mesmo dia de tarde. Perceba bem, praticamente 12 horas pra percorrer uma distância ligeiramente menor que o trajeto Curitiba x Rio de Janeiro.
  • Durante esse dia 1º e o dia 2, a encomenda passeou um pouco pela Cidade dos Ventos, passando por alguns centros de distribuição do USPS até chegar no aeroporto de Chicago no dia 3.
  • No mesmo 3 de dezembro, meu pacote viajou de Chicago até Miami. São 1917 quilômetros, chegando lá no mesmo dia de noite.
  • No dia 4 de dezembro, de manhã, ela saiu de Miami, com destino a São Paulo. Uma viagem de 6566 quilômetros. Chegou no aeroporto de Guarulhos no dia 5 de dezembro.  
Se você comparar com a outra encomenda, verá que até aí não teve muita diferença. Perceba que uma encomenda vinda dos Estados Unidos leva aproximadamente 5 dias para pisar em território nacional.

Não deu para entender como que constava lá a informação que uma tentativa de entrega havia sido feita... Mas eu ainda não havia olhado no site dos "Cúrreios". Fui lá pesquisar e lá apareceu o filho da puta do X vermelho.


É exatamente isso: dois dias depois de chegar em Guarulhos, minha pobre caixinha levou dois dias para ir para Curitiba, no dia 7 de dezembro. A fiscalização aduaneira foi mais uma vez impressionantemente rápida, para que ela viesse a ser liberada no dia seguinte, para então viajar de Curitiba até o maldito centro de tratamento de Benfica.

E depois, nada... Ninguém sabe informar. Dia 20 colocam lá a mensagem padrão de que a encomenda não chegou à unidade.


Dessa vez eu comecei a me mexer mais. No dia 30 de dezembro, fiz uma reclamação no site dos Correios, que é o primeiro canal que você deve acessar. Lancei todas as informações, como manda o figurino, questionando a demora e a ausência de informações. Não era possível que a encomenda estava a vários dias ainda a caminho do Rio. Repito, ela havia saído dos Estados Unidos na mesma época da outra, que já tinha sido entregue. Lançada a reclamação, restava então esperar o prazo de cinco dias úteis para que eles respondessem. Considerando o dia 1º de janeiro como feriado, teoricamente deveria esperar até o dia oito.

Mas eu sou um texugo muito impaciente. Ainda mais com a incompetência do serviço público. Passaram mais alguns dias sem nenhuma atualização, e então na quinta-feira, 4 de janeiro, 35 dias depois da minha encomenda haver sido postada, eu decidi ligar lá para o número de atendimento, me preparando para ser mentalmente estuprado pelo certamente péssimo serviço de telemarketing.


Vou te contar... precisa ter paciência!

Fui ali seguindo pelas opções do menu automático, sem obter nenhuma informação mais. Até mesmo para ver o andamento da minha reclamação pela Internet foi complicado, pois por algum motivo ela não aparecia. Decidi falar então com um atendente, falei com uma mulher que, de forma ríspida e grossa, mandou eu esperar até dia 8 de janeiro, pois o envio ainda estava no prazo...

Como assim estava no prazo, cacete? Trinta e cinco dias e não havia chegado ainda? Estava ali perto de completar um mês desde que havia saído de Curitiba, e a mulher teve a pachorra de dizer que estava no prazo?


Tá de sacanagem...

Aí fiquei aqui que nem um babaca esperando. Fico imaginando a satisfação que essa cidadã teve ao mandar-me esperar. Deve ser um sentimento orgásmico de falar para o cliente que não pode fazer nada e que ele precisa ficar esperando de forma impotente. E se ele não gostar, que enfiasse os dez dedos no rabo e rasgasse.

Chegou então o dia 8 de janeiro... Foi um dia marcante, por assim dizer. Meu pacote estava prestes a completar 40 dias de viagem, sendo que 30 deles para percorrer uma distância astronômica que separa a Unidade de Distribuição de Curitiba da Unidade de Tratamento do Rio de Janeiro. Era o dia que a dondoca lá havia dito para que eu ligasse. E também era o dia em que completava o prazo de resposta por e-mail de minha reclamação. Era hora de ligar mais uma vez.

Aliás, pausa para algo que eu esqueci de dizer: quando você vai fazer uma reclamação, é comum que digam que a ligação será gravada, nos informando na sequência um número de protocolo do atendimento. Algo que você pode usar caso o problema não seja resolvido. E sabe como é esse código quando você liga para os Correios?

É uma sequência de vinte e oito números!


Isso mesmo que você leu: vinte e oito algarismos! Que logicamente são ditados pelo sistema automático, com uma voz difícil de entender se ela disse "seis" ou "três", e sem a oportunidade de pedir para que fosse repetido.

Pra piorar, os canalhas informam uma parte dos números e dão uma pausa, aí você pensa em um primeiro momento que acabou, que agora dá pra respirar e baixar a caneta. Mas logo depois eles continuam! Filhos das putas! Confesso que na primeira ligação eu caí direitinho e não consegui anotar todo o número. Tudo parece ser feito pra dificultar, pra quê tanto número, pôrra? Vai tomar na bunda, acho que nem uma conta de banco deve ser tão grande assim...


Voltando, nesse dia eu fui atendido por um sujeito que pelo menos foi um pouco mais educado e que parecia querer ajudar. Acho legal ter tido essa sorte, pois a maioria dos operadores costumam ser estúpidos e/ou grossos, como a jararaca da primeira chamada. O problema é que geralmente essas pessoas que fazem o atendimento telefônico muitas vezes não tem o poder para resolver o problema.

O carinha disse que realmente havia algo errado, e que os Correios tinha a obrigação de responder por e-mail até aquela data. Ele relatou um pedido de urgência, dizendo que responderiam ainda no mesmo dia, e caso não chegasse, eu poderia ligar.

Não precisa nem dizer que não chegou nada...

Já estava ficando muito puto. Não liguei no mesmo dia, pois não iria adiantar. Esperei até o dia 9, mas acabou que eu me ocupei com outras coisas e não liguei. Honestamente, eu já estava desistindo... Ia ter que ficar esperando até os caras terem a boa vontade de fazer o favor e me entregar a encomenda que havia sido enviada a quase um mês e meio. Não era possível que ainda estava a caminho de Benfica.

Aí no dia 10 de janeiro, finalmente houve uma atualização, como mostro abaixo.


Mas como assim, pôrra?

Como de costume, eu não vou entrar aqui em detalhes de onde eu moro. Mas posso dizer que é em um bairro perfeitamente normal. Do jeito que estava ali, parece que eu moro numa ilha deserta.


Lembrando que essa mensagem geralmente é usada também para indicar que o destinatário reside em uma área de risco, onde os Correios não podem realizar a entrega, devido a restrições de segurança. E tampouco eu moro numa favela ou cortiço.

Nesse dia eu fiquei muito fulo. A primeira coisa que eu fui fazer foi olhar no próprio site dos Correios como que estava a situação do meu CEP. Entrei ali os dados, e como esperado apareceu a mensagem verdinha dizendo "Não há restrições de entrega para o trecho informado".

Lógico, seus merdas! Nunca houve nenhum tipo de restrição aqui! Na véspera havia chegado uma série de correspondências, será que sem eu perceber, minha casa havia se mandado para a Lua?

Liguei mais uma vez para os "Cúrreios". De novo, depois de passar por todas as opções do menu e de anotar o protocolo quilométrico, falei com um atendente que parecia meio enrolado. Expliquei meu problema, ele anotou minha reclamação, mas não soube informar muita coisa. Apenas que eu deveria esperar, e que se houvesse ocorrido o extravio, o remetente deveria abrir um chamado no site dos Correios e encaminhar toda uma documentação para tentar algum tipo de reembolso.


Isso mesmo. Eles esperam que o remetente, que reside fora do Brasil e que muito provavelmente não fala português, acesse o site e fale com eles para abrir uma reclamação. Questionei isso com o atendente, pois a pessoa que me enviou a encomenda não teria condições de abrir essa reclamação, e se eu não poderia fazer isso, na eventualidade do pacote ter sido extraviado. Mas aí veio a resposta pronta de manual, dizendo que não cabia ao destinatário fazer esse pedido... Mais uma vez, tudo para dificultar o recebimento.

Já havia desistido... Estava me preparando para arcar com o prejuízo. Começava a procurar maiores informações sobre como jogar os filhos das putas dos Correios na Justiça. Apesar de ter a certeza de que aqui nessa merda de país de oitavo mundo a Justiça tá mais preocupada em garantir os seus salários exorbitantes, suas mordomias extravagantes e em colocar na rua criminosos e bandidos condenados...


Aí, olha só: no dia seguinte, 11 de janeiro, exatos 42 dias depois de sair de sua origem, chego em casa e vejo que a minha encomenda havia chegado!

Não acreditei! Quando o porteiro disse que tinha um pacote pra mim, eu surtei, não consegui acreditar. Confesso que estava meio pessimista, esperava até mesmo que a caixa estivesse destruída, como se tivesse sido pisoteada, mas tudo estava ali são e salvo. Finalmente, depois de uma longa jornada, eu havia recebido o que eu havia comprado há um mês e meio atrás.


Realmente é impressionante a lentidão e a incompetência dos Correios aqui do Brasil. Não tem como explicar essa demora imensa. Tudo bem, eu sei que tiveram as festas de fim de ano, o que aumenta consideravelmente o volume de encomendas... Mas repito o que eu escrevi no outro post, todo mundo já sabe disso! Prevendo essa maior demanda, os merdas poderiam se organizar para absorver essa maior quantidade. Coloca trabalhador temporário, coloca jornadas maiores com remuneração extra, melhora a logística. Faz qualquer coisa!

E digo novamente: não cola essa desculpa de maior demanda pelo fim de ano. Como eu disse, eu recebi uma encomenda que saiu na mesma época, e chegou em um mês em casa. O fato de ter saído quatro dias depois resulta em uma demora de quase quinze dias adicionais? Que preguiça é essa, pombas?


Existe uma coisa que me revolta... O que mais me deixa puto é que os Correios não parecem ser de todo lentos, e tampouco se enrolam no rastreamento. Pois existe um pequeno trecho dessa longa viagem que ocorre de forma veloz, que é quando a enviam do ponto de chegada até Curitiba, para passar pela fiscalização da Receita.

Lógico que nós sabemos o porquê. Pois essa é a parte que interessa pra eles. Porque nesse momento existe ainda a possibilidade de que a Receita Federal determine que a encomenda precisa pagar uma imensa taxa de importação (que certamente é repartida com os Correios). Uma taxa que incide sobre o valor do produto, do envio e até mesmo do seguro, e que pode incluir outros adicionais, a ponto de resultar em um imposto quase do valor do produto comprado. Por isso a velocidade, fica descarado como que os "Cúrreios" prezam pela rapidez na hora em que podem faturar uma graninha a mais com a taxação; depois disso, quando só falta entregar... puxa, aí já perdeu o interesse, aí é só trabalho pra eles, não tem motivo pra ser rápidos... Principalmente numa situação como a minha, em que não poderia taxar nem um centavo.

E essa taxação eu imagino que se torne mais frequente, pois os Correios e a Receita Federal estão fazendo de tudo para tornar esse processo ainda mais constante, incluindo uma série de "facilidades" para que você possa pagar para liberarem a sua encomenda. Até pagar os tributos pela internet agora pode.


Isso aí, Correios! Ficou mais fácil sim... Ficou mais fácil pra vocês tirarem dinheiro da gente! E pode apostar que mesmo fazendo tudo isso, ainda vou ter que esperar mais de um mês pra minha encomenda chegar.

Realmente, é um dos piores serviços que eu já vi. Tinha mais que privatizar essa porcaria, limpar a corja de lesados que tem lá hoje, para assim melhorar um pouco a qualidade do serviço. É foda, pensar que podem taxar sua encomenda em 60% no mínimo e ver ela levando mais de um mês pra ser entregue. Um serviço pífio, em que não conseguem sequer informar onde a sua encomenda está, em que não conseguem cumprir os prazos, em que levam uma eternidade para andar com as entregas dentro do território nacional. Caramba, são cinco dias pra viajar de países distantes até pousar aqui no Brasil, e depois podem ser meses pra percorrer uma distância infinitamente menor.

Só de brincadeira, deixa eu calcular as velocidades de novo, como fiz no outro post. Considerando o trajeto realizado da postagem até chegar no Brasil, que durou 5 dias, era como se a minha caixa estivesse andando a cerca de 75 km/h. Aí, considerando os 35 dias de viagem de Curitiba até aqui, é como se estivesse se rastejando a impressionantes 1 km/h.

E pensar que há algum tempo atrás os Correios colocaram o Pápa-Léguas como mascote...


Como saideira, mais uma pra destacar a eficiência, e talvez até mesmo a filhadaputagem dos Correios, em mais um exemplo do péssimo atendimento ao cliente, comprovando como parece que eles acham que nós somos idiotas. Você se lembra que eu tinha aberto um chamado na internet, certo? E que o prazo de resposta era de cinco dias úteis, vencidos no dia 8 de janeiro. Em duas oportunidades, liguei pra lá reclamando da falta de resposta, de que nenhuma informação havia sido enviada.

Pois muito bem... Na sexta-feira, dia 12 de janeiro, já mais aliviado de ter recebido a minha encomenda, eu estou lá olhando os meus emails, e percebo uma resposta dos Correios, enviada alguns minutos antes, que faço questão de mostrar aqui.


Fala sério... Sou só eu, ou me parece que foi uma resposta meio debochada? Lógico que é do meu conhecimento, pôrra! Assim é mole, depois que o problema foi resolvido aí mandam uma resposta inútil dessas? Onde estava a presteza e o interesse em atender o cliente durante o prazo previsto pelo próprio site dos Correios?

Parece piada... Repito, privatiza essa merda! 

Nenhum comentário: