sábado, 11 de novembro de 2017

Coisa de p...

Vamos lá pra mais um assunto polêmico... um assunto que eu já comentei aqui várias vezes, é uma das coisas que me faz pensar e muito sobre como é a sociedade, ainda mais nos dias de hoje. Estamos sujeitos a uma polícia da "moral e bons costumes", que fica em cima de qualquer coisa que possa ser dita que seja considerada politicamente correta, e aí o responsável por tal ato passa a ser esquartejado na boca do povo. 


Mas, logicamente que essa vigilância só vale para alguns e para certos casos...

O caso foi o seguinte: recentemente, colocaram no ar um vídeo em que o repórter William Waack da Globo estava se preparando para entrevistar um sujeito, ali em frente da Casa Branca. No fundo, um estridente som de buzinas, o que levou o repórter a resmungar, dizendo "tá buzinando por que, seu merda do cacete?". E complementa com "deve ser um... não vou nem falar, porque eu sei quem é...". Baixinho, ele então se aproxima do entrevistado, dizendo "é preto, é coisa de preto".

Pronto. Fudeu.


O vídeo foi gravado por um dos operadores de TV, ex-funcionário da Globo, e aparentemente o episódio ocorreu há mais ou menos um ano. O vídeo caiu nas redes sociais e então o mundo veio abaixo, pedindo a cabeça do jornalista. A emissora se prontificou a afastá-lo de todos os seus programas, e o povo começou a pedir a demissão dele, e assim por diante. Grupos e personalidades que defendem os negros e combatem a injustiça racial (supostamente, pois só ligam pra injustiça quando é contra o negro) rasgaram críticas ao sujeito, como é comum de se ver em um episódio desses.

Vamos lá, pra mais uma das minhas opiniões polêmicas...

Não custa repetir o que eu sempre digo nessas situações. Racismo é errado. Preconceito racial é errado. Em todas as suas formas. Agir de forma pejorativa, preconceituosa, discriminatória e ofensiva com alguém só por conta de sua raça, sexo, idade, religião, orientação política, país de origem, lugar onde mora, time de futebol... não é legal. Independente de quem seja a vítima. Para deixar bem claro aqui, antes que venham a dizer besteira a meu respeito.

Mas... eu sempre acho muito interessante como que certos grupos sociais se apoderam da palavra "preconceito". Como é o caso dos negros, muitos deles insistem com um discurso de que racismo só é racismo quando é contra eles. Outros tipos de preconceito racial são minimizados, ou até mesmo totalmente ignorados. Uma postura que eu acho errada, é aquilo que eu costumo dizer: é o preconceito com o preconceito.

Chamar um negro de preto, macaco ou crioulo, por exemplo, é racismo; chamar um branco de Galak, leite azedo ou desbotado... ah, aí não é racismo... não tem problema.


Não estou dizendo que o William Waack está certo. Não é a postura que se espera de um profissional que está ali para dar notícias e informar a população. Na verdade, não é a postura que ninguém deve ter, de ser preconceituoso assim de graça. O cara que tava buzinando, poderia ser branco... como também poderia ser negro. E daí? Admito que era um filho da puta de um chato, ficar ali buzinando só pra incomodar os outros. Mas chato, sinceramente, tem de todas as cores. Assumir que o baderneiro era negro, não tem nada a ver...

Acontece que eu trago esse tema aqui para ver como que a sociedade é realmente muito parcial. Saiu o vídeo comprovando racismo, e o que acontece? Em menos de 24 horas, a Globo já o afasta, para não manchar a sua imagem; milhares de pessoas começam a escrever textão no "Feice" pra criticar o racismo; personalidades negras promovem um enaltecimento da raça, dando bons exemplos de "coisas de preto". É o politicamente correto se exaltando, é a justiça das redes sociais ceifando o pescoço do transgressor de forma implacável e imperdoável

Tudo bem... mas convenhamos, o politicamente correto parece só se interessar por certas causas. Ou em criticar certas pessoas. Repito, a postura do William Waack foi errada... mas eu acho que a reação foi muito exagerada.


Nesse momento, provavelmente já vão aparecer pessoas pedindo o meu pescoço também. Afinal de contas, a polícia politicamente correta não perdoa, se você não se portar 100% como eles dizem, já era, você é a escória da humanidade. Vão aparecer aqui negros me xingando de racista, pelo simples fato de eu ter dito que a reação foi exagerada... talvez para eles nenhuma reação é exagerada quando é para defender os negros. Mas não vejo a mesma postura quando é contra outras pessoas. Até mesmo contra outros negros também, mas que não seguem a mesma orientação política deles.

Por exemplo, acredito que muitos de vocês sabem quem é o Fernando Holiday. Ele é um vereador eleito democraticamente em São Paulo, e que se inclui em dois grupos que são considerados como vítimas pela onda politicamente correta: ele é negro e também homossexual. Seria mais que suficiente para que ele recebesse a benção dos defensores da justiça social. Afinal de contas, olha só como que fica bonito, dizer que ele é um vereador negro e homossexual! É a historinha perfeita na cabeça de um politicamente correto esquerdopata.


Mas... o cara é de direita. E faz parte daquele MBL...

Aí então a mesma turminha da Globo, os mesmos socialistas do Leblon e toda essa galerinha que tem "consciência social" que pediu a cabeça do William Waack, fica caladinha quando o Fernando Holiday é vítima de alguma ofensa racista. Aliás, não apenas ficam de bico fechado, mas até mesmo promovem e incentivam a agressão contra ele. Pois, na cabeça bipolar da esquerda, o negro por definição deve ser de esquerda.


Por exemplo, aquele "cantor" de rock Tico Santa Cruz, o chamou de "capitão do mato", termo usado para indicar os negros que perseguiam os escravos. Petistas têm o costume de chamá-lo de "preto de alma branca". Dá pra citar o Joaquim Barbosa, lembra como chamaram ele de "macaco"?

E, diante dessas ofensas racistas, ao meu ver equivalentes ao "é coisa de preto" do William Waack, sabe qual foi a reação da sociedade politicamente correta?


Isso aí, silêncio total. Não veio a banda do Tico Santa Cruz expulsar ele, não vieram milhares de negros pedir o boicote a ele, não apareceu o Lázaro Ramos escrevendo textão em defesa dos negros.

Por que será?

É por isso que eu sinceramente acho um grande exagero nessa história toda. A reação explosiva, ao meu ver, só se deu pelo fato de que era um repórter da Globo fazendo um comentário preconceituoso. Afinal de contas, na cabeça do politicamente correto de esquerda, a Globo sempre será golpista, por mais que ela seja sempre solidária ao PT e à causa esquerdista. Se os defensores dos negros tivessem a mesma postura diante de qualquer situação, independente de quem seja a vítima e quem seja o opressor, teriam um pouco mais de credibilidade. Dessa forma, apenas mostram que o que torna uma atitude correta ou não é quem ou contra quem é praticada, e não a atitude em si.

Por exemplo, veja a opinião que Lula, o homem "mais honesto" do Brasil, tem a respeito da cidade de Pelotas:


Pois é... Estou esperando até agora os homossexuais criticarem o sujeito...

Mas isso nunca vai acontecer... Lula é o exemplo máximo de que quando você é de esquerda, tudo pode, até mesmo ser racista e preconceituoso. Pode dizer que Pelotas exporta viado, pode zoar com Maricá e dizer que quem vai pra lá tem "alma de pobre", pode perguntar onde estão as mulheres de "grelo duro". Ostentar uma estrelinha vermelha no peito, vestir uma camisa do Che Guevara ou tremular uma bandeira com o martelo e a foice são total e irrestrito direito de falar o que quiser.

Se o William Waack tivesse clamado um "Fora Temer", seria automaticamente perdoado pela sociedade, essa é a verdade...

Termino aqui jogando uma pergunta no ar: se esse vídeo foi gravado há um ano, por que está aparecendo só agora? Em 2016 já existia Facebook e Twitter, e já existia militância pela defesa do negro. Dizer que só agora repercutiu, é impossível. O próprio operador de TV que gravou a cena diz que teoricamente compartilhou esse vídeo com movimentos negros e com a mídia, mas na ocasião ninguém se interessou...

Na boa, tá muito mal contada essa história. Ainda mais vendo que pelo menos um deles sabemos que é ex-funcionário da Globo. Divulgar só agora, por quê? Só agora o comentário dele pode ser considerado racista? Ou será que na época eles não queriam prejudicar a mão que assinava o seus contra-cheques?

Nenhum comentário: