sábado, 2 de setembro de 2017

O Sobrevivente - Parte 3

Agora é que vai começar a ficar legal! Seguimos aqui com mais esse clássico do Arnoldo, outro filme que tenta ser sério mas que acaba sendo é hilário, tamanha é o nível de tosqueira. Mas convenhamos, é algo muito melhor de se ver, se comparamos com os filmecos de hoje, tipo Crepúsculo, Divergente e 50 Tons de Cinza...


Parece que foi de sacanagem, mas parei a última postagem bem na hora em que Richards e seus amigos iam ser disparados pelos trenós a jato do programa O Sobrevivente. Finalmente a peleja vai começar.


Aí temos uma eternidade onde mostram os trenós deslizando de forma alucinada por um túnel, levando os três para a zona de jogo. Por algum motivo, me lembrei do Jamaica Abaixo de Zero neste momento.


Como esperado, quem mais se fode nessa é o Wally. O máximo de adrenalina que ele devia ter sentido antes disso foi quando ele tentou usar a versão de teste do Winrar além do prazo estipulado.


Terminada a longa jornada pelo tobogã subterrâneo, entrava em cena ali um moderno dispositivo high-tech para parar o trenó: uma rede de tênis. Mas uma puta rede, para aguentar o peso do Arnoldo, no topo de seus músculos.


Voltamos lá na sede de televisão... Mostrando como esses cortes que fazem no filme são meio sem noção, mostrando trechinhos pequenos um de cada vez. Você se lembra que Amber estava fuçando ali os vídeos proibidos da emissora, até que ela encontra a gravação de Richards no massacre, incluindo as versões original, editada para a televisão e com comentários do diretor.


Só que aí quem aparece é o Coisa, aquela mão da Família Addams, que tinha arrumado um bico de segurança, e pega a malandra com a boca na botija. Danou-se, Amber! E que brinco escroto você tem!


Voltamos lá para o palco, onde agora tem aquela hora onde iam sortear alguém da platéia para participar. Gugu escolhe ali um papelzinho e sorteia a dona abaixo, que chamarei de Zucrinéia, que fica ali muda ao ter finalmente ganho algo na vida.


Como de costume, tem aquele momento de alegria por ter sido sorteada, é quase como nos programas do Silvio Santos. Te juro, se esse puto começar a jogar aviõezinhos de nota de 50 reais pra platéia, mudo o nome dele de Gugu para Sílvio. Enfim, a jogada aqui é que ela deveria escolher um dos Sorrateiros para caçar os sobreviventes. E não precisa achar graça do penteado da loira ali atrás. Embora o filme teoricamente se passe no futuro, ele foi feito nos anos 80, então penteados bufantes eram moda naquela época.


Não tinha falado ainda, mas além da platéia assistindo no palco, haviam muitos telões pela cidade, onde a rapaziada podia fazer as suas apostas, sobre quem seria o Sorrateiro escolhido e quem mataria primeiro, além de jogar no Jogo do Bicho ou comprar uma Tele-Sena.


Dona Zucrinéia fica toda abafada, pois não sabe quem escolher, pois na verdade estava querendo assistir a gravação do programa da Ana Maria Braga e a colocaram ali por engano. Mas ela finalmente diz que gosta de homens carinhosos e educados. Realmente, dentre um bando de sujeitos chamados Sorrateiros, carinho e educação deve ser pré-requisito.


Mas pior que parece que sim. E assim entra em cena o primeiro Sorrateiro da noite: Sub-Zero!


Mas como? Não, peraí! Não tem nada a ver, não é o ninja azul do Mortal Kombat que está vindo aqui. E sim, eu sei que essa foi uma das piadas mais previsíveis e estúpidas aqui dessa sátira. Na verdade, aparece primeiro lá uma gostosinha com um rabo de cavalo meio escroto pra tocar um gongo...


... e aí aparece o verdadeiro Sub-Zero. Um chinês gordo e risonho com uma barbinha ridícula, que parece um monte de fiapo.


Esse cara aí é um daqueles que sempre fazia o papel de bandido chinês grandão nos filmes da época. Ele chegou a fazer o mordomo de outro filme do Arnoldo, O Último Grande Herói, que era sim muito tosco. Aqui, ele é um Sorrateiro que anda com um taco de hóquei e com uma taça de aço pra proteger suas bolas chinesas.


Lá na arena, depois do passeio de trenó os três ainda tinha que correr para a zona do jogo, sendo pressionados por alguns Hell's Angels de terceira categoria, juntamente com a platéia ali, tacando garrafa d'água, copo de cerveja e pilha na cabeça deles. Pra variar, o Wally já tropeça logo nos primeiros metros, mostrando que não tem preparo físico nem pra uma caminhada até a padaria.


Voltamos lá ao programa, onde descobrimos que aquele puto do Capitão Liberdade também trabalha como comentarista do show, fazendo ali uma visita surpresa no vestiário e derrubando o sabonete naquele ambiente cheio de bundas peludas e anabolizadas. O que acontece é que ele é um Sorrateiro aposentado, e agora fica ali tentando reviver os seus dias de glória dando seus pitacos na televisão. Tipo o Neto... porém, com mais dias de glória do que energúmeno corintiano.


Richards, Zé Pequeno e Wally finalmente entram no primeiro quadrante, e começam então a sentir um friozinho. No caso do quatro-olhos, pode ser uma frieira por conta da febre que ele está tendo.


Aí então aparece um jogador de hóquei. É o Sub-Zero, já partindo pro ataque. Pode isso, Arnaldo?


Sabemos que no hóquei é esporte de macho e não tem essa de falta. E o chinês ainda faz uma tripla, derrubando os amigos no chão. Um contra três, e ele ainda desce a porrada.


A pancadaria continua rolando solta, com Richards e Zé Pequeno sendo jogados de lado e espancados que nem cachorro de pobre. Quanto ao Wally, Sub-Zero usa seu taco pra deslizá-lo pelo chão como um disco de hóquei.


Lá vai ele, olho no lance!


Éééééééééééééééééééé... dos Sorrateiros!!!! Confira comigo no replay! E foi foi foi foi ele... Sub-Zero! O craque da camisa zero! E o Wally foi lá, balançou o capim no fundo do gol dos Sobreviventes!


O curioso é que, embora Sub-Zero seja chinês, ele grita um "banzai" depois de marcar o gol, que eu acredito ser uma comemoração nipônica. Lembro mais uma vez que eram os anos 80, e não ficaria surpreso de que os produtores do filme pensassem que japonês e chinês é tudo igual.

Como a Dona Zucrinéia tinha escolhido um Sorrateiro que estava dando porrada, ela iria ganhar um monte de prêmios, incluindo um liquidificador, um video-cassete quadrado e um jogo de tabuleiro do programa O Sobrevivente, onde ela poderia se divertir com seus netinhos com uma diversão inofensiva baseada em uma competição sangrenta.


Richards decide tomar as rédeas da situação, e corre para tirar o Wally do gol. Mas o Sub-Zero está ali na espreita, e prepara um disco de hóquei explosivo pra mandar aquele bombado de amarelo pra China.


KABOOM!!! Embora o Sub-Zero tenha dado uma risada, e com isso seus olhos se fecharam e ele perdeu a mira, a explosão havia sido suficiente pra jogar o Arnoldo longe.


O Zé Pequeno então vê que sobrou pra ele. Com o Wally dentro da jaula e Richards nocauteado, restava ao mano descer a porrada naquele chinês gordo cheio de sushi. Se bem que sushi é japonês... sei lá, descer a porrada naquele chinês gordo cheio de yakisoba.


Só que o Sub-Zero é parada dura, e vem de surpresa pra fatiar aquele negão.


Pro azar do china, Richards já está de pé. Precisamos lembrar que ele é o Arnoldo, e não vai ser uma mera explosãozinha de merda que vai derrubar ele. Sem perder tempo, ele vai pra ajudar o Zé Pequeno, dando um mega abraço por trás no Sub-Zero. Podia ter sido um pouco mais macho, dando um soco ou coisa parecida, mas ele preferiu boliná-lo pela retaguarda...


Eis que então Richards se dá conta de que tem uma cerca com arame farpado ali e tem uma idéia estilo Mortal Kombat, que seria adequada pra lidar com alguém chamado Sub-Zero. Sem perder tempo, ele arranca um pedaço de madeira preso no arame e sai correndo com ele.


Sub-Zero se emputece de vez. Como um bom homem carinhoso e educado, segundo a Dona Zucrinéia, ele saí deslizando ferozmente na direção de Richards falando um monte de palavrão em mandarim, louco pra fatiar sua cabeça fora e jogar hóquei com ela.


Mas Richards pula pro lado, estendendo o arame farpado no caminho...


... que corta através do pescoço de Sub-Zero. Fatality!


Richards olha pra câmera, dizendo que o Sub-Zero agora deve se chamar Zero à Esquerda, e que o Gugu podia enfiar aquele microfone escroto dele no rabo até que saísse pela boca. E veja que os filmes daquele tempo não tinham frescura, mostrando o chinês esticado no chão, enquanto uma lagoa de sangue jorrava de seu pescoço dilacerado.


Silêncio no palco, quando todos se dão conta que o carinhoso Sub-Zero foi pra vala. Azar pra Zucrinéia, que vai perder todos os prêmios que ganhou. Por sua vez, o Gugu fica todo sem jeito, pois a idéia de colocar aquele microfone no seu cagador não parecia uma má idéia, algo que ele podia experimentar, aproveitando que era a hora do intervalo comercial.


De volta na arena, Richards e Zé Pequeno vão lá pra salvar o coitado do Wally. Esse quatro-olhos só está arrumando problemas, eles podiam era ter deixado ele ali, daria menos trabalho.


O Gugu voltou ao seu escritório, enquanto está levando um esporro do patrocinador do programa, pois eles estavam planejando lançar uma figura de ação do Sub-Zero para o Natal, e que estava tudo se encaminhando para ser um fracasso pior que o cartucho de Atari do E.T. havia sido. E ele aproveita para retocar a maquiagem, com a ajuda do seu aspone bichona.


Voltamos ao programa, onde agora o sorteado é um sujeito estúpido de gravata borboleta, que chamarei de Leonard, que fica todo abafado na hora de escolher um próximo Sorrateiro para mandar para o necrotério... quer dizer, para o jogo. E, depois do jogo, para o necrotério.


A dúvida dele é entre dois Sorrateiros, Moto-Serra e Dínamo. Com nomes assim, dá pra imaginar o nível de ridículo que está vindo. Como ele não se decide, Gugu então dá por encerrada a questão e convoca os dois malucos para a parada. E, olhando agora... esse carinha não parece aquele sujeito que fazia o anúncio do Bombril?


O primeiro a aparecer é Moto-Serra, que era aquele maluco que já tinha dado aparecido antes. E pela cara de alucinado dele, parece que ele estava com vontade de soltar um barrão daqueles, mas foi interrompido pelo programa.


Como era de se esperar, o sujeito carrega uma moto-serra, e começa então a fazer a sua demonstração de bichisse, arrebentando algumas inocentes colunas de aço que estavam ali no palco, para a alegria da galera.


O Gugu já correu lá pro camarim, pra dar mais uma retocada no blush. A Janete, que está usando outro brinco ridículo que parece uma argola de cortina de banheiro, vem para dizer que a audiência subiu dez pontos e eles passaram o Faustão. E outra novidade que ela tem é que Amber, aquela garota que havia denunciado Richards, havia sido detida no arquivo de vídeos. Tal revelação faz o Gugu melar as calças de tanto êxtase.


E lá no palco, depois da apresentação do Moto-Serra, aparece uma cabeça gorda cantando ópera, flutuando ao redor de várias luzinhas de Natal.


Essa pôrra era o Dínamo, um gordo cheio de luzes picando de forma boiola e com um capacete de centurião romano, que dispara relâmpagos de suas mãos, e que faz uma demonstração semelhante à do Moto-Serra, mas muito mais gay.


Sinceramente... Dínamo é um dos personagens mais escrotos que eu já vi na vida em um filme. Puta merda, um gordo seboso cantor de ópera e que parece ter roubado seu guarda-roupa da produção do Ben-Hur. A galera vai ao delírio, mas eu acho essa pôrra a gota d'água.


O Gugu volta ao palco, para então anunciar uma surpresa, fruto de seu pensamento astuto e filho da puta. Sim, era Amber, trazida à força pelo Zangief, que aproveitou a deixa pra dar uma apalpada nos magumbos latinos dela.


Vou te dizer... Essa aí se fudeu mesmo. Tinha tudo para curtir umas férias no Havaí e por conta de ser tagarela vai ser lançada naquela porcaria de show, no meio de um monte de marmanjos suados.

De volta no quadrante, os três amigos estão correndo pra achar uma saída. Até que o Wally faz com que todos parem, pois ele tinha visto algo sensacional.


Não era nada demais, apenas uma antena parabólica, apontando para o centro da zona do jogo. Realmente, algo muito interessante, talvez o Wally tenha um desejo meio louco. Mas ele explica que essa antena pode indicar a localização de uma central de comunicação. Richards diz que essa é a coisa mais inútil que ele já escutou, e começa a se arrepender de ter tirado o nerd lá da gaiola ali atrás.


Voltando mais uma vez ao palco do show (essas constantes trocas de cenário me tiram do sério), Amber está já amarrada ao trenó, enquanto começam a dar uma falsa ficha criminal dela, dizendo que ela colou na prova de inglês, trepou com três caras numa festinha na fraternidade e ainda sendo tida como amante do Richards. Pela cara dela, talvez só essa última era invenção do programa.


Após outra troca de cenário, Wally explica para Richards que as antenas devem apontar para uma central de comunicações, que se comunica com os satélites da emissora, e assim transmitem para o mundo todo os seus programas. Se eles conseguissem encontrar essa central, poderiam passar o código de acesso para a resistência, para que assim os cretinos da ICS fossem desmascarados. Richards não entende, acha que aquilo era uma perda de tempo, que o negócio era matar todos os Sorrateiros e sair dali.


E eles precisavam se apressar, pois Moto-Serra e Dínamo estavam ali a caminho para trucidá-los. Detalhe para o carrinho escroto do Dínamo.


Richards e os outros continuam avançando, embora o Arnoldo está puto com toda essa idéia de antenas e satélite. E pra piorar, parece que alguém está chegando... Assim, ele se prepara para espancar o imbecil que estiver vindo.


Após aplicar uma chave de perna, ele derruba o intruso no chão e se prepara para afundar seu crânio com um murro...


... e aí ele se dá conta que era Amber, que parece ter ficado toda serelepe e de farol aceso com essa demonstração exacerbada de testosterona. Imagino que Richards deve ter ficado com mais vontade de bater ao ver que era ela.


Pra variar, Amber fica toda histérica, dizendo que mandaram ela pro jogo por conta de Richards, que era um absurdo estar ali, e outras reclamações em espanhol. Richards, puto dentro das calças, joga ela ali pra trás, pois além de não calar a boca a idiota ainda estava se expondo para as câmeras, dando assim a localização deles.


Anos 80, minha gente. Nessa época não haviam femi-nazis para achar que qualquer mísero empurrão é desrespeito pelas mulheres. Amber reclama mais ainda, dizendo que ainda estão dizendo que ela e Richards são namorados, algo que ela abominava mais do que a banda Rebelde.


Ele então responde, dizendo que se ela quisesse, poderiam romper o relacionamento ali mesmo, na frente das câmeras. E logo depois ele iria romper o pescoço dela.


O Wally então vê outra antena e sai correndo. Puta merda, será que o cara tem algum tipo de fetiche com antenas? Fudeu, eles estavam tentando se esconder ali, e o quatro-olhos estraga tudo mais uma vez.


O pior de tudo é que não demora... depois de sair do esconderijo, Richards escuta o barulho de moto...


... e lá vem o Moto-Serra pra acabar com a moleza.


Seguido do Dínamo, e seu carrinho Hot-Wheels escroto.


Na boa... Sei que começou outro momento de ação, mas a postagem já está ficando meio gigante. Acho melhor darmos uma pausa por aqui, e voltar depois direto na pancadaria que promete ser mais violenta que a do Sub-Zero.

5 comentários:

Ciro Lira disse...

Esse filme trazendo à tona a situação em que vivemos. Crise financeira e a manipulação da mídia. Interessante que todo filme dos anos 80 com uma visão futurística, sempre tem características dos anos 80. Lembro bem que o SBT passava esse filme com frequência nas noites de sábado, como também outros clássicos da época. Muito engraçado como sempre, Texugo. Só senti falta dos trocadilhos hehehehe...

Texugo disse...

Obrigado pela visita, Ciro! Realmente, muitos desses filmes dos anos 80 previam certas coisas, como essa manipulação da mídia. Na minha opinião, era a época de filmes bons, que não tinham medo de mostrar certas coisas, que hoje todo mundo fica cheio de frescura.

netsfera disse...

Olá Texugo! Estou acompanhando essa postagem há bastante tempo! Como eu já havia citado em outro comentário, adoro o seu jeito irônico e ácido de dissertar sobre os temas abordados no filme, citando "n" referências! Embora você tenha dito que está ficando longa, estou adorando! Tenho que reconhecer com louvor que você é um EXCELENTE redator. Você tem chances enormes de produzir Teses de Doutorado na Área de HUMANAS, como em Faculdades de Sociologia, Filosofia e História! Já pensou nessa possibilidade? Aguardo o desfecho dessa matéria!

netsfera disse...

Aproveitando a ocasião, por favor, aguardo com carinho uma matéria gigante sobre o episódio dos Superamigos que falei, "Os Monstros estão Chegando", com direito a dezenas de fotos capturadas. Você é um Mestre!

Texugo disse...

Obrigado pela visita e pelos elogios, netsfera!

Não sei se rolaria fazer uma tese assim numa área dessas. Primeiro, não sei se sou tão bom a esse ponto. Segundo, nessas áreas as pessoas em geral têm uma visão que certamente iria entrar em conflito com a minha, acho que eu arrumaria muita briga por lá!

Pode deixar que vou ver esse episódio dos Super Amigos que você citou. Fechando aqui o filme, eu pretendo voltar com as sátiras de desenhos, tenho até uma dos Super Amigos que eu fiz há algum tempo e que só falta publicar, e essa sua sugestão foi muito boa.