sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Feminazis

Muitas das postagens que eu escrevo aqui são motivadas por algo que eu vejo no meu dia-a-dia, ou influenciadas por coisas que eu leio na Internet, seja nas redes sociais, sejam em páginas de notícias e similares. Tem vezes que, quando quero dar umas gargalhadas de verdade, é só entrar num daqueles sites de esquerda ou ler os textos de meus amigos petistas, é um prato cheio para se mijar de rir com aquelas teorias fajutas e fictícias, como de que a Venezuela é uma democracia ou o Lula é alma mais honesta do Brasil.

Outra coisa que eu costumo fazer é entrar de vez em quando em alguns portais conhecidos, pois é curioso ver certas matérias engraçadas, absurdas e estúpidas, apenas para rir um pouco da babaquice e futilidade humana, ainda mais a brasileira. O portal da Globo, por exemplo, é repleto de notícias superficiais que me surpreendem em como tem gente que é paga pra escrever tanta coisa sem graça e desnecessária. Tipo, falar que uma atriz foi vista num shopping andando, ou algum despirocado querendo nos fazer acreditar que os homens agora estão usando saia. Pior que muitas dessas matérias ainda têm o desperdício de serem impressas nos jornais e revistas da editora. 

Tem vários outros portais, e um que de vez em quando olho é da dupla UOL e BOL, no final das contas os dois são quase a mesma coisa. Neles, a quantidade de notícias ridículas passa da média aceitável. E uma delas foi que motivou eu vir aqui, pra falar das feministas exageradas, as populares feminazis.


Tudo por conta de uma postagem extremamente "educativa", onde algum jornalista do site (possivelmente uma feminista raivosa) coletou pequenas postagens de Twitter e memes, que sacaneiam os homens e divertem as mulheres, alguns que eu vou reproduzir aqui ao longo da postagem.

Já escrevi aqui em diversas oportunidades sobre o que penso a respeito das feministas. O assunto veio com peso na época do estupro coletivo (aqui e aqui), depois veio com aquela história do Vin Diesel e uma pseudo-personalidade do Youtube (aqui e aqui) e por fim com o assédio do José Mayer, ator da Globo (aqui e aqui). Observe que nestes três casos, sempre foram duas postagens quase que seguidas, muitas vezes na segunda trazendo novas descobertas e questões sobre cada um dos casos. Escrevi bastante sobre o assunto, tanto que tenho a certeza que vou me repetir aqui diversas vezes...

O que eu acho muito engraçado é como a nossa sociedade está hoje em dia, promovendo uma postura bipolarizada para tudo, separando todo mundo em dois grupos bem discretos. Assim, bem oito e oitenta. É o que prega uma parcela da sociedade, extremamente radical e bradando o mote do "nós contra eles", em que essa parcela se enxerga como a correta, a única que está certa e sabe das coisas, é o lado do "Bem". E se você não está 100% alinhado com os ideais dessa parcela, automaticamente você é o inimigo, o opressor, faz parte do lado do "Mal" que está errado e é todo de ruim que existe no Universo.


E as feministas radicais (as populares feminazis) fazem parte desse grupo do "Bem". Juntamente com os negros, que LGBTs, os pobres, os esquerdistas e assim por diante.

Pode parecer meio generalista essa minha opinião. Mas, é o que se observa, vindo justamente dessa parcela. Já escutei petista dizendo exatamente isso, que "apenas o PT pensa no negro", ou que "se você quer defender os direitos da mulher, você tem que ser de esquerda". Eu tento não generalizar, mas essa conduta acaba vindo deles mesmo! Não apenas assumindo que eles são do "Bem", mas já colocando qualquer um que não pense exatamente como eles como inimigos a serem combatidos.


É um radicalismo que me surpreende. Por exemplo, se uma feminista extrema vier aqui e ver que eu não estou concordando com o movimento dela, automaticamente então eu serei um cretino machista e preconceituoso. Pode aparecer aqui uma leitora no blog, que tenha até ideais pró-feminismo, porém de forma mais comedida e racional, sem os exageros das feminazis, e mesmo essa leitora será xingada, vão dizer que ela é frouxa, que se sujeita à sociedade patriarcal opressora.

Para essas pessoas radicais, não tem meio termo, não aceitam que possam haver mais de duas opiniões. Pra essas feminazis, é a conduta do "você está do nosso lado ou é machista?".

É um fanatismo radical que não dá em nada. Na verdade, só desvaloriza e desmerece qualquer iniciativa que busque trazer maior igualdade para homens e mulheres. Embora eu pessoalmente não goste do termo "feminismo", por passar a mesma idéia de ser algo parcial a apenas um dos gêneros da mesma forma que "machismo", eu entendo e reconheço que existem muitas diferenças até hoje, fruto de uma sociedade que colocava as mulheres em posição inferior aos homens, diferenças essas que precisam ser combatidas, precisam ser eliminadas, para que tenhamos uma verdadeira igualdade.


Agora, só não concordo com essa postura besta das feminazis, que não querem igualdade, mas sim promover uma supremacia das mulheres sobre os homens. Revanchismo. Dar o troco. O que fica evidente se olhamos essas "piadas" que as feministas radicais fazem.

Escolhi aqui uma primeira que me chamou muito a atenção, publicada por uma cidadã de nome sugestivo Lesbicapeta.


Sério... Essa eu preciso respirar fundo para comentar.

Pra começar, eu não faço idéia se o "cis" ali foi erro de digitação ou é mais uma dessas siglas escrotas da atualidade, caso alguém saiba, me explique nos comentários. Mas, vamos deixar isso de lado, pois o resto já dá pano pra manga.

Ainda bem que as feminazis são mulheres extremamente do bem, conscientes em não promover nenhum tipo de preconceito. Apesar da tal Lesbicapeta assumir que todos os homens heterossexuais brancos são egocêntricos.

Mulher, seja ela hetero ou homossexual, branca ou negra, é perfeita; homem branco mas homossexual, esse é do bem; homem negro heterossexual, também é gente fina; e homem negro e homossexual deve ser sonho de consumo.

Agora, homem branco heterossexual é um filho da puta dum egocêntrico. Esse é o discurso de igualdade e isento de preconceito de feministas radicais, como a figura acima.

Sabe, minha caríssima Lesbicapeta... Não sei dizer se você é branca ou negra. Imagino que seja branca, já que colocou em seu perfil a foto de uma boneca branca. Acho até que você deveria ter sido um pouquinho mais politicamente correta e ter colocado a foto de uma boneca negra, para demonstrar a sua solidariedade por uma raça tão oprimida, para criticar o ideal capitalista de que todas as bonecas sejam brancas. Mas, vamos deixar isso de lado.

Supondo que você seja branca... E entendendo que você simplesmente não brotou do nada (embora eu tenha a teoria de que as feminazis surjam de uma combinação de estrume de vaca com O.B. usado), eu acredito que o seu pai seja branco. Grandes chances de que seja. Assim, você está dizendo que o seu pai também é um egocêntrico opressor das mulheres, como a sua postagem sugere? Afinal, se você é branca e o seu pai também, provavelmente ele deve ser heterossexual, ou então não ia plantar a sementinha na barriguinha da senhora sua mãe, certo?


E se você tiver filhos? Se eles são brancos, e aí quando crescerem eles começarem a gostar de meninas, então será que posso dizer que seus filhos também são egocêntricos? Ou você vai convencê-los a serem homossexuais, pois afinal de contas, na sua cabeça homem branco heterossexual deve ser a escória da sociedade...

É engraçado como essas radicais promovem ainda mais preconceito. E mais engraçado ainda é como grande parte da sociedade, a que se diz politicamente correta, fecha os olhos para comentários preconceituosos como esse. O site, por exemplo, parece achar engraçadinho e hilário...

Esse "meme" foi foda, vamos ver outro pra desmascarar, dessa vez pra falar da hipocrisia. Vamos dar uma lida no que a tal da Kimberly Araujo escreveu no seu "Feice".


Bom... antes de qualquer coisa, antes que venham a falar algo de mim, eu sou um homem que acho muito escroto essa de ficar flertando na rua, tipo os caras que ficam assobiando ou que torcem o pescoço pra olhar a bunda da mulher que passou. É algo que não faço e acho imbecil.

Mas não estou concordando com a tal da Kimberly. Isso porque é a típica postura de uma feminazi revoltada com a vida, que fica se doendo com qualquer coisa.

A frase que ela cita, como se fosse a justificativa de um homem, mostra um pouco de como está a sociedade hoje em dia. Pra começar, dizer que uma mulher é feia não caracteriza machismo na minha opinião. Chamar alguém de feio, seja homem ou mulher, é algo ofensivo, simples assim. Agora, por que isso se torna mais nocivo quando é dito para uma mulher? Será que vai ser como o feminicídio? Já não basta instigarem essa idéia de que a vida da mulher aparentemente vale mais que o homem, agora querem também chamar de machismo qualquer tipo de ofensa?

Isso é feito apenas como forma de vitimismo. Não me lembro se já contei essa história aqui, mas escrevo, mesmo sendo focado mais na questão racial do que de gênero, pra mostrar como tem gente que gosta de se fazer como vítima, especialmente se tiver a solidariedade dos outros...

Uma colega minha trabalha com recrutamento, numa dessas empresas que fica responsável pelo processo seletivo para outras companhias. Ela me contou certa vez de uma situação desagradável, em que na última fase de uma seleção em que era feita uma entrevista com o responsável pelo departamento onde tinha a vaga, juntamente com uma psicóloga. Chegou um funcionário negro, fez a entrevista como todos os outros candidatos, e ali mesmo depois eles eram informados sobre quem tinha passado ou não.

Pois muito bem, o tal candidato negro não passou, por conta de sua experiência, talvez até mesmo pelo desempenho na entrevista. Mas o cara não aceitou, começou a dizer que tinha sido reprovado porque era negro, que a empresa era racista e assim por diante. Deu uma merda, no final o cara não conseguiu nada... Mas a empresa passou por um vexame.


Trata-se de um exemplo do vitimismo, promovido por essa turminha aí defensora dos menos favorecidos. Não importa o motivo, por mais bem justificável que seja, se o negro se sentir prejudicado, pode sacar a cartinha do racismo pra ganhar a solidariedade dos politicamente corretos. Mesma coisa com as feministas extremas: chamar de feia é visto como machismo, justamente para aumentar o problema, para se vitimizar.

Agora, chamar homem de feio, pra elas não tem problema! Nem como ofensa elas devem ver. Principalmente se for branco e heterossexual... Eu mesmo já fui chamado de feio, entre outras coisas mais. Só que isso não faz mal, a mulher tem o direito de chamar o homem de feio, horroroso, do que quiser. E viva mais uma vez a igualdade...


Seguindo nessa mesma postagem, o que eu acho ainda mais curioso é a continuação da frase, o "chamar de bonita é assédio".

Pombas, nem chamar de bonita pode mais?

Mais uma vez, reforço o que eu disse ali em cima: não acho certa a postura abusada de muitos homens, que ficam ali babando e fazendo "fiu-fiu" pra qualquer rabo de saia, dizendo coisas como "gostosa" ou "tesuda", que vira um bicho no cio ao ver uma mulher na rua. Tipo aquele lobo tarado dos desenhos do Droopy.


Mas, por outro lado, vamos com calma! Da mesma forma que é um exagero assumir que uma ofensa contra uma mulher seja sempre baseada em machismo, acho meio sem noção pensar que o simples ato de dizer que uma cidadã é bonita seja um assédio sexual. Já aconteceu comigo uma vez, com uma colega de trabalho. Apenas comentei assim de forma inocente "você está muito bonita hoje", e foi o suficiente pra ela explodir, dizendo que não tinha me dado o direito de comentar sobre a aparência dela, que era uma falta de respeito e blábláblá...

Me digam feministas raivosas: nós homens não podemos nem fazer um elogio e dizer que uma mulher é bonita?


Repito mais uma vez, pra deixar bem claro: não estou me referindo a uma postura abusada que mutos homens têm com as mulheres, estilo estivador ou peão de obra. Isso é sim reprovável. Agora, vamos combinar que não podemos generalizar, tenhamos um pouco de bom senso que em muitas situações o sujeito pode estar apenas fazendo um inocente elogio sem nenhum tipo de segundas intenções. Ou será que isso é impossível?

Claro que não... acontece que na cabeça das feministas, só pode chamar de bonita quem elas querem. De preferência se é um cara bonito.

Ah, fala sério! Quero ver se essas feminazis iam ficar tão revoltadas se fosse o Brad Pitt chamando elas de bonitas. Duvido! Vou mais longe ainda: aposto que tem muita feminista extremista aí que não se incomoda de ser chamada de gostosa na night por um cara boa pinta e atraente. Como nessa tirinha que eu fiz, que resgato mais uma vez e que mostra como que muitas mulheres agem contra esse tipo de "assédio".


É a hipocrisia dessas pessoas, que se dizem defensoras das minorias menos favorecidas. Criticam a superficialidade dos homens, mas fecham os olhos e até mesmo aplaudem a mesma superficialidade quando vinda das mulheres. Tá cheio de "donzelas" aí que ficam fofocando entre si, comentando do sarado da academia, do gatinho que trabalha na empresa ou do estiloso que chegou na noite de carro importado. Isso não tem problema.

Enfim, tem vários lá, acho que basta mostrar esses dois, que destacam bem como que é a postura de mulheres que são extremistas quando o assunto é feminismo. Cansei de dizer aqui em várias oportunidades, eu não estou negando que as mulheres sofreram e ainda sofrem preconceito, tampouco estou dizendo que não existe machismo. Acho válido sim que se combata uma cultura que prevaleça um dos gêneros sobre o outro, temos que valorizar a igualdade. Acontece que não é assim que essas feminazis pensam, ao promover na prática uma revanche, uma virada de jogo, uma condição onde as mulheres sejam favorecidas em detrimento dos homens.

Por exemplo, veja essa notícia também recente, que eu vi no site do Extra. Faço até questão de reproduzir aqui o texto.

Cafeteria cria 'imposto' de 18% para homens, a fim de compensar diferença salarial


"Um café na cidade de Melbourne, na Austrália, começou a cobrar uma taxa extra para consumidores do sexo masculino, chamada pela proprietária de "imposto de homem". Assim, os homens que frequentam o Handsome Her precisam pagar 18% a mais do que as mulheres por qualquer produto do estabelecimento. 
De acordo com Alex O'Brien, vegana e feminista, a ideia é priorizar o público feminino, já que "por décadas houve uma discrepância salarial" entre os dois sexos. Além de pagarem menos que os homens, as mulheres ainda têm prioridade sobre os assentos do café.
A proprietária conta que as respostas dos clientes têm sido positivas. Há casos em que homens doam um valor até mesmo acima do cobrado pelo estabelecimento. Mas a medida de Alex também vem recebendo muitas críticas. Nas redes sociais, parte dos internautas considera a atitude da australiana sexista."
Tá vendo? Imagina se a moda pega?

Esse é outro típico exemplo de pessoas que querem combater o preconceito com mais preconceito, em vez de promover a igualdade. É como a política de cotas para negros em universidades, que eu muitas vezes condenei aqui. Por mais que tentem vir com esse discurso furado, no final das contas demonstra como esses grupos politicamente corretos e defensores das minorias não querem acabar com as diferenças, querem acabar só com aquelas que os prejudicam. As outras diferenças que os favorecem, essas aí não tem problema, buscam até criar novas diferenças desse tipo, sob a alegação de ser uma política compensatória.

Esse mundo está é perdido. Pois esse tipo de mentalidade, essas idéias preconceituosas de feministas exageradas, acabam sendo aplaudidas pela sociedade moderna e politicamente correta. Vale para todos esses grupos menos favorecidos, em que se promove um incentivo exacerbado com mais preconceito, só que dessa vez a favor deles. Caminhamos assim até uma situação onde mulheres serão consideradas superiores aos homens, e parece que todo mundo acha isso maravilhoso...

5 comentários:

Isaac Schlesinger disse...

Mano, comecei a acompanhar tuas postagens faz cerca de suas semanas, e me fascina a capacidade que tu tem de me dar aqueles princípios de taquicardia até com assuntos sérios, na moral, eu fico rindo igual um idiota do que tu escreve. Parabéns pelo excelentíssimo trabalho, prezado Texugo, e que só melhore. Aliás, pensamos de forma bem semelhante, essa misandria que tá rolando não tem pé, nem cabeça, tudo é razão pra Schutzstaffel das feminazis querer "soltar os cachorros", parece que a paixão da vida de tipos como esse é catar brechas pra gerar confusão XD

Texugo disse...

Obrigado pela visita Isaac! Realmente, tem horas que precisa colocar um pouco de humor pra conseguir digerir certas coisas que acontecem em nossa sociedade.

netsfera disse...

Suas postagens são dignas de um PRÊMIO. Você escreve muito bem. Muito melhor do que aquelas revistas tendenciosas e superficiais como a VEJA e a PLAYBOY (equesta última alias,se julga um representante do pensamento masculino...). MEUS PARABÉNS pela matéria e pela escolha perfeita de imagens para ilustra-la.

Haitou_88 disse...

Caraotimo post, como sempre vc consegue botar o que eu penso em palavras. Pena que a sociedade que a gente vive atualmente é extremamente radical (de QUALQUER ideologia) e nãoconsegue manter um nivel de dialogo decente para discutir sobre essas coisas, se vc postar algo parecdio IMEDIATAMENTE é chamado de machista, opressor etcetc, sendo que a pessoa nem lê o que vc falou. Tá foda. Continue com as postagens

Texugo disse...

Obrigado pela visita Haitou_88.

Realmente, as pessoas estão ficando muito radicais. E como você disse, de todos os lados. Por exemplo, nesse assunto aqui, tem muitas feministas radicais aos extremo, mas também tem aqueles que são contrárias ao feminismo com o mesmo tipo de extremismo cego e exagerado.

Como já disse aqui, as pessoas estão ficando muito bipolarizadas, como se só existissem duas opiniões possíveis...