segunda-feira, 17 de julho de 2017

Nojeira com dinheiro público

Já disse e repito: esse país é uma merda! Vi outro dia algo no Facebook que eu não acreditei, não consegui entender como que as pessoas conseguem descer tão baixo a ponto de inventar algo tão absurdo, nojento, escroto e desnecessário como o que vou citar aqui. O pior de tudo, bancado com o meu e o seu dinheiro.

O nome da vez é de uma "artista" chamada Dora Smék. Segundo descobri, na época mestranda de Artes Visuais da Unicamp, o que já nos faz imaginar o que está vindo por aí. Em um provável momento de "grande brilhantismo cultural", ela bolou uma demonstração artística chamada "Transbordação". Uma obra de arte, em que temos um grupo de mulheres, vestidas ali de forma normal, que entram em um espaço vazio... e simplesmente urinam nas calças.


Sério... Repito: mulheres entram no recinto, ficam paradas e se mijam nas calças.


...

...

...

...

...

Na boa... Que diabos é isso? Puta merda!


Isso é cultura? Convidar ali algumas mulheres, para pararem ali num espaço, sem sem mover, até então todas iniciarem uma mijada sincronizada? Que pôrra é essa? Isso é arte?

O que eu acho mais incrível é que parece que dezenas de mulheres decidiram, por livre e espontânea vontade, participar de tal ato. Aparentemente, de graça. Não devem nem ter ganhado uns trocados pra pagar a lavanderia. E fico me perguntando quem é que limpou todo aquele mijo ali no chão.


Tal apresentação foi, pelo o que eu entendi conforme li aqui, realizada em duas oportunidades. A primeira em setembro de 2016, ocorreu em um SESC, que é bancado por conta de um imposto pago pelas empresas sobre o salário de seus funcionários, enquanto que a segunda foi nessa quarta-feira passada em um lugar sugestivamente chamado "Galeria Vermelho", que deixa bem clara a sua provável orientação política. Nesta ocasião, a mijada coletiva foi bancada por uma tal Associação Cultural Videobrasil, que recebe patrocínio da Petrobras...

Em outras palavras: é o dinheiro do povo sendo usado pra financiar cultura da pior qualidade.


O pior é ver a "explicação" da "obra de arte", segundo as palavras da própria autora:

"O ato de urinar deixa de ser simplesmente uma necessidade fisiológica e passa a ser uma experiência poética."

Experiência poética? Puta que pariu...

Realmente é hilário como esse país é estúpido. Só aqui mesmo nessa poça de lama. Não defendendo, mas é engraçado como tem tanta gente aí de esquerda, com consciência social que pede a cabeça do Pezão por conta da saúde e educação aqui estarem sucateadas, mas que não se revoltam com o fato d dinheiro público estar sendo usado para pagar uma pseudo-artista de décima categoria para fazer uma produção "artística" extremamente nojenta e cretina.

Fala sério... Acho que eu vou chutar o balde, vou lá no meio dum corredor do MAM, soltar um cagalhão fedorento e dizer que é arte plástica, clamando que cagar no chão é uma experiência poética.

Nenhum comentário: