quarta-feira, 21 de junho de 2017

As belas da Band II


Hoje me bateu um momento nostalgia, de ficar repassando alguns posts antigos aqui no site. Interessante ver como certas coisas mudaram, tanto no mundo em geral como na minha forma de escrever. Se você tem um blog, recomendo fazer o mesmo; caso não tenha, experimente fazer isso na sua página do Facebook, vendo o que você escrevia e curtia há alguns anos atrás. Posso apostar que muita gente vai acabar se surpreendendo ao ver como que tudo era diferente lá em, por exemplo, 2011, talvez até percebendo aquelas opiniões próprias que permanecem e quais mudaram.

Tipo, ia ser engraçado ver alguém que hoje fica com discurso politicamente correto se dar conta que lá atrás estava fazendo piadinha com gays, por exemplo. 

Eu particularmente vejo que não mudei muito. Continuo escrevendo sempre sobre assuntos polêmicos, e quase sempre com uma posição bem peculiar e destoante do senso comum da maioria; desde os primórdios tendo o grande prazer de destacar as hipocrisias e atitudes condenáveis do PT e do restante da esquerda; sempre trazendo a lembrança de tempos mais simples de minha infância, de clássicos de cinema insuperáveis, brincadeiras mais divertidas e menos frescura na sociedade; mais recentemente, em muitas oportunidades dedicando linhas a linhas para sátiras de filmes e desenhos, colocando em prática a minha veia de comediante; e em muitas vezes, me mijando de rir ao ver o Flamengo se dando mal.


Aproveito para dizer que finalmente os mulambos têm um estádio, pois o Maracanã nunca foi deles de verdade. O Flamerda agora manda os seus jogos naquele estádio na Ilha do Governador, onde o Botafogo jogou enquanto o Engenhão estava em obras... Isso, os urubus acabaram estragando a simpática "arena"... Mas nós nos divertimos ao ver que, menos de uma semana depois de sua inauguração, os flamerdalhos já perderam o seu primeiro título lá, ao serem derrotados pelo Atlético Mineiro na final da Copa do Brasil sub-20. Que seja a primeira de muitas derrotas do mais odiado do Brasil...

Estou me desviando do assunto, embora sempre é um prazer zoar os urubus... Era pra falar dos temas que costumo escrever aqui no site, voltemos.

E, claro... outro tema que sempre esteve por aqui foram as mulheres, embora ultimamente tenha até dado uma certa recaída na quantidade de posts assim... Sempre me deixando confuso, sempre misteriosas e encantadoras, sempre lamentando aqui a minha personalidade desajeitada com o sexo oposto, rendendo várias derrotas na vida amorosa. Provavelmente por isso, fazendo com que em diversas vezes eu viesse aqui, de forma quase que apelativa, dedicar uma postagem para falar sobre alguma personalidade que havia me chamado a atenção, ou inventando listas, coisas assim.


Eu sei, sou um texugo patético... 

Bom, e depois de fazer essa longa introdução (alías, outra coisa que eu sempre faço) e de trazer o tema "mulheres", comento que repassando os posts mais antigos me deparei com um que eu fiz lá em 2011, em que eu falava um pouco sobre as apresentadoras de telejornais da Rede Bandeirantes. Filhote de uma outra postagem mais antiga ainda, de 2009, em que não me limitei a uma única emissora e fiz uma lista das apresentadoras que na época eu considerava mais bonitas, nesta em questão eu realmente fiquei impressionado em como as jornalistas da Band, muito atraentes.

Acho que vale nesse momento fazer um pequeno parênteses... Ao contrário do meu blog, que tem mantido um estilo durante anos, a sociedade mudou muito de 2011 para cá. Piorou em muitos aspectos na minha opinião, com a escalada do "politicamente correto". As pessoas que seguem essa ideologia acabam sendo hiper-sensíveis a ponto de enxergar ofensas em uma mísera vírgula, qualquer comentário que elas julguem como sendo impróprio para um determinado grupo da sociedade é motivo para uma explosão desproporcional de raiva e ódio, promovendo uma postura que chega a ser agressiva.

E tenho a certeza que se um politicamente correto, ou mesmo uma feminista daquelas exageradas, veio aqui e leu a simples frase "as jornalistas da Band, muito atraentes", já deve estar me chamando de machista, tarado, estuprador (pois, afinal, na cabeça delas todo homem é um potencial estuprador), cretino, filho da puta, desgraçado, canalha e outros adjetivos menos amistosos.


Então, vamos lá dar uma breve pausa no assunto que eu gostaria de escrever aqui, mas que vou precisar explicar, uma vez que uma pessoa parece não ter mais direito de dizer ou pensar algo que fuja do estatuto do politicamente correto...

Quando eu falo de uma apresentadora de telejornal atraente, eu não estou sendo aqui superficial a ponto de elogiar apenas a sua aparência. Sim, eu sei que essa é a primeira coisa que se pensa, que quando se usa uma palavra como atraente a tendência é pensar apenas no físico. Como se, mesmo que fosse apenas com essa intenção, isso fosse algo ofensivo! No mundo politicamente correto hoje em dia, parece que é errado um homem dizer que uma mulher é bonita, pois isso seria uma objetificação da mulher. Lógico que tal revolta feminista não ocorre quando o elogio vem do Sr. Gray dos tons de cinza ou do metidinho do Bruno Gagliasso, ou de outros sujeitos que são elogiados pelas mulheres apenas por conta de sua aparência... Mostrando como a hipocrisia é o forte dessa turma.


Cara, estou com muito ódio no coração pelos politicamente corretos! Vamos tentar aqui recuperar o fio da meada.

Enfim, como eu até escrevi nas outras duas postagens, jornalistas de televisão me atraem muito devido a uma combinação de coisas. Não apenas por elas serem muito bonitas, mesmo tendo uma beleza mais discreta e natural, longe do visual exagerado de uma Panicat construída na base do bisturi e Whey Protein que a maioria dos homens curte. Mas também pelo fato de que essas jornalistas são geralmente muito elegantes e têm muita classe, além de serem pessoas cultas e inteligentes. O que torna pra mim uma mulher atraente não é só a sua silhueta, mas principalmente a sua inteligência e personalidade, além de sua vontade de ter uma boa vida profissional.


E as apresentadoras de telejornal esbanjam isso. Estão sempre elegantes, sem serem vulgares, sabem se expressar e dialogar sobre assuntos que não sejam apenas praia e academia. Como, por exemplo, escrevi aqui não tem muito tempo sobre a repórter Andréia Sadi da Globonews. Ela não é apenas uma mulher muito bonita, e também muito simpática (pelo menos na frente das câmeras), mas também demonstra um bom conhecimento dos assuntos que ela apresenta, com uma postura durante a entrevista muito natural, dando a certeza de que ela entende do assunto. Ela passa uma impressão muito positiva de que é uma mulher com quem se pode conversar, uma pessoa agradável com quem seria possível ter um relacionamento saudável e completo, algo que não seja apenas superficial como muitos "relacionamentos" que a maioria das pessoas se contenta.

Entendeu? Antes que venha alguém aqui me chamar de machista por simplesmente chamar uma jornalista de atraente, com as melhores intenções. 


Bom, depois dessa longa explicação, acho que podemos voltar à programação normal...

Como eu estava dizendo, naquela postagem eu comentei sobre várias apresentadoras de telejornal da Band, destacando como muitas delas não eram apenas muito belas, mas também muito elegantes e simpáticas, demonstrando inteligência e carisma. Curioso observar como o tempo passa, e diria que metade delas não continua na emissora, se transferindo para outras. Mais curioso ainda é como algumas dessas apresentadoras, que tinham o costume de sentar-se na bancada do Jornal da Band ao lado do Boechat, tendo assim um grande protagonismo apresentando o principal telejornal do canal, e hoje estão com atuações que, na minha opinião, não tem o mesmo destaque.


Por exemplo, Ticiana Villas Boas, sempre encantadora com seu sotaque baiano, agora apresenta reality show no SBT, quando não está aparecendo nas câmeras do aeroporto junto com o Joesley Batista da JBS, seu marido, quando ele se mandou para os EUA; a cuti-cuti Millena Machado está ali no Auto Esporte da Globo, que todo mundo assiste só para esperar a corrida de Formula 1 começar, e que é mais um daqueles programas que a rede do Plim-Plim insiste de manter na grade de domingo, como Globo Rural e Pequenas Empresas, Grandes Negócios, que estão associados a revistas da mesma corporação; a Izabella Camargo, com sua voz elegante que faz qualquer um se encantar, atua de vez em quando como moça do tempo no Bom Dia Brasil; Mariana Ferrão foi outra que também mudou completamente de ares, deixando a bancada do jornal do canal 7 (sim, estou usando a numeração de anos atrás aqui do Rio) para aparecer em um programa matinal na Globo, daqueles que falam de variedades, saúde e receitas, logo depois da Ana Maria Braga e antes da Fátima Bernardes... que também apresentam programas que falam de variedades, saúde e receitas.


Ana Maria Braga e Fátima Bernardes... realmente, as manhãs na Globo são de dar vontade de você ir lá bater um papo com o grande telefone branco no banheiro...


Faz parte da vida... Quando o assunto é rede de televisão, são poucos os exemplos de fidelidade absoluta, tanto no meio jornalístico como de entretenimento. Sei lá, pinta uma oportunidade melhor ali, ou a atual emissora não está sendo muito boa, e logo essas personalidades da TV buscam outro canal. E com isso, as posições por elas ocupadas são preenchidas por novas pessoas.

Quando o assunto é de apresentadoras dos tele-jornais da Bandeirantes, não foi diferente. E, felizmente, fomos assim apresentados à outras jornalistas igualmente belas, inteligentes e carismáticas, sobre as quais comento neste post... depois de uma introdução que parece um discurso do Fidel.

Começo falando da Paloma Tocci, que hoje é quem apresenta o Jornal da Band ao lado do Boechat. Ela é bem elegante mesmo e sempre simpática na apresentação das notícias, de vez em quando quebrando o galho na previsão do tempo. Diferente da Ticiana, ela tem um sotaque bem natural, e sempre mantendo a compostura quando o Boechat do nada decide interromper para comentar uma notícia antes dela apresentar a próxima.


Sem falar que, por algum motivo que eu não sei explicar, acho Paloma um nome lindo!

Outra que em algumas oportunidades está na bancada do jornal noturno da Band é Paula Valdez. Geralmente ela é escalada nos finais de semana, quando so titulares devem receber uma folga. Ela faz o estilo bem discreto, um pouco mais séria do que a Paloma, mas que de vez em quando nos agracia com um sorriso simpático quando apresenta uma reportagem mais light.


Uma outra apresentadora que acho muito carismática e encantadora é Laura Ferreira. Essa aqui mostra como a vida de repórter é dura, pois ela costuma apresentar o jornal da manhã na emissora, chamado Café com Jornal, e em diversas oportunidades a escuto no rádio bem cedo também. E fica por ali até de noite, quando apresenta a previsão do tempo no Jornal da Band. Embora sua participação seja bem reduzida, ela sem dúvida chama a atenção com seu sorriso e com suas roupas elegantes.


Vamos agora para o noticiário local. Aqui no Jornal do Rio sempre houveram umas apresentadoras muito gracinhas, era curioso como em geral as repórteres pareciam ser mais novas, mas mesmo assim extremamente profissionais. Muitas delas sumiram também, e hoje quem me chama a atenção aqui é Joana Treptow. Ela geralmente faz reportagens na rua, mas em algumas oportunidades apresentou o jornal. Dona de uma beleza exótica, loira de olhos claros, é portuguesa de nascimento e tem um charme indescritível. Pena que ela quase não aparece...


Joana merece mais algumas fotos aqui, até porque ela, por ser uma das mais novas aqui no elenco, frequenta mais as redes sociais. Sinceramente, ela é muito linda!



Por fim, não posso sair daqui sem falar de Kalinka Schutel. Outra que geralmente é repórter de campo, cobrindo na maior parte do tempo matérias esportivas mas que dificilmente a vejo. Dona de um par de olhos claros hipnotizantes, é mais um exemplo da beleza do Sul, lá de Santa Catarina e com esse nome provavelmente descendente de europeus. Não tem como não ficar hipnotizado com esses olhões verdes, sua elegância e sua simpatia ao apresentar as notícias.


E essa é minha lista atualizada das belas da Band. Provavelmente vai aparecer alguém discordando, com sempre. Todos são livres para opinar, desde que com respeito.

Enfim... Todas elas mulheres bonitas, simpáticas, inteligentes e ótimas profissionais no ramo jornalístico. Diferente de muitas mulheres que estão aí na mídia, essas são exemplos a serem seguidos, mostrando que, embora elas sejam indiscutivelmente belas, precisaram demonstrar profissionalismo e competência para chegarem onde chegaram, pois trata-se de uma carreira em que ninguém, seja homem ou mulher, se consolida apenas pela aparência.

Bom... pelo menos quando estamos falando de noticiário sério. Agora, se é um jornaleco de meia tigela, como essa tosqueira lá da distante Albânia, o que vale mesmo é a mulher ficar ali bonitinha e de blusa aberta pra ganhar audiência.


Bonito de se ver, sim... Mas, longe da elegância e profissionalismo que vemos nas belas da Band. 

Nenhum comentário: