sexta-feira, 5 de maio de 2017

Aguardando a Resposta das Feministas

Essa aqui vai ser rapidinha. É especial para as mulheres feministas exageradas de hoje em dia, algumas que até já vieram aqui em algumas oportunidades dizer que eu sou machista, que não respeito as mulheres e outras coisas mais. Vim aqui para perguntar a respeito da opinião delas sobre dois casos recentes que apareceram aí na mídia, e que estão de certa forma relacionados à opressão contra as mulheres e ao machismo.


Eu sei que nenhuma vai responder... Como não se manifestaram em relação a esses casos até o momento. Mas este texugo aqui ainda tem esperança que alguma defensora ferrenha do feminismo venha aqui pra me explicar...

Primeiro, eu gostaria de comentar sobre o caso do José Mayer, lembra? Aquele que sempre fazia o papel de pegador nas novelas da Globo, e que foi acusado por uma figurinista da emissora de tê-la assediado, de ter metido a mão ali nas suas partes íntimas. Aquele que foi suspenso, que foi aí criticado ferozmente pela sociedade, que motivou aí um monte de mulheres engajadas na defesa de suas semelhantes a bradar "mexeu com uma, mexeu com todas". 


Pois é... Um jornal já começa a dizer que a tal "Su" Tonani, a figurinista que até ganhou apelido chique para a mídia, teve um caso com o ator... Soma-se a isso o fato de que ela foi na delegacia para declarar que não vai acusar José Mayer criminalmente.

Como assim? Cadê a defesa do direito da mulher? Se ela se sentiu tão ofendida assim com a ação do ator, por que desistir da denúncia? "Su" gerou toda uma comoção no país, conseguiu trazer para seu lado toda uma horda de feministas em sua defesa, todo mundo dizendo que ela foi uma vítima... e agora vai deixar por isso mesmo?


Alguém me explica?

Será que ela se enganou? Ou talvez caiu a ficha de que a história tá mal contada? Gostaria que alguém me explicasse. Quem sabe, ela desistiu de oferecer a denúncia pois já conseguiu o que queria...

Engraçado é ainda aparecer gente dizendo que a suspeita de que ela era amante do José Mayer não faz diferença, "ah, mas não tem nada a ver!", o assédio aconteceu e ele é um machista que precisa ser punido. Tudo bem então, por que ela não fez a denúncia? Vai lá, vamos considerar que o fato dela ter sido amante dele não seja nenhum agravante, então não faria sentido que ela desistisse de denunciá-lo praticamente no mesmo momento em que surgiu essa suspeita de que os dois tinham um caso extra-conjugal.

Essa história tá mais mal contada do que piada narrada por um gago...

Bom, e a outra notícia é a seguinte, essa destinada com carinho para as feministas de esquerda. Tá, eu sei que isso é meio que redundante, pois afinal de contas geralmente a feminista também é favorável à esquerda, e aqueles da esquerda também são partidários da causa feminista. Essa é para aqueles que adoram acusar o Bolsonaro de ter desrespeitado a Maria do Rosário, que apontaram o dedo para o Pedro Paulo por ele ter batido em mulher e que acham que todo mundo da esquerda trata as mulheres com respeito.


Apareceu aí a ex-mulher do Marcelo Freixo, acusando-o de ter sido machista com ela, sendo acuada e caluniada pelo deputado do PSOL e por seus amiguinhos.

Cara... E agora? 

O que é que vocês me dizem? 


E aí, feministas! O que vocês vão dizer do Freixo? Vão perseguí-lo, como fizeram com o José Mayer? Vocês vão aí botar blusinha de "mexeu com uma, mexeu com todas" em solidariedade com a ex-mulher dele?

Me pergunto aqui onde está aquela premissa de que toda pessoa que é de esquerda tem consciência social, de que tem preocupação com as minorias oprimidas pela sociedade "machista patriarcal capitalista e racista". Ou se vale mais a famosa indignação seletiva, em que o que determina a interpretação de seus atos é a orientação política, dessa forma perdoando os crimes daqueles que seguem o matelinho com foice, mesmo que sejam crimes considerados como inaceitáveis por eles...

Pois muito bem, estou esperando! Quero ver alguma feminista revoltada e extrema vir aqui pra comentar sobre isso, pra me explicar esses dois casos. Faço esse pedido aqui de forma encarecida, para que eu possa compreender esse movimento tão fraterno que prega a igualdade entre os sexos, explicando aqui por que uma vítima de assédio decide mudar de idéia após seu passado com o agressor começar a aparecer, e por que um suposto defensor das mulheres, que tanto condenou o machismo de seus adversários políticos, foi acusado de prática machista, e não recebeu nenhuma crítica da sociedade feminista.

Ou todo esse papo feministóide extremo não passa mesmo de uma grande hipocrisia?


4 comentários:

Anônimo disse...

Babaca, ela nunca foi amante dele

Carlos disse...

Nossa, Texugo... Eu andei lendo alguns artigos seus aqui, tudo muito bom, bem escrito, mas de 6/5 anos atrás.

Porém, o seu último post ferrou com tudo.
Que porra foi isso, amigo?!

Texugo disse...

Carlos, explica então o que é que "ferrou com tudo"...

Eu sempre aqui, desde o início, combati a idéia de "mesmo peso e duas medidas", da indignação seletiva. Cansei de escrever sobre isso, como quando falo do preconceito, que deve ser combatido em TODAS as suas formas. E essa postagem aqui é pautada nisso.

Eu acho que sempre preciso reforçar certas coisas, antes que venham aqui a assumir coisas a meu respeito. Não estou defendendo o José Mayer. Mas desde a primeira postagem sobre o assunto, fiquei com um pé atrás sobre a história. Sempre fui muito desconfiado, não confio em ninguém. E por essa razão eu não vou acreditar 100% na história da figurinista. Não a conheço pessoalmente para saber de sua integridade, não acompanhei de perto como era seu convívio lá na emissora ao lado do ator...

Assim, sempre vai haver a dúvida. Ainda mais vendo que ela se recusou a denunciá-lo. Se o crime ocorreu, se os agressores devem ser punidos, por que não falar nada? Isso pra mim é suspeito, não vejo motivos para o silêncio diante da repercussão do caso. Seria até momento de aproveitar essa repercussão para mostrar para a sociedade que não importa quem seja, se abusar da mulher vai se dar mal. Repito, é muito estranha essa postura...

Ou será que a sociedade deve acreditar cegamente em certas pessoas? Só por que é uma mulher vítima de assédio, ela então deve ter a total e irrestrita confiança?

Quanto ao Freixo, é para reforçar o que sempre falo, que é a indignação seletiva. Até hoje não vi feministas criticarem o sujeito, não vi solidariedade para com a sua ex-mulher.

Logicamente que vale o mesmo benefício da dúvida... Mas, por que aqueles que imediatamente condenam o machismo praticado por uns, ficam calados diante do machismo praticado por outros?

Me explica isso, Carlos...

Eduardo Araújo disse...

Texugo, acho que o Carlos se indignou seletivamente ...