sábado, 11 de março de 2017

Super Amigos - Dia dos Dinossauros


Vamos seguindo com mais um episódio de nossos amigos, os Super Amigos, faz já algum tempo desde que eu fiz um desses. Como sempre, podemos esperar bizarrices alucinantes, coisas estúpidas e muita falta de noção. E este realmente se supera, trazendo dois heróis que não chegaram a aparecer muito por aqui nesses posts dos episódios, a Mulher Maravilha e o Samurai.

É mais um dia tranquilo na cidade de Metropolis, nada de ruim acontecendo, nem mesmo adolescentes burros fazendo as suas lambanças. Vamos então na Sala da Justiça ver o que está acontecendo por lá.


Segundo o narrador, as paredes da Sala da Justiça são impenetráveis, mas acredito que o mesmo não se pode dizer do piso. A Mulher Maravilha e o Samurai olham surpresos para uma puta rachadura que começa a se propagar no chão. Isso é o que dá ter contratado a Delta como empreiteira, devem ter usado material de péssima qualidade e desviado a grana.


O Samurai vai lá acariciar a rachadura e faz uma de suas metáforas orientais, dizendo que foi um trabalho bem lento, como o vento erodindo uma montanha. Se prepare que quando o japa está no desenho, sempre tem uma dessas tiradas filosóficas, como frase de biscoito da sorte de quinta categoria.


Mas digo que esse samurai de araque não faz idéia do que está acontecendo. Pôrra, se essa rachadura estivesse surgindo assim tão devagar, em algum momento um Super Amigo teria percebido, ou pelo menos alguém como o Zan ou o Robin iria tropeçar nessa merda. Ou será que eles estavam tão preocupados em ficar olhando pra TV de tela grande e sequer olhavam onde pisavam?

Sim, algo tão vagaroso... Tanto que um monte de rachaduras começam a surgir em toda a Sala da Justiça quase que imediatamente após o comentário do japa.


A Mulher Maravilha fica pê da vida, dizendo "ô boca!" pro seu amigo oriental. Podia ter ficado quieto, mas não, tinha que provocar a rachadura.


Por sua vez, diante do tremor e da queda dos escombros, o Samurai simplesmente fica segurando um mega computador, com uma cara de desespero como se tivesse pisado num cocô de cachorro, ou visto os nudes do Stenio Garcia.


O tremor se torna mais forte, o que faz os dois heróis começarem a dançar a música do Michel Teló, enquanto a Sala da Justiça começa a ser tragada pela terra. O que não entendo é onde estavam os outros Super Amigos, quase uma dúzia de heróis e nenhum deles estava lá, só os azarados da Mulher Maravilha e Samurai, que em vez de se mandarem dali ficaram dançando. E fico me perguntando por que a grande maioria dos heróis dessa época tinha uma necessidade de andar pelos cantos de cueca e calcinha, com as pernas de fora.


Com isso, o prédio inteiro desaba por um buraco. A cratera tem o formato certinho do prédio, pombas afinal de contas eles construíram essa merda em cima de areia movediça? Pior que os estádios da Copa!


Mas não pior do que isso... Sim, a Sala da Justiça caindo por um puta buraco, com direito ao barulhinho igual ao do Coiote mergulhando num desfiladeiro...


... e depois ela cai de pé, com aquele efeito de borracha, que realmente se espera de um prédio de concreto. Só faltou fazer um "BOING".


Na boa, se tiver algum engenheiro ou arquiteto vendo isso daqui, vou entender se vocês jogarem a toalha e se mandarem, depois de tantas bizarrices de construção civil vistas nos primeiros minutos desse desenho.

Enfim, os Super Amigos haviam acabado de cair em um estranho mundo pré-histórico no centro da Terra. Sim, quase como uma cópia descarada de muitos outros filmes e livros, de estilo tipo viagem ao centro da Terra ou coisa parecida. Enquanto a Mulher Maravilha fica fascinada com a descoberta, o Samurai vai dar uma conferida numa erva pré-histórica...


Sei, Samurai... Agora já entendi porque você se veste de verde.

Logo os dois são surpreendidos por uma das representações mais toscas de um tiranossauro, que mais parece um Godzilla depois da manguaça. Como esperado, ele faz o mesmo barulho de lagarto genérico que já escutamos em inúmeros outros desenhos da Hanna Barbera.


A Mulher Maravilha reage, executando a mesma animação que é repetida também em inúmeros outros episódios quando ela vai lançar o seu laço mágico. Depois reclamam que a animação do South Park é ruim.


O Godzilla Rex é laçado pelo focinho...


... mas ele engole o laço da Mulher Maravilha, e começa a chupá-lo como se fosse um macarrão. Logo logo ela vai brincar de almôndega com o dinossauro tosco, pra aprender a deixar de ser burra. E vemos que esse tiranossauro parece mesmo o Godzilla, com direito às escamas nas costas.


O Samurai fica então puto da vida e decide enfrentar a criatura. Para isso ele acende um isqueiro perto da bunda e solta um peido ninja (silencioso mas mortal), que faz com que ele entre em combustão e vire o Tocha Humana.


Stan Lee, essa é a hora de você acusar a DC de plágio.

O Samurai pula na cara do tiranossauro, que fica todo com medo. Afinal de contas, o odor do peido do oriental ainda está forte, pois comer só peixe cru deixa o cheiro bem insuportável.


A Mulher Maravilha cai de bunda no chão, lamentando como que ultimamente esses novos Super Amigos têm sempre sido melhor sucedidos do que o grupo original. Revoltante, como que um exemplo máximo da força da mulher e do feminismo teve que depender de um japa peidão para ser salva.


Só que eles não estão seguros ainda, como podemos ver pela expressa de medo do Samurai... O que poderia ser pior do que o tiranossauro mais ridículo que já se viu? A Tati Quebra-Barraco sambando?


Quase, na verdade é um tricerátopo com cara de retardado. E que fazia os mesmos sons genéricos de rinoceronte e outros animais que vemos nos desenhos. Fico pensando que o pessoal da Hanna Barbera devia ter uma fita com sons de animais de zoológico que usavam na hora da sonoplastia.


Não sei por que, mas me lembrei do Tundro...


Claro que você sabe de quem estou falando, aquele bicho que parecia um tricerátopo dos Herculóides. Que tinha um canhão na testa e dez patas. A criatura mais alucinante que eu já vi em desenho animado. Se não sabe, dá uma olhada aqui nesse post que eu fiz dos heróis da Hanna Barbera.

Enfim, voltando ao desenho... Depois de afugentar um imenso tiranossauro carnívoro, os dois decidem botar sebo nas canelas e fugir do tricerátopo herbívoro... Talvez o estoque de pums do Samurai tenha se esgotado. Veja só a harmonia no passo dos dois na escapada, podiam participar daquelas provas de nado sincronizado.


Temos então uma daquelas cenas manjadas de desenhos e filmes, onde os heróis estão sendo perseguidos e convenientemente tem uma caverna, que é grande demais para o monstro, que só consegue no máximo enfiar sua carranca ali. 


E como costuma acontecer nos desenhos e filmes, dentro da caverna tem alguma coisa pior. No caso homens das cavernas deformados vestidos com cuecas peludas. Vou chamar eles de Morlocks, em homenagem ao livro do H.G. Wells, onde o carinha vai pro futuro e tem uma raça de seres humanos deformados e ferozes que vive debaixo da terra. Sei que poderia chamá-los de outras coisas, como Xurulipas ou Gollums, mas vamos colocar um pouquinho mais de cultura literária por aqui.


Querendo mostrar que não será somente a donzela em apuros, a Mulher Maravilha já parte pra porrada, pegando um dos Morlocks, que fica com cara de bunda...


... e o joga em uma estalactite.


Sim, estalactite é aquela que fica no teto, estalagmite é a que fica no chão. Quem disse que o Texugo Maluco não tem cultura? E eu acho que já fiz essa piadinha da estalactite antes, mas enfim...

Enquanto isso, o Samurai faz pose de fodão, começa a fazer força...


... e solta um peido furação, que é demais pra cambada.


Qual foi? Ele falava alguma bobagem como Kenzi Noyo Ya Ku e você acha que ele não está soltando uma bufa?    

Só que nessa de ficar peidando pelos cantos, acaba que um monte de pedras cai do teto, prestes a nocautear o Samurai. Felizmente, alguma energia estranha vindo lá da puta que pariu segura as rochas, evitando que tenhamos sushi amassado.


Aparece então um sujeitinho de cara ensebada, voz de boiola e chapéu engraçado chamado Tecnos. Ele disse que viu quando eles caíram pelo buraco mas não pôde fazer nada (devia ter a esperança que eles teriam morrido na queda), e se oferece para apresentar a cidade onde ele e os seus semelhantes vivem. Doravante chamarei eles de Elóis também em homenagem à obra de Wells.


Engraçado como os Super Amigos são ingênuos que nem crianças de dois anos. Ou melhor, podemos até dizer que eles são preconceituosos. Afinal de contas, quando eram sujeitos com cara de macaco andando de sunga peluda como o He-Man eles partiram pra porrada, mas quando é um esquisito que parece um cruzamento do E.T. com o Serginho Groissman de voz mansa, eles ficam tranquilos e vão aonde ele quiser.

Bom, todos eles são teletransportados para a cidade dos Elói, que fica dentro de uma cúpula. Deve ser daí que os Simpsons tiraram a idéia da cúpula do filme...


... assim como os tubos de transporte que vemos no Futurama.


O babaquinha decide fazer um tour pela cidade, logicamente se esquecendo de dizer que todos os passeios são cobrados, explicando como que eles estão ali embaixo há mais de um milhão de anos, tendo assim se desenvolvido mais do que a gente, e comenta também que os filhos das putas dos Morlocks só ficavam enchendo o saco e fediam pra cacete, com isso criaram um domo de campo de força para deixá-los longe dali .


O Samurai então, que acha que tem consciência social só por fazer parte de uma ONG de favela, diz que aquilo era uma sacanagem, que os Elói deveriam ajudar os Morlocks e compartilhar toda a sua tecnologia avançada para que eles pudessem tomar banho e tirar o cecê, para que assim eles pudessem viver em harmonia e igualdade.


Sério, Samurai... Só faltou uma estrelinha do PT na tua roupa.

Puto da vida com a insolência do japa, que parece acreditar no Lula e na Dilma, Tecnos manda um raio teletransporte para jogar os dois no xilindró, pra aprender que essa conversa de comunismo é lorota até mesmo ali debaixo da terra.


Interessante ver como mesmo sendo uma sociedade avançada, onde supostamente todos vivem na boa ali dentro, é necessário que se tenha uma prisão. Aliás, uma prisão tosca, com grades de energia e um olho mágico gigantesco na porta.


A Mulher Maravilha tem a brilhante idéia de dar socos na grade de energia. Sim, se você vê raios de eletricidade a coisa mais prudente a se fazer é tocá-los, principalmente se você tem braceletes de ouro, que é um bom condutor de eletricidade. Devia era ter levado um choque de três mil volts para aprender a ficar quieta.


O Samurai fala mais uma frase de sabedoria do Confúcio, dizendo que precisam usar suas mentes para sair, uma indireta para a Mulher Maravilha que é só um rostinho bonito e sem cérebro. Ele usa então outro de seus poderes místicos, dessa vez ficando invisível.


Como de costume, quando se fica invisível num desenho animado, seu contorno fica tracejado.

A Mulher Maravilha então tenta enganar o guarda, que tem um dos uniformes mais toscos que se pode imaginar. Para não ficar chamando ele só de guarda, vou dar o nome de Jacó pra ele.


Jacó fica puto, pois graças a esse visor escroto ele não consegue ver as linhas tracejadas do contorno do Samurai, e pensa que ele escapou pelo buraco, por mais absurda que possa ser essa idéia. Nessa hora, em vez de soar o alarme, avisando os seus companheiros que tem um japa de sunga correndo pela cidade...


... ele abre a porta, e deixa a Mulher Maravilha sair! Mas como? Que porcaria de guarda é esse?


Acredito que o plano do Jacó seria depois bater forte com a cabeça na porta, para assim passar a impressão de que os dois prisioneiros conseguiram de alguma forma fugir e o espancaram. Claro, melhor bancar o fracote do que incompetente. Só que ele não contava que do nada iria ser agarrado.


Claro, era o Samurai, que estava invisível. Fico me perguntando porque em todos os episódios os Super Amigos dão esse abraço por trás...


Cabe até uma piadinha, com Jacó perguntando pro Samurai de onde ele veio...


... com a respostinha tosca "Do Japão. Por quê?"

Ah, o humor dos desenhos dos anos 80. Impagável!

E isso fudeu com os planos do Jacó, que ficou agora preso na cela, com cara de bunda. Pronto, não é dessa vez que ele vai conseguir uma promoção. Nessa hora ele percebe que tinha um vidro ali naquele buraco, então por mais que a idéia de alguém ter passado por ali fosse verdade, não ia passar sem quebrar o vidro. Isso aí, Jacó... Brilhante! Tua mãe deve estar orgulhosa de você...


Rapidamente o Samurai e a Mulher Maravilha conseguem fugir, mostrando que é mais fácil fugir da prisão dos Elói do que de uma penitenciária brasileira. Só que eles precisam passar pelo campo de força elétrico em formato de donuts.


Nessa hora vale aquele velho ditado: existem pessoas que aprendem lendo, outras aprendem observando...


... e tem aquelas, como o Samurai, que só aprendem que eletricidade dá choque tocando nela. Idiota.

Cansada de ser uma mera figurante nesse desenho, a Mulher Maravilha decide fazer alguma coisa. O máximo que ela fez foi jogar um Morlock longe, o Samurai é quem está fazendo todo o trabalho e com isso ela pode acabar perdendo seu espaço como personagem principal para o japa. Ela usa então seu laço mágico mais uma vez... Apesar de sabermos que seu laço havia sido devorado pelo tiranossauro, mostrando que continuidade não é o forte aqui...


E acerta em um dos pólos do gerador de força do campo elétrico. Acho que não preciso fazer nenhuma piadinha quanto ao formato dos geradores, a imagem fala por si só.


A Mulher Maravilha na verdade leu meu comentário ali em cima, onde eu disse que o ouro é um bom condutor de eletricidade. Como seu laço também é de ouro, ela decide laçar os dois geradores para provocar um curto circuito. Claro que esse plano só funciona se você ignorar o fato de que ela está segurando o mesmo laço de ouro depois de ter laçado o primeiro gerador, era para ela ter virado frango frito.


Enfim, o plano funciona, e os geradores em formato de gônadas masculinas se desligam, e os dois saem correndo para a Sala da Justiça.


Chegando lá a Mulher Maravlha começa a sair apertando todos os botões de forma desesperada, na esperança de contactar os demais Super Amigos, algo que ela deveria ter feito desde que desabaram pelo buraco. Provavelmente heróis de verdade poderiam ajudá-los, o Super Homem poderia erguer o prédio de volta à superfície ou o Batman usaria seu Bat Guindaste. Só que eles estão muito longe, ou seus amigos estão com seus celulares desligados.


E aí eles percebem que os Morlocks já invadiram tudo, e estão putos da vida por terem sido jogados longe e peidados. Mais porrada vai rolar...


... até que a Mulher Maravilha faz o que poderia ter feito antes: tenta conversar com os Morlocks. Ou isso ou ela está querendo que o bichoroco lhe dê um high five.


O Morlock então começa a explicar, naquele linguajar estilo "mim Tarzan você Jane", que os Elóis eram um bando de viados filhos das putas, que fizeram aquela merda daquele domo e com isso os expulsaram de suas terras, onde eles tinham suas plantações. Sem comida por todo esse tempo, eles ficaram daquele jeito, parecendo figurantes do desenho do He-Man.


Os Super Amigos então se oferecem para ir de novo na cidade dos Elóis, já que o campo de força estava desligado, para resolver essa bagunça de uma vez por todas.

De novo na cidade, Tecnos está olhando para os geradores, se dando conta agora de que o projetista daquela merda não foi muito feliz na escolha do seu formato. Percebemos nessa cena também que a Mulher Maravilha largou de mão seu laço mágico, realmente deve estar sobrando ouro pra ela.


Jacó, que foi rebaixado a limpador de latrinas depois de ter sido preso, percebe que eles têm visitas, os Super Amigos junto com os Morlocks, ou pelo menos um deles. Tecnos fica desesperado, dizendo que fudeu, que eles serão destruídos, em vez de disparar seus raios contra os invasores e teletransportá-los para o intestino grosso de um tiranossauro.


Aliás, percebeu como esse episódio de chama Dia dos Dinossauros, mas as criaturas apareceram por, sei lá, vinte segundos?

A Mulher Maravilha explica o que aconteceu, dizendo que a cúpula ficou em cima da plantação de erva medicinal dos Morlocks. Como esperado, todos ficam amiguinhos, com Tecnos admitindo a idiotice deles. Até parece que conflitos desse tipo se resolvem assim tão fácil, só nos desenhos mesmo. Era pros Morlocks começarem a descer a porrada, arrancando as cabeças e os membros daqueles sujeitos de pele cinzenta e cara de bunda.


Logo depois, a Sala da Justiça volta a surgir no seu lugar. Aparentemente Tecnos usou a sua força para colocar o prédio de volta de volta na superfície. Aliás, não ficou claro pra mim ainda porque a Sala da Justiça desabou num buraco, ainda mais uma cratera até o centro do planeta. Mas já não tem muito tempo para responder as perguntas, pois o desenho está acabando.


Enfim, tudo resolvido. Os Super Amigos já tem o seu QG de volta no lugar, e Morlocks e Elóis amiguinhos e com seus conflitos resolvidos. Parece que é a hora de fechar o desenho, com o Samurai e a Mulher Maravilha se despedindo das criaturas que vivem dentro da Terra. E zé fini!


Tosqueria total esse episódio. Não teve quase nada de dinossauro, e um desfecho meio babaquinha, parece que se deram conta que estavam chegando no final da duração do desenho e fizeram os Morlocks e os Elói fazerem as pazes de forma tão simples. Embora eu acredite que seja mesmo aquela máxima dos desenhos, onde todo mundo no final fica amiguinho depois de uma conversinha de meio minuto. Seguindo esse raciocínio, era só o Hitler e o Stalin terem tomado umas cervas num bar que não teria a Segunda Guerra Mundial...

Só faltou aquela piada de encerramento pra todo mundo dar umas risadas, mas nesse episódio não tivemos os Super Gêmeos para isso... Fica para o próximo episódio então.

Um comentário:

Ciro Lira disse...

Depois de um monstro saindo de dentro da lua, um Titanic possuido e um gigante andando pelo espaço. Eu não me surpreendo com mais nada.