domingo, 26 de fevereiro de 2017

Comando para Matar - Parte 7

Eu não esperava render tanto com essa sátira... Impressionante como consegui escrever aqui em sete partes, essa epopéia de nosso grande amigo Arnold Schwarzenegger. Comecei a sátira em maio de 2016, e agora finalmente chegamos ao término, quebrei de longe os recordes aqui do blog, mas tenho que dizer que valeu muito a pena. Já disse e repito, Comando para Matar é um verdadeiro formador de caráter, e talvez um dos filmes que mais marcou toda uma geração que assistia Sessão da Tarde.


Aposto que você nunca imaginou ver o Arnoldo chupando um pirulito... E o fato dele fazer isso enquanto fuma um charuto torna essa foto ainda mais bizarra.

Bom, estamos chegando no final, e na última postagem, que está aqui, Matrix chegou na ilha e já estava largando o aço nos capangas do Chávez. Mas ele havia levado uns estilhaços de granada e precisou se esconder em uma cabana ali no meio do jardim da mansão do ditador. E o pior, desarmado, pois na correria ele teve que largar a sua escopeta ali fora.


Aquela parecia ser a cabana do jardineiro. Cheia de coisas como ancinhos, pás, machados e outras coisas a princípio inofensivas...


Pela primeira vez no filme Matrix é ferido, com um puta corte na barriga, ou então ele começou a ter uma apendicite justo agora. Já comentei várias vezes, ele voou em um carro por um precipício, pulou de um avião, bateu de frente em um poste e saiu pelos ares quando o camburão levou aquele foguete... E só o estilhaço da granada é que conseguiu machucá-lo.


Pra completar, um bando de chicanos cerca a cabana. Parece que vamos terminar aqui mais cedo, pois Matrix está encurralado e não tem pra onde ir.


Os soldadinhos não perdem tempo e sentam o dedo. Era a hora da vingança, eles não iam poupar munição desse vez.


Caraca, recrutaram o Seu Madruga!


Depois de gastar quase todas as balas atirando na cabana, eles estão vão lá pra dar uma conferida no corpo. Depois de tirar todo o chumbo, talvez eles pudessem guardar o defunto pra fazer um churrasco, já que o Chávez tinha reduzido a ração deles por questões financeiras, como todo líder socialista costuma fazer ao pensar no povo.


Mas, quem disse que o nosso amigo Arnoldo ia se entregar tão facilmente? Sei lá como, mas ele conseguiu driblar todas as balas e agora ia ter a chance de revidar, começando com o otário que entrou na cabana, levando uma garfada de ancinho como se fosse um bife.


Kill Count do Arnoldo = 60

Se preparem pra sequência mais animal do filme, digna de Conan. Matrix pula no meio da cabana e saca algumas serras circulares...


... e o cretino que deu as caras na janela ganha um novo penteado.


Kill Count do Arnoldo = 61

Outro boboca leva outra serra no meio do peito, e vira estatística. Quem mandou gastar toda a munição na cabana, seu palerma?


Kill Count do Arnoldo = 62

O Seu Madruga vai lá correndo pra dar um cascudo na cabeça dele, só que o Arnoldo é mais rápido e acerta uma machada no seu saco, uma verdadeira vasectomia da idade da pedra. Essa doeu até aqui.


Kill Count do Arnoldo = 63

E pra completar, ele pega o braço do comandante da trupe e saca um facão de açougueiro, pra ensinar pra ele quem é que manda naquela joça...


... e simplesmente decepa o braço do sujeito! Mais uma demonstração dos efeitos especiais limitados da época, fica claro ali que era um braço postiço muito mal feito. Tudo bem que teoricamente o golpe não o matou, mas pode apostar que depois ele sangrou até a morte ou Matrix o espancou com seu próprio braço. O mais incrível é que toda essa carnificina digna de um viking ocorre em praticamente meio minuto!


Kill Count do Arnoldo = 64

Já aparecem mais dois malucos, mas Matrix pegou a metralhadora que pertencia ao Seu Madruga e faz a limpa por ali. Ele está de volta no páreo, será que chegamos a três dígitos?


Kill Count do Arnoldo = 66

Enquanto isso, apesar de toda a zorra na mansão de Chávez, Jenny continua ali tentando fugir, encontrando um corredor que leva para a área subterrânea cheia de máquinas e etc. Pois, afinal de contas, um filme de ação precisa ter um cenário desse tipo, com um labirinto cheio de maquinário, mesmo que não faça o menor sentido.


E Bennett está ali atrás dela. Fica fácil segui-la, pois ninguém mais naquela ilha tinha cheiro de talco de neném, só tinha um monte de marmanjos fedidos num raio de algumas dezenas de quilômetros.


Matrix continua lá, hora de descarregar a metralhadora pra aumentar um pouco o número de mortes.


Bom, pra não ficar muito repetitivo, vou colocar só um carinha levando bala, porque senão vai ser uma porrada de imagens. Só nessa última aí foram dezessete!


Kill Count do Arnoldo = 83

Cansado de ficar ali no meio do gramado, Matrix decide cortar caminho pelo telhado. Tudo bem que assim ele fica muito exposto, mas a essa altura do campeonato ninguém mais vai querer se arriscar a perseguí-lo, só um idiota que achou que ia pegá-lo lá em cima.


Como esperado, o cara fica mais furado que um queijo suíço, dá uma dançadinha e depois despenca lá embaixo que nem uma melancia. Sei que é uma cena manjada, mas nada mais engraçado que um capanga caindo.


Kill Count do Arnoldo = 84

Matrix já conseguiu entrar na mansão, mas não encontra a sua filha em lugar nenhum. Do nada então aparece outro chicano e... já sabemos que acontece, vamos em frente, que já perdeu a graça faz tempo ficar mostrando latinos genéricos levando bala.


Kill Count do Arnoldo = 85

Quem também já cansou dessa ladainha foi o Chávez. Ele começava a perceber que tinha feito um péssimo negócio arrumando aqueles soldados de merda na promoção, que só sabiam cair mortos. Pra completar, Bennett tinha sumido, o ditador imaginava que ele tinha ido pra alguma suruba gay. Assim, ele ia ter que cuidar daquele bombadão ele mesmo, sozinho sem a ajuda de ninguém.


Não aguentando o fedor de charuto cubano e suor latino, Matrix decide dar uma arejada na varanda, pra pensar no que vai fazer...


... e aí ele vê dois bostas ali, conversando sobre o último jogo do Framengo e combinando onde iam fazer o próximo encontro de pôquer da galera.


Como odeia mulambo, nosso amigo Arnoldão simplesmente se joga ali de cima da varanda, pra ensinar praqueles desocupados que torcer pro Flamengo não tá com nada.


Tudo bem que na queda parece que ele cagou nas calças... Mas depois desse longo dia, ficar com uma marca de freada na cueca é o de menos. Aí ele pega os dois capangas...


... e acerta com suas cabeças no vidro de uma mesa de jardim. Tudo bem que um deles ainda fica de pé, mas logo é espancado por Matrix e também bate as botas. E assim lá se foram os últimos soldados da tropa.


Kill Count do Arnoldo = 87

Eis que aparece o Chávez, com a mira livre pra acertar um teco na cabeça de Matrix e encerrar essa peleja. Mas ele acaba dando um espirro e assim nosso amigo austríaco percebe e se esconde.


O Arnoldo consegue se proteger e vê que era o Chávez. Fudeu, sem cerimônia ele senta o dedo na metralhadora que nem um alucinado e manda chumbo grosso pra cima do ditador, enquanto se protege atrás de uma estátua escrota.


Acontece que deu um momento Stormtrooper nele... pois ele não consegue nem atirar perto da sombra dele, só conseguiu quebrar um monte de pobres vidros.


Lembrando da minha sátira de Robocop, Matrix percebe que não tivemos ainda uma cena legal de alguém sendo jogado por uma vidraça, só lá no início. Então, ele decide entrar na mansão que nem uma zebra manca, se jogando na porta de vidro. Pra quê isso?


Chegou a hora de verdade... Chávez está lá em cima, tentando se proteger com uma metralhadorazinha de merda, enquanto Matrix vem ali embaixo com sua puta calibre 12 estilo Duke Nukem.


Mas, o que era pra ser uma luta final sensacional acaba sendo uma babaquice, parecendo uma brincadeira de primário. Matrix vai lá e manda um tiraço na pilastra com sua espingarda enquanto Chávez se esconde...


... ali ele se esconde e Chávez dá uns tirinhos com sua metralhadora.


Chávez se esconde, e Matrix manda outro tiro na pilastra...


... e se esconde e Chávez dá mais alguns tirinhos com a metralhadora...


"Vai tomar no cú!", diz Matrix, querendo acabar com essa viadagem. Pra isso, ele sai rolando pelo carpete pra ter um melhor ângulo...


... e KABOOM! Só escutamos então uma sequência de mega esporros da espingarda fodona de Matrix, daqueles de fazer as vidraças tremerem.


E lá se foi nosso amigo Chávez, depois de ser fuzilado sem dó nem piedade, cheio de buraco de bala. É o fim da história de democracia e justiça social de mais um líder sulamericano metido a ditador.


Com direito a voar pela vidraça! Assim é que se faz, com o Arnoldo o bandidão morre com estilo!


Kill Count do Arnoldo = 88

Do nada, Matrix escuta sua filha lá embaixo. Deixando de lado todo e qualquer conceito de estratégia, ele larga tudo e sai correndo atrás da voz dela, berrando o seu nome que nem um alucinado.


Jenny fica toda feliz ao escutar a voz do seu velho, finalmente essa loucura vai acabar e eles serão felizes para sempre, vendo filme da Sessão da Tarde tomando suquinho de caixinha de tuti-fruti com biscoito goiabinha.


E aí... pimba! Bennett rapidamente a localiza, dizendo que não é a mamãe. Muito burra essa garota, podia ter ficado quieta e só aparecer quando visse seu pai, mas ficou ali falando alto pra ser encontrada. Passa logo a faca nessa otária, Bennett!


Só que Bennett é ainda mais otário e decide brincar um pouquinho, levando a garota consigo como refém. Logo ele vê Matrix, preparando a sua pistola pra dar um jeito no fortão. E a imbecil da Jenny podia dar um grito pra avisar seu pai, mas fica ali choramingando feito uma boboca...


BANG! Embora consiga atingir o alvo, o que é um grande feito em se tratando de um bandido, Bennett só consegue acertar um tiro de raspão no braço do Arnoldo, mas o suficiente para tirá-lo de combate.


Matrix se esconde atrás de uma viga, enquanto Bennett fica ali provocando, cantando uma musiquinha "nhé, nhé, nhé, eu peguei você" e dizendo que vai meter uma bala na testa dele. Mais uma vez, os vilões mostram a sua incompetência, ele podia já quebrar o pescoço de Jenny ali mesmo e ir até lá matar Matrix, e zé fini! Ia ter a ilha toda pra ele, poderia ficar se pendurando pelado no mastro da bandeira se quisesse. Mas não... fica lá de lorota, dizendo o quanto ele é foda e por aí vai.


Percebendo como o bigode é trouxa, Matrix começa então a provocá-lo, dizendo que sabe que Bennett está louco pra comer a sua bunda, mas que não é macho o suficiente pra isso, e perguntando se onde ele tinha comprado aquela roupa tinha pra homem.


Aí ele o desafia pra largar aquela pistola de brinquedo e vir pruma peleja na base da faquinha... Pois a faquinha é da hora! Só que, como falei há pouco, o que Matrix tem é uma puta facona!


Bennett cai que nem um patinho, e joga Jenny pra longe. Ele já não aguentava mais ficar segurando uma menina, ele queria era pegar numa bunda cabeluda!


Ele joga a arma longe também e saca a sua própria faca, que parece uma faquinha de manteiga se comparada ao facaralho de Matrix, e parte pra cima dele com uma cara de quem está tendo o seu saco puxado até o joelho.


Começa então a luta de facas... Mas vamos simplificar aqui um pouco, pra economizar nas imagens. Rolou um corte ali, outro aqui, e nada demais...


... e logo eles estavam na já típica cena em que se agarram de forma suspeita, quase metendo a faca no olho do outro...


... até que sobra um empurrão fora de hora e os dois voam por uma porta, despencando ali numa parte mais baixa do complexo industrial do porão da mansão de Chávez.


A porradaria continua ali, com soco na cara, puxão de cabelo, mordida na nuca, chute na barriga e todos os tipos possíveis de agressão que você vê num filme de Hollywood. Bennett, logicamente, é aquele que apanha mais. Percebemos também que ele curte mais ficar por cima.


Só que o do bigode joga sujo, e quando Matrix menos espera vem uma porta dum puta forno escaldante na suas fuças. Outro típico maquinário que uma pessoa teria no piso inferior de sua mansão, quase um forno de siderurgia essa merda.


Bennett vira o jogo, pegando um cano de aço ali no canto, pois ele gosta de pegar num cano... E com ele senta a porrada em Matrix, que urra de dor, mas consegue desviar alguns golpes.


Não dá pra entender o que está acontecendo... Deve ser o cansaço, ou nosso chapa Arnoldo só sabe atirar e na hora da briga é um frouxo. Pois ele está levando uma sova de um merdel gordo com roupa de bicha, que agora tenta enfiar a cara do grandão no fogo pra fazer um churrasco.


A pederastia continua, com os dois ali olhando um nos olhos dos outros, em um abraço efusivo, acompanhados de gemidos homoeróticos... E tem gente que achava que a cena demasiadamente sexualizada era a da vagabunda com os peitões no motel...


Cansado dessa viadagem, Matrix finalmente deixa seu lado Conan aflorar e acerta um cruzado no nariz de Bennett...


... que então atinge uma cerca eletrificada. Outra das típicas instalações de uma casa de verão. E assim é o fim de Bennett, hora de atualizar o kill count...


Bom, não foi dessa vez... Geralmente se uma pessoa atinge uma cerca elétrica como essa, acaba virando um frango frito. Mas parece que na cabeça do diretor tinha alguma lógica estilo de videogame de araque, pois ao levar o choque Bennett fica fortão, desferindo socos bizonhos que causam uma tremenda dor em Matrix.


Depois de uma série de porradas, Matrix cai de joelhos. Fudeu, ele provocou e agora é que Bennett vai mesmo comer a sua bunda.


Só que é o momento em que o Arnoldo deve ter engolido uma Power Pill como do Pit-Fighter, ficando fulo da vida e se preparando pra sentar a porrada naquela bicha gorda de bigode.


Terminando o combo com um SHORYUKEN!!!


Com a cara toda arrebentada, Bennett por sorte cai perto de uma metralhadora, que ninguém sabe explicar o que estava fazendo por ali, e que honestamente não faço idéia de quem era (pois antes Bennett estava com uma pistola e Matrix com a doze). Ele tava triste, pois queria muito que eles fossem amiguinhos, só que Matrix só sabia bater nele e chamá-lo de bicha desde a escola. Mas ele ia ter a sua vingança, e ia atirar no meio das bolas dele.


Agora fudeu. Matrix então não tem idéia do que pode fazer pra enfrentar uma metralhadora, ele não era o Terminator pra segurar as balas com os dentes. Aí ele olha pro lado, e vê uma tubulação passando por ali.


Pensando rápido, ele vai lá e arranca o cano com a facilidade de que alguém quebra um palito de dentes...


... e simplesmente taca o cano na direção de Bennett!


Puta que paril! O cara foi simplesmente empalado pelo cano, que o atravessou inteiro e acertou ali uma caldeira. Bennett desfalece, resmungando um "oh..." afrescalhado e fica ali pendurado enquanto libera mais fumaça que um escapamento de ônibus velho.


Kill Count do Arnoldo = 89

E claro que nosso grande camarada Arnoldo não poderia deixar de fazer mais uma de suas piadinhas infames, ainda mais após ter dado cabo do grande vilão da película. Olhando com uma cara de poucos amigos, Matrix manda ele liberar um pouco desse vapor. No dublado, ele fala um "deixa sair um pouco dessa energia, Bennett".


Independente qual seja, parece que Jenny aprova. Meio estranho a garota estar lá toda sorridente, depois de ter visto um sujeito ser atravessado por um tubo de aço, tá explicado que ela é mesmo a filha do Arnoldo.


Estamos acabando... Do lado de fora vemos que finalmente a cavalaria chegou, juntamente com Cindy no seu avião anfíbio. Melhor timing, impossível.


O general Boechat chega ali finalmente com alguns G.I.Joes genéricos. Ele só não tinha chegado mais cedo pois não tinha conseguido arrumar alguém pra ficar no lugar dele no Jornal da Band, então o resgate teve que esperar até a hora da novela turca que vem depois do telejornal.


Mas já era tarde demais. Matrix tinha limpado a ilha, não sobrou ninguém, só presunto. Lá vinha ele, triunfante com sua filhinha no colo, finalmente ele poderia tirar uma férias e ir pra Disneylândia. E temos que comentar a cara de trouxa do soldadinho ali do lado, esse era um que provavelmente ia dar um tiro no próprio pé.


O Boechat diz que tava tudo legal, que era bom ver ele ali ainda em forma, e convida Matrix pra voltar para o exército, pois seria bem mais barato do que manter centenas de batalhões compostos por bestas como o pateta lá de cima. Mas o Arnoldo responde educadamente que "nem fudendo", que ele tá de saco cheio dessa pôrra e agora só quer saber de viver no mato, caçando veados e derrubando árvores.


E os dois deixam o general ali no vácuo, indo ao encontro de Cindy, que aparentemente vai virar a nova senhora Matrix.


Fim de papo, e nossos amigos se mandam lá no avião anfíbio, finamente trazendo essa longa sátira ao seu fim.


Ufa! Terminei! Foram sete partes, 475 imagens e quase um ano para escrever e mais tanto para publicar essa zoada com um de meus filmes prediletos, um verdadeiro clássico formador de caráter dos anos 80. Acho que nunca fizeram um filme tão cheio de testosterona como Comando para Matar, um dos mais violentos que se tem notícia, mas que tem uma história legal e merece aplausos de pé. Perdi a conta de quantas vezes vi esse filme, a ponto de ter decorado boa parte das falas.

E agora, você pode se perguntar qual o filme que vou zoar. Honestamente, não tenho idéia de qual será a próxima sátira de filmes que vou fazer, acho que vou ficar um tempo com os desenhos dos Super Amigos e seus amigos, como o Homem Pássaro ou Falcão Azul, pois fazer um filme cansa, viu? Foi praticamente um ano inteiro, tentando bolar as piadas, pegando as imagens, dá trabalho. Mas, no final, vale a pena!

Vou pensar aqui qual será o próximo, tenho algumas idéias aqui mas prefiro não prometer nada. Se quiser dar alguma sugestão nos comentários, fique à vontade!

4 comentários:

Ciro Lira disse...

Suas sátiras como sempre me arrancando boas risadas. Se for pra indicar eu indico outro filme do Arnoldo, "O Sobrevivente". Creio que você conheça.

Texugo disse...

Obrigado pela visita Ciro.

Sem dúvida, O Sobrevivente é outro clássico do Arnoldo, filme bem tosco e que seria sensacional fazer uma sátira. Só preciso é arrumar fôlego, como comentei fazer filme leva tempo, acho que vou fazer alguns desenhos que estou devendo. Mas certamente devo levar a sua sugestão em conta.

The Chosen One disse...

Mais um post Fod* Texugo. Comecei a acompanhar seu Blog a um tempinho atrás quando eu estava procurando algumas criticas de séries por ai, espero que você poste mais sobre séries (Recomendações, Criticas e etc). Abraços

Texugo disse...

Obrigado pela visita The Chosen One!

Sobre postagens de séries, ultimamente tenho assistido pouco, no máximo vejo um Big Bang Theory pra dar uma relaxada, ou alguma outra comédia.

Confesso que fazer algo mais de críticas e recomendações não passou muito pela minha cabeça, mas é sim uma idéia interessante.

Eu estou devendo fazer alguns posts nessa linha, principalmente sobre séries um pouco mais antigas que já terminaram, pra evitar de soltar um spoiler pra alguém. Tipo Lost, era uma que eu tinha vontade de escrever um pouco...

Abraço