sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

E agora, vamos falar de preconceito?

Vi recentemente no Jornal da Band uma notícia a respeito de um crime bárbaro nos Estados Unidos. Um daqueles que são categorizados como crimes de ódio. Talvez muitas pessoas já venham a pensar que tal atrocidade envolva a violência contra uma pessoa negra, pois afinal de contas quando se fala de crime de ódio a primeira coisa que se pensa é em racismo contra o negro.

Acontece que dessa vez... Foram negros agredindo um branco.


Você pode vero vídeo da matéria aqui.

No vídeo são quatro negros, dois homens e duas mulheres, que amordaçaram um rapaz deficiente, aparentemente por dois dias, até que então os sujeitos iniciaram uma transmissão de vídeo ao vivo pelo Facebook, onde o agrediram. Teve chute, teve xingamento, teve até um deles cortando o couro cabeludo da vítima com uma faca. Durante o vídeo, os agressores falaram em diversos momentos palavras de ódio contra os brancos e contra o presidente eleito Donald Trump.

Pois muito bem... Onde está a revolta da sociedade?

Onde estão aquelas pessoas, que defendem igualdade racial, que defendem política de cotas, que se dizem contrárias ao preconceito?

Ninguém vai falar nada não?

Pois é... Se fosse um vídeo de quatro brancos agredindo um negro deficiente, gritando coisas como "fuck the niggers" ou "fuck Obama", aposto que já ia ter um montão de gente metendo a boca no trombone, falando de racismo, de que os brancos são preconceituosos e assim por diante.

Mas, dessa vez foi o contrário... Dessa vez foram os negros se revoltando contra um branco. Aí, tudo bem. Aí não tem problema. Que nem certa vez uma cidadã que fazia parte de uma secretaria de Igualdade Racial aqui do governo petista que bostejou a pérola abaixo:


"Não é racismo quando um negro se insurge contra um branco. A reação de um negro de não querer conviver com um branco, eu acho uma reação natural. Quem foi açoitado a vida inteira não tem obrigação de gostar de quem o açoitou.”


Fala sério...

Não vou me alongar muito aqui, pois já cansei de escrever aqui sobre o preconceito. Falei várias vezes que o preconceito deve ser combatido em todas as suas formas. O racismo do branco contra o negro deve ser combatido da mesma forma que o racismo do negro contra o branco. Que existe sim, esse episódio deixa claro que muitos negros são sim preconceituosos. Diria até que pior ainda, esse tipo de negro é mais racista, pois eles se vêem no direito de agredir os brancos pelo fato do histórico de preconceito contra negros que existe. Como na fala daquela doida lá de cima, que aceita sem problemas que a agressão ocorra contra o branco, como forma de retaliação, de vingança, por um passado que não é culpa dele.

Me impressiona muito é ver como que a sociedade de maneira geral se mostra tão passiva diante de uma agressão como essa. Pra completar, o sujeito era deficiente! Um bando de covardes, isso sim! Agredir uma pessoa é errado, independente de sua cor. Mas parece que a sociedade em geral se comove mais quando a vítima é negra, principalmente se seus agressores são brancos. Já se assume que foi crime de ódio racial, mesmo que não tenha sido a causa. Só que quando a vítima é branca, agredida por negros, que indiscutivelmente cometem tal agressão somente por conta da cor da pele do agredido... Aí, ninguém fala nada...

Esse mundo tá foda... Mais uma vez, um claro exemplo de indignação seletiva. Pra muita gente, racismo é só contra o negro, crime de ódio é só contra o negro. Quando na verdade as pessoas deveriam se tratar como iguais, respeitando de forma igual, com punições iguais para os mesmos crimes. Hoje em dia é essa estupidez de uma proteção adicional para as minorias, de tornar os crimes cometidos contra essas minorias algo mais grave do que quando ocorrem com outras pessoas.

Assim que funciona na cabeça idiota da sociedade politicamente correta hoje em dia: crimes contra o negro são mais graves que crimes contra um branco; crimes contra uma mulher são mais graves que crimes contra um homem; crimes contra um homossexual são mais graves que crimes contra um heterossexual... Como diz um colega meu, parece que hoje em dia o fato de você ser homem, branco e heterossexual o torna um criminoso...

Quero ver a turminha aí que defende política de cotas, que adora escrever textão do "Feice" sobre igualdade racial, se vai comentar algo a respeito dessa atrocidade.

Termino por aqui, trazendo de volta uma sequência do South Park que já usei aqui uma vez, pra que vocês aí, bitolados que acham que crime de ódio é só contra o negro, refletirem um pouco sobre como devemos tratar as pessoas.


Um comentário:

André Luiz disse...

Caralho! Que momento cabeça do South Park! É a pura verdade: o politicamente correto perpetua a segregação e mesmo a cria onde não existia. Mas é isso que os vagabundos que lançam mão de discursos como o daquela ex-ministra querem, eles querem dividir para conquistar.