sábado, 24 de dezembro de 2016

Outra babaquice do "feminismo"

Essa eu não resisti... Sei que vou escutar aos montes, que vai aparecer aqui um monte de mulheres clamando pela minha cabeça, dizendo que eu sou machista e tudo mais... Se bem que, talvez não, pois parece que o blog aqui está entrando em mais um de seus períodos de acumular poeira. Convenhamos, está chegando o fim de ano, e aposto que todo mundo tem coisa melhor do que vir aqui no blog menos visitado da Internet.


Mas eu não consigo. Preciso comentar a respeito dessa notícia que vi. 

Pois bem, vamos aos fatos. Recentemente teve um caso que repercutiu relativamente nas redes sociais. Uso a palavra "relativamente", pois na verdade eu acho que tem muitos assuntos mais importantes que ocorreram nessa semana antes do Natal. O caso envolveu uma youtuber...

Pausa para explicação: "Youtuber" é mais um dos termos modernos, usado para uma pessoa qualquer que tem um canal no Youtube onde coloca seus vídeos. Pode ser vídeo de qualquer coisa, sobre análise de política, comentários de jogos de computador, dicas de culinária, passo a passo de artesanato, orientações para uma vida fit, recomendações sobre bons álbuns de música gospel da década de 70, narrativas sobre os desafios de cagar em um banheiro público ou devaneios sobre se Tostines vende mais porque é fresquinho ou fresquinho porque vende mais. 

Em outras palavras: qualquer Zé Mané ou Joana Banana com uma câmera pode agora produzir seus vídeos no Youtube, abarrotando a grande rede da futilidade do pior nível possível...

Continuando, o tal caso envolveu uma youtuber chamada Carol Moreira. Quem, você vai perguntar? Eu pergunto a mesma coisa. Mas, acabei me dando conta que ela é aquela cidadã que aparece de vez em quando no canal da Warner, em algumas vinhetas em que ela visita sets de Hollywood. Assim, imagino eu que seja uma youtuber que fale do mundo dos famosos, e que mesmo com a sua insignificância, consegue fazer entrevistas com personalidades de filmes e séries.

Antes que venham a me apedrejar sobre o "insignificância", afinal a sociedade está tão sensível que tal comentário de minha parte já poderá ser taxado de preconceito, vou explicar. Uso o insignificância porque, na boa... estamos falando de uma pessoa com um canal de Youtube. Basta criar um canal de Youtube pra ser tão facilmente recebido por uma atriz ou ator de Hollywood? Aposto que jornalistas de maior experiência no ramo, como sei lá, o Rubens Ewald Filho, muito mais conhecidos e reconhecidos, não devem ter toda essa facilidade aos astros de cinema. E daí o motivo da minha relativa surpresa sobre essa Carol Moreira ter acesso tão fácil a essas personalidades.


Apenas para deixar claro... Acho o Rubens Ewald Filho uma besta. Ele se acha "o" entendido de cinema, pessoalmente penso que ele esbanja uma aura de arrogância. Mas, ele é bem mais reconhecido no mundo das celebridades de Hollywood do que Carol Moreira...

Mas enfim... ela publicou uma entrevista que fez com o Vin Diesel. Se Carol Moreira continua sendo pra mim (e provavelmente para você também) apenas uma mera anônima, Vin Diesel dispensa apresentações. E a youtuber já começa o vídeo dizendo que se sentiu muito incomodada com a entrevista, pois o careca estava ali cantando ela. Ela continuou reclamando, dizendo que ele a interrompeu várias vezes pra dizer que ela era bonita, e assim por diante. Apesar de não ser isso que aparenta essa foto que ela própria colocou em seu Instagram após a entrevista, onde Vin Diesel parece estar tentando sugar um carrapato do ouvido dela... 


Cabe ressaltar que foto essa que foi prontamente apagada após a repercussão do caso, mas que graças a alguém rápido do gatilho ficou aí registrada para a posteridade...

Logicamente, isso fez com que as feministas de plantão estourassem de raiva, dizendo que era um absurdo, nos já conhecidos gritos de que é inadmissível um homem dizer que uma mulher é bonita. Sutiãs devem ter sido queimados em defesa da garota, juntamente com milhares de comentários raivosos de mulheres no Facebook e outras redes sociais, pedindo o boicote aos filmes do Vin Diesel, que não passava de um machista metido que assediou sexualmente a pobre e inocente Carol.

Se quiser, veja o vídeo você mesmo. Para ser justo, não vou colocá-lo aqui, mas sim indicar o site onde eu vi a notícia (de onde também vêm as fotos das postagens da Carol Moreira), que como eu faz um dura crítica a postura da youtuber (cacete, como acho escrota essa palavra...). E, para completar, a notícia foi escrita por uma mulher, o que deve deixar as feminstóides ainda mais brabas. Tipo quando aparece um negro contrário à política de cotas.

Vamos aos meus pitacos... Tudo bem que o Vin Diesel agiu que nem um babaca. Pra começar ao achar ela tão bonita assim. Sinceramente, pelo menos na minha opinião acho que tem muita mulher mais atraente e elegante do que a entrevistadora. Mas enfim, gosto não se discute... Só que também ele não tinha que ficar ali com essa postura, que sim eu acho que é deselegante quando você está em uma entrevista. E sinceramente, pelo vídeo parecia que ele tinha ou enchido os cornos de cerveja ou tinha dado um tapa na pantera, pois o careca parecia todo troncho e fumado, sem falar coisa com coisa... 


Enfim, deixando por enquanto a sobriedade do astro de Hollywood de lado e focando em seus comentários sobre a entrevistadora. Acontece que ele apenas falou que ela era muito bonita, o que eu vi de mais "extravagante" foi um she's so fucking sexy, que ainda assim é muito mais comportado do que as músicas da Valeska Popozuda. Vin Diesel não apalpou a bunda dela, não meteu as fuças no meio dos peitos dela, não perguntou se ela queria pegar na careca dele... Apenas disse que ela era muito bonita. 

Dizer que uma mulher é bonita agora é assédio? Na cabeça das feministas parece que sim.


Na boa, eu acho um exagero por parte dessa Carol Nogueira. Tudo bem, ela pode não gostar disso, tem até todo o direito de se sentir incomodada. Sei lá, vai que ela tem um namorado ciumento... Mas, sinceramente, são ossos do ofício. Não sou repórter, mas pode ter certeza de que ao fazer uma entrevista você poderá passar por situações muito mais incômodas do que apenas um ator dizer que você é bonita. Certamente não será o último, e possivelmente você terá que aturar caras que podem ser ainda mais desagradáveis contigo, Carol...

Cabe falar também da atitude dela de deixar um depoimento logo no início do vídeo, mencionando todo seu desapontamento e desconforto com o caso, numa possível intenção de já ganhar a solidariedade do espectador. Sério, você vê a introdução do vídeo e fica assim com a impressão de que o Vin Diesel mandou ela sentar no seu colo. Podia até mesmo dar esse desabafo, mas que fizesse isso em uma outra oportunidade, para dar tempo para que as pessoas tirassem suas próprias conclusões. E repito: não faz muito sentido ela só ter se sentido incomodada alguns dias depois quando editou e publicou o vídeo, quando logo após a entrevista seus comentários nas redes sociais não davam nenhuma indicação de que tinha sido algo desagradável. Outro comentário que foi prontamente apagado também, após o assunto cair na boca do povo.


Verdade seja dita: ela acaba sendo muito hipócrita.

Quem viu o post que indiquei já sabe o porquê desse meu comentário. Basta ver o segundo vídeo, onde Carol Moreira está com outras duas youtubers, mais desconhecidas ainda do que ela, comentando sobre aquela Comic Con, a conferência de quadrinhos que todo nerd conhece. Ou era algum evento relacionado, sei lá. Chega uma hora que ela fala a respeito de uma entrevista que fez com Jason Momoa, que eu não faço idéia quem seja, é um sujeito do Game of Thrones que eu nunca assisti um único episódio e ignoro completamente toda a história... Só sei que tem aquela princesa loirinha gatinha que acho que controla os dragões, fora ela e o John Snow eu não tenho nem idéia sobre o que se trata essa série. 


Bom, esse Jason Momoa era o bombadão barbudo por quem todas as mulheres fãs da série ficam de calcinhas molhadas. Provavelmente incluindo nessa lista Carol Moreira. E também incluindo muitas mulheres que estão chamando o Vin Diesel de machista e de assediador. 

Pois bem... Em um dado momento ele pediu uma almofada pra ela e, citando Carol Moreira, "ele não botou no colo dele, ele abriu as pernas e botou exatamente onde você tá pensando" e chamou ela pra sentar lá em cima, como ela mesma demonstrou ali para as suas amigas. 


E o que a inocente e puritana Carol Moreira fez?


Como o sujeito disse... Game of fucking Thrones... O cara ainda fez depois um strip na frente dela, rebolando nas fuças dela como se tivessem colocado algumas notas de dólar em sua cueca. Tudo acompanhado dos aplausos e berros de "Uhúúú" da platéia, que certamente incluía também mulheres. Talvez até algumas que hoje estão dizendo que Carol Moreira foi assediada por Vin Diesel.

Agora... Interessante como que nessa situação ela não se sentiu assim tão incomodada. Chegou a dizer que tinha sido o melhor dia da vida dela...


Bom... Aí fica fácil comentar a respeito... 

Sei que vão existir diferentes opiniões sobre o assunto, e venho aqui expressar a minha. Chamo sim de hipocrisia a postura dessa cidadã, pois vemos dois momentos semelhantes dela, onde ela estava ali fazendo o seu trabalho, e em ambas as situações o entrevistado agiu de maneira meio, digamos... inapropriada. Tanto o Vin Diesel quando o Jason Momoa. Acontece que temos que ser coerentes aqui para entender que a atitude do careca foi bem mais inofensiva do que a do barbudo.

Afinal de contas, em que mundo dizer que uma mulher é bonita fica no mesmo nível que mandar ela sentar na jibóia?

Certamente vão ter feministas que vão afirmar que não tem diferença, que em ambos os casos é assédio, que é inaceitável da mesma forma. Legal, beleza... Façamos assim então. Vamos considerar os dois atos iguais...

Aí... me explica então por que ela demonstrou ter se sentido incomodada apenas com Vin Diesel? Me explica por que nenhuma feminista veio criticar o cara do Game of Thrones pedindo pra ela sentar em seu colo? Pombas, se é a mesma coisa, por que a reação da Carol Moreira foi diferente? Por que ela não veio choramingar com suas amigas a falta de respeito do barbado? Ela disse que Vin Diesel atrapalhou a sua entrevista, mas e quanto ao Jason Momoa que a interrompeu também, por que nesse caso não teve problema? Respostas, por favor...


Difícil explicar, né?

Esse episódio apenas reforça ainda mais aquela questão de indignação seletiva que eu já comentei aqui certa vez, quando também comentei sobre o feminismo exagerado. Tenho que tirar o chapéu para o Danilo Gentili, que em um texto inaugurou essa expressão que ao meu ver retrata muito bem o que acontece com a nossa sociedade politicamente correta de hoje em dia.

A indignação seletiva é justamente o que explica o fato de que a Carol Moreira e as feministas só se sentiram incomodadas e ofendidas com o Vin Diesel, mas ficaram caladas diante no pedido obsceno do Jason Momoa para que ela se acomodasse ali na sua linguiça. Vemos um ato inofensivo ser considerado mais grave do que um outro que é muito mais sujo e agressivo. Mesmo que venhamos a considerar os dois atos de igual severidade, não justifica que apenas um deles seja considerado impróprio. Baseado em quê Vin Diesel não pode e Jason Momoa pode?

E uma dessas razões para essa postura diferenciada geralmente é a influência do sujeito. Parece que o que torna alguma atitude ofensiva, que o que define que existe assédio, não é a atitude em si, mas quem a pratica. Como eu fiz nessa piadinha algum tempo atrás, na época em que falei sobre o 50 Tons de Cinza.


Digo isso por experiência própria...

Eu certa vez passei por uma situação parecida na época da faculdade. Tinha uma garota da turma que certo dia foi com uma roupa um pouco mais chamativa. Nada vulgar não, mas uma indumentária que realçava um pouco mais as suas curvas.Ela chegou ali na sala pra aula, por algum motivo ela sentou ali na fileira do lado. E cometi a asneira de dizer que ela estava bonita naquele dia... Pra quê? Ela olhou pra mim com uma cara feia, resmungou alguma coisa que não me lembro mais e chegou ao ponto de se levantar e mudar de lugar...


Bom, mas aí logo depois, na aula seguinte apareceu o metido a galã, que esnobava pra todo mundo que dirigia um Audi A3, que na época era carrão, mas que provavelmente tinha sido presente do "papi" que havia comprado um carro mais novo pra ele. Esse sujeito chegou lá na cara de pau e disse para a tal garota que ela tava muito gostosa. Assim mesmo, na cara dura, com essas palavras. E a dita cuja ficou toda serelepe, toda fascinada com a cantada de pedreiro que veio do cara bonitão e de carro importado. Diziam até os boatos que não demorou pro sujeito pegar ela...

É isso que acontece... Pode ser lamento de um texugo que só se fode com as mulheres. Mas é fato. E comprova ainda mais essa questão da indignação seletiva. O assédio só é assédio se praticado por um cara que a mulher não goste. Se for um sujeito que ela goste, que ela ache legal... não tem problema... A ação em si não interessa.

Se eu chamasse aquela garota da faculdade de gostosa, tava arriscado a levar um tapa nas fuças, ser denunciado e o escambau. Agora, se eu fosse um texugo mais bonito, estivesse ali girando a chave de um carro nos dedos (não de um Gol ou Fiat Uno, de um importado), e dissesse a mesma coisa que eu disse, talvez ela não se sentiria tão incomodada a ponto de ir sentar em outro lugar. Digo e repito, cansei de observar isso em minha vida, em ver como o sujeito que é atraente sempre se dá bem, independente do que faça. Mesmo que seja algo ofensivo, degradante ou desrespeitoso com a garota.

Sei lá, talvez a tal da Carol curta muito o bombadão do Game of Thrones e ache o Vin Diesel um chato sem graça. Aí, ela acaba tendo a reação de asco ao receber uma cantada do careca enquanto fica toda animadinha em sentar no colo do barbudo. Só isso explica...


Resumindo, parece que nesse mundo politicamente correto, o tal empoderamento feminino na verdade consiste em dar para elas o poder de decisão sobre o que é assédio ou não, ao seu bel-prazer. Não importa o que seja, se ela se sente ofendida, pronto. Já basta, é preconceito contra a mulher, é agressão sexual. Daqui a pouco, se eu segurar a porta para uma mulher, pela simples questão de educação para outro ser humano, pode aparecer alguma maluca que vai achar que aquilo é assédio, e vou acabar preso... Tá foda esse mundo...

Não tenho mais o que falar, mas certamente não vai demorar para eu vir aqui discutir mais um caso estúpido desses de feminismo exagerado. Mais uma vez, venho a repetir aqui para que depois não venham dizer que eu sou um filho da puta. Não estou defendendo o Vin Diesel, que agiu sim de forma imprópria. Apenas acho muito insensata a postura da Carol Moreira, demonstrando um desconforto que não aparentou ao ser convidada a sentar no colo do outro sujeito. Não só uma atitude insensata, mas também exagerada. Da mesma forma que muitas mulheres que se dizem feministas, que só se comovem com esse ou aquele caso.

Por exemplo, não vi até agora nenhuma feminista protestar contra o indulto de Natal que o estuprador da reportagem que falei ali embaixo vai receber, ou provavelmente já recebeu. Não vi nenhuma feminista amparar a senhora que foi agredida e estuprada, ninguém lutando contra a liberdade desse verdadeiro cretino. Parece que elas só se revoltam quando é um ator de Hollywood elogiando a aparência de uma youtuber qualquer...

De qualquer maneira, a verdade é que ela conseguiu os seus quinze minutos de fama com esse episódio, tenha sido essa a intenção ou não. Muitas pessoas que nunca ouviram falar dela estão agora dando Ibope pra ela, e eu me dou conta que me incluo nisso, ao dedicar aqui um post pra comentar sobre o assunto. Mas, ainda mais no mundo dinâmico de hoje, logo essa história vai desaparecer e a Carol Moreira vai voltar a ter a mesma contribuição para a sociedade que tinha há duas semanas atrás...

Fico por aqui, aproveitando para desejar a todos um Feliz Natal. De quebra, desenterrando aquela piadinha natalina manjada daquele site do Wagner & Beethoven que não tem mais...


3 comentários:

Jean Neves disse...

Parece que eu sou o único que frequento essas redondezas Xd

Texugo disse...

Valeu pela visita Jean.

Arne Krogdahl disse...

Um famosinho gringo gringando uma brazuca gringueira do jeito mais gringudo possível. Esse filme é clássico.