quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Injustiça no futebol

Eu sei que venho um pouco atrasado, mas o importante é não deixar o assunto passar em branco. E venho para comentar um pouco sobre a polêmica do Fla-Flu da última semana, onde tivemos uma situação bem inusitada. Os mulambos ganhavam por 2 a 1, quando em uma bola alçada na área o tricolor fez um gol. Imediatamente, o auxiliar levantou a bandeira, alegando impedimento que anularia o empate, mas o árbitro Sandro Meira Ricci assumiu a responsabilidade e validou o gol. Começou então o fuzuê, jogadores discutindo dos dois lados, começou a entrar comissão técnica, polícia, autoridades da partida e o caralho a quatro. Até que o juiz voltou atrás e anulou de vez o gol. Ficou assim o placar, com os mulambentos fedidos ganhando a partida e continuando na caça pelo líder Palmeiras.


Seria apenas mais uma polêmica em partidas importantes, que quase sempre envolvem favorecimento ao Flamerda. Falando francamente, já perdi a conta de quantas vezes os urubus se beneficiaram do "apito amigo", que diversas vezes os ajudou a vencer partidas e ganhar títulos. Acontece que o grande motivo da polêmica não é exatamente associado à validade do lance: até porque tudo indica que sim, havia impedimento e o gol foi ilegal. Mas sim sobre como a decisão do juiz foi certamente influenciada por agentes externos...

Deu inclusive no Esporte Espetacular, como pode ser visto aqui, onde na reportagem chamaram um cara que faz leitura labial. Fica bem visível que em um determinado momento aparece um sujeito engravatado, que era o inspetor de arbitragem da partida, que comenta com o juiz que as câmeras haviam mostrado o impedimento. Eu mesmo sem ser um expert em leitura labial consegui perceber de primera o carinha dizendo "A TV sabe. A TV sabe que não foi gol.", pouco antes do árbitro dar pra trás e anular o lance.


Bom... Sem dúvida é uma discussão que dá pano pra manga. Há muito se fala a respeito do uso da tecnologia para auxiliar a tomada de decisões em uma partida de futebol, como já ocorre em vários outros esportes. Veja no futebol americano por exemplo, onde existe uma equipe de arbitragem e as câmeras são usadas em lances mais polêmicos. Partidas de tênis, sempre o recurso visual é usado para mostrar se a bola foi boa ou não. Não precisa ir nem muito longe, é só ver como foi nas Olimpíadas, onde havia até a questão do "desafio", onde a equipe que se sentia prejudicada podia pedir a revisão do lance. Dessa forma, garantindo a justiça desportiva, pois mesmo os melhores juízes e auxiliares podem errar, e não há nada mais injusto do que uma equipe ou atleta ser prejudicado, perder uma partida ou campeonato por conta de uma injustiça.

Só no futebol que isso não acontece. Aparecem sempre aqueles babacas que falam que o uso da tecnologia ia tirar a graça do esporte, que o charme do futebol é justamente quando ocorrem essas polêmicas... Uma postura muito defendida por muitos flamenguistas, que chegaram a proferir pérolas como "roubado é mais gostoso"...


Engraçado que esses mesmos imbecis certamente aplaudiram o uso da tecnologia para garantir a vitória no Fla-Flu...

O grande problema é que oficialmente o uso de apoio de tecnologia não é regulamentado no futebol brasileiro. Não importa os tira-teimas que a Globo coloca para mostrar a validade ou não dos lances (que de forma muito suspeita são repetidos incansavelmente quando favoráveis a certos times como Flamengo ou Corinthians), no final do dia o que vale é a decisão do árbitro, que dá a palavra final. E, além disso, destacando que ele só pode ter ajuda dos auxiliares que ficam no campo, como os bandeirinhas ou o quatro árbitro. Aquele inspetor ali não tem nada que comentar com o juiz sobre lances da partida, ele está lá apenas para acompanhar o trabalho da arbitragem. Mais uma vez, é assim que as regras dizem, se todas as decisões devem ser tomadas dentro das quatro linhas, a opinião do inspetor de arbitragem ou de câmeras não deve influenciar em nada na decisão.

Mas não foi isso que vimos nesse jogo.

Podem falar o que for. Mas é no mínimo muito suspeito considerando a forma como as coisas ocorreram. O juiz marcou o gol, e depois deu uma parada por dúvida ao consultar o bandeirinha, e após avaliar com ele confirmou a marcação. Aí, quase quinze minutos depois, com os jogadores do menguinho buzinando no seu ouvido e após ter conversado com o inspetor de arbitragem, o qual percebemos claramente ter citado de que pela televisão o gol era inválido, o árbitro voltou atrás. Cabe destacar que ele é juiz FIFA, se não em engano foi até escalado para a última Copa, mostrando que amador ele não deve ser, e que deve conhecer muito bem as regras para entender que ninguém fora do gramado pode pitar na partida.

Claro que nessa hora os mulambos vão dizer que não se pode reclamar, pois o tricolor estava em posição ilegal, e assim a anulação do gol foi a decisão acertada. Mas, vamos só recapitular um pouco outras situações que envolve o Mais Odiado do Brasil...

Decisão do estadual de 2014 entre Vasco e Flamengo. Em um lance do cruz-maltino, a bola caiu indiscutivelmente dentro do gol, como você pode ver na foto abaixo. Mas, o juiz disse que a bola não entrou. Com detalhe para o auxiliar lá, a um metro da bola, que convenientemente não percebeu que a bola entrou...


O que os mulambos dizem a respeito disso? Gol legal, e que nem precisava do apoio externo pra ser validado, mas que se tivesse acontecido algo como nesse Fla-Flu, o resultado seria diferente...

Voltamos mais um pouco para 2007, onde a final do estadual foi contra o meu Botafogo. Se me lembro bem, o jogo estava empatado, e em um lance rápido no final da partida o atacante Dodô recebeu a bola em claríssima posição legal e chutou no gol. Seria o gol do título, mas anularam o gol e ainda o expulsaram da decisão de pênaltis.


E aí, o que os flamerdalhos dizem disso? Outro gol legal, que também poderia ser percebido em campo, e que se a ajuda externa acontecesse como nesse Fla-Flu, meu Fogão teria faturado mais um campeonato...

Isso só para citar alguns dos casos onde tivemos lances polêmicos, favoráveis ao Framengo, que tinham até plenas condições de serem percebidos em campo, muito mais que o lance do Fluminense nesse jogo mais recente. Nessas ocasiões, nunca se pensou em usar o recurso da televisão para avaliar o lance, foi seguida a regra, e mesmo que se olhassem o VT provavelmente os juízes dessas partidas não mudariam a sua decisão. Mas, agora quando temos um lance duvidoso que é favorável ao adversário dos mulambos, aí parece que a arbitragem tenta ser mais flexível e dá uma dobradinha no regulamento pra garantir a vitória dos urubus...

Já disse isso e repito. Eu não acredito que os juízes sejam comprados pelo Flamerda, ou pelo menos a maioria. Embora tenha a certeza de que alguns deles provavelmente devem usar uma camisa rubro-negra por baixo do uniforme de árbitro ou mesmo nutrem simpatia descarada pelo menguinho...


Mas penso que muitos dos juízes acabam sendo influenciados pela pressão da mídia e da própria força política do Flamerdaço. Afinal de contas, sabemos bem que existe uma estrutura forte por trás de times populares, liderada pela Globo que sempre gosta de enaltecer os mulambos, pois sabe que tem muita gente no povão que torce pro time da Gávea. Até me surpreende ver como que nesse Fla-Flu as equipes esportivas da rede do plim-plim até que falaram muito sobre a influência externa, como eu disse rolou até matéria no Esporte Espetacular com leitura labial para provar a irregularidade extra-campo. Mas, apesar desse raro momento de imparcialidade da emissora, sabemos bem como a Globo sempre dá um destaque a times como o Flamerda. Assim como a CBF e outros órgãos do meio do futebol, que nunca foram contrários aos urubus em questões polêmicas como comentei acima.

Reforço que eu não estou defendendo o Fluminense apenas pelo fato de ser um lance ontra o Flabosta. Tampouco vou ser hipócrita, como os mulambos costumam ser quando a arbitragem os favorecem, e chegar ao ponto de dizer que não houve impedimento. Houve sim, o lance foi ilegal. Por mais que eu me divirta com os mulambentos perdendo, eu sou justo na minha avaliação.

Mas, também foi ilegal a influência externa, foi incorreto o juiz voltar atrás de sua decisão graças à avaliação e percepção de terceiros, fora das quatro linhas do campo. O que indiscutivelmente ocorreu.

Eu quero ver se em situações futuras, quando o lance ilegal for do Flamerdinha... Se vão deixar os jogadores do time adversário pressionarem da mesma forma, se vai aparecer inspetor de arbitragem dizendo "a TV sabe", e se o juiz vai voltar atrás em sua decisão...

Em tempo: depois de muita pressão do Fluminense, a CBF e o STJD acataram o pedido e o resultado do jogo foi temporariamente suspenso até que uma decisão seja tomada, o que pode resultar na anulação da partida, exigindo um novo Fla-Flu. Embora eu tenha as minhas dúvidas se tais autoridades vão tomar uma decisão que venha a prejudicar o tão querido flamerdinha, fica a torcida de que a justiça prevaleça e esse resultado vergonhoso seja anulado. E com a torcida de que, havendo uma nova partida, os mulambos sejam agraciados com um resultado mais desagradável...


Nenhum comentário: