segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Dia das Bruxas

Hoje celebramos aquela data bem curiosa... Sim, estamos falando do Dia das Bruxas. É aquele dia geralmente celebrado nos Estados Unidos e outras nações fora pelo mundo, com as crianças se vestindo de fantasmas, bruxas, vampiros, super-heróis e outros personagens famosos, para bater nas portas da vizinhança pedindo doces. Aqui, geralmente é uma brincadeira só lembrada nos cursos de inglês, festinhas de adolescentes temáticas e pela programação dos canais de televisão, trazendo sempre filmes de terror ou os desenhos clássicos que celebram o Halloween, como os episódios especiais dos Simpsons ou aquele clássico do Snoopy com a Grande Abóbora.


Até hoje eu me mijo de rir ao ver o Charlie Brown, debaixo de seu lençol todo furado comentar "e eu... uma pedra."

Fico pensando por que tal celebração não é tão difundida por aqui... Sinceramente, temos tantos feriados e celebrações estúpidas ao longo do ano que não fazem sentido. Por exemplo, recentemente tivemos o dia do funcionário público... Na boa, sei que devem haver as exceções... Mas diria que 9 entre 10 funcionários públicos trabalham bem menos do que deveriam, e eles ainda merecem um feriado para ficar em casa sem fazer nada? 

Por que não permitir aqui no Brasil algo como o Dia das Bruxas? Por que não deixar a criançada brincar com isso? Por que não permitir que a garotada se fantasie para uma festividade que, ao meu ver, é inocente e divertida, fora logicamente o risco de que as crianças mais exageradas podem acabar tendo uma overdose de açúcar...


Bom, eu honestamente penso que existem dois principais fatores que fazem que tal celebração seja bem restrita e mesmo criticada aqui no Brasil. Curiosamente, cada uma desses duas questões são de certa forma associadas ao perfil dos dois candidatos que tivemos para a eleição de prefeito aqui no Rio, a qual felizmente não foi vencida pelo Freixo. Não que eu ache o Crivella grande coisa, e ele certamente tem os seus problemas, mas a última coisa que eu ia querer aqui era um defensor de bandido.

Bom, deixando de lado a política, uma das razões que penso que faz que o Dia das Bruxas seja desprezado aqui é pelo fato de que boa parte da população é extremamente religiosa. Independente da religião, seja cristão, evangélico, espírita ou seguidor de umbanda e similares. A maioria dos brasileiros segue algum tipo de religião, alguns de maneira bem ferrenha e dedicada, daqueles que dizem que tudo que acontece é vontade de Deus ou que sempre estão dizendo algo associado à religião.


E esse tipo de pessoa acaba vendo no Dia das Bruxas algo profano. Acham que é coisa do demônio, pois as crianças ficam se vestindo de monstros, sendo influenciadas por más influências...

Fala sério! A criançada está só se divertindo, não tem nenhum tipo de influência ruim nesse tipo de brincadeira. Pra começar, dizem isso como se as crianças apenas se fantasiassem de diabo, por exemplo. Mas esses são poucos, diria que hoje em dia a maioria acaba preferindo colocar uma fantasia de super-herói, como do Homem-Aranha, do Batman ou do Wolverine, o que tem demais nisso?


Só tem que ficar de olho se o pimpolho decide se fantasiar de Deadpool. Por mais que possa ser hilário, certamente não vai ser muito legal se ele começar a reproduzir as loucuras do merch with a mouth com seus amiguinhos e amiguinhas...

O mais hipócrita é ver como essas pessoas são tão religiosas a ponto de condenar o Dia das Bruxas, mas não falam nada diante de tantas outras coisas que existem por aí, essas sim que são ruins. Não falam nada do carnaval e sua putaria desenfreada, não criticam programas da Globo como Big Brother e as novelas com seus valores deturpados, além de ser muito comum observar como essas mesmas pessoas tão religiosas assim não parecem seguir os ensinamentos que escutam da religião que seguem. Cansei de ver adolescentes que se dizem puros mas que zoam seus amigos por serem diferentes, beatas de igreja que furam fila e desrespeitam as pessoas, sujeitos fiéis à religião mas que traem suas esposas e namoradas... Hipocrisia ao extremo...

Bom... Esse é um dos pontos, uma das questões que vejo que joga contra essa festividade que, repito, na minha opinião é inofensiva.

O outro ponto, o bom entendedor já deve imaginar. E é o que mais critico, o que mais considero como hipócrita e sem noção. Os religiosos, vai lá... Às vezes vejo que certas pessoas ficam cegadas pela religião. Mas nada pior do que essa turminha, que até algum tempo atrás tinha o costume de espalhar esses cartazes abaixo...


Sim, outros que abafam o Dia das Bruxas aqui são esses alucinados pseudo-nacionalistas de esquerda.

Eu pensei que em alguma oportunidade eu já havia feito um post sobre o MV-Brasil, aquele movimento ultra-nacionalista que defendia o repúdio a tudo vindo dos Estados Unidos e aplaudia cegamente qualquer coisa brasileira, que proferia pérolas como esse cartaz acima. Mas não, nunca cheguei a escrever, e agora infelizmente não tem mais graça pois o MV-Brasil desapareceu, de forma tão silenciosa e despercebida como merecia. Ia ser legal debater com alguns deles, discutir por exemplo sobre sua doentia necessidade de abolir termos em inglês no linguajar das pessoas, segundo esses "entendidos" se eu sou brasileiro devo dizer correio eletrônico em vez de e-mail e portal em vez de site...


Enfim, chega de dar moral pra defunto. De qualquer forma, ideais como o do cartaz acima continuam vivos hoje em dia, nas cabeças inchadas de fãs do PT, PSOL e similares. Pessoas que pregam um desprezo pelos Estados Unidos e pelo capitalismo que é sempre associado a eles (embora seja praticado em 99,99% do mundo, incluindo na Venezuela, Cuba e etc), e assim enxergam o Halloween como uma representação da submissão cultural aos norte-americanos, como tantas outras coisas que eles criticam.

Exemplo desse tipo de pensamento é que motivou inventarem o dia do Saci, justamente no dia 31 de outubro, supostamente com o objetivo de valorizar o folclore nacional (que já tem a sua data comemorativa, diga-se de passagem) mas que na verdade busca disputar espaço com o Dia das Bruxas. Idéia daquele amiguinho do Freixo, o Chico Alencar, aquele boçal risonho que mais parece um cabeça de cotonete.


Na boa... Não tem nada demais em se divertir no Halloween, isso não indica nenhum tipo de submissão aos Estados Unidos. Não vejo nada demais, não enxergo em uma criança fantasiada de mostro ou herói da Marvel nenhum tipo de desprezo pelo folclore nacional, até porque já vi em algumas oportunidades crianças se vestindo como Santos Dumont ou Ayrton Senna. Repito, pra mim não passa de uma diversão inocente pra criançada fantasiar e ganhar doces, não é nenhum tipo de seita fundamentalista que subjuga a molecada ao "império do mal" que é os Estados Unidos para essa gente da esquerda.

Digo também que em nenhum momento eu estou dizendo que devemos deixar de lado a cultura nacional. Pois é uma das primeiras coisas que os pseudo-patriotas gostam de dizer quando alguém os contraria, dizendo que são paga-pau de americano e que desprezam o que é nacional. Não é assim, não estou pregando nada contra a cultura brasileira. Claro que quando digo cultura, eu estou dizendo cultura de verdade, certo? Não venham aqui bostejar sobre cultura nacional quando temos museus caindo as pedaços, orquestras sem receber, bibliotecas entregues às baratas, enquanto defendem "cultura" na voz de Caetano Veloso, nas cenas de Aquarius ou em publicações como Carta Capital.

Até porque devemos combinar que o Brasil, assim como os Estados Unidos, são nações que herdaram muitas tradições e costumes vindos dos povos colonizadores. O próprio Dia das Bruxas é de origem celta, e não norte-americana. Influência religiosa então, temos várias: o carnaval, tido por alguns "intelectuais" de esquerda como uma celebração genuinamente brasileira, na prática tem um dedo católico por mais incrível que possa parecer, indicando uma festança onde todo mundo comia para caralho antes de ficar os quarenta dias da Quaresma em jejum. Hoje, a única coisa que se manteve é que se come para caralho, mas não exatamente comida... Assim, falar de "cultura nacional" é um pouco complicado, pois a grande maioria das celebrações aqui, nacionais e regionais, têm influência dos povos que aqui se estabeleceram.

Aí sabe o que os esquerdistas "defensores da pátria" costuma dizer? Dizem algo como "ah, mas se você não tem descendência norte-americana não tem por que celebrar o Halloween!".


Tá certo amiguinho... Então quero ver deixar que a Oktoberfest seja celebrada apenas por quem tem descendência alemã, seu patife!

Essa eu disse para um ex-colega de trabalho, vermelho até a alma, que quando chegava outubro vivia enaltecendo os dizeres do MV-Brasil lá em cima, mas que sempre ia tomar cerveja nessas festinhas de Oktoberfest todos os anos.

É por isso que os chamo de pseudo-patriotas. Pois essa turminha, indo desde aquela meia dúzia de integrantes do MV-Brasil que agora devem estar debaixo de um pedregulho até esses petistas, psolistas, comunistas e afins, não passa de um bando de hipócritas. Criticam tanto o Halloween, dizem ser algo que exemplifica a submissão aos Estados Unidos... Mas é engraçado ver como esses esquerdistas defensores da pátria dizem isso em suas páginas do Facebook, escrevendo da tela de seus iPhones que compraram na viagem para Miami, enquanto tomam um latte no Starbucks ou comem um Big Mac no McDonald's, enquanto fazem hora no shopping antes de assistir um filme de Hollywood...

Realmente, um bando de tolos... Principalmente pelo fato de que esses hipócritas dizem tudo isso acreditando no discurso de certos políticos que conseguem ser ainda mais hipócritas. Como diz essa imagem abaixo, que não precisa saber espanhol para entender...


Faltou só a Dilma nessa figura...

Enfim, tentei não deixar o cunho político invadir a postagem, mas fica difícil, ao ver que o Dia das Bruxas é tão hostilizado por esses esquerdalóides sob o pretexto de estarem defendendo da cultura nacional, quando não passa de mais um discurso de ódio hipócrita a tudo que vem dos Estados Unidos. Tanta coisa mais importante para fazer, e essa gente fica aí implicando com algo que não é nada demais...

Vou ficando por aqui, tá na hora de acabar com esse post antes que entremos em novembro e o Dia das Bruxas passe, fazendo com que esse post perca todo o sentido.


3 comentários:

Arne Krogdahl disse...

Halloween é patético aqui. Neve de mentira nas exposições de shopping center no Natal também é patético. Muito 'wannabe gringo'.

Texugo disse...

Obrigado pela visita Arne. Sei que tem muita gente que se sujeita a querer ser gringo como você disse...

Mas, pessoalmente, eu acho que clima de Natal tem mais a ver com neve, não combina com o verão pegajoso que temos aqui. Sem falar que sempre na minha família fazem aquelas guloseimas de Natal que combinadas com o calorão te colocam que nem uma planta... Assim, acho que até curtiria mais se vivesse sim lá fora nessa época...

Sem falar em inúmeras outras razões...

Arne Krogdahl disse...

Ah, valeu!

De fato a comida é pesada demais. Isso aí é uma das coisas que tinha que adaptar, saca? Fazer um Natal mais típico do Médio Oriente, com comida mais leve, algo que lembrasse o povo do deserto, os hebreus, por exemplo. Ficaria muito mais legal.