domingo, 25 de setembro de 2016

Choices: Stories You Play


Já comentei um pouco aqui em diversas vezes que eu gosto muito de ler. Sempre é interessante ler alguma história, uma boa leitura é um passatempo que me agrada. Só que desde mais novo, uma coisa geralmente me deixava um pouco injuriado quando eu pegava um livro, principalmente quando se tratava de alguma história: era o fato de ver muitas vezes o protagonista tomar algumas decisões estúpidas, ou dizer algo totalmente incoerente. Sempre tive essa postura de achar que eu poderia fazer algo diferente e assim chegar a um resultado melhor... Tudo bem que em uma boa história muitas vezes para atrair o leitor os personagens precisam fazer coisas que não são as que você faria, tudo para justificar algo da trama.

Talvez por isso em algumas situações a leitura dava mais espaço ao videogame. Apesar de existirem jogos com histórias bem lineares, pelo menos era legal ver que o bonequinho ou nave na televisão estava ali sob meu controle. 

Mas, eu confesso que muito disso mudou com os livros jogos. Aqueles livros onde em determinados momentos você tinha que escolher entre algumas opções, e assim guiando o rumo da história. Comecei quando garoto com os livros da série Escolha Sua Aventura, que inclusive ganharam um post aqui lá no longínquo 2009, que eu convido para que você dê uma olhada. Depois vieram os livros da série Aventuras Fantásticas, que eu preciso muito fazer um post aqui, falando dos meus prediletos. Começava a criar em mim o interesse pelos RPGs, que infelizmente não foi muito para frente já que foi difícil encontrar quem curtisse também, vide a febre dos videogames da época.


Mas o interesse por esse tipo de diversão, onde se faz escolhas e assim se controla a história, ainda permanece. E com a chegada dos smartphones e tablets, muitos desses jogos saíram por aí, um deles que me cativou demais, que foi o Cause of Death, também comentado neste post mais recente (mas mesmo assim de 2 anos atrás). Em muito por sua história policial empolgante, mas também graças a personagens muito bem construídos. Ele era a dupla de um outro jogo similar chamado Surviving High School, que já tinha o tema de historinha adolescente, mas mesmo assim interessante e divertido. Foram lançamentos da Electronic Arts e que durante alguns anos me divertiram bastante, até serem cancelados... Sim, tudo que é bom um dia acaba, mas consegui guardar aqui todos os episódios desse jogo em meu velho iPod que continua firme e forte. E esperava ansioso por uma eventual continuação deste joguinho empolgante, que não veio.

E aí então venho ao motivo dessa postagem...

Para contextualizar, boa parte da equipe que desenvolvia esses dois jogos formou uma nova empresa chamada Pixelberry e começou a criar seus próprios. Começando por um chamado High School Story, que vinha no estilo de simulador como inúmeros outros jogos, mas tentando trazer o toque de faça as suas escolhas. Inclusive trazia alguns personagens vindos do Surviving High School lançado anteriormente. Fizeram depois um bem similar, focado em estrelas de cinema, aparentemente no mesmo estilo de simulador. E recentemente, atenderam às preces de muitos órfãos dos jogos anteriores que fizeram sucesso, com o jogo Choices: Stories You Play.


Este jogo resgata muito bem o clima de jogo de escolhas, em que você vai guiando a história e acompanhando os protagonistas. Com um toque bem interessante: neste aplicativo, você tem três grandes tramas para escolher, de acordo com a sua preferência. Seguindo as atenções da empresa, que busca certamente um público mais jovem e em sua maioria do sexo feminino, há as histórias de romance, ambientadas no mesmo clima de high school visto nos jogos anteriores, chamada The Freshman (ou a Caloura). Mas há também uma linha de histórias no estilo de fantasia chamada The Crown and the Flame, com castelos, espadas e magia, para agradar aos fãs de Dungeons e Dragons, ou ao menos aqueles que como eu cresceram com os livrinhos de aventura de Steve Jackson e Ian Livingstone. E, para fechar, a terceira trama era bem influenciada pelo grande sucesso de Cause of Death, com as histórias de mistério policial de Most Wanted, onde mais uma vez você viria a acompanhar uma dupla de policiais buscando a solução de um crime.

Recentemente eles criaram uma quarta história, mas que segue a linha de romance também. Como eu já estava escrevendo aqui esse post antes do lançamento dela, deixarei por ora para uma próxima oportunidade. 

Bom, cabe comentar um pouco como o jogo em si funciona. Cada trama possui alguns livros, que vão sendo lançados periodicamente, conforme dito pela empresa. Hoje a série de romance já tem uma meia dúzia de títulos, a de fantasia recebeu recentemente a segunda parte de sua epopéia, enquanto que a série policial, minha favorita, está ainda no primeiro livro. Mas, é questão de tempo até recebermos a continuação. Você então escolhe um dos livros, e cada um tem um determinado número de capítulos, que você vai jogando em sequência. Infelizmente você não tem como escolher o capítulo que quer, uma vez terminado um você parte para o próximo. Mas os livros podem ser relidos quantas vezes você quiser.


Choices segue a premissa de uma história onde você deve tomar decisões. Como acontecia em Cause of Death, existem sistemas de pontuação, alguns deles que ficam visíveis na tela todo o tempo, outros que são mais escondidos, que servem para controlar o andamento da história. De acordo com as decisões que você vai tomando, você ganha pontos ou não, e com isso liberando inclusive algumas cenas especiais. Confesso que joguei mais o Most Wanted, onde já vi que, além de algumas escolhas que têm tempo limitado, com um reloginho contando, há aquelas que só são habilitadas se você conquistou uma certa quantidade de pontos, exigindo assim que você busque a opção correta. E há as opções especiais que dependem dos diamantes.

Aí é que entra a única parte meio chata do jogo...

Como de costume, muitos jogos hoje em dia têm seus sistemas "monetários", algum tipo de pontuação que você usa para fazer algumas coisas nos jogos. Esse "moeda" geralmente pode ser conseguida dentro do jogo de alguma forma, ou tem um sistema de tempo (por exemplo, após uma hora você ganha uma certa quantidade dessa "moeda"). E, logicamente, você pode adquirir mais usando dinheiro de verdade, e é aí que as empresas acabam garantindo o seu sustento.


E Choices não é muito diferente: o aplicativo é gratuito, mas ele envolve dois tipos de itens, as chaves e os diamantes. As chaves são usadas para você iniciar um novo capítulo, ou mesmo jogar novamente. Ou seja, mesmo que você esteja repetindo uma história, terá que usar uma chave para iniciar o capítulo. Você começa com duas chaves, o que em um primeiro momento pode dar um desespero. Mas, até que não é muito mal, pois tão logo você tenha usado todas, começa então um contador, e em 3 horas você ganha mais duas chaves e pode continuar jogando. Frustrante se você está empolgado com a história e quer continuar logo. Claro que você pode recorrer ao dinheiro para comprar chaves, mas na atual conjuntura vale mais a pena esperar...

Por sua vez, como disse acima os diamantes são usados durante o jogo para habilitar algumas opções especiais. Geralmente são escolhas que tornam seu trabalho mais fácil, ou mesmo que liberam algumas cenas adicionais, como flashbacks que ajudam a explicar melhor a história. Você começa na primeira vez que abre o aplicativo com algumas dezenas de diamantes, mas que dá para uma ou duas opções especiais. O chato é que, para ganhar diamantes, você deve completar um capítulo novo, ganhando um diamante...


Sim, unzinho só. E somente se o capítulo for novo, se você estiver jogando de novo não ganha nada. Considerando que cada história tem cerca de 15 capítulos, isso significa 15 diamantes que você pode adquirir gratuitamente. Quinze diamantes que dão pra uma única opção, com sorte. Se quiser mais, só comprando com seu dinheiro. Ao menos, as opções que foram "compradas" ficam à disposição pra sempre depois, mas mesmo assim...

Eu já venho nesse ponto destacando realmente o único ponto negativo de Choices, que é um sistema para ganhar diamantes que exige que você gaste seu dinheiro. Tudo bem que nada impede que você jogue sem diamantes, todas as histórias são possíveis de serem concluídas e bem em modo 0800. Mas é frustrante ver que certas opções não podem ser acessadas sem colocar a mão no bolso. Ainda mais considerando que cada opção não sai por menos de 10 diamantes, algumas por mais de 20, de forma que mesmo pagando você na prática não vai conseguir aproveitar muito. Deviam era colocar alguma forma de você ganhar diamantes mais facilmente... Tipo, assista um vídeo e ganhe 1 diamante, ou algo como jogando dias seguidos você poderia ganhar 5 diamantes... 

Vou dar um exemplo de frustração grande... Aviso que é um pequeno spoiler, mas que não afeta muito a história de Most Wanted. Se você não quer saber, passe pelos pontinhos. E adianto que pode colocar em dúvida a minha hombridade, mas corro o risco...

...

...

...

...

...

...

Na trama de Most Wanted, tem uma hora que você deve escolher se adota um cachorrinho que te ajuda em uma cena crítica contra o bandido, ou se você entrega ele para a carrocinha, onde sabe-se lá o que farão com ele. Com direito ao cãozinho ser todo meigo, e uma policial lamentar com uma carinha triste se você não fica com ele. É de deixar triste...


...

Qual foi? Sou um texugo e que gosto muito de meus amigos de quatro patas!

...

...

...

...

...

...

OK, passou o spolier, pode continuar lendo.

Eu entendo que as pessoas que trabalham numa empresa dessas precisam pagar o leite das crianças e as contas, mas eu sinceramente acho que hoje esse sistema ainda está muito falho. Dificulta até se você tem interesse em ler todas as histórias, fica impossível. Tanto que existem por aí muitos sites que dizem ter algum tipo de hack que habilita chaves e diamantes infinitos, mas cujos links de download logicamente ficam protegidos por mais uma daquelas pesquisas sem vergonha que pedem o seu número de celular para te mandar um monte de spam... Sim, eu confesso que tive a curiosidade de ver isso, até porque a imensa maioria de buscas pelo nome do jogo no Google retornam sites que alegam ter esse aplicativo para hackear o programa.

Mas, eu pessoalmente não acho legal, não acho correto esse tipo de crack pra burlar o jogo. Entendo até a frustração, e certamente a Pixelberry vai ter que pensar nisso. Tornando a aquisição pelo menos de diamantes mais fácil, isso acabaria tirando o espaço desses sujeitos que querem sacanear.

Enfim, mas voltando à mecânica do jogo, Choices mantém uma proposta simples. As opções são das mais diversas, algumas delas são inclusive responsáveis por liberar certas "conquistas". Tipo, se você descobrir o motivo do criminoso estar matando gente, ou se você conseguir salvar o refém sem nenhum machucado. Isso gera até um certo replay value na tentativa de desbloquear certas cenas. Há até escolhas que resultam em algo fatal, mas nesses casos geralmente se retorna para um ponto anterior na história para que você tente melhor sorte. E essas escolhas não podem ser feitas de qualquer maneira, é necessário prestar atenção na história para saber o que responder. Choices até traz uma pequena ajuda, pois em diversos momentos os textos aparecem em verde, indicando coisas que são importantes e devem ser memorizadas.


Curioso é que muitas das opções envolvem você escolher um tipo de roupa para usar, certamente mais uma das influências do "toque feminino" no desenvolvimento do jogo. Por exemplo, você pode escolher se a protagonista vai continuar com sua roupa normal, ou se coloca uma mais reveladora pra chamar a atenção de todos ao redor. Geralmente isso não muda apenas a imagem da personagem, mas também altera o andamento da história, algumas vezes até ajudando. A história de colégio parece trazer a maior flexibilidade, pois você tem como customizar a garota que estrela o jogo, escolhendo sua aparência, tipo de cabelo e roupas. Claro que nada muito mirabolante, não espere aqui algo como no The Sims, mas sem dúvida permite um certo nível de personalização do jogo...


E assim segue o jogo. Ao longo de um capítulo do livro você vai tomando as suas decisões, chegando ao final você pode seguir para o próximo capítulo ou tentar repetí-lo. Aqui, apenas na série de fantasia é que você pode ter uma certa idéia de o quanto você foi bem, pois é dado um resumo do que aconteceu, incluindo algumas decisões chaves e mesmo algumas pontuações.

Como disse, eu tenho jogado mais a série Most Wanted, devido às saudades de Cause of Death, sempre curti essas histórias policiais. Eu estou até dando uma olhada na série de fantasia, enquanto espero um novo capítulo com mais investigações, e posso dizer que também é interessante. Nele, há algo diferente como um sistema de aliados, onde você vai juntando soldados para ajudar em algum tipo de batalha final. Além da protagonista Kenna Rys, princesa de um reino que eu não me lembro que tem um temperamento forte no estilo de dar pancada, existe seu amigo de infância Dominic Hunter, que aos poucos vai ganhando poderes mágicos. Logicamente, há um certo clima entre os dois, dando o toque de romance da história...


Isso que talvez me deixou um pouco, digamos... sei lá, acho meio manjado demais a idéia de sempre colocar todo esse clima de paixão, assim tão logo de cara enquanto uma guerra está para ser travada. Honestamente, acho que The Crown & The Flame poderia manter-se no ritmo mais de aventura e fantasia, podia até trazer um pouco mais de romance um pouco mais adiante... Para jogadoras do sexo feminino, tudo bem, acredito que seja algo até que elas gostem, ainda mais por ter uma protagonista forte na história... Mas se Choices deseja atingir também o público masculino, precisa dar algo mais no estilo deles. Enfim... Isso não impacta o jogo e essa história de aventura em particular, que aos pouquinhos vai me chamando a atenção também, principalmente por possuir um sistema interessante, onde você deve acumular tropas e aliados para a batalha final.

Só mesmo a história de high school que por enquanto não me apeteceu...

Por sua vez, Most Wanted me chamou muito a atenção, que vale até um comentário mais detalhado. A história é ambientada em Los Angeles, e como já falei você acompanha uma dupla bem incomum de agentes da lei, uma idéia bem conhecida e várias vezes repetida, mas que sabemos que funciona bem. Na história de Cause of Death, se você se deu ao trabalho de ler a postagem que indiquei lá cima, a dupla era formada por Mal Fallon, detetive de San Francisco com instinto de policial e um pouco temperamental, e Natara Williams, investigadora do FBI e expert em avaliar o perfil de criminosos. Aqui, temos uma dupla igualmente bem elaborada, com estilos bem diferentes e até mesmo bem conflitantes, mais que os protagonistas do outro jogo


Você começa com o detetive da polícia de Los Angeles, ou a famosa LAPD, Dave Reyes. Ele é um dos melhores do distrito, e tem um jeito de galã de Hollywood, sempre envolvido com as pessoas famosas, é o cara que todo mundo conhece. Faz o tipo de smooth talker, que consegue usar sua lábia pra interrogar os suspeitos e para conseguir favores, procurando sempre manter o estilo. Costuma trabalhar sempre sozinho, mas para a missão que inicia o jogo ele vai ter que aceitar uma dupla.

E a sua companheira é Samantha Massey, que é uma U.S. Marshall vinda do Texas, que está em Los Angeles para capturar um fugitivo que matou o seu mentor, e que também está por trás do crime em Los Angeles. Ela já segue a linha de policial temperamental, que não leva desaforo pra casa e que se tiver que sair na porrada, não vai pensar duas vezes, mas que também tem um senso de justiça muito forte.

Não precisa dizer que as diferentes personalidades dos dois policiais constantemente entram em conflito, com Dave querendo resolver as coisas de forma mais controlada e política, para não fazer muito tumulto, enquanto que Sam não tem meias-palavras e gosta de resolver as coisas de forma direta. Inclusive em diversos momentos você é colocado diante de uma situação onde deve escolher quem vai tomar frente. Em geral qualquer uma das opções funciona, esse tipo de escolha serve apenas para que você escolha quem vai ganhar pontos para o seu score. A dica aqui é sempre ver aquele que está mais atrás na pontuação, pois o placar é importante para liberar certas opções.


A história é muito boa, com tudo que uma trama policial pede. Intrigas, ação, busca por pistas e interrogatório de suspeito, com várias reviravoltas inesperadas na história. Sem dúvida mais um jogo interessante e que consegue nos prender, com personagens muito bem elaborados. Pena mesmo que por enquanto a série policial está ainda no seu primeiro livro, enquanto as historinhas românticas saem que nem água... E também pena que o sistema com diamantes causa muita frustração por ser tão difícil desbloquear certas opções do jogo. Mas Choices Stories You Play promete melhorar e muito. Pelo menos pra mim, as histórias policial e de fantasia são sensacionais, muito bem boladas e empolgantes. Talvez eu volte aqui a escrever um pouco mais sobre esse jogo e os seus personagens, mas deixa eu primeiro terminar as histórias...

E Pixelberry... Vocês criaram um jogo muito legal. E todos sabem que leva tempo para fazer as histórias, isso todos os jogadores que vieram de seus antigos jogos sabem disso. Honestamente, eu não tenho problema quanto a esperar alguns dias para que saía um novo capítulo, acho que as pessoas em geral precisam perder a ansiedade nível Netflix para acabar com um dos livros do jogo em dois dias. Mas pelo menos vocês precisam dar uma repensada nesse sistema de diamantes... Torne mais fácil adquirí-los sem precisar gastar tanto dinheiro assim. Aposto que fazendo isso, vocês vão atrair mais jogadores, muitos deles que certamente não vão se incomodar em pagar eventualmente por esses itens. Vamos ver se eles escutam...

5 comentários:

Anônimo disse...

Esse jogo é muito bom! Adorei o post e concordo com o lance dos diamantes. É frustrante demaisss!!!

Anonimo disse...

Po gostei da avaliacao etc mas n curti o estereótipo q vc impõe o tempo inteiro no texto de q publico feminino gosta de romance e masculino de açao e aventura. Close errado nisso, amigo. Mas fora isso, interessante. Abs

Texugo disse...

Anônimo (o segundo), eu aqui não estou impondo nenhum estereótipo. Na verdade, quem sou eu para impor esterótipo?

Eu disse essa questão sobre os interesses do público feminino e masculino diante de minha opinião, e também do que eu observo da comunidade que joga esse jogo. Acreditem ou não, eu sempre pesquiso bastante sobre os assuntos que eu escrevo, e em fóruns dedicados a Choices é possível observar esses três fatos:

1) A maioria do público que joga esse jogo é de mulheres. O que não necessariamente torna ele um jogo de meninas, não estou aqui definindo nenhum estereótipo.

2) A maioria desse público curte as histórias de romance. Seções inteiras desses fóruns são dedicadas às histórias românticas, dizendo quem deve ficar com fulano e etc.

3) A própria empresa que faz o jogo, percebendo isso, dedica maior esforço para essas histórias de romance, para agradar ao público que joga o jogo, em sua maioria mulheres. Razão que faz com que existam quatro histórias em andamento de romance, além da história de fantasia. Todas as demais, incluindo uma policial, uma de terror e outra de aventura juvenil (mas também recheada de romance) foram terminadas.

Mais uma vez, não estou aqui induzindo estereótipos. Um rapaz pode curtir uma história de romance, uma garota pode curtir uma história de ação e aventura. Mas repito, os fatos que se observam ao ver o público que participa desses fóruns comprova o que cada gênero prefere em sua maioria...

Mari disse...

Mas vc acha que esses sites q prometem diamantes infinitos realmente funcionam ou são só uma porta de entrada pra vírus?

Texugo disse...

Obrigado pela visita, Mari!

Eu honestamente não confio muito nesses sites... Começa que todos eles usam aquele recurso de pedir um número de celular para que você preencha uma pesquisa. Isso já mostra que no final das contas é cascata.

Tem uns vídeos que supostamente mostram o programa funcionando, mas mesmo assim não confio muito não. Até porque todos eles passam fácil demais por essas pesquisas.

A minha sugestão aqui é jogar o jogo mesmo. Te digo que usar diamantes não é algo fundamental, dá pra jogar sem comprar as opções premium.

Por fim, escutei alguns boatos de que estavam para implementar um sistema de dar diamantes após assistir um vídeo de propaganda, mas até agora não vi nada a respeito...