quarta-feira, 15 de junho de 2016

Vai um Dolly Guaraná?

Não sou muito chegado em refrigerante, principalmente quando se trata de Coca-Cola. Afinal de contar, Coca-Cola tem gosto de quê? Já começa errado por aí... Se chega uma situação onde decido tomar alguma bebida gaseificada aromatizada artificialmente, acabou preferindo alguma que tenha o sabor de alguma coisa que eu consiga distinguir. Mesmo sabendo que esse sabor é muitas vezes resultado de químicas das mais danosas ao nosso organismo.

Mas como disse, não sou muito chegado num refrigerante... Só quando vou num churrasco ou naquelas festinhas de aniversário de criança, e aí acabo tomando uma Sprite, ou na pior das hipóteses uma Fanta. Ou então recorro àquele refrigerante de origem nacional, o guaraná. Mas, só se for Antártica, ou em último caso, Kuat.

Agora, se me oferecem um Dolly Guaraná...


Não, não rola! Não sei por que, mas não me apetece esse Dolly. Talvez por eu já ter sido conquistado pelo guaraná Antártica, mais famoso e comum. Talvez pelo fato dessa marca ter aquele ar demasiadamente popular, tipo Supermercados Guanabara. Ou talvez pelo seu mascote, que acho escroto demais... 

Sério, você já viu as propagandas com o Dollynho? Dá até medo, aquela garrafa verde com cara de psicótico, dizendo com uma voz melosa "jogue lixo no lixo" ou "tome bastante água". Medonho. Parece que usaram uma versão de quinta categoria dos Teletubbies. Imagina só, você de madrugada assistindo televisão, e aparece o Dollynho com aquela cara ali de cima, dizendo que quer ser o seu amiguinho? Não sei você, mas eu iria acender as luzes e fechar as portas.

Como que uma propaganda tosca consegue destruir um produto, não? Pra me convencer a tomar esse guaraná, eles vão ter que fazer muito esforço...


Sério, quase me convenceu... Mas acho que precisa mais que duas moças com calças embaladas a vácuo pra que eu experimente essa bebida.

2 comentários:

Arnaldo Krogdahl disse...

Detesto refrigerante. Pança inchada, arroto dia inteiro, gosto amargo na boca. E quando não é arroto, é peido.

Não quero nem de graça.

Gabriel bez disse...

kkkkk kkkkkk