sexta-feira, 3 de junho de 2016

Top 5 Games - Chefões

Estou desenterrando alguns posts aqui muito, mas muito antigos... Impressionante como eu comecei aqui várias postagens há anos, e que ficaram mofando aqui na seção de rascunhos até eu me lembrar delas, tem mais de trinta. Essa daqui sabe-se lá há quanto tempo ficou aqui, e é simplesmente a segunda de uma série de posts que eu estava querendo fazer a respeito de listas relativas a jogos de videogame, só cheguei a publicar mesmo a de naves espaciais, que você pode ver aqui há mais de (acreditem!) seis anos. Quem ficou aguardando, ou esperou uma eternidade ou desistiu pelo caminho.

Mas vamos ver se consigo voltar com esses posts, muitas listas estão até prontas em um Excel que tenho, é só arrumar tempo e paciência para arrumar umas figuras e escrever. Vamos em frente então, falando a respeito dos chefões de videogame.


Na grande maioria dos jogos, sempre existiu a figura do "chefão": mais comuns nos jogos de luta, mas em outras modalidades também, era sempre aquele inimigo final, aquela figura que separava o jogador de zerar o jogo. Em alguns poucos casos o chefe final era um adversário estúpido, com alguma manha que ajudava a derrotá-lo (como Wang, chefe final do Black Belt do Master System, que bastava ficar dando socos agachado no canto para vencê-lo), mas normalmente o chefão final era realmente foda de derrotar, só caía após alguns muitos continues ou poções de energia. Sem falar que ele trazia sempre aquele ódio aos jogadores, sem dúvidas tem chefões cujas histórias são bem montadas a ponto de você querer acabar com a raça deles.

Com isso, para tornar cada vez mais frequente as postagens sobre jogos, segue a lista dos 5 maiores chefões na visão de um humilde texugo. Não estou pensando aqui muito na dificuldade, mas sim no impacto que eles tiveram em minhas muitas horas acumuladas jogando videogame. Também não pensei nesse momento em fazer nenhuma classificação, pois todos eles são verdadeiros filhos das putas.

Masked Warrior (Pit-Fighter)

Nos primórdios dos jogos de luta, havia o clássico Pit-Fighter com os seus lutadores de rua. Um jogo bem legal na minha opinião, lembrava aqueles filmes da Sessão da Tarde com os lutadores mais bizarros (ainda faço um post sobre esse jogo, prometo), embora muitos o considerassem como uma grande demonstração homo-erótica, devido à grande concentração de sujeitos sem camisa.

E o campeão dos campeões, inimigo a ser enfrentado na final do torneio, era o misterioso Masked Warrior. Com sua máscara sombria, ele realmente era um lutador durão, quase todas as suas porradas eram suficientes para fazer seu lutador voar que nem um travesseiro. Ainda tinha o golpe de torcer o pescoço que era mortal (a música até parava, para escutarmos o creck dos ossos quebrando). E todo chefão que se preza tem seus lacaios, que são dois malucos grandões de fraldas que ficam acorrentados como dois cachorros bravos. Realmente um chefão que tem dois lacaios de mais de dois metros como cães de guarda merece o respeito de estar em qualquer lista de chefões.

Sorte que na luta final haviam sempre muitos power pills... Aquelas mega vitaminas que deixavam seu lutador forte e invencível, ajudando você na luta final. Mas se o Masked Warrior pegasse uma delas, você estava fudido, um chute desse corno acabava com quase metade de sua energia,

Somente um comentário engraçado: esse Masked Warrior lembra o Humungus, o bandidão do Mad Max 2, não lembra?


É, voltei no tempo agora... Mas Mad Max 2 era legal pra caralho! E provavelmente um dia vai rolar uma sátira desse filme.



Mr.X (série Streets of Rage)

Streets of Rage figura entre um de meus jogos favoritos, e também será merecedor de uma postagem exclusiva quando eu tiver tempo. Muito mais legal e empolgante que Double Dragon e Final Fight. Como um colega do colégio dizia, era muito legal jogar "Ruas da Raiva" com um parceiro, pancadaria rolando solta. E o vilão desse jogo era o notório Mr.X, que podia não ter muita originalidade em seu nome, mas era a verdadeira personificação da filhadaputagem em jogos de videogame. Líder da organização criminosa, há quem diga que ele seja apenas uma cópia daquele chefe do Double Dragon, que também portava uma metralhadora, mas Mr.X vai mais além, participando dos dois primeiros jogos. Ele ainda aparece no terceiro, mas apenas como um cérebro.

O que o torna um excelente vilão é a sua postura de bandido mesmo, verdadeiro filho da puta. Como no primeiro jogo, onde ele te convidava a se juntar à organização criminosa, e dizendo sim ele apertava um botão para abrir um alçapão e te mandar lá pra outra fase do jogo. E soma-se a isso o desprezo até mesmo pelos seus capangas, pois ele pegava a metralhadora e atirava feito um maluco psicótico desvairado, fuzilando qualquer um na sua frente, incluindo os seus comparsas. Desprezo pelos seus comandados, essa é uma característica de um verdadeiro vilão.

E sempre rindo da tua cara, quando você morria. Quer chefão mais filho da puta?

O mais legal de tudo é no Remake que foi feito recentemente (sobre o qual falei aqui há muito tempo atrás, comentando sobre sua proibição por parte da SEGA), você pode jogar com ele também. Sempre é interessante jogar com um chefão, ainda mais com um que atira com uma metralhadora.



Shao Kahn (série Mortal Kombat)

Ah, Mortal Kombat... Nada como descer a porrada nos adversários e depois aplicar um fatality. O grande rival do Street Fighter, no primeiro jogo o chefão era o bobalhão do Shang Tsung, ainda no seu formato "velhinho gagá". Apesar dele poder se transformar em qualquer lutador, vencê-lo era tão fácil a ponto de ser ridículo. Pra quem não se lembra, era só abaixar e ficar dando chute. E aí no segundo jogo decidiram colocar um chefe de verdade, o Shao Kahn, que permaneceu como chefão final por praticamente todos os jogos a partir de então.

Shao Kahn era um chefão com "C" maiúsculo. Mal começava a luta e ele já mandava aquele sonoro "you will die!" com uma voz de fazer sua espinha tremer. E com uma meia dúzia de porradas a luta acabava com a vitória do bandidão, com destaque para uma marreta de pedra animal. E sempre com as suas falas, menosprezando o oponente, como "don't make me laugh!" ou "you're pathetic!". Imagino que isso era estratégia para os arcades, pois era como se ele te zoasse para que você se sentisse um merda, fazendo assim que você queimasse mais uma moeda para tentar vencê-lo e calar a sua boca.

O grande problema era que Shao Kahn parecia mais um personagem de filme pornô sadomasoquista com um penico na cabeça. Podiam ter coberto ele um pouco mais para não dar a imagem de que Mortal Kombat é um jogo de putaria. Já não bastava o monte de lutadoras semi-nuas ou com bustos exagerados...



Cycloid Emperor (Duke Nukem)

Falando em bustos exagerados, voltamos aqui em um clássico dos computadores. Na boa, jogo de tiro de primeira pessoa pra mim não tem outro: é Duke Nukem. Com toda a sua irreverência, violência gratuita e mulheres em trajes sumários, é um dos jogos que acho mais divertidos, onde o maluco precisa defender a Terra de alienígenas bizarros, com direito a atirar em aliens sentados no vaso enquanto despacham um churro. E o Cycloid Emperor é o chefão deles, embora só me dei conta de seu nome ao fazer essa postagem.

Seu visual é bem aterrador, com um olho só, uma boca cheia de dentes e garras metálicas que atiram lasers. Um verdadeiro filhote de Deus-me-livre com cruz-credo. E que precisa levar muito tiro de míssil, bazuca, foguete, espingarda e todo o arsenal de Duke para ser derrotado. Não era lá tão difícil durante a luta final no estádio de futebol americano, ainda mais se você chegasse preparado com bastante munição do RPG e do Devastador, aquelas armas fuderosas que você arrumava no final do jogo. Ficar andando em círculos ao redor dele, despejando toda a fúria de seu armamento mais pesado, e logo o boçal arregava.

Bom, e não podemos deixar de comentar que, após derrotado, Duke Nukem ainda faz uma zoação sensacional, dando um bico na nuca do mostrengo e fazendo um field-goal com seu olho. Só não bate aquele outro chefe do segundo nível, em que Duke arranca sua cabeça fora e depois arria as calças pra cagar no seu pescoço. Não tem como ser mais grotesco e sádico.



M. Bison (Street Fighter)

Embora essa lista não tenha nenhuma ordem em particular, eu devo admitir que esse aqui seria na minha opinião o maior chefão dos jogos de videogame. Diria que não há maior personificação de maldade e filhadaputagem que o vilão do mais famoso jogo de luta de todos os tempos.

Bison faz o estilo de ditador louco, dotado de um poder incrível. Ninguém sabe ao certo de onde ele veio, embora a luta final seja na Tailândia. O seu visual é digno de vilão de filme mesmo, com direito ao chapéu de líder militar e capa. Longe do estilo convencional do Mr.X e sem o apelo sadomasoquista do Masked Warrior e do Shao Kahn. Tem ainda um histórico perverso, tendo matado parentes e amigos ou prejudicado de alguma forma metade dos lutadores do Street Fighter, que querem a sua cabeça. E para completar, é um filho da puta nato, daqueles que se diverte ao punir os adversários.

Pra completar, ele tinha um golpe especial que é o maior exemplo de apelação que somente um vilão (ou o panaca do jogador que o usava) teria: o Psycho Crusher, apelidado aqui em terras tupiniquins de Torpedo Flamejante, executado de maneira repetitiva, era algo que fez muitos jogadores ficarem putos da vida a ponto de tacarem seus controles longe.

E é isso, a lista dos 5 maiores vilões dos videogames na minha opinião. Se não concorda, fique à vontade para deixar seu comentário.

2 comentários:

Anônimo disse...

É Vega, e não M.Bison!

Jean Neves disse...

Shao Kahn um filho da puta nato!