sexta-feira, 4 de março de 2016

Homem Pássaro contra Mummer

E agora fudeu... Depois de tantos episódios dos Super Amigos, eu não resisti e agora vou começar a fazer as histórias de outro herói do time Hanna-Barbera, tão ou mais escroto que o bando da Sala de Justiça. Me refiro a ele, o mais absurdo e bizarro, o Homem Pássaro. Ele consegue ser ainda mais doido, e pode apostar que as piadas vão sair fácil. Vamos começar com o episódio onde ele enfrenta o todo poderoso Mummer.


Mummer? Esse é o nome que arrumaram para um grande vilão?

Começamos esse episódio no que parece ser as Nações Unidas, onde uma reunião aparentemente importante vai ocorrer. Embora parece que a platéia é composta por um monte de blocos de madeira onde colaram umas cartolinas no formato de pessoas. Nem para perder tempo e desenhar os sujeitos sentados em bancos o pessoal perdeu...


O grande acontecimento é que teremos a assinatura de um tratado de paz entre o rei de Salaman...


... e o rei de Lampir.


Pára tudo! Puta que parola! Sei que em desenhos assim normalmente não se usam nomes de países de verdade, pois certamente poderia levar a pensarem bobagem. Tipo, se colocassem Estados Unidos e União Soviética, vai que um russo visse e ficasse puto. Mas não precisava ter inventado nomes tão ridículos, e tampouco dizer que eram reinos, pombas! 

Bom, antes do rei de Salaman fazer um pronunciamento, aparece um carinha meio tosco, de pele esverdeada, que diz que tem uma ligação à cobrar pra ele lá atrás, dizendo que era a sua esposa, querendo falar a respeito do histórico de seu computador. Dá pra ver pela cara de preocupação do rei que ele deve assinar o Pornhub.


Não precisa ser grande coisa para saber que esse cara verde é o vilão. Pode chamar de racismo, mas ao ver um cara com essa pinta, já dá pra imaginar que não é boa coisa.


Não disse? É o tal do Mummer, que facilmente consegue amarrar o rei numa cadeira em seu quarto. Só esperamos pelo bem do traseiro real que o bandido não esteja pensando em uma brincadeira sadomasoquista, no estilo de Cinquenta Tons de Cinza. Embora, pela pinta dele, seriam mais tons de verde...


Como todo vilão, Mummer então diz todo o seu plano, dizendo que é o mestre do disfarce, e vai tomar o lugar dele na conferência de paz, para tacar o zaralho e iniciar uma guerra.


Temos que dizer que o cara é bom... Depois de apenas colocar uma barba postiça, Mummer não apenas adquire todas as feições e o bigodão do rei, como até muda a cor da pele. É o Shang Tsung esse filho da puta? Nem pra elaborar um pouco mais o disfarce dele...


Mummer, disfarçado de rei de Salaman, volta ao salão das Nações Unidas ao som da Marselhesa, dando a entender que estavam disfarçando a França, e então ele começa a falar que o rei de Lampir é um leite com pêra, e estava planejando dominar o mundo. Assim, ele veio ali para declarar guerra.


A cena então corta para uma região montanhosa, em algum lugar desconhecido. Embora deveria se chamar região vulcanosa, pois o que mais tinha ali eram vulcões um do lado do outro. E nos aproximamos de um deles, que tem uma tampa metálica em cima...


Sabemos bem que ali é o esconderijo de nosso amigo de penas, o Homem Pássaro. Ele estava ali numa boa, dando uma olhada numa liquidação de alpiste para seu fiel parceiro Vingador, quando então o Falcão 7, o chefão, liga pra dizer que os dois reinos estão prestes a travar uma guerra sem sentido. Afinal, nenhuma das duas nações tinha petróleo, ouro, ou qualquer outro recurso que valesse a pena gastar munição.


Usando a sua grande perspicácia, o Homem Pássaro diz que desconfia que se trata de alguma farsa. Pois afinal de contas, a primeira coisa que você vai pensar quando uma guerra se inicia, é que alguém está armando uma. Foi isso, ou ele leu o roteiro do desenho... Enquanto isso, o Vingador fica ali pensando na falcoa que tinha dado o fora nele na noite anterior, pra ficar ciscando com um tucano.


Depois de berrar o seu patenteado "Hooooomem Pássaro!", seguido do costumeiro "Crááá" de Vingador, o nosso herói alado, que misteriosamente voa sem bater as suas asas, se dirige para a fronteira dos dois reinos, para tentar impedir que a guerra comece.


A peleja já está para começar, com as forças armadas de Lampir se preparando para atirar primeiro, lembrando que o seu rei continua sendo o original. Talvez ele seja a favor da tática "atire primeiro, pergunte depois". De qualquer forma, o exército deles é composto por dois carinhas só, prestes a disparar o seu arsenal, composto de quatro mísseis extremamente pontudos.


O Homem Pássaro precisa detê-los, usando os seus raios de força contra os mísseis...


... que ao serem atingidos, simplesmente desaparecem, sem nenhum tipo de explosão. Como se fossem projéteis de joguinhos de Atari. 


Lá embaixo, temos o igualmente grandioso exército de Salaman, composto por cinco tanques extremamente toscos e desproporcionais, com direito a bandeirolas roxas e lagartas incompletas. Embora esse último detalhe deve ter sido mais por conta da preguiça do desenhista.


E o mesmo raio de plasma é usado pelo Homem Pássaro. Preocupado em não machucar os soldados, que não tem nada a ver com a guerra, ele decide então parar os tanques da melhor maneira possível...


... derretendo os seus canhões. Parece que foi um raio de Viagra invertido, fazendo com que eles ficassem brochas.


O celular peitoral do Homem Pássaro começa a tocar, era o Falcão 7 perguntando se a guerra já havia acabado, e avisando que a camareira, ao entrar no quarto do hotel para mexer nas malas do hóspede, encontrou o rei Salaman amarrado na cadeira. Assim, eles haviam descoberto que havia um impostor, chamado Mummer, que havia provocado tudo, e que os países podiam ficar em paz. E um bom observador vai perceber nesse e em muitos outros momentos como continuidade não é o forte desse desenho, pois se esqueceram de pintar o logotipo na cabeça do Homem Pássaro.


Tudo calmo com a guerra interrompida, encontramos o Mummer escondido no seu barraco, sentado em um barril e vendo o Jornal Nacional numa televisão de quatro polegadas. 


E pela sua cara, parece que resgataram um vídeo antigo do Cid Moreira declamando os salmos, ou começou a propaganda partidária do PT.


Puto porque o Homem Pássaro havia fudido o seu plano de provocar uma guerra entre Salaman e Lampir (embora até agora não sei o que esse puto ia ganhar com essa guerra), Mummer literalmente arranca os cabelos e jura que vai acabar com aquele imbecil de asas, pra depois colocar ele numa gaiola.


Vamos de volta ao QG do Homem Pássaro, que mais uma vez recebe uma ligação do Falcão 7, que parece ser meio carente, pois toda hora fica ligando... Ele diz que sabe onde o Mummer está, e pede para encontrá-lo na base da Polícia Internacional. Ali, depois de um chá com biscoitinhos Maizena, eles poderiam traçar um plano para pegar aquele cara verde.


O que nosso amigo de asas não sabe é que aquele ali falando com ele era um impostor, o verdadeiro Falcão 7 estava ali atrás, amarrado numa cadeira.


Claro, sabemos bem que era o puto do Mummer disfarçado, que pelo menos dessa vez tava usando uma máscara um pouco mais elaborada. 


Mais uma vez, perceba como os pústulas que fizeram esse desenho não manjam nada de continuidade. Veja que logo acima o Falcão 7 estava com uma mordaça na boca, e na cena imediatamente seguinte, a mordaça some. Realmente, não devem achar grandes coisas do público...

O Homem Pássaro se dirige então para a base, porém ele já comenta que havia algo de estranho na voz do Falcão 7, e decide então combinar com seu parceiro Vingador que ele vá para a casa do caolho, enquanto ele iria para a base da polícia internacional. De novo, ou esse puto trapaceou e olhou o roteiro antes, ou o Mummer tinha sido idiota e deixado o verdadeiro Falcão 7 aparecer na câmera... E sim, é a mesma cena lá de cima... Além da falta de continuidade, o reaproveitamento de cenas era uma constante nessa merda.


O Mummer está lá na base, colocando o Homem Pássaro na mira, para fazer galeto com aquele canalha de asas. Para isso, ele ia usar umas das poderosas armas disponíveis na base, os mísseis de cobalto.


Sim, mísseis de cobalto... Faz tempo que fiz minhas aulas de química no colégio, mas não sei o que torna um míssil tão poderoso pelo fato dele ser de cobalto. Não deve ser pelo formato fálico...


Vendo dois mísseis em formato de jebas indo em sua direção, o Homem Pássaro liga seu escudo de energia. Não sei por que ele não fez como logo acima, disparando seus raios para explodí-los, seria bem mais simples. Talvez ele estava querendo viver fortes emoções, ou havia alguma cláusula tosca que o obrigava a usar o escudo pelo menos uma vez por episódio. E percebam que mais uma vez o logotipo em sua cabeça sumiu! Caralho! Será que ninguém revisava os desenhos pra achar essas falhas?


KABOOOOOMMM!!! O que será que aconteceu?


Claro, o Homem Pássaro se fudeu... Que imbecil, falei pra atirar nos mísseis!


Enquanto isso, o Vingador chegou na casa do Falcão 7, que pela magia da continuidade falha estava agora com uma venda na boca. Depois de soltar outro "Crááá" de raiva, pois a águia roxa queria comer um biscoito, ele então monta no ombro do Falcão 7 para bancar o papagaio de pirata.


Depois de soltar a venda, o Vingador pergunta se tinha algum Cream Cracker pra ele comer. O Falcão 7 manda ele tomar dentro, que Cream Cracker era ruim demais e que ele não ia ganhar pôrra nenhuma de biscoito, por ter cagado no terno dele. Só ia ganhar um punhado de alpiste se ele parasse com babaquice e soltasse ele.


Pensando em garantir algo pra forrar o papo, o Vingador então parte pra cima das cordas, pra soltar o chefe...


Na boa, eu olho a imagem acima e me pergunto como diabos que o Vingador não cai nessa cena, já que ele não está batendo as suas asas e sequer se apóia nas patas. Bom, mas depois do monte de erros de continuidade e ver que o Vingador voa sem bater asas, acho que não vale a pena pensar muito nisso...

Finalmente livre, o Falcão 7 dá um punhado de alpiste podre pro Vingador parar de encher o saco, e então pega o seu comunicador tosquinho pra passar um trote pro Moe, e pra depois avisar pra polícia que o Homem Pássaro, sendo o merda que é, deve estar em apuros.


Voltando lá na base, vemos que realmente o Homem Pássaro é um calhorda. Depois de levar uma coça dos mísseis, ele de alguma forma se recupera, mas em vez de recarregar suas energias e tostar aquele bosta do Mummer, ele simplesmente fica parado como uma estátua, pronto pra levar um teco do bandido.


Só que aí as forças da Polícia Internacional aparecem, com um batalhão de tanques brochas. O capitão diz pro verdinho largar a arma, dar dois passos pra trás, um pulinho e colocar a mão na bunda, antes que vire purê de espinafre.


Apesar de estar cercado por todos os lados, o Mummer consegue facilmente ir atrás de uma rocha, e decide então se fantasiar de Homem Pássaro, para aplicar o truque mais manjado dos desenhos Hanna-Barbera.


O capitão, que chamarei de Capitão Fuinha, cai que nem um patinho, pois ele olha pra direita...


... e ali está o Homem Pássaro.


Mas ele olha pra esquerda...


... e ali está o Homem Pássaro também!


Sim, simplesmente pegaram a mesma imagem e aplicaram um mirror... Ô, piadinha escrota essa! Só achei graça daquela vez que o Homer Simpson começava a ser dublê do Krusty.


"Estou vendo dobrado! Quatro Krustys?!"

Só que aí, pra salvar o dia, aparece o Vingador. Pois ele conhece bem o fedor do Homem Pássaro, e vai saber distinguí-lo do farsante do Mummer. O mais engraçado é que por algum motivo, o verdadeiro Homem Pássaro se refere ao Vingador como "águia dourada", e fica muito evidente pela figura abaixo que de dourado ele não tem nada...


O Homem Pássaro diz que o outro é o Mummer, e que podem atirar nele, detonar com aquele impostor de uma figa. Pois um Homem Pássaro já é ridículo demais pra esse mundo.


Como vemos, os soldados pareciam ainda confusos, e o Mummer ativa o seu jetpack pra fugir mais uma vez. Acho que nunca vi um bandido conseguir fugir tão facilmente em um desenho, mas espere, que ainda piora.


Puto dentro das calças com a incompetência absurda das tropas, o Homem Pássaro passa um sermão no Capitão Fuinha, lembrando que eram os anos 70, e não havia problema em trucidar um bandido ou um hippie, o Space Ghost fazia isso toda hora. Assim, ele teria agora que ir atrás do Mummer para levá-lo para a justiça.


Vendo que o Homem Pássaro está cada vez mais perto, mesmo sabendo que um jetpack seria normalmente mais veloz que um par de asas, o Mummer começa a perguntar quem seria o seu companheiro de cela na Papuda. Mas ele ainda tinha uma chance...


... pois estava perto do Maracanã, onde estava rolando um duelo de mulambos, entre o Flamengo e o Corínthians. Lugar perfeito pra se esconder.


Sim, eu sei que é um gramado de futebol americano, cacete! Deixa eu ter um pouco de liberdade poética pra fazer as minhas piadas?

Bom, o Homem Pássaro chega ali no estádio, e se dá conta que danou-se... Mesmo sem nenhum tipo de disfarce, seria impossível encontrar o Mummer no meio daquele monte de mulambos desdentados e fedorentos... Era melhor desistir e se mandar dali, antes que um flamenguista batesse a sua carteira.


E é isso... Sem se preocupar com essa demonstração de incompetência ao deixar o vilão se safar numa boa, o Homem Pássaro e seu fiel amigo Vingador se mandam dali, pra tomar uma cerveja e dar uma azarada nas franguinhas...


Sério mesmo... Foi isso mesmo que você viu. O bandido da história conseguiu se safar facilmente, continua livre, leve e solto pra fazer as suas bandidagens pelos cantos! Que tipo de herói é esse, pôrra? Pelo menos nos Super Amigos eles venciam os bandidos, mesmo que fosse de uma forma tosca e engraçadinha, com direito às risadas no final. O Homem Pássaro não, simplesmente arregou e se mandou...

Se a idéia era passar lição de moral que o crime não compensa, o nosso amigo de asas falhou miseravelmente... Era de se esperar, falei pra vocês que esse desenho é tão tosco que chega a ser hilário. Aguardem que teremos mais aventuras do Homem Pássaro pra gente se mijar de rir.

Um comentário:

Vegeta Escritor disse...

Na abertura do desenho, um robô do Paraguai atira uns raios e o Homem-Pássaro não usa o escudo, nem tenta desviar. O resultado é que o herói ridículo é atingido em cheio e cai. Esse Homem-Pássaro consegue ser mais burro que o Chapolin.