domingo, 6 de dezembro de 2015

Darth Vader... Herói ou vilão?

Com a chegada do novo filme do Star Wars, por todos os cantos tem alguém falando dos clássicos do cinema de uma galáxia tão tão distante. Depois das duas trilogias, tem gente esperando com grande ansiedade pelo Episódio VII, alguns imaginando onde diabos está o Luke Skywalker que até agora não apareceu nos trailers, como será ver o Han Solo gagá, se dessa vez algum Stormtrooper vai acertar algum tiro ou se a Disney fudeu com a série. E aqui não seria diferente, aproveitando o momento decidi escrever um pouco a respeito de um dos personagens mais famosos da série, talvez até mesmo de todos os filmes. Claro que estou falando do Darth Vader.


Uma coisa eu tenho que dizer: Darth Vader é de longe um dos vilões mais maneiros que eu já vi. Todo de preto, com aquele visual ameaçador, com sua respiração arrastada e a voz de fazer os mais machões se borrarem nas calças, temos que tirar o chapéu pra ele. Talvez só o Magneto, eterno vilão dos X-Men, se compare em nível de fuderossice ao lorde Sith. Não é à toa que a trilogia mais recente, que trouxe os episódios iniciais, surgiu para contar a sua história, mostrando como o bondoso e valente Anakin Skywalker se deixou seduzir pelo lado negro da Força pra se tornar o vilão...

E sim, LADO NEGRO DA FORÇA! Aqui não tem essas viadagens de ficar vendo racismo em qualquer coisa, pombas! Não tem essa estupidez de lado "sombrio" da Força, fica escroto pra cacete! 

Enfim... Realmente Darth Vader é o epítome de vilão, por mais que tentem jamais vão superá-lo. Podem até inventar algumas cópias baratas, pois acho bem difícil surgir alguém que personifique tão bem o papel de antagonista.


Acontece que muitas vezes eu fico me perguntando o quanto que o Darth Vader é realmente assim tão mal... Pode parecer babaquice da minha parte, mas eu sinceramente questiono muitas vezes em como ele na verdade tem tudo para ser o herói da saga. Talvez um herói meio incompreendido e com seus problemas, mas justamente por isso mais humano e verdadeiro do que muitos dos mocinhos que vemos em filmes e séries. Por exemplo... Na minha opinião, eu vejo o Anakin Skywalker da trilogia original como um herói de muito maior destaque e força do que o bunda mole do seu filho, Luke Skywalker. Interessante que podemos até fazer uma certa comparação se avaliarmos os episódios de cada uma das trilogias.

Começando no primeiro filme, vemos como Anakin é um garoto de personalidade inocente e com grande senso de justiça e amizade. Sem pestanejar, ele decide ajudar o Liam Neeson (como se ele precisasse de ajuda, aquele que depois ira tacar o zaralho nas suas buscas implacáveis) e até mesmo aquela besta do Jar Jar Binks, se voluntariando para participar da corrida e arrumar as peças da nave. Ele decide ir com eles para se tornar um Jedi, chegando ao ponto de arriscar a sua própria vida pilotando aquela nave no final do filme. Tudo isso tendo, sei lá, menos de dez anos.


Por sua vez, o Luke ficava ali todo birrento, reclamando com seus tios por ter que trabalhar na lavoura, e depois fica todo ouriçado pra salvar a princesa, sem dúvida com um desejo de ver se o tapete dela combinava com as cortinas (ou seria donuts, se considerarmos o penteado de headphone da princesa Léia?). Sem falar que ele ia acabar batendo as botas se não fosse o Han Solo ajudando ele na cena final da Estrela da Morte... Em outra palavras, um baita dum bunda-rachada chorão e imbecil.


Vamos então para os segundos filmes... Em O Ataque dos Clones, que eu confesso que nunca vi do início ao fim de uma vez, o garoto cresce exponencialmente (não pense bobagens, estou falando da altura dele), se tornando mais e mais poderoso no uso da Força. Vemos que nesse filme ele já começa a dar uma fraquejada para ser seduzido pelo mal, mas entendo que por razões até compreensíveis, como exterminar aqueles sujeitos do Povo da Areia que tinham matado a sua mãe, e se casando secretamente com a Princesa Amidála. Além disso, no final ele não fica com medo ao enfrentar o Conde Dooku (não, não dou), e mesmo tendo o seu braço inteiro decepado ele reage como homem.


E aí vamos para o outro ataque, do Império Contra-Ataca... Já começa apanhando do pé-grande e precisando mais uma vez ser salvo pelo Han Solo. Tudo bem que ele logo de cara ganha um beijo da Princesa Léia, mas que só fez isso pra sacanear o Indiana Jones, ou melhor, o Han Solo. Aí então ele larga todos os seus amigos para ir atrás do Mestre Yoda, afundando a nave e fazendo um monte de merda pelos cantos, a ponto de deixar o baixinho se perguntando porque estava perdendo tempo com aquele babaca. Aí então ele vai lá pra resgatar seus amigos naquela cidade flutuante, caindo no choro depois de perder a mão e descobrir que o Darth Vader é seu papai...


Aliás, é interessante ver certas coincidências... Como que nos dois "segundos" filmes das trilogias os protagonistas são mutilados... Enfim...

Por fim, chegamos ao terceiro filme das trilogias. E aqui não tem comparação, mesmo vendo que Anakin se tornou um verdadeiro filho da puta, chegando até a matar os jedizinhos-mirins e finalmente sucumbindo ao Lado Negro da Força. Simplesmente não dá para superar a luta final contra Obi-Wan, quando ele vira uma kafka que passou do ponto, e finalmente passa por toda a transformação em Darth Vader, talvez uma das cenas mais marcantes da história do cinema.


Enquanto isso, Luke tenta mostrar que é alguma coisa no último filme, liquidando com a turminha do Jabba The Hutt. Depois de fazer com que o Mestre Yoda morresse, ele participa daquela missão no planeta dos Ursinhos Carinhosos... quer dizer, dos Ewoks, mas fica todo complexado e mijão por achar que Darth Vader iria encontrá-lo. E em vez de fugir, ele se entrega para seu pai. No confronto final, quando esperaria-se uma luta entre os dois, vemos quase uma brincadeira de pique-esconde, em que ele solta a franga até decepar a mão de seu papai (olho por olho, dente por dente e mão por mão). Só que ele fica todo cheio de bichisse, e seria estuprado pelos relâmpagos do Imperador se não fosse salvo pelo próprio Darth Vader.


Enfim... só dessas observações eu acabo entendendo que o Darth Vader acaba sendo no final o grande herói da saga. No fundo, ele sempre foi do bem, como podemos ver nos primeiros filmes, tendo sempre intenções nobres. Mas no decorrer da primeira trilogia ele acaba sendo tomado por sentimentos como dor, raiva e medo. Sentimentos extremamente humanos. A tristeza de não poder ajudar a sua mãe, a culpa por não ter ido buscá-la mais cedo, tudo isso foi meio que o estopim para ele sucumbir ao Lado Negro. Diferente dos outros Jedis, que parecem ter aberto mão de sua Humanidade (tudo bem, metade não era sequer ser humano), como verdadeiros robôs sem sentimentos.

E a gota d'água foram os pesadelos que ele teve de ver sua amada, a rainha Amidála (ih, rimou!), morrendo ao dar a luz ao seu filho. Sério, se você encontra uma pessoa de quem você gosta tanto, acho perfeitamente natural que você tenha medo de perdê-la. Ainda mais em se tratando da Natalie Portman.


Te pergunto: se você tivesse alguém assim de quem você goste tanto, e tendo a certeza de que algo ruim possa acontecer com ela, você não faria qualquer coisa para protegê-la?

Eu sei que pode parecer meio egoísta e absurdo... Muitas pessoas podem até me julgar mal por isso, principalmente as mais religiosas, que tipicamente têm uma visão de que uma força superior (observe que não estou me referindo à Força dos filmes) que dita o destino de todos. Quantas vezes não escutamos frases como "foi a vontade de Deus" diante de uma fatalidade, não é mesmo? Ou mesmo a típica "seja o que Deus quiser" diante de qualquer coisa. Uma postura muito passiva na minha humilde opinião, como se certas decisões e acontecimentos não dependessem nem um pouco do livre arbítrio e das decisões das pessoas...

Curioso como o assunto seguiu essa linha... Não me levem a mal, não é uma crítica à religião, seja ela qual for. Cada um tem o direito de ter a sua crença. Apenas comento a postura passiva de aceitar tudo que acontece como a vontade de uma força ou entidade superior, que muitas pessoas adotam de forma até exagerada, como se tudo que ocorre fosse obra de uma divindade.


Como o jogador de futebol que fala que Deus fez com que o time A ganhasse o campeonato. Pombas, como diria um amigo meu, se fosse assim, a seleção do Vaticano seria vinte vezes campeã da Copa do Mundo...

Voltando, o que eu entendo é que a decisão de Anakin se juntar ao Imperador e ao Lado Negro não foi motivada pelo Mal. Diferente dos outros Siths, que aparentemente só querem espalhar o Mal pela Galáxia, o jovem Skywalker viu como a única saída para salvar Padmé. Como já diria o velho deitado da montanha, amor e ódio são sentimentos muito próximos, e essa foi a ruína de Anakin, se deixando enganar pelo filho da puta do Palpatine. Chega a ser até irônico como ele acaba sendo o responsável pela morte de Padmé, por estar tomado pelo ódio oriundo do Lado Negro...


Penso até que ele, sendo tão poderoso como era, poderia ter nessa hora arrancado a cabeça do Palpatine e enfiado no seu próprio rabo... Mas só não o fez talvez por fraqueza, por já ter perdido tudo e não ter mais para onde ir. Quase como um caso de depressão aguda, após ter perdido sua família e a mulher que amava, Darth Vader acabou sendo por fim consumido pelos piores sentimentos possíveis, tornado-se o temível vilão que marcou as telonas. Mas que no final, acaba alcançando a redenção... Apesar de ser um babaquara, em uma coisa Luke Skywalker estava certo: ainda havia um pouco de bondade em Vader. E na luta final vemos como ele acaba se livrando do domínio do Imperador, jogando ele lá na casa do caralho, salvando o seu filho.

Na minha opinião isso traz uma profundidade muito significativa ao personagem, algo que talvez não teria sido percebido sem a trilogia inicial. Como já comentei, é como o Magneto dos X-Men, um vilão que tem as suas justificativas, que tem a sua razão para ser do jeito que é. Focando na série do Star Wars, vemos que no fundo quase todos os vilões são como marionetes nas mãos de Palpatine: aquele chifrudo do Darth Maul era só um aspone, o Conde Dooku (não, não dou, já disse) fez ali aquele teatrinho para motivar a criação do exércitos de clones... Mas no final todos eles eram tão filhos das putas como o velhote do manto preto. Anakin Skywalker foi aquele que sofreu, que perdeu todo o seu chão, que foi levado ao Lado Negro pelo medo e a tristeza, e não por uma simples motivação de fazer o Mal.

Por isso que acho que Darth Vader no final é o grande herói da série. Um herói incompreendido, que veio a se tornar o vilão mais maneiro da história do cinema.


2 comentários:

Jorge W disse...

Eu assisti Star Wars começando pela triologia nova , entao nunca vi o Darth Vader como realmente um vilao pois ja no começo fui apresentado à aquele anakinzinho de pura bondade.

Ps: Já q a categoria musica ja ta juntando um pouco de pó vc poderia dar sua opiniao sobre Vocaloids

Parabens pelo seu blog , sempre postagens fantasticas :D

Soull Vanns Neves disse...

nunca gostei de star wars mas achei bem legal o post