domingo, 13 de setembro de 2015

Apple Revolucionária?

Sei que vou pisar no calo de muita gente aqui, pois quando o assunto é sobre a gigante da maçã mordida, a porradaria rola solta independente do lado que você esteja: se é feita uma crítica, os Apple fan-boys aparecem como paladinos de Steve Jobs, não aceitando nada contra os produtos perfeitos que são lançados; se é feito um elogio, aparecem outros, normalmente defensores do Android, falando que iPhone é celular de bicha e xingando a postura convencida do rival. Já comentei aqui neste post, a briga Apple e Samsung sempre é ferrenha, quando na verdade cada um deveria estar usando o aparelho da marca que bem entender...

De qualquer maneira, minha motivação aqui é para falar a respeito da postura que a Apple tem em seus lançamentos, sempre enaltecidos pelos seus fãs e zoados pelos rivais. E, nesse ponto, eu confesso que até entendo um pouco o lado exposto pelos defensores dos celulares do robôzinho verde...

Nos últimos dias, a Apple fez um de seus lançamentos, tipicamente envolvendo revisões pequenas de seus principais aparelhos, tipo uma nova versão do iPhone e do iPad. Nada de mal nesse ponto, pois esses lançamentos, embora não tragam nada de revolucionário, costumam vir com melhorias mais internas, tipo mais memória ou câmera de melhor qualidade. Até aí, tudo bem... Mas, é comum sempre algo de novo para chamar a atenção, e dessa vez foi o acessório Pencil.


Trata-se de uma canetinha para ser usada com a versão Pro do iPad, lançada neste evento, que é destinada principalmente para o uso profissional de artistas, desenhistas, engenheiros e arquitetos. Com ela, colocar a criatividade na telinha do tablet fica mais fácil, trazendo resultados sem dúvida muito melhores do que usar o dedo. 

Agora, pergunto: o que tem de revolucionário nisso?

Não estou indo para a linha de muitas piadinhas que foram feitas com a nova caneta da Apple. Muitas delas referenciando o próprio Steve Jobs, que no lançamento do seu iPhone desdenhou da stylus, nome dado para as canetinhas usadas pelos palmtops. 


Piadas à parte... Isso apenas mostra como Steve Jobs também falava merda. Tudo bem que para um telefone a idéia de uma caneta é meio ilógica... Mas a Apple Pencil lançada hoje nada mais é que uma revisão da stylus dos palmtops de alguns anos atrás. Se não fossem essas canetinhas antigas, será que a Apple teria essa idéia? 

Os babaquinhas fan-boys da maçã precisam ter um pouco mais de humildade quando o assunto é o lançamento de algum produto tecnológico. Alguns anos atrás, muitos deles seguiram o discurso de Jobs de achar ridículo telefones com telas tão grandes, dizendo que a Samsung estava desesperada ao inventar aparelhos maiores, todo mundo dizendo que o tamanho ideal era aquele apresentado pelos primeiros iPhones... para alguns anos depois, os mesmos fan-boys ficarem orgásmicos ao ver os iPhones maiores, dizendo que era uma idéia revolucionária fazer celulares maiores, para uma melhor experiência multimídia e o caralho a quatro... 

E é a mesma coisa com o iPad Pro e sua Pencil... Pois parece que os mordedores de maçã se esquecem que há mais de um ano alguém já teve idéia igual...


A Samsung já havia há algum tempo lançado tablets com a mesma proposta, voltados para o usuário mais profissional. Criaram a série do Galaxy Note Pro (olha só, a Apple copiou até o "Pro"...) que já vinha com uma canetinha stylus para ajudar em tarefas de maior precisão. 

Me expliquem então como que a Apple Pencil é tão revolucionária assim? 

Sei que vão aparecer aqui vários defensores da empresa de Jobs, dando mil e uma razões para dizer que a canetinha da Apple é melhor que a da Samsung. Não estou criticando a qualidade do apetrecho, ainda mais considerando que ela custa 100 dólares, então por esse preço ela tem que ser capaz de muita coisa... Mas a questão aqui é a tal originalidade e revolução da Apple que é tão falada, que não vejo nesse lançamento. 

Afinal de contas, como no caso das telas de celular maiores... a Apple copiou uma idéia da Samsung. 

Cadê todo aquele papo de direitos autoriais e proteção de tecnologia, defendido tão bravamente pelos fãs da Apple? Já escutei gente dizendo que a concorrência devia ser proibida de usar o gesto de pinça para zoom, pois ele seria de propriedade da maçã, cheguei a escutar o ridículo de gente dizer que usar a letra "i" na frente de qualquer coisa era plágio da Apple. Agora, quando vemos a queridinha da Apple se aproveitando da idéia dos outros... ela é tida como revolucionária...

Pior de tudo é como, infelizmente, essa turma que defende tanto a Apple acaba se deixando controlar pela empresa... Vai cada um gastar cem pratas para comprar uma caneta que funciona só com o modelo de última geração do iPad... E quem tem um tablet Samsung ou de outra marca pode usar uma stylus que vai custar pelo menos cinco vezes menos e que faz a mesma coisa...

2 comentários:

Almir Hiriu disse...

Texugo, seu blog e muito bom. Gosto principalmente dos posts ácidos com o tema política e sociedade. Me admira que continue postanto a tanto tempo sem desanimar. Parabéns

Texugo disse...

Obrigado pela visita, Almir. Realmente já tem tempo, e tive inclusive um período que fiquei sem escrever por agora, pois estava passando por algumas coisas. Não desanimar é difícil, mas é muito legal ver que tem gente vindo aqui e gostando das postagens, obrigado mais uma vez.