sábado, 30 de agosto de 2014

E mais uma do preconceito

Finalmente estou conseguindo voltar aqui a uma certa frequência de postagens, a tempo de comentar alguns assuntos relativamente recentes. E o assunto dessa semana veio de um jogo de futebol na rodada dessa semana. E não, dessa vez não vou fazer mais uma postagem zoando o Flamerda, que tomou de três do Coritiba...

A história dessa vez veio do jogo entre Santos e Grêmio, disputado lá em Porto Alegre. O time paulista estava ganhando de dois a zero, e perto do final do jogo tivemos um acontecimento que está na boca do povo nas ruas e redes sociais: provavelmente irritada com uma possível cêra que o goleiro Aranha do Santos estava fazendo (afinal estar ganhando do Grêmio por dois gols lá em Porto Alegre é um feito relativamente difícil), a torcida começou a gritar insultos contra ele. Insultos de cunho racista, coisas como "macaco" e "preto fedido", o que fez inclusive o goleiro reclamar com a arbitragem. Até aí, confesso que nada de muito novo, pois apesar de todos os esforços da FIFA em incentivar a luta contra o racismo, numa hora dessas a torcida acaba perdendo a linha, ainda mais quando vê seu time jogando. 

O que aconteceu de diferente é que dessa vez uma câmera de TV flagrou bem na hora em que uma torcedora gritava "macaco". 


Veja o vídeo da ESPN.


Comentários à parte, mas a loira do lado dela, que fica quietinha, até que é simpática, não acha? Considerando como os operadores de câmeras de estádio têm um faro pra achar gatinhas no meio da torcida, meu voto é que ele estava querendo focar nessa loirinha e de quebra flagrou a outra xingando o goleiro. Seguindo...

Bom, não precisa dizer o que aconteceu depois... Iniciou-se uma verdadeira caçada contra essa torcedora, que logo foi identificada. Ela encerrou sua conta de Facebook e demais redes sociais, que a essa altura já deveriam estar cheias de juras de morte, e acabou sendo demitida de seu emprego em uma clínica. 

Vou aqui fazer meu comentário a respeito deste assunto, mas já estou vendo que vou me aborrecer, pois eu não sigo a linha que a imensa maioria das pessoas está defendendo diante desse episódio... Mas já para adiantar e antes que venham a me acusar de qualquer coisa, eu não estou concordando com a atitude dela, e tampouco defendo atitudes preconceituosas. É só dar uma pesquisada aqui no blog por outras postagens a respeito, para ver bem a minha opinião a respeito de racismo e preconceito...

Mas, na minha visão, eu acho que as pessoas estão exagerando muito.

De novo, não estou dizendo que a mulher está certa! Mas vamos combinar que no final das contas ela está sendo pega pra Cristo, por ter tido a coincidência de uma câmera estar apontando pra ela. Só que ela sem dúvida não foi a única, pro Aranha estar lá do gramado e escutar os xingamentos, é porque certamente havia mais gente gritando em coro. Aliás, se você der uma olhada novamente no vídeo, vai ver que tem um grupinho lá que também o chama de macaco, inclusive fazendo sons simianos...


Simiano... Voltei agora pras minhas manhãs de sábado quando assistia Thundercats...

Mas, enfim, retomando o raciocínio, tinha muita gente ali mandando xingamentos racistas contra o goleiro santista, e que também foram registrados em câmera. Inclusive o mais curioso é ver que nesse grupo ali haviam dois negros também, interessante isso... 


Seria lega escutar aqui aqueles defensores fervorosos da "igualdade racial" que apoiam políticas de cotas nas universidades e que o negro tem direito de se revoltar contra o branco, para ver o que eles diriam de dois negros chamando um semelhante de macaco... 

Mas meu ponto vai mais longe: tem imagens gravadas desses torcedores, com um pouco de boa vontade todos eles (inclusive os negros) podem ser identificados e acusados de crime racial. Mas por que só a garota é quem vai pagar o pato?


Na boa, sem defender a atitude dela, que foi errada. Mas esse close que ela levou simplesmente acabou com a vida dela. Deve ter perdido vários amigos, familiares certamente devem ter se afastado dela também, perdeu o emprego e provavelmente não vai conseguir nada tão cedo, e provavelmente deve estar trancada em sua casa, pois se sair na rua será certamente agredida verbalmente, e quem sabe até fisicamente. Ela vai ficar marcada para sempre como "a torcedora do Grêmio racista". 

Mais uma vez, não estou defendendo ela... Ela agiu errado, não tem nada que chamar o cara de macaco. É uma consequência deste mundo de câmeras que vivemos hoje, em todo o lugar tem uma câmera de segurança ou celular nos registrando e o que estamos fazendo, então era pra ela ter um pouco mais de bom senso, sabendo que alguém poderia ver e dedurar. Mas eu acho de certa forma injusto que ela seja a única responsabilizada por isso, quando se tem outros culpados. Se vai pegar um, tem que pegar todos.

E não é só isso. Acontece também que na minha visão a sociedade está reagindo de forma muito explosiva e exagerada com esse episódio. Por exemplo, na minha concepção crime muito pior foi aquele torcedor do Palmeiras que foi espancado por torcedores corintianos com pedaços de pau, morrendo após ficar internado. Inclusive com um dos principais suspeitos sendo um vereador do PT (não sei porque não me surpreende...) que já havia sido flagrado em uma outra briga de torcida, agredindo um policial. E que provavelmente deve estar solto aí, com habeas-corpus e o caralho.


Eu não sei você... Mas eu acho muito mais grave um servidor público, que é pago pelos impostos da população, ter participado do assassinato do torcedor de um time rival do que uma garota chamar um jogador de macaco... Na minha concepção, nunca um xingamento verbal, por pior que seja, deve ser considerado mais criminoso do que tirar uma vida de uma pessoa.

Também precisamos ter um pouco de bom senso aqui. Mais uma vez, eu não estou defendendo o que fizeram, mas sabemos muito bem que, principalmente aqui no Brasil, as torcidas sempre partem para as agressões verbais contra os adversários. Demos um ótimo "exemplo" disso durante a Copa, na partida do Brasil contra o Chile, como eu comentei aqui, quando a torcida canarinho vaiou com todo o fôlego de seus pulmões a torcida chilena que cantava o seu hino à capela, porque só a torcidinha do Brasilzinho é que pode cantar o seu hininho depois que a bandinha pára de tocar. Acharam isso lindo, teve gente dizendo que era a torcida apoiando e jogando junto com a seleção... Palhaçada! Essa falta de educação foi inclusive um dos motivos pelos quais eu adorei ver a seleção tomar aquela surra da Alemanha, que ainda deve estar doendo no esfíncter desses arrogantes que achavam que a Copa estava ganha. 

Mas não só nessa ocasião, sabemos bem disso... Pode apostar que não tem uma rodada sequer onde você não vai escutar um coro de "fulano... viado..." ou em que a torcida chame o juiz ou o bandeirinha de filho da puta. Quanto a isso, tudo bem, não tem problema em questionar a sexualidade do atacante do time rival que perdeu um gol, não há menor problema em gritarem gentilezas para as mães do trio de arbitragem depois de um lance polêmico... O que não pode é racismo.

Eu nem vou me estender muito quanto à minha interpretação de racismo, de que já falei exaustivamente por essas bandas. Mas esse se trata de mais um exemplo de como a nossa sociedade interpreta o preconceito de uma forma errada, com uma repreensão pesada contra aqueles que cometem um crime de racismo contra negros. Claro, só quando é contra negros. Chame um negro de "macaco" e você vai preso, é crime inafiançável, você vai se tornar um pária para o resto da vida; chame um oriental de "amarelo", chame um branco de "leite azedo", chame um árabe de "terrorista", chame um colombiano ou boliviano de "cheirador", chame um italiano de "mafioso", chame um morador da Zona Sul de "burguês"... Tudo isso pode, isso não é preconceito.

Essa é a verdade, os negros se apropriaram da palavra "racismo", de uma forma que ela só se aplica quando eles são as vítimas de preconceitos. É na minha opinião simplesmente absurdo uma pessoa se dizer contra a discriminação racial, mas ela discriminar racialmente aqueles que devem ser amparados e protegidos. É como a feminista que dizer defender a igualdade entre os sexos mas que faz tudo em prol só das mulheres mesmo quando estas levam vantagem sobre os homens, é como o idoso que chama pelo Estatuto do Idoso para exigir respeito mas que não sabe respeitar os outros... E o pior é que aqui tem muita gente que pensa assim.

Bom, vamos ver que bicho vai dar... Só sei de um coisa: imagino que nessa hora o Luciano Huck deve estar pensando em como aproveitar mais esse escândalo de racismo no futebol pra ver se desencalha aquela camisa dele de "somos todos macacos" que custa uma fortuna.


Nenhum comentário: