sábado, 5 de julho de 2014

Apostas pra Copa do Brasil - Parte 4

Tá acabando... Estamos na reta final da Copa do Mundo, e com o término das quartas-de-final, já sabemos quais são as quatro melhores seleções da atualidade. Agora o pau vai comer, pela luta pelo caneco. Como fiz aqui nesse post, dei os meus chutes para os jogos, vamos ver como fui nos meus palpites.

O Brasil pegou a surpreendente Colômbia, e embora tenha apresentado um futebol um pouco melhor, ainda assim mostrou que não está tão preparado assim para ganhar o título, mas hoje fez o suficiente para passar pelos colombianos. É evidente a falta de preparo emocional desse time, que se perde com tanta facilidade, sem organização em campo. A sorte é que do outro lado, só tinha mesmo o craque James Rodrigues, que não tem como levar o time inteiro nas costas. 

Mas, verdade seja dita: o grande jogador do Brasil nesse jogo foi ele:


Na boa, o juiz contribuiu e muito para o resultado da partida. Pra começar, a falta que originou o segundo gol só existiu na cabeça dele, o Hulk se jogou que nem uma moça. E no pênalti cometido pelo Julio César, ele era o último homem e impediu uma chance evidente de gol, logo segundo a regra deveria ter sido expulso. 

Mas cabe também falar a respeito da triste notícia para a seleção brasileira, pois em um lance criminoso, um jogador da Colômbia atingiu Neymar nas costas com muita força, a ponto de causar uma fratura em uma vértebra, o que o tira completamente da Copa do Mundo. 


Eu sei que falo muito contra a seleção aqui no site, eu admito. Eu digo isso por alguns motivos, primeiramente pelo fato de que muitas pessoas na seleção têm uma postura arrogante, como o Felipão, que dizia lá no início do ano que essa Copa já tava no papo, coisas assim. Como disse acima, o Brasil é uma seleção que ainda não convenceu, como a Alemanha ou Holanda, mas cria-se essa imagem de que é o melhor time do mundo quando ainda tem que remar muito. Outra razão é pelo fato de eu condenar muito esse falso patriotismo que é exaltado pelos meios de comunicação na época de uma competição dessas, me deixa extremamente decepcionado ver que o brasileiro só se lembra de cantar o hino com orgulho e amar seu país antes de uma partida da seleção. Pergunta praqueles ali na arquibancada, de caras pintadas e olhos lacrimejados ao cantar aos plenos pulmões "Pátria amada, Brasil" se eles sabem quando o país foi descoberto ou quem foi o Marechal Deodoro. E nessa Copa em particular, aqui no Brasil, eu torço muito para que a seleção não vença para impedir que a presidanta use isso a seu favor, com esse papinho escroto de "Copa das Copas", dizendo que foi ela que tornou essa competição realidade. Soma-se a isso o fato de que infelizmente o povo brasileiro é facilmente alienado, e ganhando uma Copa toda aquela história de "o gigante acordou" vai pro brejo, povo feliz se esquece dos problemas que temos na saúde, educação e no resto, e povo alienado chega depois nas urnas e se esquece das mazelas que os nossos políticos provocam.

Apesar desse longo parágrafo que explica o porquê de eu estar de certa forma torcendo contra um sucesso da seleção, eu digo que até simpatizo com o Neymar. Você pega uma seleção onde temos um merdel como o Fred, que só sabe jogar deitado e o máximo que fez foi cavar aquele pênalti contra a Croácia, um despreparado como o Thiago Silva que não tem colhões pra ser capitão da seleção, sendo o primeiro a peidar na farofa quando a coisa tá preta, um Daniel Alves que não joga pôrra nenhuma e fica ainda se achando o foda, passando mais tempo num salão de beleza pintando aquele cabelo de paraíba dele, dentre esse grupo eu vejo o Neymar como alguém que merece respeito. Não tem a arrogância e a prepotência que subiu na cabeça de outros jogadores de destaque que passaram pela seleção, tem um jeito muito mais humilde, querendo jogar bola e fazer bonito. Dá pra ver que é um moleque que se diverte jogando futebol, que está fazendo aquilo que gosta, e que apesar de estampar muitas propagandas, inventar penteados e ficar tirando selfies toda hora, percebe-se que ele faz isso pelo prazer de jogar. E jogar bem, não como certos manés que só sabem jogar deitado.


Por isso é uma pena que ele não possa mais competir na Copa. Faz parte, futebol é um jogo de contato, e lesões assim podem acontecer: ele poderia ter levado uma falta menos violenta mas suficiente para que ele ficasse com um tornozelo torcido, ou poderia dar um pique e ter uma lesão muscular, ficando de fora da Copa do mesmo jeito. Como inclusive aconteceu com outros craques de outras seleções. É a vida que segue... Fica aí o desejo por uma boa recuperação do craque do Barcelona e da seleção, e a certeza de que daqui a quatro anos, na Rússia, que ele vai ter a chance de mostrar mais de seu futebol.

Mas enfim, vamos voltar para a análise dos jogos... 

Na grande partida entre Alemanha e França, quatro títulos mundiais em campo, com uma das favoritas de um lado e uma renovada seleção do outro, era esperada uma disputa acirrada. Apesar do começo interessante, a partida foi relativamente morna, acho que os dois times europeus estavam tentando guardar forças para uma partida na hora do almoço no calor do Rio, ou esticaram muito a noitada carioca e acordaram meio grogues e sem disposição. Os alemães saíram na frente, e depois então ficou aquele joguinho estratégico, com os chucrutes jogando de forma organizada e disciplinada, sem dar chances para os franceses, que também não pareciam ter forças para correr atrás, jogando de forma apática. Ficou no um a zero mesmo, mas graças a uma grande defesa no último lance do goleiro Neuer da Alemanha, o goleirão que está se destacando na competição.

E lógico que não demoraram para aparecer as piadinhas inspiradas na Segunda Guerra Mundial, sobre os alemães acabando com a raça dos franceses. Não adianta, a França sempre vai ter esse estigma de sempre perder nas guerras de forma boçal, mesmo quando elas são travadas dentro das quatro linhas.


Outra partida que foi relativamente morna foi entre Argentina e Bélgica. Antes do início da Copa se falava muito dos belgas, diziam que era uma seleção que poderia surpreender, considerando a campanha invicta nas eliminatórias, ficando atrás somente da Alemanha e Holanda, que tinha um futebol bonito, de encher os olhos e tudo mais. Mas eu pessoalmente não vi isso em nenhum dos jogos da Copa, vi um time que veio mostrado um joguinho burocrático e sem empolgação, conseguindo ter chegado até aqui na minha visão com muita sorte.

E do outro lado estava a Argentina, tendo um massivo apoio da torcida: diria que em questão de número ficam atrás só do Brasil. E os hermanos mais uma vez mostraram um futebol muito ofensivo, conseguindo um gol logo no início e mesmo assim martelando a Bélgica, que ficava ali só se defendendo. E a Argentina segue adiante, e com boas chances de ir bem longe. Quanto aos belgas, restou só levar as cabeleiras de volta pra casa.


Por fim, aquele jogo que parecia ser o mais fácil de todos, onde a forte Holanda viria a pegar a zebra Costa Rica. Aposto que todo mundo imaginava que a Laranja Mecânica iria finalmente acabar com essa esbórnia e dar um chocolate em cima dos costarriquenhos, jogando inclusive no mesmo estádio onde na estréia haviam dado uma porrada na Espanha. Mas a Costa Rica, fazendo um jogo extremamente defensivo, ficou se segurando e manteve o zero a zero no tempo normal e na prorrogação, tendo contado inclusive com a sorte de três bolas holandesas que pegaram na trave e o azar de ter um pênalti a seu favor não marcado pela arbitragem.

Aí nos últimos segundos da prorrogação, quando já era certa a decisão por pênaltis e muitos já vinham falando que o goleiro Navas da Costa Rica iria ser o destaque, me vem o técnico holandês e troca de goleiro. Onde já se viu, trocar de goleiro no último lance?


E não é que o filho da puta do goleiro Krul, do alto de seus um metro e noventa e caralhada resolveu a parada? O cara pegou dois pênaltis e garantiu a Holanda como uma das quatro melhores seleções do mundo. Uma pena, mas acho que a Costa Rica já fez demais nessa Copa, o time está de parabéns, e sempre será lembrado por ter ficado em primeiro no Grupo da Morte e ter chegado tão longe.

Claro que será lembrada também por ter fudido o bolão de muita gente!

E com isso, nós temos agora as quatro melhores seleções da Copa definidas, só jogão! Acertei todos os meus palpites, mas também a essa altura do campeonato já tá ficando relativamente mais fácil. Restam apenas mais duas rodadas, e na próxima semana vamos saber quem é que vai disputar a final, e quem vai disputar aquela disputa de terceiro lugar que ninguém se interessa em ver...

Vamos então para os meus palpites.


Esse aqui é um grande jogo. Os mais supersticiosos vão se lembrar de 2002, quando o Brasil venceu a Alemanha e conseguiu depois o título, e muita gente acredita que isso será suficiente. Mas a verdade é que até agora o Brasil passou por seleções relativamente mais fáceis, tendo a maior dificuldade quando pegou o Chile somente porque os chilenos marcam muito bem. Dessa vez a seleção vai pegar um time extremamente bem organizado, que tem jogadores experientes e muita frieza. Soma-se a isso o fato de Neymar não jogar, o que torna tudo mais difícil. Lamento informar, mas aqui a minha aposta é na Alemanha.


Aqui teremos um jogo muito bom. A Holanda é o time-sensação dessa Copa, vem com muita força, mas confesso que acho que os caras devem estar meio cansados depois de uma disputada prorrogação. Tem muito poder de fogo, mas a Argentina tem a velha garra portenha, tenho até a impressão que nessa partida o Messi pode desencantar. É o palpite mais difícil, mas acho que vai dar Argentina.

Vamos ver como fica... O pior de tudo é que a Copa está acabando, e logo vai voltar aquela merda de campeonato brasileiro...

Nenhum comentário: