quinta-feira, 1 de maio de 2014

Oportunismo Politicamente Correto

Todo ano, a revista People (uma espécie de Caras lá dos Estados Unidos) costuma lançar uma edição onde apresenta a lista com as personalidades mais bonitas do ano. Mais uma daquelas babaquices sem noção que não serve de pôrra nenhuma, apenas mais uma dessas superficialidades destinadas a perpetuar o estereótipo de beleza que deve ser seguido e apreciado incondicionalmente pela sociedade. Tudo bem que fazer listas é algo que pode ser até divertido, mas ficar lendo uma revista que lista as 100 celebridades tidas como mais bonitas não é algo que me agrada muito. 

Mas por que então eu decidi falar a respeito disso? Bom, na verdade não vim falar particularmente dessa revista, mas da postura assumida que ela adotou, ao escolher a vencedora do ano de 2014. Mesmo considerando que ainda temos mais de um semestre pela frente...


Sim, a eleita mais bonita nesse ano foi a atriz Lupita Nyong'o. Aquela que ganhou o Oscar de melhor atriz coadjuvante esse ano por conta daquele filme dos escravos.

Cara... Eu tenho a certeza absoluta que vou ser hostilizado, xingado e criticado por essa postagem. Mas eu tenho que falar o que penso a respeito dessa escolha, que ao meu ver foi simplesmente horrível...

Pronto, podem mandar as críticas. Vão aparecer as pessoas dizendo que eu estou falando bobagem, que não sei o que estou dizendo, que ela é a mulher mais bonita do ano sim, que eu tenho que pegar um cabo de vassoura e me espancar até ficar que nem o Rocky Balboa. E claro que vai aparecer gente dizendo que eu estou sendo racista, me acusando de não concordar com a escolha somente pelo fato dela ser negra.

Deixa eu falar um pouco sobre o que penso a respeito disso. A começar por destacar mais uma vez a futilidade e falta de importância de uma maldita lista dessas. Ainda mais quando é uma lista baseada em uma coisa tão subjetiva e particular como a beleza. Quer fazer a lista dos dez países onde mais se paga impostos, ou dos cinco times com maior número de títulos internacionais, ou mesmo a lista dos dez filmes onde o Samuel L. Jackson mais fala a palavra "fuck", tudo bem, essas são listas que são objetivas, onde não tem erro, e que até têm a sua utilidade pública.


"Who the fuck is the fucking fuck that is fucking my fucking brain?!"

Mas uma lista dos mais bonitos... É como fazer uma lista dos melhores filmes, das melhores músicas... É algo muito subjetivo, cada um tem a sua preferência, da mesma forma que para uns "E O Vento Levou" é uma obra prima e para outros filmaço é "American Pie", quando se trata de julgar a beleza, é uma coisa que depende muito de cada um, das preferências que cada pessoa possui. Como diz o velho ditado, a beleza está nos olhos de quem vê.

Eu particularmente não acho a tal Lupita uma mulher bonita a ponto de figurar entre as 50 celebridades mais bonitas. Com todo respeito, podem me xingar ou o que for, ela parece mais o Robinho. Na boa, existem muitas anônimas que eu acho mais atraentes do que atriz de descendência africana que está dando o que falar. Acho ela magra demais, tem um rosto que na minha opinião não me agrada muito, o cabelo curtinho demais é algo que eu considero broxante em uma mulher. E eu sei que serei crucificado pelo que vou dizer, mas eu admito que não sinto muita apatia por mulheres negras...


Antes que apareçam aqui pessoas raivosas pedindo a minha cabeça e querendo que eu seja preso, não, eu não estou dizendo isso por racismo! Acho que não tem nada demais, é somente uma questão subjetiva de beleza feminina. Por que não há problema se um cara fala que prefere morenas do que loiras ou se diz que gosta mais de mulheres de olhos claros do que olhos castanhos, mas se ele diz que prefere brancas do que negras ele é chamado de racista? Não pode. Eu sou obrigado a gostar de negras? Pra você ver que um sujeito dizer que prefere orientais, ou mesmo quando ele parte para a ignorância ao dizer que só gosta de mulheres peitudas, é algo que passa sem muita reclamação... Mas dizer que não gosta muita de uma mulher negra, é preconceito...

E o mais engraçado é que os negros acabam se preferindo entre si mesmos, homens negros preferindo ficar com mulheres negras e vice-versa... Mas aí não é preconceito...

Digo mais ainda: eu não disse em nenhum momento que a mulher negra é inferior à mulher branca. Disse apenas que eu particularmente não costumo me sentir muito atraído pela mulher de pele negra. Existem até mesmo mulheres negras que eu considero bonitas e atraentes: Beyonce e Halle Berry são exemplos de beldades que acho muito lindas, logo não me considero racista. É apenas uma preferência inocente, sem nenhum cunho preconceituoso...

Mas eu fico me perguntando o que levou a essa escolha da tal Lupita como mulher mais bonita do ano. Pombas, com todo o respeito, mas existem dezenas de celebridades muito mais atraentes do que ela. Daria pra escalar aqui uma equipe de beldades, só levando em consideração atrizes badaladas de Hollywood, como Angelina Jolie, Sandra Bullock, Anne Hathaway, Natalie Portman, Catherine Zeta Jones, Jennifer Aniston, Sienna Miller, Mila Kunis, Scarlett Johansson, tantas que são de longe muito, mas muito mais bonitas do que a Lupita Nyong'o.


Sério, só do pescoço pra cima a Scarlett Johansson tem muuuuuito mais beleza do que uma dúzia de Lupitas...

Então fico me perguntando por que a revista não elegeu uma outra mulher como mais bonita. Por que tinha que ser a Lupita?

Sabe por quê? Por causa disso:


Ela foi sem sombra de dúvida quem roubou a cena na grande festa do cinema, ao faturar o Oscar de melhor atriz coadjuvante. Desbancou competidoras na mesma categoria como a famosa Julia "Pretty Woman" Roberts e a mais nova queridinha da América Jennifer Lawrence. No dia seguinte, muitas das machetes destacavam o feito de uma atriz negra e desconhecida, que havia participado de um filme que falava da escravidão, segurando a estatueta mais cobiçada por várias atrizes. De uma hora pra outra ela se tornou uma grande celebridade.

E certamente foi esse um dos principais motivos que levaram a revista a escolhê-la como a mais bonita de 2014. Afinal de contas, nada como se aproveitar da fama repentina dela para vender mais revista, não acha? Duvido que, se ela não tivesse ganho o Oscar, que ela iria ser eleita a mais bonita. É um oportunismo malandro, tirando vantagem de que ela está na boca de povo, que todos estão ainda falando dela, para usar a sua imagem para chamar a atenção e vender mais exemplares de revista. É como se na prática um dos fatores que define a beleza é o nível de fama na atualidade...

Claro que tem outra razão que colaborou com essa escolha, indiscutível também. E por mais que me xinguem, acredito que não dá para discutir que o fato dela ser negra ajudou também. Inclusive deve ter ajudado ela a ganhar o Oscar.

Podem me xingar mesmo! Mas é a verdade. Eu não vi a atuação dela no filme, mas concordo com o comentário da apresentadora do Oscar, a comediante Ellen DeGeneres, que logo na abertura da cerimônia disse que haviam duas opções: ou o filme "12 Anos de Escravidão" ganhava, ou todos da Academia eram racistas. E deu no que deu...


É a onda do politicamente correto que temos hoje em dia, esse monte de dedos em não dar a impressão de que se tem uma postura preconceituosa contra aqueles da raça negra. Muitas pessoas têm hoje esse medo, essa insegurança em ficar "mal na fita" ao parecer estar sendo racista. Parte disso sem dúvida graças à postura revanchista e igualmente preconceituosa de muitos negros, que acham que sempre quando estão em desvantagem ou se sentem prejudicados, é porque estão sendo vítimas de racismo. Como o caso das cotas nas universidades aqui. Por isso, as pessoas que querem bancar as corretas acabam tendo uma tendência a serem favoráveis aos negros. O comentário da Ellen DeGeneres reflete bem isso: chega lá e alguém faz um filme sobre a escravidão, e esse filme vai concorrer ao Oscar. Se ele perde, certamente iriam aparecer muita gente dizendo que o filme não ganhou por conta de preconceito, por que as pessoas que votaram não gostam dos negros. Ou seja, importa menos a qualidade do filme, vale mais não dar a impressão de estar se cometendo uma injustiça racial.

Torno a dizer que eu não vi o filme "12 Anos de Escravidão". Posso até estar perdendo realmente um grande filme, talvez ele tenha sido realmente, dentre os nominados, aquele que se destaca mais. Mas nada me convence de que parte dos votantes escolheu tal película pelo medo de ser interpretado como racista. Ou mesmo pensando somente na repercussão positiva, ao ver um filme que fala de uma minoria sofrida e injustiçada ganhar.

Claro... Acha que não tem um apelo "legal" fazer uma dessas? Quer algo mais poético, mais tocante e emocionante, do que ver um filme que fala de negros ganhar o Oscar? É a mesma repercussão positiva como quando Obama se tornou o primeiro presidente negro, ou quando a gerentona aqui se tornou a primeira presidente mulher. Romper essas barreiras do preconceito sempre é uma coisa que fica bem aos olhos do povo. E é pela mesma razão que a revista People quis chamar a atenção, quis posar de consciente social e de boa índole, ao romper os padrões comuns e escolher uma negra como a mais bonita de 2014.

Lógico que nessa altura já devem ter várias pessoas pedindo a minha cabeça. Mas eu acredito que não estou falando nada demais, e estou falando de um fato que, gostem ou não ocorre. Nada contra uma mulher negra ser eleita a mais bela do ano, nenhum problema. Mas acho que no fundo a escolha por Lupita Nyong'o não passa de um oportunismo barato e apoiado em uma vontade de posar de politicamente correto, ao escolher a atriz negra que ganhou o Oscar. Se ela fosse uma atriz negra somente que não tivesse ganho nada, ou se ela fosse uma atriz vencedora do Oscar mas dotada de uma aparência ariana, dificilmente estamparia a capa da contra-parte da Caras dos EUA...

Nenhum comentário: