sábado, 19 de abril de 2014

Ninguém merece ser estuprada

Nos últimos dias tivemos uma grande polêmica que foi a divulgação de uma pesquisa do IPEA, falando a respeito de estupros, onde mais da metade da população, segundo o levantamento feito pela pesquisa, dizia que mulheres que mostram demais o corpo mereciam ser atacadas por tarados e estupradores. Houve até uma certa revisão do resultado da pesquisa, onde depois veio-se dizer que os números foram trocados, surgiram críticas sobre uma aplicação errada do método estatístico, ou mesmo quem sabe uma ordem da "gerentona" para tentar maquiar um pouco essa poça de lama que chamamos de Brasil. 

Mas o estrago já estava feito, e não demorou para que começassem a surgir protestos e manifestações contra os resultados da pesquisa, juntamente com a postura extremamente machista da sociedade onde esse problema de agressão sexual e violência em geral contra as mulheres é uma realidade incontestável. Várias mulheres começaram a aparecer nas redes sociais, segurando um papel com a frase "eu não mereço ser estuprada", e a polêmica discussão está longe de acabar...


E como eu gosto de uma polêmica, ainda mais quando minha opinião é bem fria e que não segue a maioria da sociedade, vim aqui falar um pouco do assunto.

Eu acho que realmente mulher nenhuma merece ser estuprada ou agredida. É uma grande covardia, algo que realmente as machuca não só fisicamente mas psicologicamente também. Eu conheço mulheres que já foram vítimas de violência doméstica, cujos maridos batiam nelas por motivos sem noção, e sei como que elas sofriam, muitas vezes aceitando tal tratamento rude por não quererem que os filhos vissem seus pais separados, ou por medo de represálias por parte dos maridos, ou até mesmo chegando ao ponto de admitirem que elas estavam erradas. Uma delas, que sofria tais abusos com certa frequência, eu acabei me envolvendo (talvez mais do que eu deveria), denunciando o canalha que a espancava. Hoje estão separados, e acredito que ela está agora um pouco melhor, mas ainda sofrendo com as sequelas de tal relacionamento doentio.

E felizmente eu não tenho nenhuma conhecida que foi vítima de estupro. Conheço sim garotas que acabaram transando com um filho da puta interesseiro que se dizia interessado por elas, mas algo consentido pelas mesmas, cegas de paixão e amor por canalhas que não as mereciam, e que depois de conseguir levá-las para a cama deram um pé na bunda delas. Canalhas que eu pessoalmente tenho vontade de encher de porrada. Imagina então como seria a minha reação diante de um estuprador? No mínimo merecem um Split Punch do Johnny Cage no meio do saco.


Na boa, um estuprador pra mim é uma das piores raças que se pode ver, um sujeito que abusa sexualmente de uma mulher sem o consentimento da mesma, muitas vezes a machucando e a agredindo, um cara desses pra mim merecia fritar numa cadeira elétrica no mínimo. Tinha que pegar caras que estupram mulheres e pendurá-los pelos bagos em um daqueles ganchos de açougue, mereciam que pegassem um extintor de incêndio ou um ferro em brasa e enfiassem no rabo deles até sair pela boca. Deviam pegar esse tipo de gente e colocar numa jaula em praça pública, para que o povo pudesse tacar tudo em cima deles, como na Idade Média, só que em vez de jogar tomates e ovos podres, tinham que dar pro povo pilhas usadas (não as pequenininhas, aquelas pilhas tamanho D), pedras portuguesas, tijolos e todo tipo de objeto que causasse o maior estrago possível. E se aparecesse algum calhorda dos Direitos Humanos, iria apanhar também.

Aliás, falando de Direitos Humanos, pensei agora no seguinte: o que será que a digníssima Maria do Rosário, que até agora trabalhava naquele ministério de defesa dos direitos dos bandidos, diria se uma mulher fosse estuprada por um "di menor"? Como naquele caso sórdido do Champinha. De que lado ela ficaria?


Falando nisso, talvez nessa hora podem aparecer pessoas aqui que vão me chamar de hipócrita, alegando ser difícil entender como que eu estou aqui levantando uma bandeira de respeito pelas mulheres quando aqui no blog volta e meia eu coloco posts focados em mulheres, muitas vezes com fotos delas aqui de topless, comuns depois de instituída aqui a política de "peito aberto". Para vocês, minha primeira resposta é essa:


Eu admito que admiro a beleza feminina, e em vários posts aqui eu demonstro isso. Exatamente como muitas mulheres têm aí seus blogs onde colocam fotos de galãs de novela e cinema, como o Brad Pitt, Cauã Reymond e Robert Pattinson (o vampicha), algumas vezes fotos deles de sunga e sem camisa. E algumas indo mais além, tipo quando eu coloco mulher aqui de peitos de fora. Não é crime admirar a beleza do sexo oposto, mesmo quando partimos para uma conotação mais sexual, como quando o cara folheia uma Playboy ou a garota pausa a cena do filme em que o galã está de bunda de fora. Nada de errado, pois o ator que está com sua poupança na telinha ou a modelo que está posando como veio ao mundo para as lentes de uma câmera fazem isso de forma consciente das consequências, ciente de que está fazendo aquilo ali porque quer. Diferente de uma mulher que é estuprada, que tem sua liberdade e seu direito desrespeitados, sendo forçada a fazer algo que não quer, sendo abusada de uma forma covarde...

Voltando, o estupro é realmente algo abominável, principalmente pelo fato de que muitas vezes vem acompanhado de outros tipos de agressão. Afinal de contas, mulher nenhuma quer ser estuprada, e dessa forma para que o filho da mãe consiga estuprá-la, acaba batendo na mulher, ou mesmo a amarrando e amordaçando para que ela não fuja. Há vários casos de bandidos que sequestram a mulher para assim estuprá-la, ou mesmo casos onde o marginal tem originalmente a intenção de cometer outro crime, mas aí se a menina for bonita, aproveita para "brincar um pouco". E infelizmente, muitos casos de estupro acabam em morte. 

Por isso eu acho que a pena tinha que ser mais dura para quem comete esse crime. Pena de morte pra cima, para cretinos que destroem a vida de mulheres dessa forma covarde. Tipo aquele filme Código de Conduta.


Mas, agora chega a parte onde eu certamente serei criticado... Mas estou aqui para dar a minha opinião, não é?

Nessa pesquisa que foi feita, a pergunta era bem direta ao questionar se as mulheres tinha algum tipo de culpa por serem estupradas, e muitas pessoas (seja mesmo a maioria ou não, não importa), comentaram que sim, que a mulher tem sim a sua responsabilidade, ao exibir mais o corpo com roupas decotadas ou curtas. Os defensores dessa idéia dizem que ao usar uma roupa mais reveladora, isso é um convite que a mulher está dando para ser atacada por homens.

Claro, eu não sou a favor desse tipo de pensamento. Apesar de que, sob um ponto de vista biológico, seja até explicável que o macho se sinta atraído pela fêmea de boa aparência, pois assim poderá perpetuar seus descendentes, da mesma forma que a fêmea é tipicamente seletiva na hora de escolher seus parceiros, buscando aqueles de melhor saúde e força que resultarão em uma cria mais saudável. É assim que acontece com boa parte dos animais, onde certos conceitos que são muitas vezes condenáveis quando praticados por seres humanos são perfeitamente naturais quando se trata de outros seres de nosso planeta. Como a poligamia de um leão ou galo, que possuem verdadeiros haréns com várias fêmeas, ou a seleção que um pássaro fêmea faz ao escolher o macho de penas mais coloridas e vistosas ou de canto mais forte. 


E o ser humano é, afinal de contas, um animal. Logicamente mais evoluído, mas no fundo ainda trazendo certos traços mais instintivos. Não seria muito surpreendente imaginar que muitos homens querem ficar com várias mulheres pelas mesmas razões que um leão possui várias leoas, não é muito absurdo que a mulher costuma escolher o sujeito mais bonito e bem-sucedido pelos mesmos motivos que uma pavoa escolhe o pavão de penas mais bonitas. Não estou dizendo se é certo ou errado, mas são atitudes que de certa forma podem ser explicadas por possíveis traços instintivos residuais que nós temos. É o que explica a libido, aquela sensação que faz com que os homens fiquem excitados ao ver uma mulher que lhe agrade, fisicamente de uma forma geral, mas algumas vezes por outros motivos.


Antes que venham a me chamar de chauvinista, as mulheres também tem esse lado. Ou vai me dizer que a imensa maioria das mulheres não fica excitada e com as calcinhas molhadas ao ver um Tom Cruise, um Leonardo DiCaprio ou outro espécime detentor da beleza desejada pela mulherada? De novo, todo mundo, seja homem ou mulher, tem esse tipo de desejo...

Mas mesmo essa justificativa estilo National Geographic não dá direito a uma postura por parte de homens que ficam no cio ao ver uma mulher com uma roupa mais reveladora, a ponto de atacá-las e violentá-las, ou mesmo atitudes menos violentas mas não menos desrespeitosas, como mandar gracinhas e comentários provocadores. Afinal de contas, mesmo tendo esses traços mais instintivos, os seres humanos são criaturas mais desenvolvidas que os demais animais, possuindo conceitos de moral, educação e respeito que nos diferenciam das demais criaturas. Pelo menos, a maioria dos seres humanos...


Agora que eu vou gerar polêmica aqui... Mesmo não sendo justificável essas atitudes por parte dos homens, é uma realidade que tudo isso ocorre de maneira bem ampla. Gostem ou não, é fato que as mulheres são vistas na imensa maioria das vezes de forma superficial, e que os homens externam isso de forma física ou verbal. Não é à toa que temos, por exemplo, vagão feminino no trem e no metrô, pois essa é a realidade de nossa sociedade. Principalmente em situações onde a mulher está mostrando um pouco mais do corpo, ou em lugares onde a concentração de gente é acima da média, como num metrô lotado. E nessas situações, é fato que ocorrem esses assédios por parte de homens que não têm um mínimo de decência, respeito e auto-controle.

Mas, na minha opinião... existe sim uma certa parcela de responsabilidade, ou talvez de irresponsabilidade, por parte das mulheres sim.


Pronto, esse é o momento em que eu certamente vou levar uma mega tijolada no meio dos cornos, sendo chamado de porco chauvinista, tarado, sem vergonha e outros adjetivos impublicáveis nesse horário.

Deixa eu explicar o que eu estou querendo dizer com isso. Eu não estou dizendo que a mulher ao se vestir de certa forma está oferecendo um convite para ser atacada por um sujeito no cio, não é isso. Não acho que isso seja uma desculpa para que ela seja atacada ou estuprada, não significa que se a mulher coloca uma saia curta ou anda com um decote generoso os homens podem partir pra cima.

Mas, convenhamos que as mulheres precisam ter um certo bom senso, de que existe hora e lugar para cada coisa, e isso serve também quando se trata de colocar aquela roupa mais reveladora e chamativa. Existem certos momentos onde não é uma boa idéia se vestir de determinadas maneiras, pois o risco pode ser relativamente alto demais de que a mulher seja assediada pelos tarados que sabemos que existem por aí. Novamente, não estou dizendo que eles estão certos na forma de agir, mas independente disso eles estão por aí, e a mulher ao se vestir de determinada maneira pode ficar mais vulnerável a certas provocações, que podem ficar somente no âmbito verbal mas que podem até mesmo ir além.

Alguém pode vir aqui e dizer "ah, mas a mulher tem o direito de vestir o que quiser!". Justo, ela pode vestir o que quiser sim, nada contra! Não estou dizendo que as mulheres precisam se cobrir debaixo de uma burka! Mas ela precisa ter um pouquinho de "semancol" pra saber que certas roupas não são adequadas em determinadas situações, assim como do risco que se corre ao usar certas roupas em algumas situações particulares.

Por exemplo, nenhuma mulher vai numa festa de noite usando jeans, camiseta e havaianas, certo? Tampouco ela iria numa missa usando um shortinho socado na bunda, concorda? E jamais iria ao escritório trabalhar usando um top mega decotado e saia sem calcinha, né? Fazendo isso, ela corre o risco de ser chamada de mal-vestida e sem noção, ela será tida como subversiva e desrespeitosa com a Igreja, ela poderá ter sua atenção chamada pelo chefe ou mesmo demitida. Não é verdade?

Então ela não pode se surpreender ao ter que escutar assovios e gritos de "gostosa" quando passar em frente a uma construção usando uma micro-saia ou um top decotado...


Mais uma vez, não estou dizendo que é certo os caras fazerem isso. Mas a realidade é que eles fazem, gostem ou não. Quer se vestir de forma mais sensual ou ousada, tudo bem, como disse acima é um direito que a mulher tem. Mas ela precisa estar ciente das possíveis consequências, de que por mais machista que possa ser, na prática a sociedade é assim, e ela correrá um sério risco de ser assediada, dependendo de por onde ela passar, da mesma forma que ela tem a preocupação de não usar uma roupa que será apropriada para um determinado lugar ou ocasião onde ela está indo.

Guardadas as devidas proporções, é como se você tivesse um Rolex. Claro que você tem o direito de usá-lo, mas certamente só vai usá-lo em ocasiões e lugares onde seja seguro. Você jamais iria subir uma favela exibindo ele no pulso, pois certamente iria acabar sem relógio. Ou mesmo sem a mão.


Foi mal Luke... Não tinha como não fazer essa piadinha...

Sei que não vai adiantar eu falar nada, tenho certeza que muitas mulheres vão me chamar de canalha por pensar dessa forma. Mas torno a repetir mais uma vez que não penso ser culpa da mulher se ela for assediada por um tarado ao se vestir de determinada maneira. Por outro lado, eu acredito muito mais no princípio da auto-conservação, de que as mulheres precisam estar cientes da realidade de nossa sociedade, por mais que não seja o ideal, e priorizar a sua segurança a bem-estar. Não vale a pena correr certos riscos, somente para exercer o direito de se vestir o que quiser.

Não pensem que eu estou sendo conformista: alguns podem pensar que esse tipo de postura minha é uma das causas para que problemas como o assédio desenfreado continuem. Claro que seria muito melhor que todos buscassem mudar esse tipo de conduta social, seria sim o melhor dos mundos. Mas o fato é que a imensa maioria não pensa dessa forma. Como nação, somos uma sociedade machista sim. Fato. E mesmo que algumas pessoas de bom senso tentem mudar, de nada adianta se a maioria está acostumada, conformada e satisfeita com isso. Fazendo uma outra analogia com outro traço de nossa sociedade, é só ver como o brasileiro típico critica os governantes que roubam, mas ao mesmo tempo esse mesmo brasileiro acha normal passar sinal vermelho, colar na prova, degustar comida antes da balança no restaurante, fazer gato-NET pra ver o campeonato brasileiro e furar a fila na frente dos outros no banco. E aquele que anda na linha é chamado de babaca, de otário, de burro. É a mesma coisa: o povo brasileiro está acostumado com esse tipo de objetificação e assédio contra as mulheres, é a coisa mais natural, quem é contra é minoria, é estranho, não é normal...

Mas o mais curioso disso, que ao meu ver justifica essa minha opinião, é ver como existem certas pessoas, incluindo aí personalidades e figuras da mídia, que erguem ferozmente a bandeira da defesa dos direitos das mulheres, que condenam a postura machista de muitos marmanjos, que dizem que o corpo da mulher não é apenas um objeto... E que aplaudem coisas como Carnaval.


Sério... Ainda mais considerando a putaria que é o Carnaval, é de se surpreender que esses defensores dos direitos das mulheres se calem diante de uma festa totalmente sexualizada onde é natural as mulheres com seus peitos de fora. Quando não estão inteiramente peladas, usando só uma tirinha de tapa-sexo pra cobrir o parque de diversões...

São essas as coisas que eu não entendo, pois acaba sendo uma grande hipocrisia. O pior de tudo é que certamente vão dizer que o hipócrita sou eu! Mas é bem curioso como que certas coisas que ao meu ver são extremamente degradantes para as mulheres não são condenadas, ninguém as critica, chegando ao ponto em que são até mesmo valorizadas e aplaudidas, mesmo quando acabam sendo mais nocivas e desrespeitosas que os assédios do "dia-a-dia". Como de costume, aqui no Brasil vale a máxima do mesmo peso e duas medidas, onde o certo e errado não é definido somente pelo ato praticado mas também por quem o comete.

Um exemplo máximo dessa hipocrisia é ver a tal da Valesca Popozuda, que, como seu nome artístico sugere, fez fama graças a sua poupança, que canta músicas de funk com títulos bem eloquentes como "Comece a me Chupar", "Quero Te Dar" e outras pérolas, e que não perde a oportunidade para ficar se exibindo.


Agora com que moral essa mulher me chega e fica protestando contra o assédio que as mulheres sofrem? Uma mulher que ao meu ver promove com suas "músicas" uma degradação e objetificação da mulher vir agora criticar o machismo da sociedade é totalmente incoerente. Digno exemplo do "faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço".

Enfim, isso ainda vai dar muito pano pra manga... Só peço uma coisa para as mulheres que estão agora com essa modinha de posar peladas com uma cartolina com a frase "não mereço ser estuprada"...


Façam o favor de consultar um dicionário ou o corretor ortográfico do Word! Pelas barbas do camarão, puta merda! Eita povinho burro esse o nosso...

Nenhum comentário: