quarta-feira, 8 de maio de 2013

Inversão de Valores

Ultimamente só tem tido notícias que me revoltam... Tivemos toda a discussão a respeito da maioridade penal, com os babacas que dormem com o livrinho do ECA debaixo do travesseiro passando a mão na cabeça dos "di menor" infratores. Tivemos também toda a questão dos ciclistas, que se acham as vítimas do trânsito mas que não sabem respeitar os pedestres, sobrando aí para os motoristas de ônibus...

Agora, o assunto é uma ação da polícia há um ano atrás, com imagens que foram divulgadas pelo Fantástico mostrando uma operação noturna em uma favela do Rio, onde policiais em um helicóptero perseguem e metralham um carro onde estava o Matemático, um perigoso traficante, que viria a ser encontrado horas depois morto no mesmo carro. 


O que haveria de revoltante nisso, você pode estar se questionando. Afinal de contas, trata-se de uma operação policial que culminou com apenas a morte do bandido, que está desde então fazendo contas com o capeta. Se você também não vê nada de revoltante no ocorrido, parabéns, você é um cidadão de bem. 

Mas acontece que muitas pessoas se revoltaram com essa operação, e é isso que me deixa puto.

Sim, depois que as imagens foram divulgadas, começou aquela comoção daquela turma que nós já conhecemos, como Viva Rio, defensores dos Direitos Humanos e todo esse pessoal que adora passar a mão na cabeça de bandido. Comentários como "ação inconsequente" e uso de "força desproporcional" foram proferidos por esses escrotos, que já conseguiram afastar o piloto do helicóptero e agora querem que a investigação seja feita, de forma que os responsáveis pela "execução covarde" do Matemático sejam punidos.


Sinceramente, parece piada. Só nessa bosta de país é que existe essa cretina inversão de valores. Vendo essas notícias, me dá vontade de fazer as malas e ir para outro lugar, deixar essa merda de Brasil, onde o que se vê cada vez mais é uma apologia e proteção aos criminosos, em detrimento da segurança e bem-estar da sociedade, juntamente com uma perseguição contra as autoridades policiais, sempre criticadas ou por deixar de fazer ou quando fazem, como nessa operação.

Na boa, tinham era que condecorar o piloto e toda a equipe. Eles executaram sim um bandido de alta periculosidade, um criminoso que só tem o direito de ficar debaixo de sete palmos de terra. Um marginal que deve ter executado ou mandado executar muita gente inocente, que era responsável por inúmeros outros crimes. Correndo o risco de não parecer original, mas bandido bom é bandido morto. 

Eu não consigo entender essa idéia de força desproporcional. Já está aparecendo gente criticando o armamento usado pelos policiais, metralhadoras pesadas que são normalmente usadas em guerras, dizendo que não caberia à polícia portar tais armamentos. Sim, na cabeça dos fãs dos Direitos Humanos, a polícia só pode usar armas não-letais para combater a criminalidade, daqui a pouco os policiais vão ter que usar estilingues para enfrentar os bandidos.


Mas ninguém acha errado que os bandidos tenham AK-47, granadas, metralhadoras, bazucas, canhão anti-aéreo e lança-mísseis. Isso pode. O que não pode é o cidadão de bem ter uma arma pra se defender, o que não pode é a polícia estar equipada para enfrentar os criminosos de igual pra igual. 

Hoje o cidadão de bem já não pode ter a sua própria arma, cria-se uma dificuldade para que uma pessoa tenha ou compre uma pistola, por exemplo. A polícia também, ficam aí dizendo que policial não pode usar armamento pesado. Mas ninguém vai lá na favela para pedir para o traficante entregar o fuzil que conseguiu de forma ilegal.

E eu não vejo ninguém falando em "força desproporcional" quando esta vem do lado da bandidagem. Ninguém fala da força desproporcional da covardia daquele filho da puta que queimou a dentista. Os bandidos estão aí, sendo cada vez mais sádicos em seus crimes, matando de graça e destruindo famílias, e não vejo nenhum filho da puta desgraçado dos Direitos Humanos indo ajudá-las, não vejo nenhum cretino do Ministério Público condenando a violência da bandidagem...

O mais interessante de tudo isso é ver como que é o poder da mídia, e como ele é usado de forma errada. Cada vez mais eu me revolto com a Rede Globo, que é extremamente parcial em suas colocações e sempre tenta direcionar a opinião da sociedade de acordo com o que interessa a ela e aos seus parceiros. É impossível não perceber que, nessa situação, a Globo parece demonizar os policiais que mataram o traficante, praticamente passando uma idéia de que o Matemático foi morto de forma injusta... 


É só ver como todos os "entendidos" de segurança chamados pela Rede Globo contestam a operação, criticando que prédios foram atingidos e que os disparos poderiam ter atingido inocentes. Parecem se esquecer de que vivemos sim uma situação de guerra civil, onde os bandidos andam armados livremente em favelas. Tiro no prédio? Pombas, um pouco de reboco e massa corrida, e tudo se resolver. Inocentes? Até parece que em uma favela inocente pode ficar andando livremente à noite, como se a bandidagem não instituísse toque de recolher. Lembrando que nenhum inocente foi alvejado, somente o traficante. Embora não duvido que logo vão aparecer pessoas dizendo, um ano depois, que foram atingidas. Mas que nada falaram na época.

Não consigo entender toda essa cruzada da Rede Globo em querer culpar os policiais. É evidente a completa parcialidade da emissora, sob o argumento de que estão querendo mostrar a verdade e ajudar que a Justiça seja feita. Mas é interessante como a rede do Roberto Marinho só se mobiliza assim tão veemente quando o objetivo é ir contra alguma entidade de bem, como a polícia, que está aí para proteger o cidadão. Isso vai sendo martelado na cabeça de seus telespectadores, ajudando ainda mais para criar aquela idéia de que a polícia é corrupta, que ela não presta e é inimiga da sociedade.


Antes que venham a pensar besteira, vou fazer o mesmo argumento que o Matias fazia na sala de aula, no primeiro Tropa de Elite. Com certeza existem sim policiais corruptos, existe sim corrupção na corporação. Mas existem muitos policiais honestos também, que querem fazer um bom trabalho e servir à sociedade, mesmo não estando muitas em condições de enfrentar os bandidos em pé de igualdade.

Acontece que não é de hoje que existe essa valorização da figura do bandido, muitas vezes incentivada pela mesma Rede Globo. Lembra daquele filho da puta do Leonardo Pareja?


Lá pelos anos 90 esse puto ganhou fama ao manter uma garota refém após assaltar um hotel, fazendo toda uma exibição de desafio à polícia, como se fosse um superstar. Ele chegava ao ponto de ligar para as autoridades, dizendo em que cidade ele ia, só para sacaneá-los. Chegou a ponto de liderar uma rebelião em um presídio, desafiando as autoridades e fazendo a polícia de idiota. Parte dessa "fama" se deve à Rede Globo, me lembro que quando o cretino foi morto dentro de um presídio (o que resultou em uma indenização que a mãe dele recebe, só aqui para família de vagabundo ser indenizada), a emissora fez toda uma comoção, dizendo que Pareja era um artista, um corajoso... Essas puxadas de saco que só a rede do plim-plim sabe fazer.

Infelizmente é assim que a banda toca, nessa merda de país o bandido é romantizado, é o herói da história. Só aqui filmes que fazem apologia ao crime, como Cidade de Deus, são vistos como obras de arte. Criminosos são transformados em vítimas da sociedade, pobres coitados que nunca são responsáveis pelos seus atos, a culpa é sempre da sociedade excludente. Como aquele canalha do ônibus 174, a mesma Globo fazendo aquele ar de solidariedade com a morte dele, o cara havia sobrevivido a uma chacina covarde da Candelária, vi seus amigos "bonzinhos" serem mortos por policiais assassinos, e ele depois viria a ser covardemente executado por outros policiais dentro do camburão. Esse caso do ônibus 174 foi outro onde a mídia, liderada pela Globo, fez questão de ficar do lado do bandido e contra a polícia, procurando justificativas para o que ele fez, como se ele fosse a única e verdadeira vítima daquele episódio, ao mesmo tempo em se criticava e demonizava a polícia.


Outra coisa que achei interessante na postura da Globo é ver como insistem com um discurso de que "se fosse em um bairro da Zona Sul como Copacabana isso não teria acontecido". Ou seja, querendo levantar a idéia de que a polícia não iria ser violenta caso a perseguição fosse em um bairro nobre. Com isso, a Globo acaba instigando, ou de forma inconsciente ou de propósito mesmo, que a polícia do Rio não se preocupa com o morador de bairros mais humildes, que se morrer gente da "cumunidade" a polícia não está nem aí. Passa uma idéia de que a polícia defende só o morador da Zona Sul, que só se preocupa com ele.

Fala sério, a primeira coisa que digo é que traficante não ia se esconder na Zona Sul. Quem mora em bairros como Copacabana e Leblon são muitos consumidores de drogas, playboyzinhos e patricinhas que gostam de cheirar farinha e queimar erva. Muitos deles inclusive que devem ser da Rede Globo...


O traficante vai se esconder mesmo na favela, pois lá ele tem força, tem poder, e sabe que as autoridades não vão conseguir levá-lo à justiça. É o lugar ideal, com uma grande concentração populacional, cheio de pessoas humildes que, devido ao medo de serem mortas pelos bandidos ou por serem burras e facilmente influenciáveis pelos criminosos, acabam o protegendo. Seja fazendo protestos contra qualquer ação da polícia, seja mesmo morrendo durante uma troca de tiros. Os traficantes são que nem terroristas, vão se esconder perto de lugares com muitas pessoas, para que caso alguém tente enfrentá-los, certamente venha a morrer algum inocente, algo que já é suficiente para que toda a opinião pública e a mídia (plim-plim) venham a mais uma vez demonizar a polícia.

Mesmo que o inocente tenha sido vitima de uma bala atirada por um bandido. Não interessa, sempre que morre um inocente automaticamente a bala foi disparada por um policial. Pra quê perícia, quando se tem um monte de favelados com valores invertidos que defende a bandidagem e uma mídia parcial que adora criticar a polícia.


Novamente, é importante eu deixar claro antes que coloquem palavras na minha boca. Não estou dizendo que todo favelado é bandido. Mas é fato de que eles acabam proporcionando uma maior proteção para os traficantes, seja por bem ou por mal, seja de forma consciente ou inconsciente. Quando morre um inocente, sempre tem protesto dos moradores, não duvido que ali deve ter gente que acha mesmo que o dono do morro, seja traficante ou miliciano, é gente boa, pois graças a ele os moradores da "cumunidade" têm TV a cabo e por aí vai. Não duvido até que existam pessoas que sejam forçadas a fazer esses protestos contra a polícia, não é difícil imaginar que o traficante deva ameaçar as pessoas a fazer isso. E também não duvido que muitas dessas pessoas tenham essa visão deturpada da polícia devido à toda essa propaganda negativa, tipo "they don't really care about us" do Michael Jackson, que é massivamente apresentada por emissoras como a Globo. Comentários como dizer que se fosse em Copacabana a polícia não ia chegar atirando colaboram para essa visão, para que haja essa luta de classes, para que o morador da favela venha a ter raiva do morador da Zona Sul.

Por isso que digo, como o poder da mídia é usado de forma errada, principalmente pela Rede Globo. Cito um exemplo que observei: por motivos de viagem, consegui assistir ao Bom Dia Brasil, que passa logo cedo na emissora do plim-plim. Gosto de ver esse jornal, apesar de tudo, embora confesse que existe um motivo por trás da bancada que me agrada bastante...


Foco! Enfim, continuando...

Durante todo o jornal falou-se a respeito do caso do helicóptero, logicamente destacando exaustivamente os depoimentos da turminha pró-bandidagem. Apareceu o frouxo do Freixo (me arrependo profundamente de ter votado nele nas últimas eleições) criticando a ação, um outro coroa dizendo que foi uso de força desproporcional e uma verdadeira execução, e logicamente falando mais uma vez que a polícia só foi truculenta por que era uma favela... Enfim, falou-se só disso. 

Agora, achei estranho como não foi dito pôrra nenhuma a respeito de um verdadeiro crime, ocorrido na última sexta-feira, quando um cretino dum filho duma égua assaltou um micro-ônibus, estuprando uma garota. A Globo não falou nada, ficou quietinha. Em vez de ficar repetindo exaustivamente sua revolta contra a "covarde execução" de um bandido ocorrida há um ano, deveria era estar mostrando a cara desse viado desse estuprador, e fazer todo o possível para que ele seja seja preso o mais rapidamente possível.

Então você vê... A Globo está mais preocupada em perseguir os policiais que mataram um bandido, do que em falar a respeito de um crime hediondo ocorrido aqui na cidade. A rede do Roberto Marinho quer mais é convencer a população da irresponsabilidade e crueldade de policiais, em vez de mostrar a cara de um marginal que destruiu a vida de uma garota inocente. 


Curioso ver como essa parcialidade é bem evidente... Minutos depois mudei para a Record, onde falava-se a respeito do caso do Matemático também. Só que sem dar esse destaque todo, sem apontar o dedo na cara dos policiais, inclusive apresentando um fato que passa despercebido, praticamente ocultado (propositalmente, talvez) pela Globo, que o helicóptero havia sido alvejado por disparos, com documentos de perícia comprovando isso. Por sua vez, o jornal deu um destaque grande para o estupro, mostrando várias vezes a cara do marginal, para que a população possa reconhecê-lo e denunciá-lo.

O curioso é o seguinte: eu estava começando a escrever esse post, e nesta terça o sujeito se entregou à polícia. E adivinhem? Ele é "di menor"! Era só o que faltava! Pronto, agora vai aparecer um monte de gente pra passar a mão na cabeça dele, vão mandar ele para uma instituição onde receberá somente medidas sócio-educativas, 

E vai tomar no cú quem vier aqui me xingar, criticar por eu estar colocando a cara do "di menor" no cartaz acima. Chega dessa hipocrisia, de proteger a identidade de marginais violentos, que destroem vidas de pessoas inocentes. A cara do filho da puta vai continuar ali, pra todo mundo ver quem é esse marginal, esse vagabundo que acabou com a vida dessa jovem, que vai carregar para sempre a dor, a humilhação e o sofrimento de ter sido violentada sexualmente. Se aparecer alguém aqui do ECA para me criticar, sugiro vocês irem se preocupar com os órfãos de pessoas assassinadas cruelmente, crianças que perderam seus pais, vítimas de bandidos. Esses são menores que estão aí, de rostos expostos e sem ninguém para ampará-los.

O pior de tudo é o seguinte...

Cadê os filhos das putas, canalhas, desgraçados, hipócritas, viados, pilantras duma figa dos Direitos Humanos, para atender essa jovem que foi violentamente estuprada dentro do ônibus? Onde que estão esses cornos?

Estão preocupados em averiguar o caso do helicóptero, em culpar os policiais envolvidos pro infringirem os direitos do Matemático. E de quebra vão aproveitar para garantir a integridade física do estuprador "di menor", para que daqui a alguns anos ele possa ganhar a liberdade com a ficha limpa, como se não tivesse cometido nenhum crime.

Brasil-il-il...


Só sei que vai chegar uma hora que o povo não vai mais aguentar... É só ver essa situação do Matemático, como tem muita gente que aprova a ação da polícia e que não acredita nessas babaquices de Globo, Direitos Humanos e companhia. E mais esse caso do estuprador menor de idade, vai inflamar ainda mais o pedido por uma revisão dessa questão da maioridade penal. Uma hora a merda vai bater no ventilador, e o povo vai enfrentar de frente essa cambada. Só espero que não seja tarde demais...

Nenhum comentário: