segunda-feira, 27 de maio de 2013

Chatos das Redes Sociais

Vivemos em uma era onde estamos rodeados pelas redes sociais. Temos o Twitter para pessoas que gostam de falar pouco, o Instagram para os sujeitos que acham que são fotógrafos só por saberem escolher um filtro de imagem qualquer, o LinkedIn que tem fins mais profissionais, sendo encabeçados pelo Facebook que tem tudo isso e mais um pouco. Milhões, talvez até bilhões de pessoas no mundo, todas elas conectadas por meio de seus computadores e celulares, acompanhando o que os amigos estão fazendo, onde eles estão indo, vendo fotos, jogando jogos, e por aí vai...

Eu até que me rendi a essas redes sociais, porém de forma relativamente controlada. Comecei lá com o Orkut, lembram dele? Deve estar hoje mais deserto do que a Câmara de Deputados na sexta-feira. Era legal para retomar contato com antigos colegas de colégio e outras pessoas com quem convivi durante minha vida. Hoje, já costumo olhar de vez em quando o Facebook, vejo como se fosse um e-mail, uma vez por dia no máximo, quando vejo. Não sou desses que fica olhando de hora em hora, que deixa a página aberta e configura o celular para notificar de todas as atualizações, sou um texugo muito ocupado, tenho coisas mais importantes para fazer...

Mas sabemos bem que existem tarados por Facebook e redes sociais, que não desgrudam nem um minuto. Tem gente que deve gastar umas duas horas diárias em redes sociais, o que é muito. E o pior é que usando de forma supérflua: eu até entendo, por exemplo, um sujeito desesperado por emprego ficar um tempão no LinkedIn procurando oportunidades, mas acho sem noção total as pessoas que passam todo esse tempo dando "Like" nos comentários dos amigos, colocando e vendo fotos, jogando Farmville e comentando a respeito de tudo. 

Junte esse excesso de tempo e pessoas nas redes sociais com uma futilidade cada vez maior da sociedade, e não demorou nem um pouco para começarem a surgir os tipos mais insuportáveis, criaturas que se caracterizam por fazer alguma coisa estúpida, idiota, revoltante e desnecessária. Tenho certeza de que você deve ter vários amigos assim, que fazem as coisas que eu vou comentar nesse post, e provavelmente já pensou, como eu, em excluí-los de sua lista de amigos.

Eu já fiz algum tempo atrás algumas postagens falando de alguns hábitos escrotos desse pessoal, como as pessoas que sentem aquela necessidade básica de sempre aparecer nas fotos, sempre posando ali paradas como manequins ao lado de alguma coisa, como forma de provar que estavam ali. Por exemplo, tenho uma amiga que foi para a Inglaterra, e colocou fotos da viagem, e em todas ela fazia questão de estar ali do lado. Acho desnecessário, desvia a atenção... Ou o uso exagerado das hashtags, com pessoas criando temas quilométricos como #quedialindodeprimaveraempindamonhangaba ou que as usam em sites que não as reconhece. 

Acredite, esses são apenas dois exemplos de coisas que me enchem o saco nas redes sociais. E com isso, decidi fazer uma pequena lista de alguns tipos que encontramos nessas redes e que são realmente insuportáveis, todos eles que ficam me aporrinhando aos montes.

Os incessantes convites de jogos

O que mais tem nas redes sociais são jogos. Farmville, Angry Birds, Candy Crush, e a lista não tem fim. Embora eu até curta jogar um joguinho desses de vez em quando e ache legal as disputas online, eu prefiro fazer isso em sites de jogos mesmo, tem vários na internet. E confesso que em um certo momento de minha vida eu cheguei a jogar alguns deles no Facebook, como o The Sims. Mas faz tempo, imagino que meu bonequinho se enforcou de tanta solidão e sem-teto invadiram a casa onde ele morava.


Acontece que nas redes sociais eles tornam o jogo social, com o objetivo obscuro de atrair mais jogadores. Aí criam "missões" onde você deve ter tantos amigos jogando para passar de fase ou outros truques, que resultam em inúmeros convites para jogos que eu não tenho interesse nenhum em jogar. Todos os dias me deparo com postagens como "Fulano precisa de mais moedas" ou "Siclano precisa de sua ajuda para completar a missão do resgate da princesa perneta".

Os jogadores viciados não têm noção, devem pegar toda sua lista de amigos e enviar convite para todos, sem se preocupar quais amigos de fato jogam e quais sequer entram mais no Facebook, e nessa acabam ajudando os criadores do jogo a ganhar mais jogadores. Deleto sem pensar duas vezes, não quero perder meu tempo brincando de fazendinha...


Pode chorar vaquinha... Na minha fazenda você viraria churrasco. 


Fotos da comida

Esse está cada vez mais comum. O cidadão vai lá almoçar ou jantar, e quando chega o prato a primeira coisa que faz não é colocar o guardanapo no colo ou pegar os talheres, mas sim sacar o celular e tirar uma foto da refeição para colocar nas redes sociais. Logicamente, depois de ter levado para o Instagram e ter aplicado um daqueles filtros automáticos, para dar um ar de classe e fingir que é um excelente fotógrafo, colocando também alguma frase de efeito como "olha meu jantar light".


Na boa, até aceito essa de tirar foto do prato em ocasiões especiais, como quando vamos jantar naquele lugar que só dá pra ir uma vez na vida ou mesmo nas férias. Mas está demais... Tem gente que tira foto de qualquer merda de prato do dia-a-dia, seja um mero macarrão com carne moída, seja um prato peão de arroz, feijão e farofa, seja um maldito Big Mac, qualquer coisa! Estou pouco me fudendo para o que você está comendo, cacete! Tenho amigos que postam todo dia a foto do jantar, tenha paciência! 

Só falta daqui a pouco ter gente tirando foto da comida depois de digerida...


As mina com duckface e os mano sem camisa

Nas redes sociais o que mais tem é foto sem noção... Mas se tem coisas que realmente dão nos nervos são esses dois tipos, as meninas que tiram fotos fazendo biquinho de pato e os rapazes que se acham os Misters Universo e ficam posando sem camisa, coisa que existe desde os tempos do Orkut.


Começando pelas garotas, qual a necessidade disso? Sério, como homem digo que é uma das coisas mais broxantes ver uma garota, por mais bonita que seja, fazendo um duckface. O que passa na cabeça delas? Sério, alguém me explique. Não consigo ver a intenção de fazer essa cara tosca. Elas parecem perceber que um sorriso natural é muito mais atraente e bonito do que imitar o Pato Donald. Muitas delas ainda fazem questão de passar aquele batom chamativo e arregalar os olhos, gerando assim uma visão que faria o Freddy Kruger se cagar nas calças.


E quanto aos sujeitos que gostam de exibir os seus músculos, com aquela pinta de que é machão e bad boy, só tenho uma coisa a dizer: passam o recado que são viados. Não consigo entender essa necessidade de se mostrar para os amigos sem camisa, parecem que querem passar a idéia de que são sarados e saudáveis. Essa de ficar se exibindo, mostrando o muque de frango de macumba, ficam pensando que vão deixar as garotas apaixonadas, mas pode apostar que eles acabam servindo de inspiração para os amigos que gostam de segurar no kibe.

Será que é tão difícil uma garota tirar uma foto com uma cara normal, ou um cara tirar uma foto com camisa?


Os compartilhadores do dia-a-dia

Com a chegada das redes sociais, uma coisa que se tem tornado cada vez mais comum é as pessoas compartilharem onde estão e/ou o que estão fazendo. Status e posts de Twitter com pérolas como "arrumando a casa" e "na academia" têm se tornado cada vez mais constantes, inclusive com aplicativos de celular que permitem que as pessoas façam um check-in em diversos lugares, compartilhando para todos os seus amigos onde eles se encontram...

Sério... Eu estou pouco me lixando de onde você está, caralho! Chegou na academia? FODA-SE!!! Está no cinema vendo Homem de Ferro com a namorada? FODA-SE!!! Está no aeroporto de Cumbica? FODA-SE!!! Deu check-in na balada de sexta-feira? FODA_SE!!!

As pessoas ficam se achando com se estivessem no Show de Truman, e que seus amigos estão interessados em tudo o que estão fazendo. Coisas de gente com problemas de ego, deve ser o tipo de pessoa que é tão insignificante para seus amigos, que nem a própria mãe se preocupa de onde foi, e que se quer fazer aparecer. Isso sem nem entrar no mérito da própria segurança.


E o engraçado é que ninguém coloca informações comprometedoras. Por exemplo, "fazendo exame de próstata" ou fazendo check-in na delegacia... Mas acho que vou morder a língua... Alguém já deve ter postado isso...


Os irritantes posts de "Bom Dia!"

Sério... Que diabos é isso? O que leva uma pobre alma a chegar, logo na primeira hora da manhã em que tem acesso à Internet, muitas vezes antes mesmo de chegar no trabalho, tomar café da manhã ou dar a barrigada matinal, e simplesmente escrever no seu status "bom dia"? 


Será que a pessoa está querendo dar bom dia a todos os seus amigos? Alguns até dão essa a impressão, colocando a manjada frase "Bom dia Facers", uma das coisas mais ridículas que se pode imaginar. Ou será que já ficou lelé da cuca a ponto de estar dando bom dia ao seu único e melhor amigo, o Facebook?

Mostra como muitas pessoas estão tão viciadas em redes sociais, que quando não tem nada a dizer, nada de útil para compartilhar com a sociedade, dizem coisas banais como "bom dia" só para não passar a oportunidade de dizer alguma coisa. É uma necessidade doentia de postar alguma coisa logo em que inicia o dia.


Os atletas e seus mapinhas

Essa vai novamente da linha das pessoas que têm a necessidade de compartilhar o que estão fazendo com Deus e o mundo. Ou melhor, com os seus amigos do Facebook e seguidores do Twitter. A diferença é que esses não se limitam a dizer onde estão ou o que estão fazendo, mas usam aqueles programinhas da Nike e similares para registrar suas atividades físicas, mostrando o mapa do percurso que fez correndo ou de bicicleta, dizendo ainda quantos quilômetros foram percorridos, em quanto tempo, quantas calorias gastou, quantos litros de suor pingou, o nível de odor de chulé depois da atividade e outras coisas irrelevantes. Logicamente, acompanhados de um comentário-saúde como "correr é tudo de bom", "quebrando meu recorde" ou "queimando as gordurinhas que ganhei no final de ano".


Mas uma vez, minha resposta para isso é: FODA-SE!!! Correu 832 quilômetros? FODA-SE!!! Percorreu toda a orla da Zona Sul de bicicleta? FODAS-SE!!! Bateu o recorde do Usain Bolt? FODA-SE!!!

Essa geração-saúde é tão convencida que me dá nos nervos, é uma razão pela qual não vou em academia. Tudo bem, é fundamental para quem está fazendo exercícios e querendo ficar em forma ter um acompanhamento das atividades, registrando seus tempos e estimativa de calorias gastas. Mas isso não precisa ser divulgado para os amigos. É como se essas pessoas quisessem se exibir mesmo, parecem que ficam malhando para mostrar para os outros, para dizer que percorreu tantos quilômetros ou queimou tantas calorias. Sem falar que deve ter nego que é competitivo, que se ver um colega andando mais que ele, vai fazer tudo para quebrar o recorde. E postar no Facebook depois.


Os divulgadores de correntes e mensagens

Isso aqui existe desde aquele tempo longínquo no qual as pessoas se comunicavam eletronicamente via e-mail. Minha caixa de entrada ficava cheia daquelas mensagens de correntes. Tinha de tudo: os amigos que mandavam as manjadas mensagens religiosas com dizeres de santos e tudo mais, as lendas urbanas como a história da agulha infectada com o vírus da AIDS colocada em bancos de cinema, os punheteiros mandando fotos de mulher pelada e os idiotas encaminhando aquelas correntes estúpidas, do tipo "envie essa mensagem para dez amigos em dez minutos e você terá sorte", "mande essa corrente para 15 amigos e veja uma animação legal" ou "encaminhe o e-mail para cinqüenta colegas ou seu pinto vai cair", essas coisas...

Sério, eu nunca repassei nenhuma corrente dessas, acredito que era pra eu ter morrido umas oitenta vezes, ter perdido todo meu dinheiro trinta vezes, juntamente com ter acumulado alguns séculos de azar. Ou então eu sou muito foda e consegui superar tudo isso! Queria saber se os idiotas que repassaram correntes de e-mail ganharam alguma coisa sequer.


Agora essa corja de imbecis está no Facebook também. Tudo graças ao maldito botão Share.

Na boa, tenho amigos que são bizarros... Abro minha página inicial e vejo quase 20 posts desse tipo em seguida, compartilhado pela mesma pessoa. Estou quase excluindo esse sujeito, de tão chato que é ver minha tela poluída daquelas imagens com frases de efeito, mensagens religiosas e outras baboseiras. Logicamente, acompanhado de comentários auto-afirmativos, como "Fato", "Amém" e "É isso aí". Ou suas variantes como "Fataço!!!", "Axé" ou "Eh issu aew".

Sem falar aqueles posts idiotas que acham que vão achar a cura para doenças e etc, somente com o poder dos Likes. Sério, eu não consigo acreditar que exista gente tão burra, retardada, idiota e sem noção que acha que simplesmente gostando de uma figurinha no "Feice" que vai ajudar a erradicar a fome no mundo, curar criancinhas doentes e etc.

Pode apostar que todos esses manés que ficam dando Like nesses posts não levantam a bunda da cadeira pra ajudar uma instituição de caridade de verdade.

E pra você ver como que os tempos mudam, antes os malandros tinham as correntes como forma de sair espalhando listas imensas de e-mails. Sim, você sabe muito bem que naquela época ao dar um Forward numa corrente você acabava enviando junto todos os e-mails das demais pessoas, no corpo do texto da mensagem. Até uma hora em que ele caísse em mãos erradas, e pronto: o cara teria uma vasta lista de endereços de e-mail para enviar spam ou mesmo aplicar fraudes. 

Hoje com o Facebook, quando o cara dá um Share, simplesmente a imagem aparece nas páginas dos outros, impedindo que o pilantra descubra perfis (embora nada impeça que uma pessoa mal intencionada fique surfando pelas listas de amigos). Qual a tática hoje? Inventam uma baboseira do tipo "escreva 9 nos comentários e veja o que acontece". E um monte de babaca cai nessas.


Os filósofos de araque

Sempre acredito que se você não tem nada a dizer, que fique de boca fechada. Mas muitas pessoas simplesmente não conseguem ficar de bico calado, precisam falar sobre qualquer coisa que lhes venha à cabeça, pessoas que não têm a capacidade de ficar em silêncio. Da mesma forma, tem gente que passam por um desespero por sentir o desejo incontrolável de postar alguma coisa nas redes sociais, mas não est[a fazendo nada, não tem nada a dizer, e já postou "bom dia" algumas horas atrás... Nessas horas, nada melhor do que recorrer a uma frase filosófica.


Tem também aqueles que, mesmo tendo algo a dizer, preferem fazer isso usando uma frase de efeito que foi proferida por alguma personalidade. Tudo para dar aquele ar de intelectualidade, de sofisticação. Coisas como "penso, logo existo" ou outras frases célebres de grandes personalidades, proferidas por pessoas que mal sabem o que elas significam. Ou então aqueles que escrevem devaneios da própria vida, muitas vezes acompanhadas das imagens de correntes acima.

Novamente, são pessoas sedentas por atenção, que poderiam ter aproveitado uma boa chance para ficarem quietas mas precisam falar alguma coisa. Como não dá para simplesmente colocar uma melancia no pescoço, é necessário fazer uso duma frase de efeito.

Eu enquadro nesse grupo também aqueles idiotas que escrevem frases soltas, com a intenção de atrair os amigos que querem ignorá-los. Como quando alguém chega e escreve no seu status "muito chateado...", na esperança que logo seus amigos vão ficar preocupados e perguntar o porquê, para chamar a atenção e se fazer de vítima. Como aqueles outros que chegam e escrevem "luto": é algo macabro, quando vejo algo assim logo penso que morreu alguém da família daquela pessoa, ou mesmo um amigo. Só que aí você olha nos comentários de outras pessoas que escreveram, preocupadas, e o mané responde "ah, estou de luto pelo time rival que foi eliminado"...

Sério, gente assim tinha que levar uma tijolada na cara.


Pessoas que gostam de seus próprios posts

Isso é algo que eu nunca entendi, exemplo de ego inflado. O sujeito vai lá, escreve qualquer baboseira, como um "bom dia" ou frase filosófica de efeito. Aí ele deve olhar para as palavras que acabou de escrever, admirar a frase que copiou de algum lugar, e então vai lá é clica no sinal de positivo, dando um Like no que acabou de escrever. Isso pra mim é como dar um high-five em si mesmo.


Na boa, esse é um tipo de gente que tinha que levar uma surra, tinha que ser colocado numa gaiola em praça pública para que a gente tacasse comidas podres neles, além de ser castrado para que seus genes não sejam espalhados. Se esse tipo de pessoa faz isso, deve ser que existem oportunidades onde ela escreve algo tão ruim, tão ruim que nem ela consegue gostar. E aí pergunto: pra quê escrever então, pôrra? Ou então são pessoas que se acham tão solitárias, que os amigos não suportam e fazem tudo para ignorá-las por completo, que se elas não derem um Like no próprio post, ninguém mais o fará.

Vejo que a idéia de gostar de seu próprio status ou comentário é como dar um tapinha nas próprias costas ou cumprimentar a si mesmo, parece aquele episódio do Mr. Bean que ele escreve um cartão de aniversário para ele mesmo. Deprimente...



Casais exageradamente românticos

Essa é outra coisa que me enche o saco... Provavelmente existe aí um fator de certa inveja, por eu estar solteiro e ter que ficar aturando demonstrações públicas de amor exageradas que me lembram como é uma merda estar solteiro e só quebrando a cara... 


Mas chega a ser realmente muito chato como certos casais fazem questão de compartilhar toda essa atração com seus amigos. Penso que o relacionamento entre um homem e uma mulher é algo íntimo, e que diz respeito aos dois somente, não é da conta de ninguém. Tem todos os traços básicos, como a foto de perfil onde o cara está com a garota e vice-versa, em alguns casos tem gente que ainda coloca seu nome como "Fulano e Siclana". Que exagero, pombas! É quase como um atestado para todos ao redor de que ele e ela estão juntos, e que ninguém tente fazer nada para se engraçar com eles. Quase como se estivessem mijando ao redor de seu cônjuge, para marcar território.

Tem também as declarações públicas de amor, para que todo mundo veja. Pode ser algo simples, como coloca no status um "ti amu Wandiscley, bjssss", que deve ser prontamente respondida pelo namorado com um joinha ou um comentário do tipo "também ti amu, Ludivânia!", ou algo mais extenso como aqueles que escrevem um soneto dedicado à beleza dos lóbulos das orelhas de sua amada. Coisas que não interessam para os amigos, familiares e mesmo inimigos do casal meloso.


Soma-se a isso as mensagens de corrente e posts apaixonados, como fotos bonitas, frases apaixonadas e por aí vai. E para aqueles que passam pelo casamento, puta merda... Fotos incessantes de tudo que se pode imaginar, pra quê álbum de fotos, se podem criar um álbum no Facebook pra isso? Daqui a pouco vai ter gente que só falta colocar fotos da noite de núpcias...


Realmente, existem muitos tipos enjoados nas redes sociais, cada um mais insuportável que o outro. O pior é que não sei se essas pessoas são assim mesmo chatas e incômodas por natureza própria ou seria uma consequência do uso das redes sociais, que tornam as pessoas mais insuportáveis e necessitadas de chamar a atenção.

Ou as duas coisas...

Só sei que eu já estou começando a perder a paciência com muitas pessoas no mundo real, sendo obrigado a conviver com sujeitos extremamente estúpidos, arrogantes, chatos e incômodos em me dia a dia, a ponto de querer ficar longe deles. Do jeito que está, vou ficar assim também no mundo virtual.

Nenhum comentário: