quinta-feira, 23 de maio de 2013

Bolsa-calça

Veja só esse vídeo que vi outro dia...


Puxa, como estou com peninha dessa senhora. Não tá dando pra comprar uma calça de R$300,00 para a filha de dezesseis anos... 

Isso mostra como que é nosso povinho. Inventaram esse Bolsa Família pra dar uma ajuda para as pessoas mais necessitadas, mais uma daquelas políticas assistencialistas de nosso governo vermelho. Todo mês esse pessoal recebe dinheiro de graça, pago com os impostos que o trabalhador de verdade paga para o Governo. Uma grana que deveria ser usada para ajudar no orçamento do dia a dia, para ajudar a comprar comida e etc.

Mas o povão não quer saber disso... Quer saber de comprar calça de R$300,00...

Na boa, se uma família pode se dar ao luxo de comprar uma calça de trezentas pratas, não deve estar passando necessidade. Se pode gastar todo esse dinheiro em uma calça, é porque não está precisando da ajuda do governo pra comprar comida...

Pôrra, eu que trabalho, dou duro todo mês, jamais iria gastar trezentos reais numa calça! Eu digo que até teria condições de fazer isso, mas não faço por dois motivos: primeiro porque é um absurdo gastar tudo isso com uma calça, só pra dizer que é de grife; segundo, porque eu sei o valor de trezentos reais, e sei que isso é muito para uma calça.

O interessante é ver que a mulher ganha esse benefício há oito anos. Quase uma década e fica contando com esse auxílio, com essa ajuda do governo. E ainda reclama do valor, dizendo que é pouco. Mas, procurar um trabalho, fazer algum esforço para aumentar a renda da família, isso não parece ser tão importante, né? Pelo menos, menos importante do que uma calça de trezentos reais.


É um retrato de nosso povo. Eu sou totalmente contra esse tipo de política assistencialista porque o brasileiro é preguiçoso, é esperto, é malandro. Uma política dessas deveria ser uma coisa temporária, uma ajuda para apoiar famílias que passam necessidade, para que essas pessoas mais humildes não passem fome. Um dinheiro extra que possa ser usado para coisas realmente importantes, como um auxílio para que elas possam melhorar de vida.

Mas não... O povão vê o Bolsa Família como uma graninha extra, uma verba adicional para gastar com bobagens, com calças de trezentos reais, "ixmartifones" e cachaça. É essa mania de priorizar coisas supérfluas, de querer ter mais do que deveria. É aquela de comer sardinha e querer arrotar caviar. Pessoas bitoladas, facilmente influenciadas pelo consumismo exagerado, aquele tipo que passa fome mas anda de celular novo e roupa de marca.

Melhor é a Dilma inventar um Bolsa-Calça, pra que as meninas de dezesseis anos possam comprar calças de mais de trezentos reais...

Nenhum comentário: