sábado, 2 de março de 2013

Animais do Futebol

Eu sei que sempre chego atrasado aqui, é uma notícia que ocorreu semana passada, mas que não poderia deixar de comentar. Trata-se a respeito do triste incidente que ocorreu em uma partida válida pela Copa Libertadores na semana passada, entre o Corínthians e o San José da Bolívia. No momento do gol do time brasileiro, foi disparado da torcida corintiana um sinalizador, que acabou indo na direção da torcida adversária. Infelizmente, ele acertou um menino de 14 anos, que foi atingido no olho pelo sinalizador, cuja força foi tamanha que penetrou em seu crânio. O pobre menino acabou morrendo no hospital logo depois. A notícia pode ser vista aqui.

Realmente não há palavras para descrever a revolta ao ver tamanha violência, tamanha irresponsabilidade por parte de uma torcida que já tem fama de baderneira. A polícia boliviana prendeu uma dúzia de mulambos suspeitos, em alguns deles foram identificados resíduos de pólvora, que poderiam indicar ser um deles o autor do disparo que matou o garoto. Acontece que, no domingo passado, após o jogo, veio então o "furo jornalístico" anunciado em primeira mão pelo Fantástico, que fez uma entrevista com um torcedor menor de idade que assumiu a responsabilidade, como pode ser visto aqui. Logo mais, ele foi levado para um daqueles juizados de menores...

Sem dúvida um "exemplo" para ser mostrado para o mundo, de como que as coisas são aqui no Brasil e o que podemos esperar de uma Copa aqui.

Dos times brasileiros, tem dois que eu simplesmente odeio com todas as minhas forças: Flamengo e Corínthians. Não é só pela rivalidade que tenho com o rubro-negro carioca, pelo fato de eu ser um texugo botafoguense, que acaba levando também ao meu desprezo pelo seu semelhante paulista. Eu abomino esses times de mulambo. São os times mais escrotos da face da terra, o pior que se tem do futebol nacional, responsáveis pelas piores coisas do esporte. Sério, se tiver um jogo entre Flamengo e Argentina, eu torço para os hermanos.

Todo esse ódio é motivado por vários fatores. O primeiro é que são times arrogantes, metidos a melhores do mundo. É aquele tipo de time que quando ganha sacaneia o adversário, quando vence qualquer torneio de merda acha que ganhou a Copa do Mundo; mas quando perdem, não aceitam, dizem que foram roubados e partem para a agressão (muitas vezes física), e quando um rival ganha um campeonato, sempre menosprezam o feito. São tão ignorantes que ficam inventando títulos, como os flamenguistas que cismam serem hexacampeões (embora possa ser mesmo um problema de burrice pra matemática por parte dos mulambos). E isso vem de todas as esferas, vem dos jogadores, dirigentes e torcedores. 


Como, por exemplo, aquele filho de uma puta, corno sem-vergonha, monte de merda do Souza, que atuou pelos dois clubes, que fez aquela putaria do chororô contra o meu Botafogo. Realmente um marginal desses só podia atuar para esses times de bandidos. Ainda quis vir pro Fogão depois, vai tomar no cú, seu paraíba filho duma égua!

Claro que o pior vem dos torcedores. Mais arrogante do que flamenguista ou corintiano doente não tem. Se acham os melhores, sacaneam os adversários sem dó e são grandes maus perdedores. Discutir com um mulambo desses é perda de tempo, pois eles são tão bitolados que mesmo quando seus times estão na merda ficam dizendo que são os melhores. O mais engraçado é que eles ficam com essa mania de grandeza de maiores torcidas do Brasil, mas isso na minha opinião é um monte de "Maria-vai-com-as-outras", pessoas que torcem para Flamengo e Corinthians só porque a maioria torce...

Se bem que eu insisto em dizer que as torcidas do Flamengo e do Corínthians não são as maiores do Brasil. Tem gente que torce pro Flamengo, e outros que torcem pro Framengo; tem gente que torce pro Corínthians, e outros que torcem pro Curíntia...

Logicamente existe também um outro fator que contribui para que esses dois times escrotos tenham muitos torcedores.  


É fato, abra a seção policial de um jornal que quando você ver os bandidos lá enfileirados ou sendo jogados no camburão, as chances são grandes deles estarem com a camisa do Flamengo ou do Corínthians. Vai numa favela aqui do Rio, e a concentração de camisas rubro-negras (a maioria delas aquelas cópias baratas comprada por "dez reau" na Urú) por metro quadrado é absurda. A bandidagem na sua maioria é fã mesmo do rubro-negro da Gávea ou do alvi-negro do Parque São Jorge.

Soma-se a isso o fato de que a mídia é extremamente favorável a esses clubes. A Rede Globo é uma elas, sempre puxando o saco dos dois, dando maior espaço para eles nos programas esportivos em detrimento dos demais times, enaltecendo as vitórias e ocultando as derrotas e problemas. Isso é visível em vários momentos, como quando um desses times faz gol o narrador sempre grita empolgado, por exemplo. E não é só na TV, até mesmo em jornais se vê isso. Não esqueço quando o Fluminense ganhou um título estadual recentemente, e um jornaleco aqui da cidade estampou em sua página frontal algo do tipo "Mengão é X vezes campeão carioca", meio que dizendo que mais importante que falar do título conquistado pelo tricolor era arrotar prepotência e dizer que o menguinho tinha ganho mais vezes. Claro, se tivesse sido o Flamerda campeão, seria aquela manchete em letras garrafais enaltecendo a conquista...


Depois meus colegas flamenguistas não entendem por que todo mundo odeia o Flamengo... Torço muito para que meu Fogão meta uma corça nesses mulambos nesse fim de semana. Não faço questão do título, quero só ver o Flamengo se fuder.

Enfim, eu sei que os leitores alvi-negros, tricolores e vascaínos devem se divertir muito quando o Flamengo é motivo de piada (se quiser dar umas gargalhadas às custas dos mulambos, veja aqui, aqui, aqui ou aqui), mas já estou começando a me afastar do assunto da postagem. Todo esse episódio do menino boliviano morto em um jogo de futebol mostra como a torcida de times como o Corínthians e Flamengo é extremamente perigosa, um bando de marginais que devem ser banidos dos estádios. E por mais que venham a dizer que esse tipo de torcedor é uma exceção, discordo totalmente ao dizer que são mesmo a maioria, e o pior: incentivados e defendidos pelo próprio clube.

Pense comigo... O jogo citado ocorreu em uma quarta-feira, às dez horas da noite, horário de Brasília. Ou seja, um dia de semana. Pombas, uma pessoa normal, um cidadão de bem e trabalhador, estaria fazendo o que numa hora dessas no meio da semana? Provavelmente estaria em casa, com a família; poderia já até estar na cama, se tivesse que acordar de madrugada; poderia até mesmo estar em um bar com seus amigos. Mas uma pessoa comum dificilmente estaria em um jogo desses, que acaba à meia noite, em outro país.

Na boa, só se o sujeito for rico e pode pagar uma passagem de ida e volta entre Brasil e Bolívia só para ver um jogo de seu time. Mas, por mais que as passagens estejam baratas, muito provável que deve ter gente que foi pra esse jogo de busão, sei lá. De repente pegando um vôo regional até o Mato Grosso e depois foi de ônibus até nosso vizinho latino-americano. Só pra ter uma idéia, uma viagem de ônibus entre Santa Cruz de La Sierra, uma das grandes cidades de lá que pode ser alcançada via trem, e La Paz são 18 horas. Uma longa viagem por terra...

Caravana corintiana a caminho da Bolívia

Com isso, podemos concluir que os corintianos que foram nesse jogo devem ser pessoas ricas que podem bancar uma viagem desse porte sem maiores dificuldades, ou então se estiverem ruins de grana precisam fazer uma longa viagem terrestre. Em ambos os casos, provavelmente pessoas que não precisam trabalhar, pode apostar que se essa turma voltou de ônibus, devem ter chegado aqui quase na sexta. Ou será que os chefes desses sujeitos os liberaram para assistir ao jogo? Sério, se eu fosse chefe e um flamerdalho viesse me pedir dispensa pra ver o jogo do Flamengo, eu iria colocar ele fazendo hora extra no horário do jogo, isso se não o demitisse...

Tá certo, só se o cara for um ricaço que não precise trabalhar ou que seja o dono de seu negócio, estaria tudo bem. Mas qualquer outra opção é meio suspeita... Conhecendo o típico corintiano (ou seja, mulambo), não muito brilhante e burro que nem um asno, que deve viver como moto-boy ou assistente de padeiro, dificilmente ele teria como ir pelos seus próprios meios para assistir um jogo em outro país. Quem é que pagou pela viagem dessa turma toda? Só pode ter sido mesmo o Corínthians.

Fala sério, você acha que um clube não vai financiar a viagem de seus torcedores? Não tenho dúvidas de que o Corínthians deve ter bancado a viagem de muita gente lá pra final do mundial no Japão, vai me dizer que não pagaria pra ir logo ali na Bolívia? Lógico que o time não iria pagar a passagem de meros torcedores... Para ter direito a tal regalia, só mesmo com uma contra-partida. Como, por exemplo, fazer parte de uma torcida organizada como a asquerosa Gaviões da Fiel ou ser filiado ao clube. 

E levo isso mais longe ainda: vamos considerar que tenha sido mesmo o garoto quem efetuou o disparo fatal. De novo, o que um adolescente de 17 anos estava fazendo em outro país a essa hora da noite? Não me venha com a baboseira de que o moleque estava de férias. Pôrra, será que ele não tinha aula no dia seguinte? Realmente é muito interessante ver como uma família permite que seu filho, em idade de estar se preparando para um vestibular para entrar em uma universidade e ser alguém na vida, perca metade de uma semana de aula para ir torcer pelo seu time de futebol.

Bom, devem estar contando com as cotas sociais das universidades...

Tem mais uma coisa: imagino que esse adolescente não estava com sua família, que ele foi sozinho para lá. De quem é a responsabilidade? Afinal de contas, ele é menor de idade, e pelo que entendo um menor de idade não poderia viajar sequer para outro município sem ter uma autorização de seus pais. Quem é que estava responsável por ele? Segundo foi dito pelo próprio garoto, ele estava aos cuidados da Gaviões, a mesma torcida organizada que é apoiada pelo clube.

E continuo pisando na ferida, ao levantar outra questão, a respeito de como ele comprou o sinalizador. Novamente, eu acredito que fogos de artifício e outros artefatos explosivos não podem ser vendidos para menores. Embora eu tenha a consciência de que a fiscalização e o respeito pelas leis nesse país é uma lenda como o monstro do lado Ness, e que possivelmente ele possa ter comprado o sinalizador ilicitamente, fico ainda com a suspeita de que o clube ou a torcida organizada comprou um monte desses fogos e os distribuiu entre os torcedores.

Uma coisa que me deixa bem encucado é todo esse "teatro" que se formou com o adolescente se entregando. Acho muito suspeito que somente depois de alguns dias ele se apresentou, o que ele andou fazendo durante esse tempo todo? É muito estranho, até por parecer muito com a tática usada muitas vezes pela bandidagem, sempre tendo um "di menor" no grupo, que no final das contas sempre é apontado como o autor do crime. Afinal de contas, o menor é julgado de forma especial, a justiça sempre passa a mão na cabeça do menor de idade, independente do tipo de crime que ele cometa.

Se eu dou um tiro e mato uma pessoa, vou ser jogado na cadeia, acusado de homício, ficando preso por décadas; se um "di menor" dá um tiro e mata uma pessoa, ele vai ser levado para uma dessas casas de recuperação de menores de idade, onde terá comida e roupa lavada, ficando detido por no máximo três anos, quando então será solto de volta na sociedade com a ficha limpa. Tudo isso é motivo de orgasmos múltiplos para essas ONGs estúpidas que gostam de defender bandidos, como a turma dos Direitos Humanos, que acham que o "di menor" é sempre por definição inocente... Ou melhor, vitima da sociedade... Vai tomar no rabo, pra mim não interessa, se cometeu um crime desses, que seja julgado como adulto. Tem idade para ter o direito de votar, mas não para ser preso.


Por isso que não duvido que esse moleque apareceu para reduzir um pouco a sujeira na imagem do Corínthians, ele deve estar posando mesmo de bode expiatório para livrar a cara dos verdadeiros culpados. Porque assim fica aquele pensamento no ar de "ah, mas ele é menor de idade" ou "puxa, mas ele é só um garoto, tem toda a vida pela frente". E o menino boliviano? Também tinha toda a vida pela frente... Desse ninguém tem pena, não tem ninguém dos Direitos Humanos indo lá consolar e apoiar a sua família.

E esse teatro foi todo orquestrado e praticado pela maldita Rede Globo. Sinceramente, o que esses abutres não fazem por audiência, qualquer desgraça é aproveitada ao máximo por essa emissora escrota. Sem falar que, como eu disse acima, a Globo apóia o Coríntihians, afinal de contas a torcida é grande, cheia de potenciais telespectadores. Não foi à toa que a emissora fez o que fez. Não vi a entrevista, mas conhecendo a Globo e me dando conta do interesse dela em manipular a opinião pública de forma que as pessoas se sensibilizassem com o garoto e perdoassem o time, não duvido que devem ter botado musiquinha triste enquanto ele falava, que deram um close no abraço emocionado entre mãe e filho...

A verdade é que essas coisas só se resolvem na base da porrada, com punições severas contra o Corínthians, o qual fica claro que tem a sua (grande) parcela de responsabilidade no caso. O time foi punido pela Conmebol sendo obrigado a jogar todos os jogos com os portões fechados, e sem torcedores nos jogos como visitante. Muito pouco, na minha opinião. Tinha era que banir o clube da Libertadores e de qualquer competição internacional. Exagero, eu não acho. É uma forma de ensinar a essa cambada de animais como devem se portar em um estádio. Se não conseguem aprender por bem, se não tem a capacidade de se portar como torcedores e não bandidos, então que aprendam por mal.

E a própria CBF deveria também tomar uma atitude, embora sabemos bem que a entidade tem o rabo tão preso com Corínthians e Flamengo e nada será feito. Se fosse uma confederação séria, que estivesse preocupada em fazer uma Copa do Mundo impecável e mostrar para o mundo que as coisas aqui são sérias, a CBF iria punir o clube paulista também, tipo banindo o time de todas as competições por, sei lá, cinco anos, e voltando na oitava divisão do Brasileiro.

Mas, enfim... Vivemos no Brasil-il-il... E sabemos que não vai acontecer pôrra nenhuma. Passa a Libertadores, as torcidas organizadas vão voltar aos estádios, passam alguns anos e o assassino "di menor" ganha a liberdade, passa a final do BBB e todo mundo esquece do episódio. Só quem não vai conseguir esquecer é a família do menino boliviano...

Nenhum comentário: