terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Mijando na rua

Estava vendo as notícias agora há pouco, e uma em particular me chamou a atenção, embora seja mais uma daquelas notícias extremamente previsíveis, como a reportagem que mostra as pessoas fazendo compras de Natal de última hora ou aquelas entrevistas com o pessoal na rodoviária no início de um feriadão. A notícia que me refiro fala a respeito de mais de cem pessoas que foram detidas nesse fim de semana ao mijar na rua, durante os blocos de Carnaval.


Quem já acompanha o meu blog deve saber o quanto eu odeio o Carnaval, para mim é uma das coisas mais abomináveis, cretinas, insuportáveis e intragáveis da face da Terra. Nessa época eu me escondo dentro de casa, e invejo aquelas pessoas que têm casa no interior, longe da bagunça e da folia. Odeio a zona que esses blocos fazem nas ruas, com as mesmas marchinhas enjoadas, com a pegação desenfreada onde as pessoas pegam qualquer um (e qualquer coisa), com o monte de viados enrustidos que aproveitam essa época para se vestir de mulher, a bebedeira exagerada... Enfim, é uma merda mesmo.

E essa de mijar na rua é outra coisa insuportável. Claro que a cada ano o cerco fecha mais, com um maior número de banheiros químicos e maior fiscalização para deter os mijões. Mas é muita gente, e é difícil coibir por completo essa postura nojenta. Sério, tem lugares que simplesmente eu não aguentava passar, de tão forte que era o cheiro de mijo. Os caras não querem nem saber, saem mijando em qualquer canto, com alguns locais se tornando verdadeiros mijódromos.

O pior de tudo é que, como a reportagem comenta, embora a maioria sejam homens, há mulheres que também se aliviam nas ruas. Sério, nesse fim de semana eu estava na rua, voltando da farmácia, e tinha um bloco em uma rua próxima. Estou atravessando a rua e percebo uma garota, que devia ter seus vinte e pouco anos, agachada entre dois carros estacionados e com a saia de dançarina de frevo levantada, toda arreganhada disparando um jato no asfalto. Sorte que ela não levantou a saia completamente a ponto de exibir o "parque de diversões" para os transeuntes, mas puta merda! 


Sério, eu não consigo entender como que as pessoas se sentem tão à vontade para urinar no meio da rua. É muito nojento, no mínimo anti-higiênico. Os caras vão lá, abrem a braguilha e quase encostam seus pintos em árvores, paredes e postes, sem se preocupar com as consequências. Sinceramente, esse tipo de gente tinha mais era que pegar uma infecção, ou levar uma mordida de um bicho no bilau para aprender a não emporcalhar a cidade.

Custa tanto ir em um banheiro público? Nesses blocos e em demais eventos tem vários, sei que tem fila, mas pega-se fila para tanta coisa. Ou então vai em um bar, em alguma lanchonete por exemplo, e usa o banheiro lá. Certa vez eu fiz isso, estava apertado e fui em um McDonald's para usar o banheiro. Tudo bem que o cara disse que o banheiro era só para os clientes, comprei um pacote pequeno de batata frita e pronto, estava resolvido, acesso a um banheiro para eu mijar em paz. 

Ou que arrume uma forma alternativa de mijar sem sujar a rua...


Aliás, pra você ver como americano inventa de tudo, cada bizarrice maior do que a outra. Antes mesmo do Debi & Lóide, era possível ver em mais um daqueles infomerciais bizarros a solução para jogadores de golfe quando precisam atender um chamado da natureza durante uma partida. 



Bizarro, não? Pelo menos não ficam mijando pelos cantos como os foliões daqui.

Nenhum comentário: