quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Me expliquem o Carnaval

O Carnaval se foi... Apesar de eu gostar de ficar quase uma semana em casa coçando as bolas sem ter que trabalhar, não via a hora desse Carnaval terminar de vez. Ainda tem alguns restos, durante esses dias ainda podemos encontrar os últimos blocos e ainda rolam alguns desfiles no Sambódromo, mas pelo menos em um ritmo menor do que foram esses dias.

Vou te contar, esse ano foi foda. Não sei explicar, mas parece que a baderna nas ruas foi maior. Tive que passar o feriado todo com a janela fechada e o ar condicionado ligado para não escutar os foliões bêbados cretinos berrando nas ruas. Nas poucas oportunidades que saí de casa, o cenário era terrível, com o fedor das ruas e aquele monte de gente fantasiada fazendo algazarra. Sem falar nos blocos, puta merda... Esse ano foi todo dia, de sábado até terça, sempre tinha um bloco se concentrando perto de casa e depois desfilando pela rua fazendo a maior barulheira...


Na boa, fico olhando ao meu redor e vejo como todo mundo fica alegre no Carnaval, vejo no Facebook todos meus amigos curtindo os blocos, nos jornais só se fala a respeito da folia. Pôrra, será que eu sou o único que odeia essa bosta de Carnaval? 

Pausa para um momento de cultura inútil, o Carnaval tem suas origens lá na Grécia antiga, mas esse formato que temos hoje foi muito influenciado pela Igreja Católica, pois é logo antes do início da Quaresma, período de 40 dias que antecede a Páscoa onde as pessoas se privavam dos prazeres da carne e faziam jejum. Por isso, antes desse período se fazia uma mega festa, onde o pessoal enchia os cornos de comida. E por falar em prazeres da carne, provavelmente trepavam que nem macacos no cio também. Deve ser por isso que o Carnaval (que vem do termo latim carnis valles, que significa "prazeres da carne") a putaria rola solta.

Acontece que certamente as pessoas que estão curtindo o Carnaval estão pouco se fudendo para o significado religioso acima, pois dificilmente essas pessoas vão se privar dos prazeres da carne durante os próximos quarenta dias, na melhor das hipóteses elas vão comer peixe na Sexta-Feira Santa. Essas pessoas estão querendo mesmo é a festa, a bebedeira, a putaria... 

Agora, me explica se temos razão para estarmos tão felizes assim?

Parece que todos os problemas simplesmente desaparecem nessa época de Carnaval. É a coisa mais comum que se tem, as pessoas ficam revoltadas com as calamidades que ocorrem nas chuvas de verão, ficam sensibilizadas com o incêndio da boate no Sul, ficam putas com a corrupção que permite que o Renan Calheiros seja eleito presidente do Senado... Pergunta se alguém pensou nessas coisas durante os dias de folia? Duvido, não deram a mínima, são águas passadas, o que importa agora é dançar, pular, beber cerveja e beijar na boca. 
E o pior de tudo... Antes as pessoas esquecessem somente durante o Carnaval, mas acontece que a maioria se esquece de vez desses problemas. É o retrato desse povinho de merda que é o brasileiro, se esquece fácil das coisas. Aposto que tem um monte de gente que estava acompanhando o julgamento do mensalão, que no Carnaval colocou a máscara do Joaquim Barbosa, mas que daqui a pouco vai acabar votando no Dirceu se tiver a oportunidade...

Nessa altura do campeonato devem começar a chover comentários contra a minha pessoa, criticando essa minha postura "anti-brasileira". Mas não estou falando mentira, o povo brasileiro se esquece muito fácil das coisas, não precisa muito: é só vir festas como o Carnaval ou Ano-Novo, é só ter o paredão do Big Brother ou o último capítulo da novelas das 8, basta só o time ser campeão ou jogar na Mega-Sena que o brasileiro se esquece dos problemas, das mazelas de nossa sociedade, dos problemas de sua cidade e da corrupção do governo, tudo isso mascarado naquela falsidade de que o brasileiro é um povo alegre... Fala sério, brasileiro é um povo que leva na bunda mas que finge que tá tudo bem e fica rindo...

Por exemplo, alguém já fez uma conta de quanto se gasta com o Carnaval? O quanto que o governo não deve estar gastando com reforma do Sambódromo, o quanto que não foi gasto (incluindo o desvio de verba) pra erguer aquela merda de Cidade do Samba? Tudo isso para fazer uma festa megalomaníaca? Por que não gastar esse dinheiro com a educação, por que não usar para melhorar os hospitais públicos em condições críticas, em vez de torrar essa grana em quatro dias de folia?

De novo, esse é o nosso povinho... A turma prefere pular em blocos e assistir aos desfiles na Sapucaí e viver uma alegria temporária durante esses dias de Carnaval do que exigir ensino fundamental de qualidade e hospitais melhor preparados de nossos governantes. Depois vão ficar reclamando que o filho não tem aula, vão ficar desesperados na fila do hospital esperando pra ser atendidos... Reclamam do Eduardo Paes e do Sérgio Cabral por causa de tudo isso, mas acham uma gracinha vê-los na folia e ficam todos agradecidos pelo Carnaval que eles financiaram.


Continuo falando das escolas de samba. Todas elas vêm de bairros humildes ou favelas, lugares onde a população vive na miséria. Pensa agora em quanta grana essas escolas gastam por ano com os desfiles, envolvendo aí mão-de-obra, gastos com os carros alegóricos e fantasias e para pagar o cachê de personalidades famosas. Na boa, não é pouca grana... Tinha fantasia de passista com centenas de cristais, penas de faisão e tudo mais, acha que isso se compra na promoção na Urú? Tudo bem, sabemos bem que boa parte dessa grana do Carnaval vem de forma, digamos... "alternativa", mas mesmo assim é uma pequena fortuna gasta pelas escolas a cada desfile que poderia ter um destino mais nobre.

Que usassem pelo menos parte desse dinheiro para melhorar a região, para das condições para os moradores da "cumunidade". Afinal de contas, não dizem que os pobres e moradores da favela têm consciência social?    

 O último que disse isso acabou assim

Mas, de novo, isso ocorre porque o povo é burro, não sabe dar valor ao que é de fato importante. Pergunta pro menino morador da Mangueira, ele quer mais fazer parte da bateria do que ter uma escola de qualidade, pergunta pra menina que vive em Nilópolis, ela sonha mais em ser passista e desfilar pela Beija-Flor do que ter um emprego decente e ser alguém na vida.

E o mais engraçado é que existe toda essa competição, com a votação dos diversos quesitos na Quarta-Feira de Cinzas, para decidir qual será a escola campeã, quais serão rebaixadas para a segunda divisão. Todo aquele teatro que não muda, é a mesma coisa todos os anos: aquele babaca com aquela voz escrota lá abrindo os envelopes e declamando as notas, seguidas de gritos eufóricos a cada 10 e xingamentos e vaias a qualquer nota diferente disso, com depois as imagens do jornal na quadra da escola campeã dizendo que foram encomendados dois caminhões de chopp pra festejar... 


O mais estúpido de tudo isso é imaginar que tem sujeitos que são pagos para serem juízes de Carnaval... Fala sério, é a coisa mais absurda que se pode imaginar, chega na votação e o narrador diz "agora serão vistos os votos do fulano de tal", que não passa de um Zé Ninguém do qual ninguém faz idéia quem seja. Sem falar que é um dos trabalhos mais estúpidos, dá pra ver com tem um monte de juiz que tá cagando e andando e que dá 10 pra todo mundo, parecendo aquele professor folgado que não quer ter trabalho de corrigir as provas dos alunos...

Outra coisa que não consigo entender é a bebedeira exagerada... Talvez pelo fato de eu ser um texugo alcohol-free, mas sinceramente não consigo entender por que as pessoas têm a necessidade, diria quase que a obrigação, de se embebedar a ponto de quase vomitar suas tripas fora?

Pombas, tudo bem, se gosta de cerva, vai lá e toma... Mas acho engraçado como é tão natural que as pessoas exagerem nessa época, a quantidade de bêbado por metro quadrado aqui perto de casa era absurda. Pessoas que em condições normais não iriam entornar tanto chegam no Carnaval e estão sempre com uma latinha na mão, com um bafo tão pesado que se um deles tenta fumar um cigarrinho corre o risco de virar um lança-chamas. Precisa beber tanta cerveja assim? Será que bebendo tanto assim se consegue curtir e aproveitar a festa? Vale a pena encher os cornos pra ter uma mega ressaca no dia seguinte?


O pior de tudo é que a bebedeira resulta em outras coisas insuportáveis... Bêbado não tem pudor, e acaba às vezes baixando as calças ou mostrando os peitos; bêbado não tem higiene, vai vomitar pelos cantos e mijar na rua; bêbado não tem respeito, vai começar a mexer com as mulheres dos outros e sacanear as pessoas que passam; bêbado é agressivo, e por motivos bobos pode começar briga; e bêbado pode causar acidentes, se deixam um deles pegar seja uma bicicleta, certamente vai acabar machucando algum inocente.

Sério, se eu fosse prefeito ou governador, instituía uma Lei Seca no Carnaval. Quem fosse pego com uma latinha na mão, ia preso. Ia ser radical à la Eliot Ness!


Me expliquem também a sacanagem exacerbada do Carnaval. De novo, a maioria das pessoas não vai ficar abstinente de sexo até a Páscoa, então por que nessa época as pessoas ficam como se estivessem no cio, beijando qualquer um que cruza na sua frente, trepando com qualquer um e qualquer coisa? Fico pensando no boom de nascimentos que devemos ter lá por meados de novembro, filhos de uma pegação de Carnaval...

Não resta dúvidas de que procura sempre se associar uma imagem de sensualidade ao Carnaval, exemplo disso é o fato de que as escolas de samba usam e abusam de mulheres de corpos esculturais, com trajes mínimos. A madrinha de bateria, por exemplo, não tem nenhuma função prática para a bateria da escola, serve mesmo como posição para se colocar uma gostosona ali, normalmente com um boçal com sorriso desdentado girando um pandeiro no dedo enquanto quase enfia sua cabeça por dentro da periquita da mulher. Sério, sempre tem uma foto desse tipo...

Tá bom, admito até que ver certas mulheres desfilando com as fantasias é algo que é agradável de se ver, seria muita hipocrisia de minha parte dizer que acho elas escrotas depois de colocar aqui no blog a política de "peito aberto". Diga-se de passagem, nesse ano tivemos aqui no Rio algumas que até ficaram bem bonitas e vistosas.



Mais algumas, para dar uma melhorada no clima da postagem...



Acontece que se você olha pras mulheres acima, as fantasias estão relativamente de bom gosto, não é muito diferente do que um biquini que elas usariam em uma praia, fora o monte de penas, fico pensando de onde tiraram tanta pena assim, acho que cada escola de samba deve ter um desses aqui...


Aliás, isso me dá uma deixa de colocar essa piadinha.


Mas o que eu não entendo, e particularmente não acho assim tão interessante, é como certas mulheres exageram na dose. Por mais que essa frase possa soar hipócrita ou mesmo gay, eu acho meio escroto aquelas que exageram, tipo vão desfilar com os peitos siliconados ou as suas bundas exageradamente grandes de fora, ou que colam aquele tapa-sexo minúsculo para proteger as suas vergonhas. Precisa tudo isso? A não ser que a mulher esteja personificando a Eva, não faz sentido ela ficar ali inteiramente nua, acho forçação de barra demais fazer isso, uma necessidade de atrair os cliques das câmeras e garantir a sua presença na Caras. 


Tá, essa até que não tá tão feia assim, não foi uma escolha tão boa para justificar meu argumento... Devo ter colocado ela por ter achado ela bem bonita. Vamos ver uma que abusou.


Essa aí de cima era tão gatinha, lembra dela nesse post aqui? Foda isso, essas mulheres estão agora metidas a saradas, com braço mais musculoso que um lutador de vale-tudo, perde muito a graça. É quase como ver um halterofilista semi-nu cheio de penas e adereços...


A verdade é que Carnaval virou desculpa de putaria gratuita, de falta de pudor total. Não é à toa que, enquanto na avenida boa parte das mulheres desfila com as bazingas de fora, nos blocos não venha a rolar algo de muito diferente. Sério, cada vez mais nos meros blocos de rua garotas anônimas perdem a noção total, tirando as blusas na maior tranquilidade, ou então usando a sempre favorita camiseta molhada (sem sutiã, lógico, por que incomoda pra sambar) ou a pintura corporal. Garotas que se você chegar em qualquer outra época do ano e dar uma cantadinha inocente vão te chamar de pervertido e filho da puta, gritando por ajuda.

Mas o pior que se observa nos blocos é a pegação desenfreada, outra das consequências da putaria rolando solta. As pessoas vão para os blocos com um único objetivo em mente: pegar alguém. Apareceu aquela garota mais jeitosinha, apareceu um sujeito bom pinta, e lá vão os dois, sem trocar nenhuma palavra, e alguns segundo depois estão ali fazendo um exame de amígdalas mútuo com a língua, mão dele nos peitos dela, mão dela dentro da cueca dele, e assim vai. E em alguns casos, vão para um cantinho pra consumar o ato. Passados alguns minutos, cada um vai pro seu canto pegar outro(a). E assim a festa vai indo...


Na época de faculdade me lembro dos colegas dizendo "ah, nesse Carnaval eu peguei tantas". Nunca entendi o motivo pelo qual as pessoas ficam com a libido em alta nessa época, com a obrigação de trocar saliva com  máximo de desconhecidos possível. Eu jamais me sentiria confortável em arrumar um "caso de Carnaval", sei que não conseguiria ser assim tão superficial. Em contrapartida, conheço sujeitos que deixam as suas namoradas em casa e vão pros blocos, beijar a mulherada.

É foda, esse tipo de cara tem namorada, e eu aqui solteiro...

Ainda não consegui entender como que as pessoas gostam tanto do Carnaval, não me entra na cabeça o que tem de tão especial nisso tudo. Uma festa sem sentido, com desfiles faraônicos que são apenas desperdício de dinheiro, centenas de blocos pela cidade, passando sem pedir licença, deixando aquele cheirinho peculiar da mistura de cerveja, suor e mijo, acabando com a paz dos moradores, com a putaria rolando solta e nego beijando qualquer coisa que passe pelo caminho. Tanta festa, tanta alegria, e nosso país com problemas mais sérios, que são deixados de lado, solenemente esquecidos pelos foliões que só querem saber de beber cerveja e beijar na boca.

Podem tentar, mas acho difícil alguém me convencer de que essa bosta de Carnaval presta pra alguma coisa... A não ser pra ver algumas poucas gatinhas em fantasias interessantes.


Nenhum comentário: