domingo, 14 de outubro de 2012

Só as gordinhas podem?

Estava aqui vendo algumas postagens recentes, vendo inclusive os comentários que o pessoal vai deixando, em especial aqueles nas postagens polêmicas. Sei lá, às vezes fico pensando se não tenho uma ponta de masoquista, de gostar de falar sobre esses temas só para ver as pessoas mal-humoradas e agressivas virem aqui e criticarem a minha pobre pessoa.

A mais recente foi aquela em que eu tentei me explicar sobre aquilo que considerei uma grande putaria do site do Yahoo, que me coloca uma criatura que mais parece a bunda enrrugada de um elefante, uma pseudo-cantora inglesa que defende a beleza das mulheres acima do peso, embora ela na minha opinião já passou faz tempo desse nível de estar apenas acima do peso. Falei muito sobre essa onda de "politicamente correto", no qual se valorizam os corpos mais cheinhos das mulheres, só com intuito revanchista. Curiosamente, nessa postagem em particular não recebi nenhum comentário ofensivo; apenas no post original, é que veio uma desocupada que pediu a minha cabeça servida em um prato.

Enfim, não vim aqui para ficar falando de novo da questão de que tenho o direito de pensar o que quiser. Afinal de contas, ainda acredito que vivemos em uma sociedade livre, e acho absurdo essa idéia de que não podemos falar mal de certas coisas ou pessoas, para bancar o politicamente correto. Hoje em dia, não se pode falar nada contra homossexuais, contra negros ou idosos, dependendo você pode acabar indo em cana por isso.

Entenda o seguinte: não estou dizendo que sou a favor de opressão ou preconceito contra estes e outros tipos de pessoas. Sou totalmente contra o racismo, em todas as suas formas, como já falei aqui inúmeras vezes. Agora, acho que não é errado que a gente tenha uma opinião sobre um determinado assunto, como por exemplo o fato de que os gays e lésbicas exageram na falta de pudor nas ruas das cidades, o fato de que o governo e a sociedade promovem uma postura exageradamente assistencialista para ajudar os negros que acaba sendo ainda mais preconceituosa (como as políticas de cotas nas universidades) e o fato de que muitos idosos se protegem com o Estatuto do Idoso para assim poderem ser mal-educados e levar vantagem sem que ninguém possa fazer nada.

Depois dessa explicação, venho então finalmente falar do motivo da postagem, que é agora sobre o assunto mesmo dessa valorização da beleza das gordinhas, que era a verdadeira intenção daquela notícia famigerada do Yahoo, usando como exemplo, além da Moby Dick horrorosa, a cantora Adele, que está fazendo um grande sucesso ultimamente, embora na minha opinião esteja ficando mesmo para cantora de uma música só. Quando o site mencionava sobre ela estar indo contra os estereótipos, não estavam se referindo ao estilo musical, mas sim ao fato dela ser uma cantora que foge dos padrões Shakira, Jennifer Lopez e Pussycat Dolls, visivelmente mais cheinha que suas colegas de microfone...


Caraca, colegas de microfone... Soou tão pseudo-erótica essa frase, parece nome de filme pornô! Continuemos...

É interessante ver como é a sociedade... A mulher é uma boa cantora, não sou muito chegado no estilo da música dela, mas reconheço que a Adele tem uma bela voz e canta muito bem, sem dúvida trocentas vezes melhor do que certas cantoras como Maria Gadú e Zélia Duncan. Mas as pessoas parecem mais preocupadas em falar dos quilos extras que ela possui do que de sua música. É foda, cada vez mais o ramo musical vem se tornando mais e mais superficial, saber cantar bem e ter boas músicas vem lá quase no último lugar, depois do visual, estilo de roupa e escândalos fora dos palcos. Mas isso é assunto para outro post...

Para a grande sorte de Adele, o que vem acontecendo é que a sociedade em geral tem se tornado mais solidária às gordinhas. É o que se chama as mulheres "plus size", com seus corpos com mais carne e curvas mais acentuadas, e que recentemente vem recebendo a aprovação de todos, em detrimento não só da silhueta raquítica de certas modelos (que pessoalmente acho mesmo algo feio, que mais parece que estão doentes) mas também da beleza mais convencional das mulheres curvilíneas e em plena forma, admirada pela maioria dos homens.

E realmente, temos que dar o braço a torcer, pois muitas mulheres que se enquadram nessa categoria de plus-size são realmente bonitas, de fazer o queixo cair. Por exemplo, tem a tal da Christina Hendricks, que trabalha na série Mad Men, que nunca vi... Só mesmo sendo assim bem bonita para eu saber quem é sem nunca ter visto um episódio do seriado.


Cacetada! Continuemos...

Em todo caso, acho até válido que haja uma maior valorização desse tipo de beleza feminina. Na opinião deste solitário texugo, as mulheres de corpos esculturais que vemos em jornais e revistas são, embora agradáveis de se ver, muitas vezes somente isso, algo para ser visto e admirado apenas, com personalidades mais superficiais que uma folha de papel. Sem falar que na imensa maioria das vezes essas mulheres acabam priorizando ter esse tipo de corpo desejável e se esquecem de cuidar da mente e da personalidade: quando abrem a boca, sai tanta porcaria quanto de um cano de esgoto, e que agem de maneira convencida e metida. Sou muito mais uma mulher com alguns quilinhos a mais mas que seja uma boa pessoa e tenha personalidade.

Digo isso, mesmo sabendo que certamente vão aparecer pessoas aqui me chamando de hipócrita, devido às fotos de mulheres que de vez em quando aparecem aqui. Pombas, foto é uma coisa para ser vista mesmo, é para agradar aos olhos. Mas eu sei a diferença entre uma foto e uma pessoa de verdade, até porque nos dias de hoje as fotos sempre contam com algum Photoshop ou Instagram para melhorar a qualidade.

Mas o real motivo que me traz aqui é mais para levantar uma questão interessante. É evidente que existe hoje essa maior valorização pela mulher "plus-size"... Mas e quanto aos homens?

Sério, em nenhum momento vemos a sociedade dando espaço aos gordinhos, aos sujeitos com uma discreta pancinha de chopp, com pneus saltando fora da calça e que suam em excesso após o mínimo exercício físico. Todos são hostilizados, vistos como criaturas preguiçosas, fora de forma, desprezados e ignorados pelas mulheres... Apenas os sujeitos saradões, de braços musculosos e físico que os permite andar sem camisa sem se sentirem envergonhados é que são valorizados.

Falo isso por experiência própria. Sou um texugo que está brigando com a balança, que apesar de buscar uma alimentação saudável e fazer o maior esforço para fazer exercícios físicos preciso presenciar uma barriga um pouco avantajada toda hora que me olho no espelho. Sempre fui um pouco acima do peso, o que sempre me rendeu ao longo de minha vida situações desagradáveis e incômodas, como ter que encolher a barriga para passar por caminhos estreitos, sentar cuidadosamente na cadeira para que ela não fizesse nenhum barulho que pudesse evidenciar para as pessoas o meu peso acima da média e fazer de tudo para no futebol ficar no time "com camisa". E sei que por ter esse corpo menos atraente eu não sou objeto de desejo nem das mulheres com padrões mais baixos.

Agora é que pergunto por que é que não existe uma maior compreensão conosco, homens um pouco mais cheinhos, como há com as mulheres "plus-size"? Por que uma mulher um pouco acima do peso é algo a ser valorizado, é tido como algo belo e saudável, mas um homem um pouco acima do peso é visto com maus olhos, desprezado e ridicularizado pela sociedade, tido como um exemplo de preguiça, desleixo com a saúde e feiúra?


Pessoalmente, acho que trata-se de mais um exemplo da grande hipocrisia por parte das mulheres, cuja maioria tem esse péssimo costume de mesmo peso e duas medidas, de julgar que certas coisas devem valer apenas para elas e não para os homens. Sei que se até agora ninguém veio aqui me xingar, com esse comentário já posso garantir que chegam mais comentários me xingando...

Mas estou falando sério, permita-me explicar meu ponto de vista. Não resta dúvidas de que a sociedade é de uma forma geral extremamente superficial, a ponto de colocar a aparência física em primeiro lugar, à frente de outras coisas mais importantes do que ser uma boa pessoa, por exemplo. É só ver na mídia, sempre é a mulher de corpo escultural, seios grandes e cinturinha fina, sempre é o cara com expressão de galã, corpo sarado e músculos à mostra...

Acontece que nos últimos anos as mulheres vêm ganhando cada vez mais força para combater aquilo que elas consideram como atitudes que as oprimem. Já se foi o tempo em que se dizia que a mulher só serve pra ser dona-de-casa, por exemplo, hoje elas tem uma participação cada vez maior no mundo profissional (talvez não de forma 100% igualitária com os homens, mas certamente muito mais que anos atrás). Acho legal, acho justo que isso ocorra. As mulheres merecem sim o seu espaço na sociedade, sendo capazes de serem tão boas quanto os homens em diversas coisas. E até acho legal que elas busquem cada vez mais vencer essa idéia de que a mulher precisa ser uma Vênus do Milo para ser considerada bonita, de que a aparência não deva ser a única coisa a ser valorizada, e que mesmo uma gordinha pode se sentir bem consigo mesma e ser achada bonita.

Só que hoje em dia parece ser apenas válido quando as mulheres lutam por essas coisas. O mesmo não ocorre com os homens. Talvez por falta de motivação dos homens mesmo, mas também há uma parcela grande da sociedade que dita isso, que o cara gordinho no máximo pode ser um sujeito engraçado e cômico. Vide Jô Soares, George Costanza, Hurley do Lost, tantos outros.


Tanto que muitos fazem todo o possível para emagrecer. Vide o Faustão, por exemplo... A sociedade em geral aprovou, dizem que ele fez certo em perder peso, que está melhor assim, mesmo que agora pareça ridículo continuar chamando o sujeito de Faustão. Mas se é a Preta Gil que diz querer perder peso, aí vão dizer "ah, não precisa... Você é bonita assim, não se renda aos padrões superficiais impostos pela sociedade."

E isso se reflete até mesmo nos relacionamentos, na forma como as pessoas enxergam um casal que não compartilha do mesmo físico. Se um cara bonitão anda com uma gordinha, que lindo! Se uma garota sensual namora um gordinho, o que ela está pesando, ela pode arrumar coisa melhor. Se o cara termina com uma gordinha, ele é um filho da puta superficial. Se a garota termina com o gordinho, ela está tomando o rumo certo...


Não tem jeito... Ser gordinha pode... Ser gordinho não pode. Essa é a realidade que vivemos hoje. Acho que é melhor eu parar de ficar choramingando aqui e ir fazer um exercício.

Nenhum comentário: