domingo, 28 de outubro de 2012

Polícia, sempre errada

Vejam essa matéria bem recente, que pode ser vista aqui no site do UOL. Faço questão de reproduzir a matéria inteira e a foto que acompanha a matéria, para explicar melhor meu ponto de vista.



Na última quarta-feira (24) um policial militar entrou sem autorização em uma sala de aula do ensino fundamental do CEU Parque Bristol, na zona sul de São Paulo, para repreender alunos que estariam chamando os policiais de “coxinha” pela janela.

Uma foto do momento da ação foi divulgada no Facebook e compartilhada por mais de 1.600 pessoas, até a publicação da matéria, seguida por comentários que afirmam que o policial teria ameaçado e coagido os alunos.

O perfil das Mães de Maio publicou o seguinte relato no Facebook sobre a foto: "... as crianças mexeram com eles pela janela chamando-os de ‘coxinha’. Isso foi o suficiente para eles invadirem a escola, entrarem nessa sala de oitava série e cometer atrocidades como ameaças de morte, coação, engatilhar armas, humilhá-los, chamá-los de marginais, enfim...atitudes dignas de homens ‘corajosos’. Esse é nosso pais. Essa escola é municipal. CEU EMEF Parque Bristol".

A Secretaria Municipal de Educação confirma que o policial entrou na escola para repreender os estudantes sem pedir autorização e diz que comunicou o fato à SSP (Secretaria de Segurança Pública do Estado) e também afirma que a gestora da unidade entrou em contato com o 46º Batalhão da Polícia Militar logo após o ocorrido.

Segundo o centro de comunicação social da PM, “o secretário Antonio Ferreira Pinto determinou que a ocorrência seja rigorosamente investigada pela Corregedoria da Polícia Militar”. A nota também afirma que “a SSP não tolera abusos de policiais e, se confirmadas as denúncias, eles serão afastados e punidos”.

Vamos começar pelo começo. Afinal de contas, o que diabos é "coxinha"? 

Não, não deve ser aquele famoso salgado de padaria, mas pelo que parece é um xingamento típico dos paulistas, comprovando mais uma vez que a turma de SP tem umas idéias toscas. Coxinha é o termo usado para sacanear aquele sujeito que se arruma todo, quase como um mauricinho todo engomado.

Então, vamos repassar os fatos: alguns alunos estava chamando da janela da sala de aula, os policiais de "coxinha". Aí os policiais vão lá para dar uma bronca nos alunos.

Alguém aqui acha que os policiais estavam errados? Tem mais é que dar esporro sim!

Começa com o seguinte, os alunos estavam na janela? Não duvido nada que eles deviam estar ali bundeando, sem prestar atenção na aula, e mexendo com as pessoas nas ruas. Sério, sei que vai soar preconceituoso, mas cansei de ver alunos de escola pública, vindos de famílias mais pobres e cujos pais não ligam muito para disciplina, que fazem baderna nas escolas e nas ruas. Muitas vezes no ônibus, voltando do trabalho, via alunos, moleques de menos de 15 anos, fazendo algazarra, mexendo com as mulheres nas ruas e etc, logo não duvido que tenha ocorrido algo parecido.

Mas vou dar aos alunos o benefício da dúvida... Talvez eles estivessem no intervalo, e não estivessem na janela durante a aula.

Só que eles estavam redondamente errados de ficar xingando o policial. Isso não é coisa que se faça, isso tem um nome, que é desacato à autoridade. Experimenta chegar na rua e chamar um guarda de viado pra ver o que acontece. Então, não me restam dúvidas de quem causou o problema todo foram esses alunos, esses "di menor" que acham que podem fazer qualquer coisa.

Aí então é que vem toda aquela ação midiática para construir a notícia de acordo com os interesses. O policial estava na sala repreendendo os alunos, chamando a atenção dos mesmos. Na minha opinião, dando um pouco de educação, que essas crianças deveriam receber em casa. Mas aí aumentam a dimensão de tudo, como se o policial tivesse agredido os alunos. É só ver nesse site aqui, que fala da mesma notícia, mas que muda completamente os fatos, dizendo até que o policial apontou a arma para os alunos.

E o mais hilário de tudo é aparecer esse movimento Mães de Maio, movimento que luta contra a violência policial (mas que certamente se cala diante da violência dos bandidos), dizer que o policial apontou arma, ameaçou os alunos de morte e por aí vai. Na cabeça delas, quem causou o problema foram os policiais, ela parece desprezar o fato de que os alunos os xingaram.

Sabe, essa é uma das coisas que mais me emputece com a sociedade, o que me dá vontade de fazer as minhas malas e me mudar pro mato, me isolar do mundo. Cada vez mais existe essa visão bitolada de que a polícia é inimiga do povo, os policiais são sempre hostilizados e vistos como a corja da sociedade, enquanto que os verdadeiros marginais estão por aí, matando as pessoas, executando policiais. Esses bandidos, ninguém fala nada.

É por isso que gosto muito dos filmes do Tropa de Elite. No primeiro, tem aquela cena na faculdade, onde os alunos moradores do Leblon e Ipanema ficam falando que a polícia é corrupta, que na favela só tem gente de bem. Lembra da patricinha que reclamava da blitz, alegando que os policiais eram violentos? Lembra daquela frase daquele babaquinha da ONG, namorado da garota, dizendo que o pessoal do morro tem consciência social? Você se lembra do fim dos dois, não lembra?

 
Não duvido que existem policiais corruptos na polícia, sabemos bem da realidade da corporação. Mas a instituição da polícia está aí para servir ao povo. Diferente dos traficantes, bandidos e outros marginais, que são os inimigos da sociedade, que promovem crimes que destroem famílias. Esses sim é que tem que ser detidos, tem que ser presos. Muitos deles, na minha opinião, executados mesmo, pena de morte.

Mas a sociedade, em especial os favelados, esquerdistas e simpatizantes de movimentos sociais como Viva Rio, tem uma visual distorcida de colocar a força policial como inimiga. É tão fácil criticar a polícia, dizer que houve excessos  por parte dos guardas, pedir a prisão daqueles que "abusaram do poder". Sempre culpam a polícia, mesmo que se tenha passado poucas horas depois do crime. Agora, quero ver é ter culhão pra mandar prender o chefão do morro.

Por exemplo, tem uma troca de tiros entre policiais e bandidos, e morre um inocente, vítima de bala perdida. Pra que chamar o CSI? Os favelados já sabem com toda a certeza de que sempre que morrer uma pessoa inocente em um conflito armado na comunidade, sempre a bala vem da arma de um policial. Já alegam isso antes mesmo do cadáver ficar frio. Na cabeça deles, nunca vai ocorrer de um safado dum bandido matar uma pessoa inocente. Só quem mata inocente é policial, na cabeça bitolada desses cretinos.

Sério, se eu sou da polícia, largaria a merda rolar solta. Apareceu alguma "cumunidade" onde o crime está alto? Deixa correr solto, que os favelados vão lá falar com os traficantes. Afinal de contas, eles não são sempre os bonzinhos? 

Esse episódio mostra mesmo os rumos que o Brasil está tomando, como que os vagabundos são mesmo protegidos. Se aqui fosse um país sério, esses alunos teriam no mínimo sido suspensos, seus pais seriam chamados na direção e na delegacia para dar satisfações. E se eles tivessem um mínimo de bom senso, iriam dar uma chamada de atenção nos seus filhos, seja botando de castigo no fim de semana inteiro, seja educando na base do chinelo ou do cinto. E ainda obrigaria aos moleques chegarem, diante de todos os demais alunos, professores e funcionários, e pedirem desculpas para o policial. Só assim mesmo, sofrendo as consequências de seus atos, passando essa vergonha, é que esses pivetes iriam aprender a nunca mais fazer uma dessas. Não quer aprender por bem, aprende por mal.

Mas, como que aqui é o Brasil-il-il... Vai ficar por isso mesmo. O policial será julgado, podendo ser expulso da polícia, enquanto que os moleques vão continuar aí numa boa, achando que podem mexer com os outros e nada vai acontecer. Vão crescer e, na melhor das hipóteses, vão se tornar cidadãos incapazes de respeitar as leis e o próximo, exemplos de compreensão e respeito pelos semelhantes.

É... estamos f...

Nenhum comentário: