sábado, 23 de março de 2013

Vagão Novo do Metrô


Eu sei, esses vagões novos do Metrô Rio já estão em operação há um bom tempo, e falar sobre eles agora seria como fazer só hoje uma postagem falando daquela eliminação homérica do Menguinho na Libertadores, quando nos 47 do segundo tempo o Emelec virou e eliminou os mulambos. Aliás, como sempre é bom rir do Flamengo, quem quiser pode vir aqui para divertir um pouco.

Enfim, os vagões novos do metrô estão operando, já tem vários desses trens chineses andando pelos trilhos da Linha 2. Tudo bem que eles têm um visual mais moderno, um ar condicionado mais possante, e é bem legal aquele mostrador das estações que tem em cima das portas. Mas, no fundo, no fundo... Eu não suporto muito esses novos trens.

Podem achar que eu estou sendo chato, de que é implicância de minha parte, que só reclamo de tudo. Mas realmente tem algumas coisas nesses trens novos que me enchem o saco, e juro que isso não é influenciado pela crescente raiva que eu nutro pelo Metrô Rio, ainda mais depois de terem fechado algumas estações para a mal-planejada criação da Linha 4, como eu mencionei nesta postagem. Aliás, é interessante como que pularam a Linha 3... Ou simplesmente desistiram dela.


Bom, a primeira coisa que eu odeio nesses novos vagões é o fato de que todos os bancos são de lado. Tudo bem, eu até entendo que essa disposição é mais interessante para que haja um melhor fluxo de pessoas, além de ampliar um pouco mais a capacidade do vagão. Mas esses bancos de lado são uma merda, todas as vezes que eu peguei esse trem novo eu ia em pé, mesmo havendo lugares vazios.

Sabe por quê? Porque sentando num desses bancos, você fica virado para o corredor, onde provavelmente alguém vai ficar plantado na sua frente, principalmente se o vagão estiver cheio. Então, você já viu... Terá que aguentar um saco bem na altura da sua cara, ou vai ter que ficar de frente para uma bunda.


Claro que não uma bunda como essa... Será certamente a bunda de um outro cara, ou aquela buzanfa e suada de uma empregada doméstica acima do peso bem na suas fuças. Melhor ficar de pé mesmo, obrigado.

Acontece que ficar de pé traz outra coisa insuportável: os pegadores. Essas argolas têm a intenção de ajudar as pessoas de menor estatura a conseguirem se segurar, sem precisar ficar na ponta dos pés para agarrar as barras de apoio penduradas no teto. Mas acontece que essas argolas são fixas, não é como vemos em alguns ônibus onde elas correm pelas barras, podendo ser assim tiradas do caminho. Várias vezes eu fui despercebido e dei uma cabeçada numa pôrra dessas.

Tem uma outra coisa que é bem complicada, e já escutei várias pessoas reclamando, que é o volume dos alto-falantes internos do trem. É um esporro de doer os ouvidos, principalmente a buzina quando as portas estão fechando, mesmo com fone de ouvido não tem como não escutar. Não tem necessidade, eu sei que tem muita gente distraída que não percebe que chegou na estação ou que entra no vagão da Linha 2 sentido Pavuna quando queria pegar o Linha 1 para Saens Peña (impressionante como tem gente burra que é incapaz de olhar a pôrra do letreiro em cima da porta), mas não precisava explodir os tímpanos dos passageiros.  


Mas a coisa que mais me emputece é o fato de que os vagões são conectados... Eu sei que isso ajuda as pessoas a se deslocarem para vagões mais vazios, mas mesmo assim...

Você deve se lembrar de um post que fiz algum tempo atrás, falando dos malditos passageiros que cismam em se espremer pelo meio do caminho, indo de uma ponta até a outra do vagão para ficar mais perto de uma determinada porta, economizando assim um imenso tempo precioso de menos de 10 segundos. Um tipo de gente que acho insuportável, me revolta ver como as pessoas são tão exageradamente apressadas sem a menor necessidade, como se economizar alguns poucos segundos fosse fazer a diferença.

Bom, acontece que agora com os vagões interconectados, esses apressadinhos podem agora soltar orgasmos de alegria pois podem se deslocar de uma ponta até a outra do vagão. Pra quê perder alguns segundos andando na plataforma antes de embarcar ou depois de desembarcar, se agora eles podem atravessar todo o trem? Claro, abrindo caminho pelas pessoas que estão na frente, não importando se está cheio.

Mas o pior de tudo no Metrô Rio independe de ser nos trens novos ou antigos. O pior mesmo são as pessoas, já disse que esse é o meio de transporte com a maior concentração de gente mal-educada por metro quadrado, parece um monte de animais. Tem mais é que descer a porrada nessa corja!


Nenhum comentário: